quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Dois contratos?

Notícia do site Acontecendo Aqui, de 27 de outubro:

Grupo RBS compra direito exclusivo de transmissão do Campeonato Catarinense 2009

O Grupo RBS assinou neste sábado, 25/10, o contrato de compra dos direitos exclusivos de transmissão do Campeonato Catarinense de futebol, de 2009 a 2011.
O acordo foi firmado com a Federação Catarinense de Futebol e com a Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina.


Texto do Blog do Roberto Alves de hoje (10 dez.)

O Grupo RBS assina nesta quarta-feira, às 15h, na sede da Federação Catarinense de Futebol (FCF), o contrato que lhe dá o direito de exclusividade para transmissão do campeonato estadual de 2009. Diretor da FCF e da Associação de Clubes recebe a diretoria do Grupo RBS para a solenidade em Balneário Camboriú.

Não tou defendendo nem esse nem aquele lado. Mas não tá estranha essa história de dois contratos assinados? Internauta comentou neste blog que a RIC desconsiderou por completo isso, tendo já 90% das cotas comercializadas.

Cabaré tá pegando fogo!

3 comentários:

  1. a rbs eh uma porcaria, antes da RIC os clubes nao ganhavam quase nada, agora tao querendo agitar. e a FCF q vergonha.

    duvido q a ric vai querer transmitir de novo o catarinense em 2010, 2011..., e ai a RBS volta a baixar a cota para os clubes, pode ter certeza q a FCF ta ganhando um por fora, e a Associação de clubes tb.

    ResponderExcluir
  2. Se tiver dinheiro na parada a FCF faz qualquer negócio. Esta Associação de Clubes de Santa Catarina só sabe dizer amém pro véio. Se cagam de medo dele. Mudando um pouquinho de assunto, voltando a falar do nosso Bruscão, acho que estamos com a faca e o queijo na mão para ser a terceira força do futebol catarinense, só que para isso temos que pensar grande, e colocar pessoas capacitadas em cada função. Não estou falando mal dos que estão lá, mas para ser garnde temos que ter dirigentes preparados em cada função, como diretor de futebol que entenda realmente de futebol, diretor de markenting etc. Isso dará uma folga para o presidente poder trabalhar melhor.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o comentário acima. Se quiser ser grande, o Brusque FC tem que se tornar e trabalhar como uma empresa. E uma empresa rentável, que tenha lucro para pagar os investimentos em infraestrutura. Isto é possível? Sim.

    Toda a questão de marketing e venda de imagem no uniforme, placas, sócios, eventos, etc pode se tornar muito rentável quando é planejada e feita por profissionais COMPETENTES. Não cabe ao presidente do clube se expor e ficar batendo de empresa em empresa. O presidente pode aparecer só na hora do fechamento do negócio ou em contatos informais.

    O Brusque poderia hoje ter anexo ao Ab ou até no shopping, uma loja para vender camisetas, uniformes em geral, bandeiras do Brusque, suvenirs, chaveiros, posters, etc. etc. que poderia funcionar também como posto de inscrição de associados.

    O site é uma arma de mídia poderosa e está sendo utilizado de forma totalmente amadora. A matéria de abertura de página é uma notícia dizendo que o Brusque estava contratando Agenor Picinin. Acho até um pouco vergonhoso para o BFC, primeiro porque o Piccinin não é o técnico dos sonhos de nenhum torcedor e segundo porque ele ficou só um dia. Sorte nossa.

    No site poderiam ser mostrados os posters dos times campeões, vídeos do youtube, taças, fotos, etc para atrair internautas. E o mais importante: a curto prazo pode vender publicidade no site. Qqer estagiário de graduação em SI ou CC da Unifebe ou Assevin pode fazer este trabalho por R$ 500, se o clube não tiver dinheiro para pagar um pouco mais para uma empresa da cidade fazer isto. Gosto, por exemplo, do tipo de site da Radio Cidade. Poderia ser algo parecido com enfoque no clube.

    Todas estas questões estão ligadas ao Marketing.

    No futebol, trabalhar também como uma empresa. Fazer contratos longos com os garotos de base (que já deve estar sendo feito), comprar os direitos, como no caso do Bitencourt e outros. Se o clube chegar na Série C, pode negociar com times grandes se o clube e o atleta se destacarem. A médio prazo e longo prazo, o clube pode lucrar muito com a venda de jogadores.

    A parte econômico financeira precisa ser muito melhor estruturada. Não basta um plano estratégico como o que existe de construir estádio, fusão, etc se não existe o detalhamento em planos de ação de curto, médio e longo prazo. Precisa um fluxo de caixa diário dos próximos 720 dias e saber otimizar o fluxo de recebimentos e pagamentos.

    Estamos no caminho certo. Os PRÓXIMOS PASSOS são os mais importantes para o Brusque conseguir se firmar como terceira ou quarta força, ou ser um time medíocre que entra apenas para disputar o catarinense. Prefiro acreditar na percepção do Danilo e na primeira hipótese. O momento é este, e as oportunidades quando surgem não podem ser desperdiçadas.

    ResponderExcluir