sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Dores de Boleiro

Conheço vários dirigentes de Futebol pelo Estado afora. Todos eles, não publicamente, claro, são unânimes em um ponto: lidar com boleiro (jogador) é complicado. Ele é capaz de derrubar, tirar o pé, essas coisas, se não for bem tratado.

O Brusque tá passando por um problema assim, com o atacante Neno. Ele jogou meia partida contra o Juventus, lá em março, e se machucou. Passou o tempo, o clube renovou o contrato dele, e no dia da estréia da segundona, ele diz que sentiu dores e não pode jogar. O médico deu 15 dias de recuperação.
Passa o tempo e esses 15 dias já são quase dois meses. Pior: o exame de ultrassom e raio-x não registra nenhum tipo de lesão. Nadinha. E o jogador ainda diz que tem dor, e que não vai pedir pra sair, só se a diretoria pagar sua rescisão. Não tem coisa estranha aí?
A diretoria do Brusque precisa tomar uma providência com urgência. Precisa de um atacante, o que está no elenco diz que não pode jogar e o time tá gastando um monte com tratamento e salário. Poderia fazer como toda empresa que paga seus impostos faz: manda ele pra tratamento pelo SUS e contrata outro.

2 comentários:

  1. Também concordo com vc Rodrigo. O que a direção está esperando para tomar a decisão?

    Estamos a poucos dias do término das inscrições para o segundo turno, e o BFC não tem centroavante. Os dois que a direção apostou não deram certo. Vão querer sustentar o Neno nesta situação até o final do campeonato??

    Parabéns ao blog por voltar a colocar notícias do BFC. Quem lia até ontem, pensava que era de Itajaí ou Joinville.

    Não publicar comentários críticos com consistência no mínimo demonstra receio e medo das críticas estarem certas.

    O nosso volei, disputando duas medalhas de ouro olímpicas, e que tem representante forte em Brusque continua sendo ignorado.

    ResponderExcluir
  2. O neno fez corpo mole no estadual desse ano. a diretoria errou a renovar com ele. ele eh chinelinho. se o cara ta de palhaçada manda pro SUS mesmo. ele ta agindo de má fé. nao digo pra recindir o contrato, se fosse ele tb nao aceitaria, mas ele podia aceitar reduzir o seu salario, pelo menos enquanto nao tiver jogando.

    ResponderExcluir