sábado, 4 de outubro de 2008

Briga a vista: RIC Record diz que o Catarinão 2009 é dela

No site oficial da RIC Record, a emissora dos Petrelli diz que os direitos de transmissão do Catarinense 2009 a ela ainda pertencem. Sinal de briga a vista, já que a RBS, com toda a pompa, diz que os direitos são dela.

Acompanhe a nota oficial publicada aqui:

Catarinense 2009 é na Record
03/10/2008

Com a definição da fórmula do Campeonato Catarinense de 2009 pela associação de clubes na última semana, a Rede Record dá a largada para mais uma temporada de transmissões exclusivas do futebol catarinense. Os patrocinadores de 2008 já foram contatados e já estão exercendo o seu direito de prioridade para a compra das cotas de patrocínio em 2009, sendo que o prazo de prioridade vai até o próximo dia 10 de outubro.

Segundo o direção comercial da RIC Record, duas cotas estado já estão contratadas para o campeonato do ano que vem. Um cliente do interior de São Paulo e outro de Santa Catarina já fazem parte das cinco cotas que estão sendo negociadas no mercado. "É um produto que foi valorizado quando passou para a Rede Record. O ganho de visibilidade para o futebol catarinense foi extraordinário. Através da Record Internacional, mais de 130 países, nos cinco continentes, puderam acompanhar o Campeonato Catarinense. Nos dois primeiros anos nós investimos na sua estruturação operacional e de programação. Agora vamos em busca do sucesso comercial de um produto que cresceu em valor nas mãos da Record”, afirma o diretor comercial.

Os direitos de transmissão pertencem a Rede Record desde 2007. Naquela época o campeonato havia sido desvalorizado pela emissora concorrente e os clubes foram à Record pedir apoio ao futebol profissional catarinense. Não encontraram somente apoio. Encontram um parceiro que somou financeiramente com um contrato de três anos com 100% de reajuste em relação ao ano anterior. Para 2009 a RIC Record já contratou a mesma estrutura técnica operacional de 2008, com câmeras digitais e transmissões via satélite, profissionais focados no futebol profissional e parceiros comerciais comprometidos com o evento.

E agora Delfim?

Com informações do site Papo de Bola, do Edu César.

Jogo Brusque x Grêmio Timbó transferido

Chove sem parar em Brusque desde a noite de ontem.

Prudentemente, a FCF transferiu o jogo Brusque x Grêmio Timbó, marcado para esta tarde de sábado, para a próxima quarta a noite, no Augusto Bauer.

Prevaleceu o bom senso.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Cabeça de Piccinin rola no novo JEC

A Chapa "Recomeçar", que tem Nereu Martinelli como um dos seus comandantes, venceu a eleição no Joinville.

Pode ser o começo de novos tempos no JEC, que só tá fazendo vexame nos últimos tempos.

A primeira atitude certa de Nereu: demitir o técnico Agenor Piccinin. Ganha muito, mas com resultado zero. Tem conseguido montar um time de baixa qualidade, que não sobressai na Segunda Divisão e que ainda consome um bom dinheiro do caixa do time.

Não há novidades sobre a parceria com o Juventus, que em princípio permanece, tanto que os novos diretores irão à Jaraguá assistir ao jogo contra o Prospinha para verificar quem do elenco atual pode ficar.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Regulamento nota 7,5

Gostei de muita coisa do novo regulamento do campeonato estadual, mas também ele deixa coisas perigosas que podem baixar o nível do torneio.

Primeiro, a fórmula. É igual ao Estadual de 1998, com um quadrangular final. Eu gostei. Apesar de fazer a primeira fase ter jogos sem validade, a chance de classificar quatro times é boa.
E, se um time levar os dois turnos, vai pra fase final com dois pontos (em 98, o Avaí ganhou os dois turnos, foi com dois pontos pra fase final e desandou a perder, ficando em quarto)

Duas coisas me intrigam: primeiro, o número de clubes. Acho que é o Campeonato Estadual com o menor número de equipes. Segundo, a questão do rebaixamento. Caem dois times, que não poderão jogar a Segundona no mesmo ano. Logo, serão dois times novos no Estadual do outro ano. Fico imaginando: imagina se um Joaçaba, Caçador ou Concórdia subir. Terá condição financeira e estrutural para fazer frente aos melhores de SC? Correrá risco de ser saco de pancadas? Tenho visto pelo Estado afora times que não tem a mínima condição de subir. Ao meu ver, a queda de apenas um time no Estadual seria o ideal.

E, pra concluir, a RBS pagou a multa rescisória do contrato com a RIC e passa a ter o estadual por 3 anos. Ainda não sei como ficou a cota pra cada clube, mas espero que os clubes tenham se valorizado. Pro torcedor, uma péssima notícia: prepare-se pra ir pro estádio assistir jogo às 21:45 e chegar de madrugada em casa. Quando tinha a Record, os jogos aconteciam as 21, um bom horário.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O Brusque mistura Futebol e Política

Meia-noite, chego entristecido em casa.

Como jornalista, com o sentimento de ser enganado. Como torcedor, me sinto usado.

Vou explicar.

O Presidente do Brusque, Danilo Rezini, através do Orkut, convidou os torcedores para uma "Reunião para tratar de assuntos relativos ao clube" na noite de hoje, no Centro de Treinamento. Como acompanho o dia-a-dia do clube, e como conselheiro do mesmo, fui lá conferir.

A reunião foi marcada pras 8. Começou as 11. E era reunião com um candidato a prefeito, apoiado e abraçado por toda a diretoria do clube. Muita gente já tinha ido embora, devido ao grande atraso. O candidato falou que vai apoiar o clube, que vai construir Estádio e outras coisas. As promessas de sempre de um candidato. Nada que você não tenha visto em um comício.

Nada contra o candidato, que tenho um bom contato, nem quero discutir o direito livre do voto de cada um.

Mas o Brusque Futebol Clube, o clube do coração do brusquense, tem o direito de promover uma "reunião" sem dizer que ela era política? Melhor, a diretoria do Brusque tem o direito de fazer o clube "assumir posição" sobre esse candidato? Tenho certeza que não. O Brusque é uma paixão, que não tem partido. Os políticos vão, o clube fica. E parte dos seus torcedores, que amam o clube desde sua fundação, não compactua com a opção política do presidente.

Agora, Danilo Rezini está em situação delicada. E se o seu candidato perder, como ficará a sua situação e a do clube, para pedir apoio ao prefeito eleito? Por que ele efetuou essa escolha sem ouvir os torcedores?

Estou muito triste, com a sensação que estão usando o Bruscão pra fazer política.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Jogo que não vale nada

Palmas pra FCF.

Amanhã, as 15 horas, em Imbituba, vão jogar Imbituba x Próspera, jogo valendo pelo Primeiro Turno (conquistado pelo Brusque), que não aconteceu por irresponsabilidade do Imbituba, que não providenciou ambulância no jogo marcado na tabela.

Ao invés de dar os três pontos ao Próspera (como ela mesmo fez em 2005, quando o São Bento não arrumou policiamento num jogo contra o Guarani), a Federação ordenou que o jogo seja redisputado, sendo que ele não vale rigorosamente nada. O Próspera, que apareceu pra jogar e foi prejudicado, terá que arcar com todas as despesas para um novo deslocamento para um jogo que não tem valia.

Dá pra explicar?

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Dá-lhe água


Flagrante do jogo Grêmio Timbó 0 x 1 Caçador, em Timbó. Água saindo pelo ladrão, na partida entre os dois piores times do Grupo A. Imagina como não deve ter sido o jogo.

Foto: André Schroeder

Afirmação na Serra

Fui pra Lages pensando numa coisa sobre o jogo do Brusque contra o Inter: vamos enfrentar o melhor (ou menos pior) time da Chave. Se convencermos lá, ninguém segura. Afinal, depois de duas vitórias contra os fracos Joaçaba (4 a 0) e Caçador (8 a 1), o time havia perdido o parâmetro, pra comparar se a condição que o time se encontra é realmente de crescimento e de caminhada pro título.

E a resposta foi a melhor possível.

O Inter entrou em campo com um atacante só (Alan Patrick, revelado nos juniores do Figueirense e ex-Metropolitano), que fez duas jogadas de perigo no primeiro tempo. O ataque não funcionava, pois o técnico do Internacional colocou dois grandalhões (Bonaldi e Erlon) para marcar no meio. Perdia em articulação, mas segurou principalmente o Rafael Bittencourt no primeiro tempo.

No segundo tempo, o Brusque fez 1 a 0 com um belo gol de falta do Bittencourt. Aí que veio, ao meu ver, o grande erro do técnico Leco. Ao tirar Erlon pra colocar o Fábio Buda (quando Muller não estava jogando nada), ele acabou com a marcação no meio-campo e deu um convite para que o ataque brusquense fosse pra festa. Aí o Rafael Xavier cruzou uma bola rasteira, e o Pereira deixou ela passar pro Flávio Guilherme que matou o jogo.

Dois a zero, e podia ser mais. Me deu o parâmetro. O time tá melhorando e pode render mais.

Sábado a vítima é o Grêmio de Timbó, time que está eliminado e que conseguiu a proeza de perder em casa pro Caçador. Se vencer, garante a primeira colocação do Grupo e poderá queimar os cartões amarelos no amistoso em Concórdia.

Análise Política

Amigos, informo que deixarei para segunda-feira uma análise da efervescência política que está baixando no esporte de Brusque. Tem coisa demais acontecendo.

É melhor, pra ninguém dizer que tamos fazendo campanha pra um ou outro.