terça-feira, 28 de outubro de 2008

RBS x RIC-Record - Round 3 - Um não reconhece o outro

Quem pôde ler um dos três jornais da RBS ontem (Santa, DC e AN), pôde ver uma matéria padronizada informando que no sábado houve a assinatura do contrato entre a FCF e a RBS, para os Campeonatos Estaduais de 2009 até 2011.

Bom, a RIC Record, que diz que é detentora dos direitos até o ano que vem, ignorou a notícia e deu sinal que não vai desistir tão fácil.

A Rede dos Petrelli publicou no seu site oficial hoje, a notícia da renovação da cota de patrocínio do campeonato com a Cassol, loja de materiais de construção, para o Campeonato do ano que vem.

Sinal de briga no ar. Não sou advogado, mas posso entender que a RIC poderá argumentar que não pode aceitar a rescisão do contrato de 2009 pelo fato de já ter cotas de patrocínio vendidas.

Se a briga correr pra justiça, e tudo tá se encaminhando pra isso, teremos uma confusão semelhante ao Paulistão de 2003, quando SBT e Globo (levando a Record junto)provocaram uma ziquezira danada com o campeonato.

Atualização das 14:29: Obrigado ao internauta Fabio que deu a pista no comentário. A Associação dos Clubes Profissionais de SC entrou com o processo número 023.08.062493-9, na Justiça de Florianópolis, requerendo a rescisão de contrato antecipadamente, pedido este indeferido pelo órgão judicial.

Atualização das 14:53: Reinaldo Ramos, Diretor Comercial da RIC, respondeu sobre o caso para o site "Acontecendo Aqui": "A RIC Record se surpreendeu ao tomar conhecimento hoje dessa noticia. Esta é a segunda vez que ocorre uma assinatura de contrato entre a RBS e a Associação dos Clubes, sendo que os clubes já perderam na Justiça a tentativa de romper o contrato com a Record. Portanto, até que se prove juridicamente a validade de outro contrato, reconhecemos como válido apenas o nosso, assinado em 2007 e com validade para os anos de 2007, 2008 e 2009. Estamos em vias de fechamento nesta semana de mais duas cotas de patrocínio para o Campeonato Catarinense de Futebol".

6 comentários:

  1. se o contrato tinha clausula de recisão com multa, e a RBS pagou a multa para a RIC, nao tem nada da Ric reclamar. Agora, axo as duas podiam chegar em um acordo, e as duas transmitirem o campeonato. assim aumentaria a corbetura e a visibilidade, consquenmente os clubes poderiam lucar mais com placas de publicidade e patrocinio em camisa, formando um elenco mais qualifica, melhorando o nivel tecnico do campeonato, o q seria OTIMO pras duas emissoas.

    ResponderExcluir
  2. Ontem apareceu uma reportagem no SC News falando que a Associação de Clubes tinha entrado com pedido de liminar, mas foi negado.

    ResponderExcluir
  3. Duas transmitindo seria interessante, mas haveria briga de vaidades pra ver quem passaria os clássicos e quem passaria jogos menores.

    Eu particularmente prefiro a RBS nas transmissões, pela qualidade. Mas, agindo desta forma, mostra a índole de seus diretores, que querem dominar tudo.

    ResponderExcluir
  4. Eu tinha entrado cedo aqui atrás de notícias e como vc ainda não tinha falado sobre isso fui comentar lá no Edu (PM). Que pena que a RIC SC ainda não disponibiliza os videos pois a matéria do SC News iria ilustrar bem o assunto. Valeu pelos complemtos da informação, pelo menos pelos bloga poderemos ter o dois lados dos acontecimentos

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo fui conferir a página do TJ, será que é isso que eu entendi mesmo, o Advogado que entrou com a ação em nome dos clubes, da associação dos clubes, da FCF e da Propague (a RBS "não participa" da ação) pede a extinção do processo no dia 14/10/2008?
    Se todo o processo na justiça ocorreu antes da assinatura do contrato de sábado (25/10) baseado em que fatos ou atos a RBS assinou esse contrato com os clubes e fez toda aquele "teatro" para aparecer na TV?

    ResponderExcluir
  6. Na verdade, o que entendi foi que os clubes entraram com a tutela antecipada pra rescindir o contrato com a Record pra poder assinar com a RBS...

    Como tá provado que não conseguiram, não iam assinar um outro contrato tendo outro em vigência. Ou aquilo foi um teatro ou uma burrada das grandes...

    ResponderExcluir