quarta-feira, 16 de julho de 2008

Em Imbituba, se paga pra jogar

Parece coincidência, mas tratei deste assunto no tema de Domingo deste blog. A ação de empresários e dirigentes que tentam levar vantagem no Futebol de Santa Catarina.

Aconteceu ontem aqui em Brusque, com um garoto que trabalha na Rádio Cidade, o Batata.
Ele foi convidado, junto com um amigo nosso, o Bruno, para jogar no Imbituba, que está disputando a Divisão Especial. No outro lado do telefone, o supervisor do clube, Beto Torrezani. Ele, na cara dura, convidou o Batata para fazer parte do elenco de jogadores do clube, mediante o pagamento de uma taxa de 300 reais.

O dirigente já havia feito isso em 2005 (leia a matéria do "AN" de 26/08/05 clicando aqui), quando um jogador que iria fazer teste no São Bento foi deixado abandonado por mais de doze horas na rodoviária de São Bento do Sul, sem dinheiro sequer para a alimentação. Vagner Francisco de Oliveira, chegou ao município depois de ler um anúncio no interior de São Paulo, no qual informava sobre a possibilidade de encaminhar jovens para times de futebol brasileiros. Em contato com o número telefônico, o rapaz falou com Torezzani,à época administrador do São Bento FC. Para que pudesse realizar um teste na equipe são-bentense, o rapaz conta que precisou depositar R$ 400,00 na conta de um conhecido de Beto, ainda em São Paulo. Para obter o valor, ele pegou dinheiro emprestado. O empréstimo serviria para arcar com as despesas de hospedagem. Ainda na rodoviária, o atleta, que registrou queixa na por estelionato, entrou em contato por telefone celular com Torezzani, que não apareceu.

Convidar o jogador para um time e cobrar uma taxa? Isso eu nunca vi.

Será que o Presidente do Imbituba sabe disso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário