sábado, 12 de julho de 2008

Vilmar de Borba responde

Recebi resposta aqui no Blog do Sr. Vilmar de Borba, que ingressou com ação no Fórum de São José contra a FCF, pedindo a colocação do Guarani na Primeira Divisão e o conseqüente rebaixamento do Tubarão. O texto é o que segue:

Senhor Rodrigo Santos ,

Primeiramente parabens por publicar a materia sobre a Acao do SERC Guarani.

antes de se preocupar quem é Vilmar de Borba , o senhor como bom jornalista que deve ser deveria procurar saber se o Guarani tem ou nao razao nesta Acao , pois isto é o trabalho de um bom jornalista saber a verdade dos fatos.
Fatos estes que acredito que o clube de sua cidade deve ter em maos toda a documentacao e deve ter uma opiniao formada a respeito.

caso o senhor queira me conhecer , é so marcar que podemos conversar sem problemas .

a respeito do que o Aluizio postou , gostaria de falar que é muito facil se esconder atraz de blogs, acredito que prudencia é a melhor medida a ser tomada, outra coisa nao sou laranja do Guarani, e de ninguem , so nao posso ficar olhando a Federacao fazer o que vem fazendo a muito tempo com nosso futebol.

atenciosamente

Vilmar


Vou tecer algumas considerações:

- Se o Guarani tem ou não razão nesta ação, quem julgará isso é a justiça desportiva. Sou e sempre serei contra o uso de Justiça Comum para resolver isso. Aliás, acho que a Justiça Comum poderia baixar uma regra proibindo ela mesma de julgar casos desportivos, assim como existe com a Justiça do Trabalho.

- O Brusque tem toda a documentação, e o Juventus também. Alias, foi o Sr. Vilmar que enviou o email (que você pode ler clicando aqui) para o Juventus, falando da situação irregular do jogador Bruno. O Brusque optou em não se meter na história, pois o único beneficiado seria o Guarani, e não o Brusque, merecidamente último colocado do Estadual.

- Sobre o caso de ser laranja ou não, não quero entrar neste mérito. Só quero reiterar que a justiça desportiva existe para resolver estas questões, tanto que o Presidente do TJD adiou a estréia do Guarani contra o Próspera. O que me incomoda é saber por que isso só veio a tona agora e não quando o Campeonato ainda estava em andamento.

No túnel do tempo


Esse senhor aí da foto, com bigode de Mariachi, é Agenor Piccinin, quando técnico do Juventus, nos anos 90. Está de volta a Jaraguá, como técnico do Joinville/Juventus. Perdeu o bigode e engordou.

Foto: O Correio do Povo / Jaraguá do Sul

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Jogo do Guarani é adiado

Deu no Engeplus:

Estréia do Próspera no Catarinense está adiada

Fruto de um recurso do Guarani de Palhoça ao Tribunal de Justiça Desportiva, a estréia do Próspera no Campeonato Catarinense está adiada. O presidente Celso Menezes recebeu, no início da noite desta sexta-feira, comunicado da Federação Catarinense de Futebol confirmando o adiamento.

No recurso impetrado junto ao TJD, o Guarani reclama a vaga hoje pertencente ao Atlético Tubarão na Divisão Principal. O clube alega que os tubaronenses escalaram um jogador irregular no último Catarinão, e isso, se comprovado, resultaria na perda de 18 pontos e o conseqüente rebaixamento do Atlético. O Guarani, em sua defesa, afirma ter provas da irregularidade.

O presidente do Tribunal, Luciano Hostins, foi quem acolheu parcialmente a medida cautelar impetrada pelo Guarani. Apenas o jogo frente ao Próspera está suspenso. Enquanto isso, a situação será avaliada.

Paralelo a isso, torcedores ingressaram na justiça comum com ação de danos e reparos contra a FCF. Um deles, Vilmar de Borba, do município de São José, representado pelo advogado Luiz Henrique Bento, solicita a inclusão do clube de Palhoça na Divisão Principal e o adiamento da Divisão Especial.

Antes de receber o comunicado da Federação, Celso Menezes havia informado que o Próspera viajaria normalmente para Palhoça, mesmo com os rumores de que o Guarani estava orientado por sua assessoria jurídica a não jogar.

Com o adiamento, a estréia do time da raça será no dia 20, no estádio Mário Balsini, contra a Camboriuense. Os demais jogos da primeira rodada da Divisão Especial estão mantidos para este domingo: Brusque x Joaçaba, Inter de Lages x Pinheiros de Timbó, Concórdia x Caçador, Camboriuense x Imbituba e Hercílio Luz x Juventus.

O Prejuízo da Lei Seca

Veja só o prejuízo que a Lei Seca, que proíbe a venda de bebidas em um raio de 400 metros do Estádio três horas antes e duas depois do jogo, causará no Município de Brusque. Abaixo, mapa de Satélite da Cidade, delimitando a distância que será fiscalizada pela Polícia (clique para ampliar):


Se a Determinação da Polícia for mesmo colocada em prática, significa dizer que a principal Choperia do Centro da Cidade, a Praça de Alimentação do Shopping Gracher e até o Terminal Urbano não poderá vender Bebida alcoólica das 13 às 20 horas de domingo.

Quero ver isso funcionar.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Sobre o Processo na Justiça Comum

O Processo que tramita na Justiça Comum tentando recolocar o Guarani de Palhoça na Primeira Divisão por causa do jogador irregular do Atlético Tubarão entrou no Fórum de São José no dia 8 de julho.

Quem entrou com o Processo nº 064.08.015784-3 foi Vilmar de Borba, através do seu advogado, Luiz Henrique Bento.

Quem é Vilmar de Borba?

Segundona pára na Justiça Comum

Deu no Engeplus, por Dênis Luciano:

Depois de meses de preparativos, o Próspera poderá não jogar no domingo. A estréia no Campeonato Catarinense contra o Guarani, fora de casa, corre o risco de não ser realizada. Um impasse entre o clube de Palhoça e a Federação Catarinense de Futebol poderá redundar no adiamento da rodada inaugural da Divisão Especial.

Conforme a assessoria do presidente do Guarani, Marcos Medeiros, dois torcedores do time entraram na justiça comum requerendo a vaga perdida para o Atlético Tubarão na Divisão Principal. O próprio clube move um processo no TJD, alegando que o Tubarão utilizou um jogador de forma irregular no último Catarinão.

A notícia do possível adiamento chegou ao time da raça de forma surpreendente. No início da tarde, a Rádio Eldorado foi comunicada que não poderia transmitir a partida no estádio Renato Silveira pois a diretoria do Guarani não autorizou a instalação da linha telefônica. O motivo alegado foi que o time de Palhoça não disputaria o Estadual.

Ao saber da informação, por intermédio da Eldorado, o presidente Celsinho Menezes salientou que a programação segue a mesma no Mário Balsini. Na Federação Catarinense de Futebol, a possível desistência do Guarani é ignorada e o jogo segue marcado na tabela da primeira rodada.

No Guarani, existe a promessa de uma manifestação oficial a respeito nesta sexta-feira por intermédio de um advogado de São Paulo que foi contratado.

Criciúma contrata "Edson, o Fanfarrão"

Depois de defenestrar Gélson da Silva, a diretoria do Criciúma agiu rápido e contratou o treinador mais próximo. Mais próximo mesmo. Edson Valandro, o Edson Gaúcho, mora em um apartamento próximo ao Heriberto Hulse. E já chegou falando um monte, coisa bem dele.

"Não pedi R$ 100 mil só para vir lutar contra o rebaixamento" e "Em quatro rodadas já estaremos brigando pelos primeiros lugares" foram duas das suas frases na coletiva do Majestoso, para tentar ser o "fato novo" que a diretoria tanto quer.

Eu não gosto do Edson Gaúcho. Acho ele falastrão demais, e sem a apuração técnica e tática que vejo como ideal num treinador. Mas, já que o Criciúma insiste nele, tomara que dê certo. O jogo contra o Avaí no sábado dirá se foi uma boa opção.

Conheça a Segundona: Juventus

GRÊMIO ESPORTIVO JUVENTUS
Fundação: 1º de maio de 1966
Estádio: João Marcatto (8000 lugares)
Cores: Grená, Preto e Branco


Bem que aí em cima eu poderia colocar a ficha do Joinville, que será o time do Juventus nessa Segundona, mas vamos deixar assim. Com que time for, é o Moleque Travesso de Jaraguá, rebaixado neste ano, que tenta voltar à elite no ano que vem.

O ano do Juventus começou da pior forma possível. Com muitas indefinições com respeito ao time, o clube contratou o técnico Picolé, que montou o time em cima da hora, com jogadores de qualidade duvidosa, que não deram certo. Nem a chegada de Dirceu Mattos e Abel Ribeiro foi capaz se evitar a tragédia tricolor. E, junto com o Brusque e o Guarani, sucumbiu ao inferno da Segundona.

Sem dinheiro, sem patrocínio, cheio de dívida, o Juve teve que contar com uma luz bondosa vinda de Joinville. O JEC, que quase foi pra Divisão Especial, sem calendário, graciosamente oferece sua equipe para representar o moleque na Divisão Especial, sob uma condição: O Juventus contratará jogadores para serem colocados aos poucos no time. Como o JEC participará da Copa SC, que dará uma vaga para a recém-criada Série D de 2009, o elenco ficará até a Copinha iniciar. Se não houver Copa nenhuma, o bonde segue. Tanto que os jogadores joinvilenses foram "emprestados" ao Juve até dia 24 de novembro, um dia depois da final do campeonato.

Vamos ao time. O presidente do JEC, Adelir Alves, manteve Agenor Piccinin (foto) no comando, com uma carta branca para trazer os reforços e fazer laboratório. Isso mesmo: você não verá no time do Juventus nenhum medalhão do eixo Rio/SP. Agenor quer aproveitar a competição para trazer jogadores jovens, vindos de vários cantos do Brasil, como Amaral Rosa e Tácio, para testá-los, e fazer uma seleção para o ano que vem.

O que mais me intriga: que motivação o time do Joinville terá jogando um campeonato com outra camisa que não seja a do seu clube? Que tipo de cobrança o Juventus poderá fazer sobre o seu inquilino, caso a campanha não corresponda? E mais dúvidas irão aparecer durante o campeonato, em uma parceria que não é inédita. No ano passado, o Paysandu de Belém, fora da Série C, jogou a segundona do Pará com a camisa do outro time. Mesmo sendo laboratório, o JEC montou um bom time, que é favorito na sua chave. Resta saber se lá no final as coisas estarão as mil maravilhas como se encontram antes da estréia. E se a carruagem não vai virar uma abóbora antes do início da Copa Santa Catarina.

Bola Catarina: Mal pra Marcílio e Metrô

O Marcílio perdeu em Santa Maria por 1 a 0 pro Inter. Um resultado que seria normal, não fosse o empate em casa com o time da Capital do Porco no Rolete. A receita é simples: vencer os 2 jogos em casa e um fora.

Já na esperada reabertura do Sesi, o Metropolitano que foi com o ânimo lá em cima depois do empate em Pelotas, ficou no empate de 1 a 1 com o J. Malucelli. Aldrovani perdeu um gol incrível no final do jogo, que poderia selar a vitória. Dois pontos desperdiçados que obrigam o time a vencer um de dois jogos fora de casa. E também o Caxias em casa no domingo, time que considero o mais forte da Chave.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

JASC 2009: A Briga no Oeste

O anúncio do Prefeito de Concórdia, Neodi Saretta (PT), de que a sua cidade está enviando o pedido à Fesporte para sediar os Jogos Abertos de 2009, acendeu uma briga entre duas cidades do Oeste. Tudo isso porque o Prefeito de Chapecó, João Rodrigues (DEM) disse em entrevista ao "Diário do Iguaçu" que "os JASC de 2009 já tem dono". Segundo ele, a confirmação de Chapecó sede já foi dada em 2007, em Jaraguá do Sul.

Vamos aos fatos: a informação do Prefeito de Chapecó não procede, uma vez que a Fesporte não abriu assembléia oficial no ano passado para escolher a sede de 2009. Existia sim um interesse extra-oficial, que não foi referendado.

Segundo, os últimos anos mostraram que a cidade que se "auto-anunciou" nem sempre leva a sede dos Jasc, que são escolhidos por meio do voto, através do Conselho Estadual do Desporto (CED). Em 2003, na escolha para 2004, Joinville foi à Reunião em Blumenau como favorita, mas perdeu a votação para Pomerode, Timbó e Indaial, que fizeram uma apresentação perfeita. Já em Setembro de 2005, aconteceu o mesmo, com as cidades de Caçador, Videira, Fraiburgo e Rio das Antas, que divulgaram até a logomarca, certos que sediariam os Jasc de 2006, mas na escolha do CED acabaram perdendo para Joaçaba, Luzerna e Herval D´Oeste.

O Prefeito de Concórdia já avisou que irá levar a disputa até o final. Os Conselheiros do CED decidirão. Pesará quem levar a melhor proposta. Concórdia recebeu os Jogos pela última vez em 1997, enquanto Chapecó em 2005.

Quem perder só poderá pleitear a Sede para 2011, pois em 2010 o cinquentenário dos Jasc acontecerá em Brusque, local onde tudo começou, em 1960.

Conheça a Segundona: Guarani

SOCIEDADE ESPORTIVA RECREATIVA CLUBE GUARANI
Fundação: 15 de fevereiro de 1928
Estádio: Renato Silveira (2500 lugares)
Cores: Azul, Vermelho e Branco



Começando com uma pequena explicação: as cores do Guarani, a partir deste ano, incluiram o vermelho, após um acordo com a Prefeitura de Palhoça. O Bugre, que foi rebaixado na última rodada do Estadual, onde mandou seus jogos na Ressacada e no Scarpelli, está de volta para sua casa, o acanhado Renato Silveira, que tem projeto para ser ampliado, só não se sabe quando.

O Guarani parece que esqueceu o campeonato e pensa no tapetão, onde briga na questão do jogador supostamente irregular do Tubarão. Tanto que o presidente Marcos Medeiros ofereceu alguns jogadores à outros clubes, também vitimado pela escassez financeira. O time tem apoio público, mas a época de campanha política, onde o prefeito Palhocense concorre a reeleição, acaba por fechar as torneiras do paço municipal.

No comando técnico, ele está de volta: Amaro Junior (foto), 41 anos, que rebaixou o Brusque no primeiro semestre. Ele é natural de Palhoça, tem loja lá, já foi até Secretário de Esportes do Município. Ele não esconde de ninguém que tem o desejo de ser o presidente do clube no futuro, mas nesse ano terá o desafio de montar o time com um orçamento enxuto. Sem muita verba para contratar, ele terá que se desdobrar para montar um time formado por jogadores da base do clube, além de reforços do Futebol Amador da Grande Florianópolis, que tem jogadores de qualidade, mas que serão uma incógnita quanto ao seu rendimento num campeonato profissional.

Resumindo, o Guarani é um clube valente, e terá que brigar bastante pra ter uma das duas vagas do seu Grupo. Poderá surpreender? Sim. Mas corre por fora.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Só lembrando...

... que na Divisão Especial continua valendo a proibição de venda de bebida alcoólica dentro do Estádio, assim como também fora dele, em um raio de 400 metros.

Tem vários clubes chiando um monte. Afinal, a renda dos bares é sempre bem vinda no caixa deles.

E ninguém vai aceitar Cerveja Sem Álcool tão fácil.

Saiu a primeria barca

Antes mesmo do Brusque estrear na Segundona, domingo contra o Joaçaba, três jogadores foram dispensados. São eles: o meio-campo Alex, o atacante Juninho e o lateral Dunke.

Como mal deu pra ver eles em ação, não tem muito o que comentar.

Merece Geladeira

Se a Comissão de Arbitragem da CBF olhar com atenção a arbitragem de Goiás x Fluminense, o árbitro Célio Amorim, que é aspirante a Fifa, merece uma boa Geladeira.

Mostrou falta de comando e deixou jogadores dos dois times berrarem na sua cara tranquilamente. Foi totalmente omisso e perdeu as rédeas do jogo ainda no primeiro tempo.

Aliás, veja como os critérios de arbitragem são: João Fernando da Silva, o Dadá, o pior árbitro do Brasil na minha opinião (e acho que muita gente também acha isso) foi escalado pra Juventude x América-RN, pela Série B, e quem viu o jogo disse que ele fez lambança (pra variar).

Transferir é caro demais

Os clubes, principalmente os menores, penam bastante para conseguir a regularização de um jogador na FCF.

Se ele for egresso de um outro time do Estado, não tem tanto problema. É até tranquilo e a taxa não é tão alta.

Agora, tem Federação pelo Brasil que cobra um absurdo para ceder uma liberação. E haja grana.

E tem uma que eu não sabia: existe uma taxa chamada FAAP, onde o clube tem que recolher o valor de 1% do salário que cada jogador receberá durante a vigência do seu contrato.

É pra acabar...

Conheça a Segundona: Hercílio Luz

HERCÍLIO LUZ FUTEBOL CLUBE
Fundação: 22 de dezembro de 1918
Estádio: Aníbal Costa (13 mil lugares)
Cores: Branco e Vermelho


Não vou tocar no assunto da rivalidade com o Atlético Tubarão, já tratado mais embaixo aqui no Blog. Vamos falar do time, o mais antigo da Segundona, que volta ao Futebol depois de um longo tempo. O Leão do Sul, que já foi campeão estadual em duas oportunidades (1957 e 58), planeja seu retorno há alguns anos. Em princípio, seria uma parceria com empresários de um time gaúcho chamado Estrela Real (nunca ouvi falar), que acabou não vingando. Assim, os dirigentes tubaronenses resolveram bancar a parada, e colocar o alvi-rubro na Primeira Divisão, e fazer a cidade se igualar à Capital, com dois times na elite.

Vamos ao time: o técnico é Paulo Cunha, que tem passagens pelo Malpenza, da terceira divisão do Campeonato Italiano, Boa Viagem-CE, Tiradentes de Tijucas, São José-RS e Cruzeiro de Porto Alegre-RS. Tanto ele quanto a diretoria admitem que o Elenco é modesto, mas brigará pelo título da Segundona. Alguns jogadores do amadorismo local foram aproveitados, e após alguns amistosos, a diretoria viu que precisaria reforçar o time.

Os principais destaques do Hercílio são o meia Embu (ex-Marcílio Dias), o volante Wilson e o meia Quinhão, vindos do Atlético Tubarão. O atacante Juninho Laguna, autor de oito gols pelo Brusque no Estadual da Prinicipal, e que estava no Riograndense de Santa Maria, eliminado da Segundona Gaúcha, poderá ser anunciado.

O que esperar do Hercílio? A torcida de lá está eufórica com o time, que nos amistosos ainda nao mostrou nenhuma atuação convincente. Com um time desconhecido e um técnico idem, o Leão do Sul terá que ralar bastante para chegar lá.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Conheça a Segundona: Camboriuense

SOCIEDADE DESPORTIVA CAMBORIUENSE
Fundação: 11 de Abril de 2003
Estádio: Roberto Santos Garcia (4000 lugares)
Cores: Verde, Laranja e Branco


A Cambú foi vítima de uma ironia que só o Futebol Catarinense faz para você: foi campeão da Segundona em 2006 mas não subiu, pois o regulamento previa que o clube teria que disputar um quadrangular contra Videira, Próspera e o Joinville, que encontrou uma segunda chance para se manter na Primeira Divisão.

O time do presidente Altamir Montibeller sempre fez boas campanhas, escorado na parceria com o ex-jogador Valdo. A Camboriuense sempre tem um time jovem, mas neste ano investiu em jogadores com alguma experiência, para pela primeira vez representar a Capital do Mármore na Primeira Divisão.

O técnico da Cambú é Antonio Carlos Marçal, o Colatina, ex-jogador do Avaí e que neste ano treinou o Guarani de Palhoça, também rebaixado para a Divisão de Acesso. O principal destaque do time é o meio-campo Diouzer, de 21 anos. O jogador é sobrinho de Valdo e é formado nas Divisões de Base do clube. Teve passagens por outros clubes, inclusive do Exterior, mas acabou voltando pra casa.

Pude ver a Camboriuense em ação contra o Brusque e achei um time muito rápido. Dentro do Robertão, (Estádio que já teve um gramado excelente, hoje está arrebentado) poderá fazer a diferença. Um time que brigará com certeza por uma das duas vagas dentro do seu Grupo.

domingo, 6 de julho de 2008

Bola Catarina no Final de Semana

Amistosos do Final de Semana:

Em Pomerode, Atlético Pomerodense (amador) 1 x 1 Joinville/Juventus - Jogar contra time amador é um negócio delicado. Mas o resultado com certeza não agradou Agenor Piccinin.

Em Camboriú, Camboriuense 1 x 0 Brusque - Com um gol de um atacante com o sugestivo nome de Brasão, a Cambú venceu pelo placar mínimo, mas se fosse de 3 tava de bom tamanho. Gostei do ataque do time da casa. E o Brusque mostrou várias falhas de marcação, e um ataque que não mostou muito. Pelo que mostrou nas alterações, o técnico Suca ainda está procurando a formação ideal, que marcou 2 gols em 3 jogos de treinamento. O problema é que falta uma semana pra estréia

Pela Série C:

Brasil-PE 1 x 1 Metropolitano e Marcílio 1 x 1 Toledo - Pro Metrô, que arrancou um empate no Bento Freitas com 15 mil torcedores, foi uma vitória, com méritos pro goleiro João Paulo e o lateral Nequinha, que achou uma cruzamento pro Du Lopes. Pro Marcílio, um péssimo resultado, estreando com empate em casa contra um time que a vitória teria que ser certa.

HH em 1979


Este é o Estádio Heriberto Hulse, em 1979, quando uma parceria do Governo do Estado com a prefeitura de Criciúma viabilizou a ampliação das arquibancadas do Estádio Heriberto Hülse.

Não parece nada com a selva de pedra que hoje é o centro da Capital do Carvão.