sábado, 5 de julho de 2008

Caso Guarani: Medeiros está confiante

O Presidente do Guarani, Marcos Medeiros, está incansável na sua luta para conseguir o reingresso do seu clube na Divisão Especial, via tapetão.

Ele ligou para o Presidente do Brusque, Danilo Rezini, questionando se o clube estaria interessado em entrar com ação conjunta no caso, mas recebeu um não. Afinal, o beneficiado seria apenas o Guarani, e não o Juventus e o Brusque.

Medeiros acredita ter um trunfo na mão: um documento da Federação Carioca afirmando que a transferência de Bruno Andrade foi feita depois do dia que o jogador entrando em campo. Ele afirma que, mesmo a FCF admitindo que o registro seja legal, o documento carioca prevalece.

Semana que vem começa a Divisão Especial e fica a dúvida: haverá tempo para o Guarani virar o jogo? A FCF permanece irredutível.

Futebol de Tubarão é coisa séria...

O Perfil do Hercílio Luz vai ser publicado aqui no Blog em breve, mas uma situação me chama a atenção: A rixa entre torcedores de Hercílio Luz e Atlético Tubarão.

Até a imprensa sofre com isso. E já vivenciei o mesmo problema. Brusque e Tubarão tem praticamente a mesma população (94 e 92 mil, respectivamente), e aqui surgiu o debate sobre a necessidade de se haver dois times de futebol profissional. A realidade era uma só: se um time já vai mal das pernas, dois então é algo complicado. Tanto que, depois da trágica reaparição do Carlos Renaux, a cidade se conscientizou que Brusque só comporta um time de futebol profissional, o Brusque, e o assunto encerrou-se.

Em Tubarão, a guerra de nervos entre Hercílio e Cidade Azul/Atlético é terrível. Quando estive lá, a cada gol do Brusque vinham foguetes do Estádio Aníbal Costa (que fica a 400m aproximadamente do Domingos Gonzales)

E ai de quem resolver opinar que a cidade só pode ter um time. A última vítima foi o jornalista Antônio Rodrigues, colunista do jornal Notisul. Recentemente, em uma reunião do lançamento de um projeto do Leão do Sul, Antonio foi duramente xingado pelo fato de defender a existência de um só clube na cidade. Tese aliás, que a experiência de uma cidade de tamanho semelhante provou que é a única viável.

Não tenho dúvida que a história do jogador irregular do Tubarão, que o Guarani está brigando no Tapetão, tenha partido de alguem ligado ao Hercílio.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Teve jogo-treino, e o pau comeu!!

Conheci hoje o CT do JEC, no Bairro Morro do Meio. Fui assistir ao jogo-treino entre Joinville e Brusque, na preparação para a Divisão Especial. O jogo terminou em 1 a 1 e não foi bom. Primeiro, o árbitro da partida era patético. Todos, eu disse todos os jogadores dos dois times ficaram insatisfeitos com a atuação do árbitro (obrigado à internauta Danuta: o nome dele é Jeferson Maguiroski, que vai pra lista negra) que conseguiu estragar um jogo treino, principalmente ao expulsar dois jogadores ainda no primeiro tempo. Ele estava tão perdido que encerrou a primeira etapa aos 39 minutos. O JEC abriu o placar com um gol de falta no primeiro tempo. Na etapa final, o Brusque empatou com um Gol de Eraldo. O JEC é um time jovem e leve. Está longe de ser um time espetacular, mas mostra que o laboratório de Agenor Piccinin pode dar certo, já que está no início de uma grande fase de testes na Divisão Especial. Já eu esperava mais do Brusque, que trouxe jogadores escolhidos a dedo. Enquanto a defesa se comporta bem, o time não apresenta um trabalho convincente no meio campo, o que não faz o ataque funcionar. E isso é um problema crítico. Mas o jogo terminou com briga. Num entrevero entre Eraldo e um zagueiro do JEC, os dois foram expulsos pelo árbitro fanfarrão. O que se seguiu foi uma sequencia de agressões entre os times que voou tudo, até cabo de vassoura. Graças à tecnologia, filmei a confusão no meu celular, que você confere abaixo: (os jogadores do JEC são os que têm coletes amarelos)

video

Duas do Juventus

No jogo-treino entre Joinville x Brusque, hoje a tarde, coletei duas informações interessantes para o pessoal de Jaraguá do Sul:

- Perguntei a um diretor do JEC sobre como funciona na prática a parceria com o Juventus, principalmente na questão da Copa Santa Catarina, que o Joinville irá participar, e possivelmente desembarcar de Jaraguá. A resposta foi a seguinte: O combinado foi que o Juventus ficou de contratar jogadores para serem "enxertados" no elenco do JEC, para que quando os comandados de Agenor Piccinin fossem transferidos, um time pronto já estaria em Jaraguá para a sequencia do campeonato. Super confuso e com tudo pra não dar certo, mas tá....

- Na volta, parei no Restaurante Sinuelo, onde encontrei Lio Tironi, ex-presidente do Juventus. Questionei sobre a situação das transferências, tratadas aqui no Blog, que o clube não teria os 17 mil reais necessários para a inscrição dos jogadores, que seria hoje. Ele respondeu seco: "Eu dei os 17 mil reais pro Juventus pagar". Alma caridosa né?

Concórdia quer Jasc 2009

O prefeito de Concórdia, Neodi Saretta, anunciou ontem que a capital do Alto Uruguai pleiteará junto a Fesporte o Direito de Sediar os Jogos Abertos do ano que vem.

O Superintendente da Fundação Municipal de Esportes, Gil Artifon, afirmou que a vinda do JASC, para Concórdia, será um grande incentivo ao trabalho de base que o municipio realiza, e servirá para mostrar à população, as demais equipes que não conseguem classificação para a etapa estadual dos Jogos Abertos.

A cidade já sediou os JASC em três oportunidades: 1970, 1984 e 1997. Até agora, é candidato único para receber a maior Festa do Esporte Catarinense pela quarta vez.

Em novembro, Os Jogos serão em Pomerode, Timbó, Indaial e Rio dos Cedros, repetindo uma parceria que deu certo em 2004.

Dia de transferências

Em todo campeonato aqui no Estado, o regulamento prevê que cada equipe participante tenha que inscrever ao menos 18 jogadores em data e hora prestabelecidos. Essas inscrições aconteceram na terça, quarta, e se encerram hoje, com os times que caíram da Divisão Principal: Guarani, Juventus e Brusque.

E informa o Julimar Pivatto, do Correio do Povo de Jaraguá, que o Juventus precisa desembolsar 17 mil reais para fazer a transferência dos jogadores do Joinville para o clube, para deixá-los em condição de jogo. O problema é que o Moleque Travesso não tem o dinheiro, e a situação é preocupante.

Conheça a Segundona: Próspera


ESPORTE CLUBE PRÓSPERA
Fundação: 29 de março de 1946
Estádio: Mário Balsini (4900 lugares)
Cores: Vermelho, Verde e Branco


O "time da raça" mais uma vez entra em campo para a Divisão Especial. O coloradinho do Bairro Próspera foi rebaixado em 2007 no tapetão, ao escalar o volante Felipe suspenso por três cartões amarelos. Não conseguiu subir ano passado, e volta esse ano.

O clube, fundado há 62 anos por trabalhadores da Mina Carbonífera Próspera, tem uma estrutura que funciona durante todo o ano. Desde março, o clube participa da Taça Cecrisa, campeonato amador de Criciúma, com a camisa do time do Nossa Senhora da Salete. Assim, consegue manter os jogadores do seu elenco em atividade, além da possibilidade de fazer testes e preparar o time para a Segundona.

O Presidente em exercício, Celsinho Menezes (seu pai, Celso Menezes, licenciou-se para participar das eleições) afirmou que o time não fará grandes investimentos para a montagem do plantel. Usará a sua base formada em Criciúma e poderá fazer um acordo com o primo rico do Bairro Comerciário, o Criciúma EC, para o uso de jogadores não aproveitados na Série B. Três dos reforços contratados, no entanto, acabaram não dando certo: O clube comunicou ao goleiro Genivaldo, ao lateral direito Daniel e ao meia Marcelinho que desistiu de contratá-los. Genivaldo se aposentou, e trabalhará como preparador de goleiros. Daniel fez exigências demais e Marcelinho não foi aprovado pelo treinador, Rogério Inácio. "Temos que acreditar e apostar no trabalho, dar oportunidade para esses garotos", afirmou. O treinador observou que os atletas vêm se desenvolvendo ao longo dos treinos e jogos, portanto espera que continuem evoluindo", afirmou o treinador.

Já o simpático Estádio Mário Balsini(foto), que resiste ao tempo, já passou até por furacão, que arrancou a cobertura da Arquibancada, já consertada. Mas um velho sonho da torcida do Próspera deve ser concretizado. O clube conseguiu autorização para captar 160 mil reais do Fundesporte para dotar o Balsinão de um sistema de iluminação. É o fim daquele papo do Próspera só jogar nas quartas a tarde.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

O Busto do Azar

Do Jornal de Santa Catarina, por Patrícia Zomer:

Um busto de bronze, instalado no Estádio Dr. Hercílio Luz desde a década de 20, homenageia o marinheiro Marcílio Dias, que dá nome ao clube de Itajaí. Porém, desde a década de 80 os torcedores marcilistas acreditam no mito de que o busto é responsável pelos maus resultados do time, em especial, pelo jejum de 45 anos sem títulos estaduais. A superstição começou durante o Catarinense de 1981, na época o busto ficava atrás do gol, de frente para o campo. Em uma partida em casa, o centroavante Caíco marcou um gol e comemorou beijando a escultura do marinheiro. Depois daquele dia, Caíco não voltou a marcar gols pelo rubro-anil. Foi então que os torcedores começaram a pedir para a diretoria retirar o busto do campo e colocá-lo de costas para o gramado. Há quem garanta que o marinheiro seca o time.

Em 1982, a escultura foi deslocada para a entrada do estacionamento do estádio, mas permaneceu virada de frente para o campo. Depois disso, o busto de Marcílio Dias já mudou de local pelo menos três vezes, mas em todas virado de frente para o campo. Desde 2003, a escultura permanece ao lado da secretaria do clube, e foi colocada de perfil para o campo.

Superstição ou não, a verdade é que o torcedor marcilista nunca comemorou um título em casa. As últimas conquistas do rubro-anil foram a Copa Santa Catarina e a Recopa Sul-Brasileira, em novembro e dezembro do ano passado, ambas conquistadas fora do Estádio Hercílio Luz e bem longe dos olhos da escultura do marinheiro. Um bom desempenho na Série C pode ser o fim do mito do busto secador. É aguardar para ver o desempenho do Marcílio Dias na competição.

Sem cadeiras

Do Jornal de Santa Catarina:

O Sócio-Ouro ou o torcedor do Metropolitano que adquiriu passaporte para as cadeiras terá que sentar na arquibancada durante os jogos no Sesi na Série C. O espaço destinado a eles (abaixo das cabines de imprensa) continua o mesmo, mas as cadeiras, retiradas durante as obras no estádio, não foram e nem serão recolocadas.

A informação foi confirmada ontem pelo diretor regional do Sesi, Hermes Tomedi. Segundo ele, a empresa que perdeu o processo de licitação para a colocação das cadeiras impugnou o processo e o Sesi terá de abrir nova licitação.

— Infelizmente não teremos como colocá-las. Aconteceu isso e temos que seguir as normas — afirmou.

O presidente do Metropolitano, Edson Pedro da Silva, ainda não sabe como vai resolver a questão. Ele pretende se reunir com o departamento de marketing para estudar alternativas, já que o clube já havia iniciado a comercialização dos ingressos para o local.

— Estamos muito preocupados com isso e com o torcedor. Mas vamos considerar aquele um espaço especial, mesmo sem as cadeiras — disse.

O Sócio-Ouro, que tem direito a cadeira, paga R$ 100 por mês. Já o passaporte para os três jogos, naquela área, estava sendo vendido a R$ 170. Avulso, o ingresso para a cadeira custaria R$ 70.


100 reais por mês pra sentar no cimento é caríssimo. Será que vai ter desconto?

Sexta tem reunião

Mais uma vez, os nove clubes da Divisão Principal do Campeonato Catarinense se reúnem amanhã, dessa vez na Sede da FCF em Balneário Camboriú.

Tudo indica que será batido o martelo na questão do televisionamento para o ano que vem. Ou os clubes aceitam a proposta da RBS, para pagar a multa e rescindir o contrato da RIC Record, ou respeitam o mesmo e continuam com a emissora da Família Petrelli até o ano que vem, quando abrirão uma nova rodada de negociações.

Conheça a Segundona: Imbituba

IMBITUBA FUTEBOL CLUBE
Fundação: 01 de Fevereiro de 2007
Estádio: Dr. João Rinsa (2500 lugares)
Cores: Azul, Amarelo e Branco


Pelo Segundo ano, o time da "Zimba" entra na Segundona Catarinense. No ano passado, contando com veteranos como Dauri, Arílson e Jairo Santos no elenco, o time fez um bom primeiro turno mas patinou no segundo.

O técnico continua sendo o ex-jogador Vitalino Barzotto, o Grizzo (foto), já passados dos 40 e com muitos cabelos a menos na cabeça. Ele montou para este ano um time muito jovem, que terá o veterano Jairo Santos e o volante Wilson como peças de experiência no Elenco.

Assisti há cerca de 15 dias um amistoso contra o time amador do Poço Fundo, de Brusque (2x2) e não gostei do que vi. Não apresenta virtude para buscar alguma coisa dentro de sua chave. Candidatíssimo a coadjuvante.

Noite Infeliz

Na noite que o Criciúma apresentou Jardel para a torcida, o time dentro de campo fez papelão: tomou 3 a 0 do fraco Paraná.

Time irreconhecível. O Primeiro Tempo dá de engolir, menos a atuação do Luciano Bebê (que não fez nenhum bom jogo) e do Cláudio, perdidinho em campo.

No segundo tempo, Basílio foi expulso aos 14 minutos, e logo depois o Paraná fez 1 a 0. Aos 18, Wescley também foi pra rua, e o Paraná fez mais dois. Podia ter feito mais alguns tranquilamente.

E Gelson foi incansavelmente vaiado.

O torcedor do Criciúma não vá achar que o Jardel vem pra salvar o time. Está fora de forma e todos sabem que ele só sabe jogar com a cabeça.

A Situação do Tigre é cada vez pior. E não se vê uma evolução do Trabalho do Gélson.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Amistoso em Caçador

O Caçador Atlético Clube, que estréia semana que vem na Divisão Especial contra o Concórdia, fora de casa, estará promovendo um amistoso hoje a noite, no Estádio Municipal, contra o Coritiba.

Acontece que o site oficial do Coxa sequer informa a existência desse jogo. E aí hein?

Agora Jardel é do Tigre


Foto da apresentação de Jardel, agora a tarde, no Heriberto Hulse... Mas esse Chapeuzinho aí não ficou legal...

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Conheça a Segundona: Brusque


BRUSQUE FUTEBOL CLUBE
Fundação: 12 de outubro de 1987
Estádio: Augusto Bauer (8000 lugares)
Cores: Verde, Vermelho, Amarelo e Branco


Rebaixado no primeiro semestre como o último colocado do Campeonato Estadual, o Brusque ameaçou não ir para a Segundona. Fez uma campanha de choque: ou a torcida colabora e adere os planos de sócios, ou o time pediria licença. Houve resposta da comunidade, e o time foi pra Guerra. Disposto a não errar como errou no início do ano.

O Campeão Catarinense de 1992 resolveu passar uma borracha na tragédia que foi a passagem de Nasareno Silva, levantou a cabeça e foi às compras. O Presidente Inácio Schwartz pediu licença do cargo, e o seu vice, Danilo Rezini, prometeu fazer um time muito melhor, para voltar à elite em 2009.

O técnico Suca (foto) tem experiência no Futebol Gaúcho e de lá trouxe grande parte do seu time. Destacam-se o excelente lateral-direito Pereira (ex-Juventus), os zagueiros Thiago e Marcelo (ex-Avaí e Criciúma), os meias Rafael Xavier e Leo Maringá e o atacante Neno (ex-Ibirama). Se juntarão ao grupo ainda os atletas da equipe júnior, que é a melhor do Campeonato Estadual de Juniores.


No papel, o Brusque, ao lado do Joinville/Juventus, é o time mais forte da Divisão Especial. Investiu em jogadores de qualidade e com bastante rodagem. Resta ao Bruscão corresponder às expectativas e conseguir o acesso.

Corinthians deve 1,5 mi à Sociedade Irineu

Deu no Lance:

O Corinthians não encontra dificuldades apenas para quitar parte da gigantesca dívida de mais de R$ 101 milhões, herdada da gestão Alberto Dualib. Outro problema é o crescente número de credores.

O mais recente deles é o minúsculo S. E. Irineu, clube amador de Santa Catarina, que formou o meia Renato, contratado pelo Timão em 2001 do Guarani, com 23 anos.

Pelo contrato firmado na época, o Corinthians pagou uma quantia ao Bugre e teria de mandar anualmente US$ 150 mil ao S. E. Irineu como aluguel do passe até que os 50% fossem quitados integralmente.

– O problema é que esses US$ 150 mil nunca foram pagos. E quando Renato foi negociado com o Flamengo, o tal Irineu também não recebeu o que lhe cabia – diz o presidente corintiano, Andrés Sanchez.

Resultado: o clube catarinense entrou na Justiça e ganhou causa para receber R$ 3,3 milhões. O Corinthians conseguiu um acordo. E ficou de pagar 15 parcelas de R$ 100 mil, totalizando R$ 1,5 milhão.


A Sociedade Irineu, de propriedade do hoje Diretor de Futebol do JEC, Irineu Machado, é um clube conhecido como formador de jogadores, e já firmou algumas vezes acordos com o próprio Joinville para participação em Campeonatos de Base.

Dessa vez, Irineu achou a sorte grande e vai levar uma Bolada, por culpa da incompetência dos dirigentes Corintianos.

Conheça a Segundona: Concórdia

CONCÓRDIA ATLÉTICO CLUBE
Fundação: 2005
Estádio: Domingos Machado de Lima (7000 lugares)
Cores: Vermelho, Verde e Branco


Concórdia é uma cidade interessante. Lá, o time do CAC sofre com a Concorrência forte do Futsal. Os ginásios enchem com facilidade, enquanto o simpático estádio, localizados nos fundos da Rodoviária, sofre com pequenos públicos.

Com esse pequeno apoio que o Concórdia tenta voltar a primeira divisão, que não participa há 13 anos. Bateu na trave em 2004, mas continua patinando na segundona, tendo mais uma chance neste ano. Em 2008, o CAC vem com estrutura modesta.

Treinando desde o dia 2 de junho, o Concórdia têm em seu elenco alguns jogadores da Chapecoense que vieram por empréstimo, caso do zagueiro Anchieta, além de amadores vindos do Juventus de Seara e atletas que passaram por um peneirão promovido pelo clube, perfazendo uma média de idade no time de apenas 22 anos. Na preparação, contudo, jogadores foram dispensados por baixa qualidade.

O técnico do CAC é Joseilton de Almeida, o Hilton, ex-jogador do próprio Concórdia na década de 90. Já foi inclusive presidente do clube (hoje o cargo é exercido por Valmor Camargo). Assim vem o Concórdia. Com ums estrutura modesta, tentando tirar leite de pedra. Tentando enfrentar, além dos adversários, a concorrência com o Futsal, que tira a torcida do estádio.

domingo, 29 de junho de 2008

Email indesejado

O Presidente do Blumenau Entretenimentos Comunitários, o novo BEC que está se instalando em Blumenau, Alencar Farias, está P da vida.
Tudo porque a Diretoria do Paraná Clube, que recentemente assinou parceria com o clube do Vale, recebeu um email vindo de um endereço inexistente, fazendo severas críticas a ele, inclusive questionando a sua credibilidade.

Alencar argumenta que é o começo de uma guerra de nervos entre o seu clube e a torcida do Metropolitano, a quem se referiu como "torcida que não enche uma Kombi".

Olha, tou ansioso pra ver como vai ser esse segundo semestre lá em Blumenau, com o Metropolitano na Série C e o BEC na Divisão de Acesso. Uma cidade sui generis. Não existe um lugar onde haja tanto diz-que-diz no futebol como lá. Só ver quantos clubes apareceram na cidade nos últimos 10 anos.

Conheça a Segundona: Grêmio Timbó

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA GRÊMIO TIMBÓ
Fundação: 10 de janeiro de 2007 (do Grêmio Pinheiros)
Estádio: Complexo Esportivo Municipal (3000 lugares)
Cores: Azul, Preto e Branco


O clube tem um rolo a ser resolvido: para a FCF, o Grêmio Timbó é o Pinheiros de Lages que trocou de sede, e assim deve ser tratado. Onde quer que ele esteja, o Grêmio hoje está na Pérola do Vale, e lá irá disputar a Divisão Especial.

O time do presidente Jânio de Oliveira, ex-dirigente do Marcílio Dias, fez uma razoável campanha no ano passado, onde encarou uma disputa com o Internacional, na cidade de Lages. Entre os seus diretores, está Sérgio Rodrigues, que tem passagem por vários clubes do estado, incluindo o União de Timbó. Acredito que este tenha sido o principal motivo do time ter mudado de sede.

Vamos ao time. Nesta semana, o Grêmio passou por uma crise, Alguns treinos do time foram suspensos essa semana por falta de quórum dos atletas. Os jogadores negaram-se a trocar de roupa enquanto a diretoria não quitasse algumas pendências financeiras por ordem das despesas de viagem para vir a Timbó. O técnico Edson Ivan ficou possesso com a situação, às vésperas da estréia no campeonato.

Dentro do elenco do Grêmio, destaco dois jogadores: Adilson, goleiro que vi pegar muito no Juventus de Jaraguá, e o lateral Vânderson, filho do técnico Joubert Pereira, que já passou por Ibirama, Brusque e no Metropolitano. No restante, estão o goleiro Jéferson(Metropolitano), os zagueiros Robson(Ibirama) e Rodrigo Vigo(Inter/Lages), os meias Alex Marcelino e Samuel(Metrôpolitano) e Thiago Pipoca(Pelotas)e os Atacantes – Roney, Eudes(Santa Cruz/RS) e Beto(Noroeste-SP).

O treinador Edson Ivan (foto), tem 41 anos e trabalha como técnico desde 1992, tendo passagens por Atlético-PR, Internacional de Lages, Tupy, Horizontina e Santo Ângelo. O time não tem craques, e não se sabe como andará a situação financeira, uma vez que o empresariado timboense anda muito desconfiado, principalmente depois da frustrada participação do União na Divisão de Acesso do ano passado. Some-se a isso um grupo difícil que o time enfrentará. Não passará de coadjuvante no Campeonato.