segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O furo que tira um forte concorrente ao acesso

Já escrevi aqui uma vez que parece que futebol é jogo de gato e rato fora de campo. Além da disputa em si, os departamentos jurídicos ficam de olho pra ver se não encontram algo de errado. Faz parte do trabalho deles. E como o sistema da CBF é absurdamente falho, o pessoal tem mais é que ficar ligado mesmo.

Aconteceu com o América-MG. Outros clubes checam a situação, sabendo que não dá pra confiar na turma do registro da CBF. O time de Minas não observou e teve o "azar" do JEC ter observado.

Cabe recurso na decisão, mas o argumento é forte. Como disse o presidente da comissão disciplicar, Paulo Valed Perry, não há jeito menos dolorido de punir. É claro, cristalino, dito com todas as letras no regulamento.

Pra turma de cima da Série B, ótima notícia. Um forte concorrente ao acesso sai da briga. Não vinha em boa fase, com três derrotas seguidas. Mas tem um elenco bom, e em condição de brigar. Ou melhor, tinha.

Vai saber o que se passa na cabeça da turma do Pleno, mas o América-MG está numa encruzilhada.

Ponto pra quem ficou de olho e fez cumprir o regulamento, coisa que a CBF mais uma vez não fez.


sábado, 13 de setembro de 2014

Sem espetáculo, Avaí vira a rodada como líder

Geninho falou tudo sobre o jogo contra o Vila Nova logo após o apito final: seu time não fez um bom jogo, apenas o suficiente para bater o lanterna do campeonato. Excesso de confiança faz coisa, ainda mais quando se joga contra o pior time do campeonato e quando o time está a 90 minutos da liderança.

O Joinville passou pelo mesmo problema, vencendo o mesmo time em casa com um apertado um a zero. São três pontos na conta, e a troca de posições na liderança, com o primeiro gol de Marquinhos na Série B e Diego Felipe fazendo mais um

Algumas coisas a observar: o crescimento da Ponte Preta, que fica a um ponto do G4 e consolida o bom momento no campeonato. O contrário acontece com o América-MG, que perdeu a terceira seguida e caiu para oitavo.

Na Série B onde ninguém está jogando bonito, meio a zero é goleada. O importante é estabelecer sequência. Entrar numa decrescente a essa altura do campeonato pode ser fatal lá no final.

Rodada interessante terça que vem: O Avaí pega o Sampaio, que é mais qualificado que o Vila Nova, o JEC vai a Recife pegar o Náutico enquanto que Ceará, Ponte, Boa e Vasco também jogam fora de casa.


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Jogou 45 minutos para ganhar um ponto

Assessoria JEC
O Joinville teve que correr atrás do prejuízo para levar um pontinho de Juazeiro do Norte. Isso não está certo. O líder da Série B só resolveu jogar no segundo tempo, após 45 minutos de uma pasmaceira que resultou no gol do Icasa, que luta contra o rebaixamento na Série B.

Ainda que o ponto conquistado não seja terrível, fica a clara impressão de que a vitória poderia vir, não fosse o sono profundo que o time entrou no início da partida. O time não criou jogadas, não pressionou o adversário. A defesa permitiu o gol do Icasa com uma displicência enorme, coisa de quem não estava focado no jogo. A bronca no vestiário surtiu efeito e o gol de Bruno Aguiar acabou salvando o time de uma derrota dolorida.

Foi o jogo que terminou com a impressão de "porque não jogou assim a partida inteira".  Segue o bonde. Terça tem o Náutico pela frente. E tomara que o time jogue com vontade os 90 minutos, e não apenas metade do jogo.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A aposta Jorginho

Depois de tomar tantos "nãos" de treinadores, a Chapecoense encontrou um que lhe deu um sim. Celso Rodrigues volta para ser auxiliar e vem Jorginho, que teve uma última passagem nada boa no Vitória.

Basicamente é isso. É o que tinha no mercado que aceitou pegar o clube e se encaixou no orçamento.

É uma aposta. Boa ou ruim, não sei. Comparando com Celso, é um nome mais experiente, mais "boleirão", e que pode tirar mais desse time, que me parece com falta de comprometimento. Sabe quando você vê que o time, mesmo limitado, pode render mais? Assim que eu vejo a situação da Chapecoense agora.

Ele contrasta trabalhos bons, outros não tão bons e outros ruins na sua carreira. Que em Chapecó ele faça valer a primeira opção. O time precisa de algo novo.


Os números que preocupam torcedores de Criciúma e Chapecoense

Fernando Ribeiro / Criciúma EC
Na noite em que o Figueirense teve azar mas garantiu mais um pontinho na Série A, os torcedores de Criciúma e de Chapecó se desesperaram mais um pouco.

Os números preocupam: a derrota para o Palmeiras foi a décima do Criciúma no campeonato, dez jogos sem vencer e um jejum de 637 minutos sem marcar um gol. Gilmar Dal Pozzo trouxe o discurso da confiança e falou em "conhecer o time". Ele não terá muito tempo pra isso. Precisa encontrar o encaixe do time, que pode até ir para a lanterna se o Bahia bater o Cruzeiro. Não adianta jogar bem se a rede do adversário não balançar e o resultado não aparecer, não é mesmo?

Já a Chapecoense sobrevive fora da zona de rebaixamento por causa dos critérios de desempate. Conquistou apenas um ponto nos últimos 12 disputados. Fez um jogo terrível contra o Coritiba. Tomou um gol logo no início, não se encontrou em campo e acabou perdendo de três. A diretoria precisa fazer um exame. Celso Rodrigues parece ter chegado ao seu limite.  O time que marcava forte e marcava uns gols não é o mesmo. Trazer jogadores? Um técnico experiente? O relógio toca e o pessoal de Chapecó tem que se mexer, antes que seja tarde.


terça-feira, 9 de setembro de 2014

Passeio avaiano em Bragança, e o G4 abre distância

Passou da ponte, o Avaí é outro time.

É a sétima vitória fora de casa, um número impressionante. 23 pontos conquistados como visitante, contra 15 dentro do seu estádio.  Fosse um pouquinho melhor em casa (perdeu três jogos), o Leão estaria bem folgado na frente.

O time de Geninho atropelou o Bragantino sem dó nem piedade, com um três a zero convincente no primeiro tempo, mesmo com uma posse de bola bem menor durante todo o jogo. Duas assistências de Marquinhos e outra atuação de alto padrão de Diego Felipe fizeram o time se sustentar na segunda posição.

Aliás, essa foi a rodada da gordura. Quem entrou na rodada no G4, venceu. Aí some a incrível derrota da Ponte Preta em casa, mais a vitória do Ceará sobre o América-MG, e temos uma distância de quatro pontos do quarto para o quinto colocado. Algo considerável. E se o time de BH perder pontos semana que vem no STJD, é um time forte a menos na briga.

Além das vitórias de Joinville e Avaí, os resultados colaboraram. Tem que comemorar com responsabilidade. Final de semana tem mais, com a dupla catarinense pegando dois times da zona de rebaixamento. Não pode bobear.



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

JEC vence o retrancão do Paraná e segue líder

Assessoria JEC
Quem vê o placar final do jogo não sabe como o JEC suou pra ganhar do Paraná. O time de Curitiba montou um retrancão na Arena, tentando jogar no erro do adversário. Quase conseguiu um gol, não fosse uma senhora defesa de Ivan.

No fim deu tudo certo, Fabinho conseguiu passar pelo ferrolho e tudo ficou mais simples. Líder, e agora o melhor ataque. Tudo certo.

Boa partida de Naldo, indispensável no time. Everton correu bastante e Jael fez o seu.

O caminho para o acesso passa por fazer a tarefa de casa e buscar pontos fora. O tricolor está na liderança, e muito time vai querer enfrentar o líder jogando fechadinho. Problema para Hemerson Maria resolver.

Parece que a nuvem negra passou. Agora, serão dois jogos no Nordeste para colocar mais alguns tijolos no caminho para o acesso. Time pra isso o JEC tem.


domingo, 7 de setembro de 2014

Uma palavra resume a virada no Beira-Rio: sensacional

Ricardo Rimoli / Lance / ND
Que jogo foi esse? E que segundo tempo foi aquele?

Um time que chegou ao Beira-Rio pra ser um convidado de honra e saiu de lá com uma épica virada, daquelas que vai pros livros de história.

E tudo isso em 45 minutos, porque o primeiro tempo foi pra esquecer. O Inter vencia com tranquilidade e tudo indicava que seria assim até o final.

Chegou o segundo tempo e a história foi outra. Não sei se foi a suposta afirmação de Jorge Henrique (que teria chamado o Figueira de "timinho de m....") ou a bronca no vestiário. Mas o time entrou com outra vibe e começou a apertar o adversário. Lá atrás, Marquinhos e Thiago Heleno deram conta do recado. Era hora de tentar colocar água no chope colorado.

Cinco minutos, o primeiro gol. A mesma vontade, e o empate aos 30. Nessa hora, tudo podia acontecer. O momento era alvinegro, e a virada chegou logo depois. Algo pouco visto no futebol. A moral do Inter estava em frangalhos.

O bombeiro Argel conseguiu mais uma, e vai colecionando façanhas em um time desacreditado, que hoje é bem organizado, marca bem e está com a moral lá em cima. E a vitória em Porto Alegre joga ela lá pro céu. Nesse ritmo, o time não passará susto algum para permanecer na Série A.


terça-feira, 2 de setembro de 2014

JEC vence no detalhe e sem espetáculo. E vai ser assim até o final

Assessoria JEC
O JEC vai dormir líder da Série B após uma vitória sofrida contra a Lusa. Mas não é o sofrimento de um jogo equilibrado. É aquela raiva que corria na veia do torcedor de um time que não conseguia se impor perante um adversário muito mais fraco. Um jogo sob controle que acabou num empate e que quase foi uma virada, não fosse a trave.

Fabinho, que entrou no lugar de Edigar Júnio, salvou a pátria no final.

Quer saber? A proposta do time é essa e o treinador não vai mudar. Vai ser assim até o final. Muita ligação direta, sem futebol bonito, escalações no mínimo estranhas. E como o time está trazendo resultados, mesmo que sem folga, então que siga assim, com o time atuando no limite. Torçamos para que isso dê certo lá até novembro.

Deu tudo certo. Hemerson colocou quatro volantes em campo, com Marcelo Costa suspenso. Perdeu o meio. Colocou Eduardo Ramos quando a situação estava complicada. Jogo estava muito fácil. A acomodação veio. O empate veio, Fabinho entrou e salvou a pátria.

Mais três pontos na conta, a primeira vitória da história do time na capital paulista. Uma semana a mais no G4, e time completo para pegar o Paraná semana que vem.

Na Série B ninguém está dando show. Então o caminho do acesso terá que ser montado assim, tijolo por tijolo. Vencer jogando feio também marca três pontos.


domingo, 31 de agosto de 2014

Podia ser melhor, mas o pontinho é bem-vindo

Luiz Henrique / Figueirense FC
Não há mais o que provar que Argel apagou o incêndio e que o time do Figueirense hoje é competitivo contra qualquer time do Brasileiro.

Não é um time para brigar por título, claro. Mas para o que se espera dele, tá tudo certo.

Contra o São Paulo do Muricy, time de investimento infinitamente superior, bem armado, que briga pela parte de cima e está de olho na Libertadores, os três pontos escaparam na trombada que Paulo Roberto deu em Osvaldo para causar o pênalti no final do jogo. Mas é um pontinho que coloca o Figueira a quatro de distância da zona de rebaixamento.

Vale também aqui registrar o bom público no Scarpelli, no que seria o último jogo da promoção de ingressos a 30 reais, que a diretoria do Figueirense prometeu para o mês de agosto. É bom considerar a importância que o fator torcida tem e manter esse preço até o final do ano. Não é justo a turma ajudar o time a se recuperar, e quando o time deu uma reviravolta, o preço volta a ser salgado. É questão de coerência.



sábado, 30 de agosto de 2014

Atropelamento azul na colina

Lancenet / ND Online
Os vascaínos presentes em São Januário não acreditavam no que estavam vendo. E vamos falar a verdade, nem o mais otimista torcedor avaiano também. Um atropelamento sem precedentes, com autoridade e competência de um time que Geninho conseguiu dar uma cara imponente para jogar fora de casa. Sem medo, sem Marquinhos e sem Cléber Santana.

Injusto é escolher um melhor em campo. Vagner deu conta lá atrás, Diego Jardel foi muito bem e Diego Felipe deu sequência a sua ótima fase. Mesmo sendo volante, é o artilheiro do time no campeonato. Não teve segredo: o time jogou dentro do que vinha apresentando como visitante, com eficiência na bola parada, forte marcação e achando o buraco do adversário, que tinha uma avenida duplicada nas costas de André Rocha.

Resultado que coloca o time azul entre os dois primeiros da Série B no fim do turno (poderá ser líder se o Ceará não vencer o Luverdense a noite). E que vai pra história, como a maior goleada de um catarinense como visitante na história do Brasileirão.

Não quer dizer que o Avaí é um timaço e que já garantiu o acesso. Falta todo um turno pra isso. Mas deixa claro o recado de que o Vasco é um concorrente ao acesso como qualquer um. O time do Geninho mostrou que em São Januário eles não são imbatíveis e muito menos um bicho de sete cabeças.


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Dia do tapetão: JEC encontra erro do América-MG, que pode sair da briga pelo acesso

No mesmo dia que o STJD excluiu o Icasa da Série B, o departamento jurídico do JEC encontrou uma irregularidade que pode mexer totalmente na briga pelo acesso, tirando um dos mais fortes candidatos da briga, o América-MG. Uma entrevista coletiva na Arena Joinville antes da partida contra o Oeste explicou tudo.

É um caso simples: o jurídico tricolor descobriu que o lateral-esquerdo Eduardo atuou por um terceiro time em competição nacional no ano. Ele já havia jogado a Copa do Brasil pelo São Bernardo contra o Paraná Clube e depois foi para a Portuguesa, sendo repassado ao América em 26 de junho.

Aí que vem a irregularidade, prevista no Artigo 49 do RGC da CBF (abaixo). Ele foi relacionado em 4 jogos pelo Coelho. São 12 pontos pela penalização e mais 9 dos pontos conquistados nos jogos em que ele atuou de forma irregular. 21 pontos no total. Isso joga o América para a lanterna e o tira da briga pela Série A.

Eu me lembro de um caso parecido de 2010, quando o Figueirense contratou o volante Evandro, mas teve que desistir do negócio ao descobrir que seria um terceiro contrato no ano. Outro caso aconteceu em 2012, quando a CBF disse ao Avaí que não poderia inscrever o atacante Jobson, pois ele já havia atuado por Botafogo e Barueri na temporada (veja matéria aqui)

Não gosto de coisas resolvidas no tapetão, mas se tá na regra, tem que cumprir. A tal da súmula eletrônica ultramoderna da CBF falhou de novo. Deve ser sistema xing-ling.

Em se confirmando a punição nos tribunais, é mais um ponto para o departamento jurídico tricolor, que descobriu uma falha no América-AM que acabou no acesso à Série C em 2010 e ajudou na conquista dos três pontos naquela palhaçada do abandono de campo contra a Portuguesa. Vamos aguardar.

Art. 49 do Regulamento Geral de Competições da CBF: "Art. 49 - Um clube não poderá incluir em sua equipe, na mesma temporada, um atleta  que já tenha atuado por dois outros clubes, em quaisquer das competições coordenadas  pela CBF, com exceção das copas regionais, em consonância com as determinações da FIFA sobre a matéria.





Aconteceu de novo. E vai continuar acontecendo.

Tem gente que diz que isso não pode ser mostrado porque pode encorajar outros a fazerem o mesmo.

A menina aí da foto vai ser perseguida. As imagens da ESPN mostram outros torcedores, de cara limpa, imitando um macaco. Aranha era o alvo. Teve quem encobriu o rosto porque sabia o crime que estava cometendo.

O Grêmio merece ser punido. Não foi culpa sua, mas de vários dos seus torcedores irresponsáveis, que prejudicam a imagem do clube com seus atos. Não sei se o STJD fará alguma coisa, e nem se a CBF tomará alguma atitude. É por não acreditar em punição que afirmo que tal atitude de racismo aconteceu de novo e não será a última vez que isso acontecerá.

Tomara que eu esteja errado. Mas diante dos fatos, é o que dá pra se esperar.


domingo, 24 de agosto de 2014

A metade está chegando. A rodada mostrou que Figueira e Criciúma estão em rumos opostos

Assesoria Criciúma EC
O Figueirense foi até Salvador e conquistou uma baita vitória. Não importa se é contra o lanterna do campeonato. Argel está provando a cada rodada a sua capacidade de apagar incêndios. Ele nunca conseguiu provar grande talento em montagem de elenco. Mas pra pegar barco pegando fogo, é com ele mesmo.

São quatro vitórias e um empate nos últimos cinco jogos. Da lanterna o time subiu para décimo segundo, a três pontos da zona de rebaixamento. O time recuperou a confiança, e hoje o ritmo é de voo de cruzeiro. Isso tranquiliza o ambiente, a torcida, e chama o povo para o jogo da semana que vem contra o São Paulo, que terá ingressos a 30 reais.

Rumo oposto mostra o Criciúma. O time não foi melhor que o Flamengo, que apresenta um crescimento idêntico ao do Figueira. Crescimento esse que o Tigre não mostra, e que o próprio Wagner Lopes admitiu hoje na coletiva que é uma campanha passível de demissão. Os números preocupam: são sete jogos sem vitória no Brasileirão, sendo apenas três empates nos últimos cinco jogos. Para o número de jogadores contratados e a resposta que se espera, não duvido que troquem o técnico na segunda-feira. Não precisa ser mágico ou adivinho para saber que a diretoria tricolor está considerando uma mudança.

O campeonato está chegando na primeira metade. Dá tempo pra não entrar no desespero da reta final. Se for pra mudar alguma coisa, é uma boa hora.


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Câmara dos Deputados lança proposta para rebaixar clube devedor

Da Assessoria da Câmara:


A Câmara dos Deputados lançou nesta quarta-feira uma enquete para saber a opinião dos brasileiros sobre a proposta que cria regras para os clubes de futebol renegociarem a dívida com o fisco, estimada em R$ 3,7 bilhões.

O texto unifica todas as dívidas - com o INSS, o Imposto de Renda, o FGTS e a Timemania - e abre prazo de 25 anos para o pagamento. Em troca, os clubes devem adotar mecanismos de transparência na gestão e se comprometer a manter as contas em dia, incluindo salários de empregados e jogadores.
Por causa dessas exigências, o Projeto de Lei 5201/13, originalmente denominado de Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos (Proforte), passou a ser chamado de Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte. O ponto mais polêmico da proposta - tema da enquete no portal da Câmara - prevê o rebaixamento do clube de futebol que não cumprir o acordo para o refinanciamento de suas dívidas.

Prazo

O valor de R$ 3,7 bilhões das dívidas dos clubes é estimado com base nas ações judiciais e nas dívidas cobradas na esfera administrativa, mas o valor ainda pode ser maior. Pelo projeto, os clubes terão 25 anos para quitar a dívida com o governo, incluindo os valores questionados na Justiça. As parcelas deverão ser de, no mínimo, R$ 1 mil. Poderão ser renegociadas as dívidas com a Receita Federal, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, o Banco Central e o FGTS.

Em troca de ter a dívida renegociada, o clube se compromete a adotar mecanismos de transparência nas contas, pagar em dia os salários, e poderá ser rebaixado no campeonato caso não apresente certidões negativas de débitos. As entidades também terão de comprovar a situação fiscal até um mês antes do início de cada competição, sob pena de serem impedidas de participar do campeonato. O texto propõe que os clubes paguem a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que é de 5%, enquanto o governo quer aplicar a Taxa Selic, que é de 11%.

O projeto foi aprovado em comissão especial em maio e está pronto para análise do Plenário. Os líderes partidários já apresentaram requerimentos pedindo que o projeto tramite em regime de urgência. Se o pedido for aprovado, o projeto pode ser votado no mesmo dia pelo Plenário. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, já disse que a renegociação das dívidas dos clubes é um tema polêmico, que será tratado pelos deputados depois das eleições de outubro.