sábado, 31 de maio de 2008

Falta de sorte?

O técnico Gelson, do Criciúma, sabe esconder bem os sentimentos. Conseguiu mostrar uma cara de tranquilidade mesmo depois do seu time perder dois pênaltis, e três pontos em Maceió.

Essa derrota doeu.

Mas me vem uma cena no segundo pênalti, quando o Valdeir pegou a bola e não deixou ninguém pegá-la. Disse "eu bato" e bateu. Na trave.

O CRB teve sorte e levou os três pontos. Mas o Criciúma, alheio a isso, precisa de reforços no meio-campo, além de um centroavante nato.

Não tem muito o que falar do jogo, onde o principal foram as duas penalidades desperdiçadas. Bola pra frente que o campeonato continua.

E sábado tem o Bahia.

Juventus no outro Grupo

Existe um certo clima de revolta em Jaraguá do Sul, tudo por causa da colocação do Juventus na Chave B do Campeonato da Divisão Especial, trocando de lugar com o Navegantes, que foi para Caçador.

O presidente Ildo Vargas não foi a reunião de quinta-feira. Enviou um representante que ficou quieto, sequer buscando um argumento para que o Juventus não fosse trocado de chave.

Tanto que a mudança de regulamento foi aprovada por unanimidade. E quando se fala em unanimidade, quer dizer que o próprio Juve consentiu.

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Primeiros dois reforços


O Brusque anunciou no final da tarde desta sexta os seus dois primeiros contratados para o Campeonato Estadual da Divisão Especial, que começa em 13 de julho.
São dois zagueiros, conhecidos do torcedor brusquense: Rogério Gaúcho (foto), 34 anos, que jogou no próprio Bruscão em 2006 e 2007, e Thiago, vice-campeão da Série B1 com o técnico Gelson em 2004, que estava no América-RJ.

Confirmado: o vôlei fica

Foi confirmado ontem, pelo presidente da AD Brusque, Rubens Fachini, a permanência do time do Brasil Telecom na cidade, para a próxima Superliga. Segundo ele, houve uma forte concorrência em Curitiba, mas os bons resultados obtidos em Brusque, principalmente com o bom público presente no Ginásio, colaboraram para a renovação.

Grandes mudanças no time: depois da perda de importantes jogadoras, como Lia, Erika, Edna, Fabiana Berto e Betina, o time já confirmou três contratações: as jogadoras Natália e Juciely, vindas do Minas, e Joyce Victalino, que na última temporada jogou pelo São Caetano.

Maurício Thomas permanece no comando técnico, enquanto que o supervisor José Roberto Neres está deixando o clube.

Uma boa notícia.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Mudanças na Segundona!

Em reunião que aconteceu nesta tarde na sede da Federação, aconteceu a mudança dos Grupos da Divisão Especial, que inicia em 13 de julho próximo.

O Juventus foi transferido para a Chave B, enquanto o time do Navegantes vem para a A Isso se deve ao fato do NEC ter se transferido para o município de Caçador, num acordo com o Caçador Atlético Clube, que ficou sem vaga no campeonato.

Com isso, o Juventus estréia no Campeonato em Tubarão contra o Hercílio Luz, enquanto o NEC/Caçador vai a Concórdia enfrentar o CAC.

Na minha opinião, isso vai desequilibrar o campeonato. O Juventus entra num verdadeiro Grupo da Morte, junto ao Próspera, Hercílio, Camboriuense e Guarani, enquanto a Chave A tem dois times candidatíssimos a saco de pancada: Grêmio Timbó e Navegantes.

Jogador sem noção


Uma boa pra começar o dia. Notícia tirada do impagável jornal "Diarinho" de hoje, com a impagável linguagem que só o jornal peixeiro tem:

Quem é profissional da imprensa esportiva sabe que, muitas vezes, precisa lidar com jogadores que se acham estrelas. Como eles são pessoas públicas e geralmente conhecidas das torcidas, alguns pensam que podem botar banca e às vezes até ofender os outros, que nada vai acontecer. E foi isto que rolou no Marcílio Dias, na semana passada.

O bafão foi o seguinte: na quinta-feira à tarde, feriado, a equipe de uma emissora de TV peixeira foi até o clube entrevistar os reforços recém-chegados. A jornalista Pollyana Correia chamou o lateral Maurício (a direita na foto), que veio do Atlético de Ibirama. Como é de costume, ela perguntou a ele sobre sua carreira no futebol, com a intenção de apresentá-lo à torcida marcilista. A resposta do cara foi: "Você é estagiária ou jornalista? Sempre fazem essa mesma pergunta". Cheio de razão, o astro do futebol continuou e ainda disse: "Qual teu nome? Pollyana? Isso é nome de travesti ou prostituta?"

A repórter ficou indignada e, como se não bastasse, ainda ouviu: "Parece que você tá com TPM". Segundo ela, a reação do momento foi engolir em seco, ser profissional e ainda entrevistá-lo.

Ao levar o fato a conhecimento dos colegas de emissora, a indignação foi imediata. A diretoria do Marinheiro entrou em contato com a emissora e afirmou que o jogador pediria desculpas pelo ocorrido. Os cartolas também disseram que o clube desaprovou a atitude do estrelinha.

Uma semana depois do rolo, a equipe da TV voltou ao estádio pra, pelo menos, ouvir um pedido de desculpas do jogador. Tanto pra Pollyana, quanto pros telespectadores, já que seria gravado. A direção do Marinheiro assegurou que o jogador faria isso, mas não foi bem o que rolou. Ele pediu desculpas pra repórter, mas achou que seria tarde demais dar entrevista, pois a sua "imagem errada" já estava feita pra torcida.

Ele afirmou que foi mal-interpretado e tudo foi apenas uma brincadeira, que jamais imaginou que tomaria essa proporção. "Nem quero mais falar sobre isso, quero esquecer essa história", afirmou Pollyana, visivelmente chateada.


Tá doido hein... Cada um que aparece...

Arbitrariedade?

Peguei este depoimento hoje na comunidade do Orkut do Avaí. Era uma manifestação de um torcedor, enviada para o Tulio Cavalazzi, avaiano que também é blogueiro como eu. Não irei comentar o fato. Apenas leia e veja em que mundo estamos:

Bom dia, Seu Tulio.

Desculpa se estou deixando parecer que o senhor é alguma espécie de psicólogo, terapeuta, confidente, ouvidor ou que desempenha qualquer outro tipo de função, que se dedica a escutar e resolver problemas dos outros, mas é que o teu blog tornou-se o principal canal de expressão de todos os avaianos, onde podemos reclamar, elogiar, chorar, sugerir e sorrir com todas as coisas que dizem respeito ao nosso Avaí. E não só do Avaí!. Eu sou leitor do teu blog, sócio do Avaí, funcionário público, nunca levei bomba para estádio de futebol, nunca joguei pedra em ônibus de torcida adversária, nunca quebrei vidro de carro, mas ontem me senti como se fosse um dos piores marginais de Florianópolis! Vejo que vem sendo amplamente rejeitada pela sociedade esta medida absurda de proibir o consumo de bebida alcoólica nos entornos dos estádios, também estou de acordo com esta turma que nada tem a ver com as transgressões dos outros. Ontem, como não venderia mais cerveja antes e depois do jogo, peguei um isopor emprestado de um amigo e comprei cervejas no supermercado, cobri com gelo e rumei à Ressacada; chegando lá procuramos uma rua e andamos no sentido contrário ao Estádio a fim de nos colocarmos a uma distância "permitida". O problema é que não sabíamos que a "proibição" era extensa ao consumo, achávamos que só não mais seria permitida a venda e mesmo assim nos afastamos para evitar problemas. Pois bem, quando estávamos (eu, meu pai e mais 3 amigos) assentados num estacionamento, com o isopor no chão e tomando a nossa cervejinha, brotaram 8 samangos com roupas caquis e coturnos pretos, cheios de ódio (acho que porque cortaram a cervejinha deles), e logo se dirigiram ao nosso encontro. Chegaram intimando, com as mãos postadas nos seus aparelhos de repressão (pistolas e revólveres),e um deles, com uma laterna que normalmente deve ser usada para procurar drogas no meio do mato, "encontrou" o nosso isopor, como se este estivesse furtivamente escondido, mas estava do lado do carro, mais precisamente encostado na roda da frente, à vista de todos! Tentamos argumentar, pois não sabíamos que o consumo também era proibido, sem sucesso, tentamos dialogar, por sermos civilizados, dizendo que não mais consumiríamos a bebida e que nos afastaríamos, sem sucesso! O moleque de roupa caqui, sim, moleque, não devia ter mais do que 20 anos, perguntava como se fosse um cão faminto "de quem é o isopor???"! Mas é claro que era nosso, ou ele queria um registro de assentamento do recipiente? Até falamos que era nosso, mas ele não se deu por satisfeito e tomou a medida mais louvável, admirável e educada que um policial militar pode tomar: "Quebrou o nosso isopor a pontapés com o seu colérico coturno, pisou, pulou em cima, abriu cerveja por cerveja e jogou no chão, como se estivesse desmantelando a principal quadrilha do estado, enquanto os outros 7 samangos nos vigiavam para que não tivéssemos nenhuma reação emocional". Não consegui nem ver o jogo direito, estou até agora fabulando coisas, argumentos que não demos, atitudes muito mais cavalheiras e humanas que eles poderiam ter tomado, levando à reflexão se a correta é a educação militar e não a que o meu pai me deu, enfim, isso tudo me deixa muito intrigado, humilhado, impotente, pois nunca fiz mal a ninguém, sóbrio ou ébrio, e ontem fui tratado como o maior vândalo da cidade, do tipo de joga bomba em estádio, atira pedra em ônibus, quebra vidro de carro... Um grande abraço. (DEIXO DE COLOCAR A ASSINATURA TEMEROSO DE UMA REPRESALIA AO MEU AMIGO)


E Precisa falar mais alguma coisa?

Metropolitano terá que mudar marca


Sou publicitário formado, com muito orgulho, na Universidade Regional de Blumenau.
Acho que eu posso fazer um comentário acerca do brasão do Metropolitano.

Primeiro, a notícia, vinda do site do Metrô:

A Diretoria de Marketing do clube Atlético Metropolitano protocolou o registro de sua marca (símbolo) junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) no ultimo dia 21/05.
Romeu Reichert (Diretor de MKT) informa que a expressão CAM foi mudada no escudo para Metropolitano, pois esta expressão já existe no escudo de outra equipe de renome nacional (Atlético Mineiro) e poderia no futuro trazer problemas ao Verdão, “Estamos crescendo e a partir de nossa participação na serie C despontando no cenário nacional, com esta mudança agora, evitamos um provável problema no futuro” lembrou Romeu. O que muda é a expressão dentro do escudo, sai CAM entra Metropolitano, fica mais simpático e identifica melhor o Clube. Com o registro da marca, o Metrô começa a negociar de forma mais efetiva produtos para licenciamento com sua marca. É importante salientar que esta mudança será gradativa, o que já existe não muda este ano.


Bom, quanto ao uso do "CAM" ou "Metropolitano" não vejo problema, é questão de colocação, apesar de que vai ficar estranho colocar uma palavra tão grande num espaço pequeno.

Agora...

Antes de falar na colocação do letreiro no brasão, importante citar que o distintivo do Metropolitano é muito idêntico (até demais) ao da Juventus de Turim, da Itália, ao do Adap/Galo Maringá, do Paraná, e ainda do Legião, do Distrito Federal, que jogará a Série C. Entendo que algo mais original poderia ser criado.
Abaixo, o brasão italiano:

O Paranaense:

e o do time que tem nome em homenagem à Legião Urbana:

Sinceramente, eu acho o antigo mais bonito. O time tem seis anos de idade e já trocou de brasão três vezes.

De volta a Blumenau

Quem está de volta a Blumenau é Francisco Gastão, o Chicão. O ex-atacante, um dos maiores, se não o maior ídolo do extinto Blumenau EC nos anos 80, já está na região, preparando a montagem do novo BEC (Blumenau Empreendimentos Comunitários), a estrear na Divisão de Acesso no mês de julho.

Que noite...

- Edmundo mais uma vez enterra o Vasco;

- Botafogo pela enésima vez chorando uma derrota;

- e o Fluminense conquista um importante empate em Buenos Aires.

Quarta de perder o fôlego.

terça-feira, 27 de maio de 2008

Mais um empate


O Avaí passou quase o primeiro tempo todo no ataque. Não fez. No finalzinho, apareceu o Marcelinho Carioca, aquele mesmo, que no único ataque do Santo André fez 1 a 0, marcando o seu gol número 500 na carreira.
Segundo tempo começa, e Odair, recém-entrado, empata o jogo.
O jogo foi terrível, e o Avaí fica no segundo empate seguido em casa, fruto de um time que tem vontade, mas não vai pro gol. Onde estará o futebol do Vandinho, que arrebentou no Estadual?

O time do Avaí não é ruim, mas se ficar perdendo ponto desse jeito, chegando na frente e sem criar uma maior ameaça, não sobe.

Foram 3 empates consecutivos que eram vitórias certas. Seis pontos fácilmente conquistáveis foram pro Beleléu.

Notícias de Concórdia


Informações de Dalton Franke, lá da Simpática Concórdia:

O Concórdia A.C já tem quase definido seu grupo de jogadores que irão disputar a Divisão Especial do Catarinense. A base do ano passado foi desfeita, apenas Três jogadores do grupo atual permaneceram: Alonso Piola, Nano,e Junior.

O Grupo será mais forte dos últimos dois anos. Seis jogadores vieram emprestados pela Chapecoense para disputa do Estadual estarão na cidade apartir do dia 2 aonde já começam o trabalho com bola e com o preparador físico do clube: o goleiro Juliano; os zagueiros Gaúcho e Marquinhos; o lateral esquerdo Anchieta; o meia atacante Juninho Paulista e o atacante Gilian e ainda já estão acertados oito atletas do Juventus de Seara e mais o atacante Beltrão que vem do futebol do Mato Grosso.

Já o goleiro Jaciel não acertou com o clube, pois diz ter propostas de outras equipes até mesmo pensa em voltar ao Figueirense, e o zagueiro Marconi acertou sua transferência para o Joaçaba, onde se encontra também o ex-zagueiro Concordiense Signei.

O Clube ainda acertou com um fisioterapeuta para cuidar da parte de fisiologia dos atletas e mais um preparador físico. O treinador permanece o mesmo Hilton (foto) ficará com a parte de treinar o grupo de jogadores, que esse ano promete ser mais qualificado. Ainda serão feitos alguns amistosos para testar a equipe para ver o grupo de jogadores como se comporta,e se precisar de alguns reforços ainda para estréia.


Um abraço pro Dalton, e boa sorte ao CAC.

Mudança de Grupos

A FCF está convocando os clubes da Divisão Especial (ou Segundona) para uma reunião quinta-feira em Balneário Camboriú.

Objetivo: alterar os grupos do Campeonato, que já tem tabela definida e publicada. Tudo por causa do Navegantes, que se mudou para Caçador e está reclamando que os deslocamentos do seu Grupo são enormes, pois enfrentaria três clubes do Sul do Estado.

No rigor da Lei, isso fere o Estatuto do Torcedor. Não pode haver alteração pois faltam 45 dias para o início do torneio. Se acontecer mudança, a lei será rasgada.

PPV de graça


Quem não possui o sistema de Pay Per View dos Campeonatos Brasileiros e tem uma boa Banda Larga, está se divertindo com os vários canais online que disponibilizam, de graça, as transmissões dos jogos.

Veja só: os três jogos da Série B desta terça estão disponíveis para assistir. Eu mesmo encontrei um canal e vejo Avaí x Santo André com boa qualidade.

O pessoal da internet não perdoa mesmo.

Agora o JEC virou vergonha nacional

Parabéns prefeito Marco Tebaldi, o senhor conseguiu.

A sua célebre frase "Vamos comprar a vaga!" virou manchete de grande destaque no jornal "Estado de São Paulo" de hoje.

E não adianta chorar, nem tentar derrubar o presidente Adelir Alves. Toda essa confusão foi causada por ele, apenas ele, o prefeito que nem deveria se meter na diretoria do clube, e sendo presidente do conselho, quer mandar no JEC, que está acima de qualquer corrente política.

Agora durma com um barulho desse. Que o JEC não precisaria se submeter.

O Juventus decola ou não?


Do site poracaso.com/juventus:

Não saiu conforme esperado o evento organizado pela Raça Tricolor no último sábado, dia 24. Cerca de 20 torcedores compareceram ao Estádio João Marcatto, no evento que buscava sensibilizar o empresariado local à ajudar o tricolor na Divisão Especial.

O que era pra ser uma carreata até a Praça Angelo Piazera se transformou em um bate-papo no João Marcatto, onde o Presidente Ildo Vargas (único dirigente presente) ouviu as reivindicações dos torcedores e explanou sobre a importância do projeto de sócio-torcedor que pretende implantar.

Ildo defende a tese que são necessários 5mil torcedores contribuindo mensalmente para que o Clube tenha dinheiro suficiente em caixa para fazer frente às suas despesas, numa completa utopia.

Se o Sport Club Internacional - que tem um dos melhores planos de sócio-torcedor do Brasil - tem 70mil sócios, num universo de 4.700.000 torcedores (1,5% dos torcedores), como o Juventus pode sonhar em ter 5mil sócios?

Na opinião de Henrique Porto, especialista em Marketing Esportivo, não são os torcedores quem tem a obrigação de manter um Clube em atividade.

Para Porto existem outras formas do torcedor participar no reforço do caixa de um Clube, que inclusive podem render até mais dinheiro, como os licenciamentos de produtos ou um programa de fidelidade premiada.

Outro empecilho encontrado pelos torcedores juventinos no programa de sócio-torcedor é o fato do projeto não trazer benefícios reais, muito menos garantias de que haverá um time em campo para torcer.

Isso pode ser claramente visto em uma rápida consulta na comunidade do Juventus no Orkut, onde a maioria dos comentários se mostram contrários à adesão ao projeto.

Críticas fundamentadas à parte, a verdade é que até o momento apenas dois torcedores aderiram o projeto de sócio torcedor proposto pelo Juventus!


Não pensava que a situação no Juventus, onde até dois ou três anos atrás sobrava dinheiro, estaria assim. A falta da gorda ajuda pública está sendo muito sentida.

Nem chegou, já foi

Antes mesmo da estréia, Orlando Bianchini não é mais técnico do Joaçaba, que disputará a Segunda Divisão.
A versão oficial de sua saída diz respeito a dois jogadores que acabaram sendo dispensados pela diretoria sem o seu consentimento, o que acabou acarretando no seu pedido de demissão na última quarta-feira.

O Joaçaba estréia na Segundona dia 13 de julho, contra o Brusque, no Augusto Bauer.

Carlos chuta o Balde

Do Site Engeplus, por Dênis Luciano:

O lateral direito Carlos está desanimado. O jogador reconheceu isso hoje em uma contundente entrevista coletiva no estádio Heriberto Hülse. Ganhando R$ 1,5 mil mensais, Carlos teve seu contrato renovado faz poucas semanas, porém foi o único jogador a não receber reajuste. "A diretoria avisou que tudo seria da maneira deles. Mas eu não tô gostando. Assim eu não fico", afirmou.

Carlos comenta que o Criciúma impôs um contrato, sem sequer iniciar uma negociação das bases. "Faltou respeito e reconhecimento. Me senti sem valor aqui. Expliquei a eles que não gostei". O jogador deixou clara sua intenção de, caso não havendo um reajuste, procurar outro clube para atuar. Até agora, o Marcílio Dias é o único interessado por Carlos, para a disputa da Série C.


1.500 reais por mês? Quem tiver precisando de um lateral direito no seu time, taí a dica. Bom e barato.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Brusque vai de Suca


Informação exclusiva colhida pelo nosso comentarista da Rádio Cidade, Paulo Sérgio Xirú, dá conta de que o Brusque já escolheu o seu treinador para a Divisão Especial, a partir de 13 de julho.

Trata-se de Gilmar Gasparoni, o Suca, de 48 anos. Nascido em Bagé, começou carreira em 1997, no Guarani daquela cidade. Treinou várias equipes do RS, como Brasil, Veranópolis, São Gabriel e Novo Hamburgo e apenas o Lages, em SC, em 2006. Seu último clube foi o Brasil de Pelotas, de onde deixou o time próximo da zona de rebaixamento.

Ele estará em Brusque para assinar contrato na quarta-feira.

Não o conheço, não dá pra julgar o seu trabalho. Boa sorte pra ele!

Pegou leve demais

O Presidente licenciado do Brusque, Inácio Schwartz, pegou leve com quem o andou ofendendo.

Um jornal da cidade argumentou que ele, no exercício de sua função no clube, estaria desviando dinheiro. Tanto que, na capa, foi colocado um recorte de texto falando do repasse de verbas conseguido pela Associação dos Torcedores e Colaboradores do BFC via Fundesporte, para a construção do Centro de Treinamento, e ao lado, a foto do prédio que a sua construtora levantou no Bairro Guarani. Quem lê tem a impressão que o dinheiro foi gasto na construção do edifício.

Conheço o Inácio desde que foi meu professor de Educação Física no colégio. É pessoa de conduta ilibada e de extrema seriedade.

Inácio deve questionar na justiça a veracidade das informações, e processar o jornal pela informação caluniosa, se assim ele julgar. Mas resolveu apenas entrar com um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, que não resultará em nada.

Aliás, vários dirigentes e o próprio Brusque já teriam motivo de sobra para acionar judicialmente jornalistas que os acusam, mas acabaram não abrindo o processo. Por que?

Pouco público

Não foi conforme esperado o evento organizado pelo Juventus no último final de semana, em Jaraguá, para buscar sensibilizar o empresariado local a ajudar o tricolor na Divisão Especial, que começa em 13 de julho.
O que era pra ser uma carreata até a Praça Angelo Piazera se transformou em um bate-papo ali no João Marcatto, onde a diretoria decidiu transformar os membros da torcida "Raça Tricolor" em associados do clube. No dia 7, data do aniversário da Torcida, haverá mais um evento para captar associados.

O Juventus está provando do mesmo veneno do Brusque. Está fazendo uma campanha forte para os planos de sócios, mas tarde demais. A pergunta é a mesma: por que não foi feito no começo do ano?

Contagem Regressiva

Torcedores do Figueirense, comecem a contar os dias.
E apostem por quanto tempo Guilherme Macuglia ficará no comando do alvinegro.
Não vejo nele o nome que o Figueira procurava pro comando técnico, veio para Florianópolis por causa de sua campanha no Guaratinguetá.

Não vai aguentar muito tempo. Me cobrem depois.

domingo, 25 de maio de 2008

Perguntar não ofende

Como eu não sou advogado, e pra não falar besteira, perguntei a alguns advogados neste final de semana se a Polícia Militar tem o amparo legal para proibir a venda de bebidas alcoólicas num raio de 400 metros dos estádios, três horas antes e duas depois dos jogos, conforme dito pelo comandante-geral, o Cel. Eliésio.

De todos, ouvi um não. Não compete à Polícia Militar legislar sobre a permissão ou não de vendas de bebidas fora de estádio. Isso cabe as Prefeituras das cidades, que cedem os alvarás.

Dentro do Estádio, a história é outra, pois os clubes são filiados à FCF e CBF, que têm esta determinação.

Sem contar que isso pode causar um clima anárquico. Imagine por exemplo, um jogo na Ressacada em que nem a Toca do Leão nem os ambulantes possam vender cerveja.

Antes da Polícia determinar uma coisa, eles não tomam o cuidado de analisar se eles PODEM determinar tal ordem?