sábado, 28 de junho de 2008

Conheça a Segundona: Internacional

ESPORTE CLUBE INTERNACIONAL
Fundação: 13 de Junho de 1949
Estádio Vidal Ramos Júnior (12000 lugares)
Cores: Branco e Vermelho



O Colorado Lageano, Campeão Catarinense em 1965, tem feito campanhas razoáveis nos últimos anos na Segundona. Não chegou em vias de conquistar título, mas também não fez feio.


Para este ano, o time do Planalto Serrano apostou no técnico Luis Carlos Martins Júnior (foto), 45 anos, que como jogador passou pelo Internacional no ano de 1995, como meio-campo. Estreou como treinador em 1999 à frente do Veranópolis-RS, e trabalhou um ano no comando do Al Raed na Arábia Saudita. No ano passado, trabalhou como auxiliar de Guilherme Macuglia no Joinville.
O elenco é mesclado entre profissionais e jogadores das bases da Serra, e uma receita pregada por Martins: união, trabalho e acreditar que o time irá subir.

Dos 21 jogadores (todos indicados pelo treinador) que se apresentaram, 12 são do Paraná e do Rio Grande do Sul. Patrick e Jocemar (goleiros), Meneghello e Carlos Augusto (meio-campo), Cláudio Júnior (atacante), Lucas Cebola (ala) e Erlon Joe (zagueiro) fazem parte do grupo e já passaram pelo clube.

O Internacional estréia dia 13 de julho contra o Grêmio Timbó. Não tem um grande time, mas poderá crescer com o decorrer dos jogos.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Brusque punido nos Juniores

O Brusque foi punido com a perda de seis pontos, mais mil reais de multa, na Sessão de Julgamento do TJD, ontem, em Balneário Camboriú.

O time colocou em campo o Zagueiro Dunke em duas partidas, contra Avaí e Cidade Azul, sem sua documentação regularizada.

Com a perda dos pontos, o Brusque, que era líder isolado do Estadual, com 22 pontos, cai para a quarta colocação, com 16. Mesmo assim, garantiria classificação para a segunda fase do Campeonato, mas agora tem nas proximidades o Metropolitano, que é o sexto colocado, com 14 pontos.

É a terceira vez em um ano que o futebol brusquense tem problemas com regularização de jogadores. No ano passado, já aconteceu com o time juvenil no mesmo Campeonato Estadual e nos Jogos Abertos, onde a equipe perdeu a medalha de ouro conquistada dentro de campo, na decisão contra Palmitos.

Pessoal tem que ficar ligado...

Jardel próximo do Criciúma


Deu no Engeplus:

O atacante Jardel está muito disposto a jogar no Tigre. Foi o que se concluiu da entrevista que o jogador concedeu nesta tarde à Rádio Eldorado. Em Porto Alegre, após visitar uma fábrica na capital gaúcha, o jogador afirmou que está terminando uma etapa de recuperação física e que conseguiu alcançar seu peso ideal. "Ainda não há acerto, mas realmente houve uma conversa", admitiu.

Jardel é amigo do presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Noveletto, que indicou o atacante para o Criciúma. "O Chico está me ajudando. Quero logo voltar a jogar, quero fazer gols até os 39 anos e provar que ainda tenho muito a dar ao futebol". Em um jantar com Noveletto na última quarta-feira, Jardel comentou que estaria acertado com o Criciúma e que se apresentaria domingo ao clube.

Sobre o negócio, o atacante confirmou que neste sábado se reunirá com representantes do Tigre. "Eles estarão aqui para conversar comigo e quem sabe fechar o negócio". O técnico Gélson da Silva vai à capital gaúcha, e provavelmente será acompanhado pelo supervisor Antônio Benatti. "Questão financeira não é problema. Eu quero jogar, preciso de uma oportunidade, e no Criciúma seria ótimo".

Há dois meses, em entrevista à Rede Globo, Jardel revelou que foi usuário de cocaína. "Nunca mais tive contato com drogas. Eu só fazia isso nas férias e nem gosto de falar no assunto", comentou hoje no contato com a Eldorado. Jardel consumiu drogas pela última vez há cerca de quatro meses. "Hoje quero uma nova vida".

O jogador tem uma história com o técnico do Criciúma. Jardel e Gélson foram colegas de quarto no auge do Grêmio comandando pelo técnico Luís Felipe Scolari em meados dos anos 90. "O Gélson é uma pessoa calma, um cara positivo e que me ajudou muito". Os dois foram campeões da Libertadores e vice-campeões do mundo
.

Se o Criciúma pensar em Jardel como solução para o ataque e não uma ferramenta de marketing, será bem vindo. É uma operação delicada, em saber se vale a pena investir em um jogador que inegavelmente tem talento, mas vai saber qual a sua condição.

Alerta em Blumenau

Os adversários do Metropolitano na Série C já mostraram que estão bem. O J. Malucelli não tomou conhecimento do Marcílio Dias e meteu 5 sem piedade.

Já o Metropolitano perdeu para um recém-formado Joinville que irá disputar a segunda divisão pelo Juventus, por 1 a 0.

Preocupa. Um time que quer se manter na Série C, que treina há um bom tempo, que perde pra um time desentrosado, tem que melhorar muito.

Conheça a Segundona: Caçador

CAÇADOR ATLÉTICO CLUBE
Fundação: 25 de junho de 2003
Estádio: Carlos Alberto Costa Neves (5000 torcedores)
Cores: Azul, Vermelho e Branco


O Caçador Atlético Clube traz de volta Caçador ao cenário do Futebol Profissional Catarinense, que já teve a Caçadorense e a Kindermann como seus representantes. Time que desde a sua fundação vêm participando do Campeonato Estadual de Amadores, entrou no Campeonato da Divisão Especial através de um acordo com o Navegantes, que "alugou" a vaga ao time do meio-oeste. Não fosse isso, o CAC estaria na Divisão de Acesso. Estaria não, está. O clube também está inscrito na terceirona.

Dentro de campo, o CAC arma-se de uma estrutura ainda pequena, mas que promete crescer. A diretoria negocia com o Coritiba o empréstimo de 3 ou 4 jogadores para a equipe. Cinco jogadores vieram do Futebol Amador da Região. Os dois destaques do time são o zagueiro Alano, ex-Inter de Santa Maria, e o atacante Edvaldo, vindo do Joaçaba.

O técnico do CAC é Júlio César da Silva (foto), 50 anos, campeão amador da Taça Coroado pelo time de São José do Cerrito. Ex-jogador profissional com passagens pelo Gama, Chapecoense e Inter de Lages, Júlio César comandou o Botafogo de Xaxim (lembra dele?) em 1998, quando conquistou o vice-campeonato da 2ª Divisão do Estadual e a vaga na Primeira Divisão.

O CAC é uma incógnita. Falou-se muito nele, mas vem decepcionando nos amistosos. Está longe de ser candidato ao título.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Aluguel Salgado

O SESI de Blumenau divulgou os valores do aluguel do seu Estádio para os jogos do Metropolitano na Série C e do BEC na Divisão de Acesso. Houve um aumento substancial.

Para jogos diurnos, o aluguel custará R$ 5.500 (89% de aumento); em jogos à noite, o valor passa para R% 7.500 (127% de aumento).

O aumento é justificado pelo imenso volume de reformas feito naquela praça esportiva. Mas é um valor que pesa no orçamento de qualquer clube.

Livre

Deu no DC de Hoje, por Cacau Menezes:

Preso desde maio de 2007, sob a acusação de tráfico de drogas, Delfim Pádua Peixoto Neto, o Delfinzinho, filho do presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Pádua Peixoto Filho, foi libertado, ontem, por determinação do Superior Tribunal de Justiça. Os ministros do STJ aceitaram a tese do advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, que conseguiu anular todo o processo alegando falhas na atuação do Ministério Público.

O filho do presidente da federação foi preso na Avenida Beira-Rio, em Itajaí, onde mora, quando estava na companhia de outro rapaz em um EcoSport . Com a dupla, os policiais encontraram no veículo 116 gramas de crack.

Segundo sua mãe, em carta a esta coluna, Delfinzinho é doente, precisa de tratamento médico e não de cadeia.


Ele foi pêgo por tráfico,e já teve problemas com a Polícia mais de uma vez. A lei é bem clara quanto a isso.

Conheça a Segundona: Joaçaba


JOAÇABA ATLÉTICO CLUBE
Fundação: 27 de Fevereiro de 1997
Estádio Oscar Rodrigues da Nova (5500 torcedores)
Cores: Azul e Amarelo


Da simpática Capital do Rio do Peixe vem o JAC, o Joaçaba Atlético Clube. Fundado em 1997, Teve boa participação no ano passado, chegando as finais do returno, perdendo para o Cidade Azul, que sagrou-se campeão ao vencer os dois turnos.
Com uma modesta estrutura, o JAC iniciou a pré-temporada sob o comando de Orlando Bianchini, que também treinou o time na última temporada, mas que acabou sendo dispensado na primeira semana. Hoje, o técnico é Luiz Carlos Silva dos Santos, que tem experiência como técnico da Escolinha de Futebol de Herval d’Oeste por 12 anos, foi técnico do Juniores do JAC no ano passado, também ficando algumas semanas à frente da equipe profissional. Como jogador profissional, já passou por clubes como Cruzeiro, Juventude, Santa Cruz, São José de Cachoeira e o próprio Joaçaba, time que defendeu por seis anos, no final da década de 70.

O elenco não apresenta nenhum craque. O que poderia ser o destaque, o atacante Linha, ex-Metropolitano, acabou deixando a equipe. Quinze jogadores já foram contratados e estão participando dos treinos, e outros cinco que jogam no Juniores serão aproveitados. Além desses, ainda devem ser contratados outros reforços.

Da equipe do ano passado continuam o goleiro Dida, o lateral esquerdo Jean, o zagueiro Sig, o meia Jorge Luiz e o atacante Clebinho. Entre os jogadores recém-contratados estão o goleiro Alex Martimiani, que veio do Palmeirinha de Porto Ferreira (SP), o lateral esquerdo Alexandre Oliveira, do Internacional de Lages, os zagueiros Carlão, que veio do Iguaçu, de União da Vitória, e Denis, que jogava no Santo André (SP). Também foram contratados os volantes Edno e Jakson de Souza, o meia Netinho e e o atacante Thales, vindos do Iguaçu-PR.

É Candidato a ser um dos coadjuvantes do campeonato. Na chave em que se encontra, brigará pela segunda vaga do Grupo.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Série "Conheça a Segundona"

A partir de amanhã, o Blog começa a publicar, diariamente, a análise dos 12 times que participarão da Divisão Especial 2008.
Pra que todos possam conhecer um pouco dos clubes, quem virá pro título, quem poderá surpreender,e quem será figurante.

Começaremos amanhã, com os clubes do Grupo A.

Amistoso

Na preparação para a Divisão Especial, Brusque e Camboriuense agendaram um jogo amistoso para o próximo dia 6, domingo, as 15h30min, no Estádio Robertão, em Camboriú. O Ingresso custará cinco reais, mais um quilo de alimento não perecível.

Antes, o Brusque fará dois jogos-treinos: Sexta na Ressacada, contra o Avaí, e no dia 3. contra o Joinville/Juventus.

terça-feira, 24 de junho de 2008

“Se fosse para assinar com o Juventus, não viria”

Do site poracaso.com/juventus:

O atacante Tiago Pereira (à direita na foto) foi apresentado no Joinville na tarde de ontem. Atleta de 28 anos, atuou no futebol coreano, português, japonês e sueco. No Brasil, foi campeão e artilheiro no Paranaense de 2002 pelo Iraty. Em 2003, estava no grupo do Cruzeiro campeão da Copa do Brasil.

Seu currículo é vasto, mas sua inteligência parece ser curta. Quando perguntado pela redação do ANotícia sobre a inusitada situação de acertar com o JEC e no mês seguinte defender o Juventus, Tiago soltou a seguinte pérola: “Se fosse para assinar com o Juventus, não viria”.

Ou seja, ao invés de ser politicamente correto e procurar dar uma resposta que valorizasse o Juventus, Tiago preferiu tratar o tricolor jaraguaense com desdém, esquecendo-se que daqui alguns dias irá vestir a camisa do Moleque Travesso e encarar sua torcida no João Marcatto.

Até que demorou...

E Guilherme Macuglia não é mais o técnico do Figueirense. Quando ele assumiu, eu disse aqui nesse blog que não aguentaria. E não aguentou.

Bem que a diretoria alvinegra poderia aproveitar e mandar alguns jogadores junto. O que tem de atleta sem vontade e qualidade é coisa de louco...

Que o Figueira acerte a mão e traga alguém que dê uma virada enorme no clube. Do jeito que tá, é Segundona.

Guarani vai ao TJD

Repercussões do dia no caso Guarani / Cidade Azul.

Coluna do Roberto Alves, no DC de hoje:

O Guarani, de Palhoça, rebaixado à Segunda Divisão de SC, entrou, ontem, com pedido de abertura de inquérito junto ao Tribunal de Justiça Desportiva para apurar irregularidade no atleta Bruno Andrade da Silva, do Cidade Azul, de Tubarão.

Segundo o advogado Rodrigo Titericz, o Guarani consultou a FCF sobre o atleta.

Um funcionário respondeu que o profissional estava legal e que seu nome já havia saído no BID - Boletim Informativo Diário - Estadual, que não existe, a não ser o BID da CBF, que trouxe o nome do atleta em fevereiro.

A federação também está sendo acionada por informação imprecisa. O Cidade Azul pode ser rebaixado no lugar do Guarani.

Ontem, a Federação do Rio de Janeiro informou que o atleta foi transferido em fevereiro para Santa Catarina, quando ele teria condição de jogo.

Ocorre que Bruno atuou três jogos em janeiro, pelo Cidade Azul, de forma ilegal.


Não conheço da legislação desportiva, agora cabe saber se o caso já "caducou" ou não. Será que vai dar molho isso aí? Lembremos que o Próspera no ano passado foi rebaixado por causa da escalação do volante Felipe de forma irregular. A diferença é que ele entrou em campo suspenso com três cartões amarelos.

Peter no Criciúma

O Criciúma contratou o bom jogador Peter, ex-meia da Chapecoense campeã estadual do ano passado. Vai ser apresentado na quinta-feira. Num período de um pouco mais de um ano o Peter vai ter atuado em cinco clubes.
Depois de ser campeão com a Chapecoense, foi para o Figueirense onde foi razoavelmente bem, para depois ser transferido para Porto Alegre e ter uma passagem apagada pelo Grêmio. Foi para Recife, onde passou batido no Sport e agora foi para o Criciúma, na Série B.
Conclui-se que ele não passa uma boa fase, não se firmando nos últimos dois clubes que passou. Talento ele tem, mas terá que mostrar muito trabalho no Tigre.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Veio fazer o que?

Sexta-feira, coloquei aqui no Blog (veja aqui) uma entrevista em áudio do Presidente do Guarani, Marcos Medeiros, dizendo que o seu clube não irá desistir do Campeonato da Divisão Especial, e sim irá montar uma base de jovens atletas com jogadores do amadorismo local.

Medeiros estava em Brusque naquele dia. Aí me perguntei: que diabos ele estava fazendo em Brusque na sexta?

Obtive a resposta: veio atrás do Brusque para saber se o clube estava interessado em ajudar na ação na justiça desportiva no caso do suposto atleta irregular do Atlético Tubarão no Campeonato Catarinense.

O Brusque negou, uma vez que não teria interesse nenhum no caso, já que se houver a comprovação de alguma irregularidade, o beneficiado seria o próprio Guarani. Naquele email que publiquei aqui no Blog (veja aqui), que foi enviado ao Juventus, o autor diz que poderia se tramar uma virada de mesa e salvar Guarani, Juventus e Brusque do rebaixamento, coisa que é ultra improvável de acontecer.

Criciúma Campeão de 1986?

Matéria do "Diário de Pernambuco" de ontem, 22/06:

Um título esquecido por muitos, mas não pela fiel torcida do Central. Depois de 22 anos de espera, finalmente a Patativa poderá obter o reconhecimento oficial da Confederação Brasileira de Futebol pelo título de campeão brasileiro da Segunda Divisão de 1986. Um título que já é cantado há muito tempo pelos torcedores que freqüentam as arquibancadas do Lacerdão, e que transformaria o Alvinegro de Caruaru no primeiro clube pernambucano a conquistar um campeonato nacional. O Central irá encaminhar, ainda neste ano, um requerimento à CBF juntamente com os outros três clubes (Treze/PB, Criciúma/SC e Internacional/SP) que também se proclamam campeões de 86.

Quatro vencedores? Isso mesmo. Como é de praxe no futebol nacional, tudo começou por causa do confuso regulamento do Nacional daquele ano. Nos anos 80 (mais precisamente até 1987), os estaduais eram classificatórios para a Taça de Ouro, como era chamada a Série A na época. Pernambuco, por exemplo, tinha direito a duas ou três vagas na elite. Assim, os clubes que ficassem de fora da Primeira Divisão eram automaticamente classificados para a Taça de Prata (Série B). E assim foi de 1980, com o Londrina campeão, até 1985, quando a Tuna Luso, de Belém/PA, ficou com a taça.

Em 1986, porém, a CBF passou a chamar a Taça de Prata de 'Torneio Paralelo', com quatro grupos, compostos por nove clubes cada um. Os quatro vencedores avançaram para a Taça de Ouro do mesmo ano, sem que houvesse qualquer tipo de fase final para decidir o campeão da Segundona (quadrangular ou semifinal e final). Desde então, os quatro contemplados passaram a se autoproclamar campeões da Série B daquele ano, e expõem a conquista, inclusive, em seus sites oficiais, ao contrário da CBF, que não listou o ano em sua galeria de campeões, de acordo com o site oficial da entidade.

A luta pela oficialização do título nacional começou há dois meses, quando o presidente do Central, Ronaldo Lima, recebeu um telefonema do diretor jurídico do Treze, Eduardo Medeiros, para que fossefeita uma ação conjunta entre os times para encaminhar o pedido à CBF. A Inter de Limeira também já foi contatada, faltando somente a diretoria do Criciúma. O material que vem sendo reunido pelos clubes conta com reportagens de jornais, vídeos de jogos e fotos.

Uma luta pra valer. Se depender dos dirigentes dos dois alvinegros nordestinos, a batalha pela Segunda Divisão de 1986 poderá acabar até na Justiça Comum. Segundo o diretor jurídico do Treze, Eduardo Medeiros, o pedido à CBF só será feito após a fundamentação completa do pedido, com provas suficientes para convencer o diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio. Mas o "plano B" também já está traçado. "Nós vamos fazer uma ação específica de reconhecimento do título, mas se em 60 dias a CBF não der uma resposta, a Lei nos dá o direito de entrar com uma ação na Justiça Comum", disse Eduardo Medeiros.

Ele argumentou que o Treze chegou a receber uma taça na época, com direito a volta olímpica após a vitória no Grupo E (a Inter de Limeira venceu o G e o Criciúma ficou em primeiro no H). "Na época, aquilo foi comemorado como uma Segunda Divisão sim, tanto que a CBF chegou a dizer no passado que o Treze foi o campeão, assim como os outros times. Nós estamos engajados nisso, dando os primeiros passos e buscando onosso título. Ele pode até ser dividido por quatro, desde que haja o reconhecimento oficial", completou o dirigente do time de Campina Grande.

A reportagem do Diario entrou em contato com a Diretoria de Competições da CBF. A assessoria do órgão informou que a Confederação nunca recebeu qualquer tipo de solicitação dos quatro clubes sobre a edição do Nacional de 1986. Mas pelo menos um indício já pode pesar a favor do pleito. Os outros 32 clubes que participaram do Torneio Paralelo de 1986 receberam a mesma pontuação no ranking da CBF equivalente à atual Série B, que premia o vencedor com 40 pontos, o vice com 39, e assim por diante. Já os quatro campeões ganharam a pontuação da Série A.


Seria o quarto título nacional da história do Criciúma.

domingo, 22 de junho de 2008

Coisas do "Brasil Olímpico"

O assunto não é catarinense, mas não pude deixar de registrar.

Alguém perdeu seu tempo assistindo ao amistoso Seleção Olímpica 1 x 0 Combinado do Rio de Janeiro?

Eu perdi, mas vi algo inédito na história do futebol.

O goleiro Cássio começou o jogo como titular, e foi substituído no segundo tempo pelo Marcelo Lomba, que acabou sendo expulso aos 33 do Segundo tempo.

Aí, quando André Lima se preparava para vestir a camisa de goleiro, eis que Cássio, goleiro que havia acabado de sair de campo, acaba voltando para o campo no lugar do jogador expulso.

Só uma coisa hilária assim pra marcar aquele jogo.

Tema de Domingo: Catarinenses na Série C

O tema de domingo de hoje é meio que uma repetição de algo que postei aqui em Abril. Diz respeito aos grupos dos times de SC na Série C do Brasileiro. Antes, não tínhamos mais informações das equipes. Agora, principalmente depois do que os times contrataram, e pelos seus rendimentos nos jogos-treinos, temos um panorama mais real do que serão os dois grupos dos times catarinenses:

Divulgados os Grupos da Série C do Campeonato Brasileiro, que começam em julho. Neste ano, quem chegar a terceira fase ganha um prêmio extra: a vaga na Série C do próximo ano, que terá 20 clubes, com a criação da Série D em 2009.

Uma pequena análise dos dois grupos que envolvem os times catarinenses:

Grupo 15: Inter de Santa Maria-RS, Marcílio Dias, Engenheiro Beltrão e Toledo
O grupo do Marcílio é claramente mais fácil que o do Metropolitano, por um simples fato: os times do PR e RS que estão nele fizeram excelentes campanhas nos Estaduais do primeiro semestre, mas não se preocuparam em se estruturar para a Série C. O Marcílio, mesmo com as dificuldades financeiras, conseguiu montar um time que pode render no Brasileiro para conseguir uma vaga na próxima fase. Mauro Ovelha e a diretoria tiraram leite de pedra mas conseguiram formar o elenco. Nem a derrota no jogo-treino para o Caxias desanimou o treinador, que poderá se classificar justamente pelo fato dos adversários serem também de igual qualidade.

Grupo 16: Brasil de Pelotas-RS, Caxias-RS, J.Malucceli-PR e Metropolitano
Sem dúvida, o Metrô pegou uma chave mais complicada. Ao contrário do Grupo do Marcílio, o time de Blumenau terá times de maior tradição no futebol do Sul e que tem enorme estrutura. O Brasil, do técnico Itamar Schulle, traz uma base forte que já acompanha o treinador faz tempo. O Caxias vem de boa campanha no Gauchão, e conta com um bom investimento e já teve participação na Série B, enquanto o J. Malucelli é um estruturado clube que sempre monta boas equipes.
Os três adversários do Metrô fizeram jogos amistosos em Santa Catarina. O gerente de Futebol, Viton, declarou que os times são de qualidade e que complicarão a vida do time de Blumenau. Para classificar, o Metropolitano precisa contratar e montar um time caro e bom, porque a chave 16 é um verdadeiro Grupo da Morte. A venda do zagueiro Rafael para o fortíssimo futebol da Romênia é uma perda importante para o time.
Se o Metrô estivesse na chave do Marcílio, era favorito à classificação. Mas como não está, é lutar pelo menos para que chegue entre os 20 que garantirão vaga na Série C do ano que vem.

Ainda mais, a Série C, nos moldes em que se encontra, é um campeonato que engana. Pra quem vai pra terceira fase pra cima, pode até ser boa e lucrativa. Mas pra quem patina na primeira fase, é um prejuízo danado, uma vez que a participação pode durar apenas seis jogos. Em três semanas, tudo poderá estar acabado.