quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Dinheiro da RBS na mão dos clubes

Como informamos aqui no Blog, na sexta aconteceu o encontro dos presidentes dos clubes catarinenses, no Hotel Mercure, na Capital. Conforme o prometido, a RBS esteve lá e fez o pagamento das cotas para os clubes.

Pelo o que pude apurar, o total pago foi de R$ 1,14 milhão, divididos entre a Agência Propague (12%), Associação de Clubes, Federação e os clubes.
Cada clube recebeu 70 mil reais no ato. Teve dirigente dando sorriso de orelha a orelha.

Aí você me pergunta: e se a RBS não transmitir o campeonato, os clubes devolverão o dinheiro? A resposta é não.

A estratégia: uma nova ação entrará na justiça até o dia 15 de janeiro (dois dias antes do início do campeonato) para derrubar o contrato com a Record, sob a alegação de baixa qualidade de transmissão. Os clubes irão alegar que a Record (que em janeiro ainda não era transmitida pela RIC, que só veio a se integrar em 1o. de fevereiro) transmitiu todo o primeiro tempo de uma partida em Preto e Branco, e outro jogo sem áudio no primeiro tempo, o que caracterizaria baixa qualidade de material e poderia ser razão para a quebra do acordo.

Se mesmo assim a RIC continuar com os direitos, os Clubes, FCF e RBS combinaram o seguinte: os 70 mil entregues serão um adiantamento para 2010. Da verba entregue na sexta, 140 mil ficarão separados para os dois times que subirem para a principal do ano que vem, deixando amarrado um novo acordo, só que para as temporadas de 2010, 2011 e 2012.

O que eu posso ver diante desse cenário é que os clubes e a FCF não parecem muito a fim de ouvir o que a RIC tem a dizer. Há uma artilharia pesada por parte de dois grandes conglomerados de comunicação, onde os olhos dos dirigentes de clubes brilham ao ver os cifrões oferecidos pela RBS, que foram pagos de forma adiantada. Definitivamente, está explícito que o caso se resolverá nos tribunais na semana do início do Estadual, e o bombardeio continuará. Resta saber quais armas os Sirotsky e os Petrelli usarão, faltando exatamente um mês pro início do Campeonato Catarinense.

9 comentários:

  1. Tá ótimo assim para o Bruscão. Está recebendo pelo direito de imagem. A briga é com eles.

    Concordo também que a baixa qualidade já demonstrada pela Record (e também pelo SBT recentemente) são argumentos válidos para a quebra de qqer contrato. A Record não cumpriu uma clausula: qualidade é essencial para o público telespectador.

    ResponderExcluir
  2. essa falta de comprometimento e etica, é mto prejudicial aos clubes, eles esquecem que as TVs nao sao a unica fonde de renda de um clube. com certeza mtos investidores ( empresas) ficam com um pe atras antes de fazer patrocinios em clubes com dirigentes sem escrupulos.
    sem falar q os horarios de transmissao da RBS, sao pessimos para os torcedores, os clubes deveriam olhar mais para seus torcedores e patrocinadores locais, principalmente os pequenos como o BFC.

    ResponderExcluir
  3. OS dirigentes de SC nao sabem negociar. no gauchao os 15 clubes pequenos ( ficam fora gremio, inter e juventude) dividem um valor de 4,5 milhoes ( 300 mil pra cada um). soh o juventude ganha 1 milhao da RBS. 70 mil nao paga nem a folha de um mes do bfc.

    quem sabe se os clubes se preocupassem mais com os torcedores, principalmente em relação aos dias e horarios dos jogos, conseguiriam aumentar o numero de socios. se o bfc conseguir, mais 2 mil socios (para a descoberta), pagando R$ 35/ mes. tem uma renda anual 12 x maior que essa da RBS. sera q nao tem um diretor de MKT no BFC????

    ResponderExcluir
  4. Engraçado que a RBS tem dinheiro pra isso, enquanto os funcionários estão tendo de cortar todo e qualquer tipo de custo, principalmente hora-extra.
    Cada um com seus critérios.

    ResponderExcluir
  5. E Será que vão consertar essa antena da RBS antes do inicio da competição ?
    Aqui em casa não da de ver nada...

    ResponderExcluir
  6. Problemas técnicos podem acontecer com qualquer canal e são geralmente casos isolados. Vide oq aconteceu com a RBS TV na transmissão da série B desse ano (http://www.youtube.com/watch?v=Bmu0JX327QQ)

    ResponderExcluir
  7. Não acho que transmitir imagens em preto e branco e um tempo inteiro do jogo sem audio sejam decorrentes só de problemas técnicos. Pode ser pela baixa qualidade dos equipamentos e falta de preparo de pessoal técnico.

    Talvez o Bispo Macedo ache melhor investir o dinheiro em suas mansões.

    ResponderExcluir
  8. Todo mundo sabe que o problema não é qualidade técnica.

    ResponderExcluir
  9. Quero meter meu bedelho aqui...
    Primeiro que o problema da cor da imagem ou do áudio pode acontecer em uma repetidora de algum município, o que não quer dizer que seja em todo o estado.

    E segundo, a RIC Record usa na sua transmissão a capacitada equipe da BVP, produtora da TV Barriga Verde que trabalha em vários eventos ao vivo, sendo inclusive contratada pela RBS e pelo Sportv para cobrir eventos.

    ResponderExcluir