sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Cacá fala

"Juventus não, Joinville. Isso que fizeram com o clube é uma pouca vergonha. Essa camisa preta é outra coisa horrível"

De Cacá Pavanello, presidente da Fesporte e diretor da Malwee Futsal, comentando sobre a derrota de 4 a 3 para o Brusque quarta-feira. Pra quem não se lembra, ele ofereceu-se para administrar o clube no início do ano juntamente com Falcão, mas o projeto acabou não vingando.

Deu Chapecó no JASC 2009

Acabou há instantes na Sociedade Bandeirante a reunião do Conselho Estadual de Desportos que escolheu Chapecó como sede dos Jogos Abertos de Santa Catarina em 2009. A capital do oeste recebeu 13 votos dos conselheiros, contra 4 de Concórdia, e sediará mais uma vez o evento, quatro anos depois da última oportunidade, que foi em 2005.

Chapecó mostrou uma apresentação impecável, com um vídeo com uma declaração do prefeito reeleito João Rodrigues (ressaltando que sua cidade abriu mão para as 4 cidades do Vale em 2008 para receber 2009 em troca) e sobre as instalações disponíveis, com apresentação do prefeito Élio Cella. Concórdia, através do prefeito Neodi Saretta, usou a nova Arena a ser inaugurada como um trunfo, mas não obteve sucesso.

Um fato apenas me intrigou. Antes da votação definitiva, todos os conselheiros se trancaram em outra dependência do Bandeirante, para encaminhar a votação. O que teria acontecido nesta reunião, nunca saberemos. Da mesma forma, um votante de Concórdia afirmou a membros da imprensa presentes na reunião que estava sofrendo pressão para votar em Chapecó há um mês, mas manteria a sua intenção.

De qualquer forma, vamos a bela Chapecó no próximo ano. E um alívio para Cacá Pavanello, que prometeu para João Rodrigues os Jasc 2009. E consegiu.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

O time que vale milhões

A matéria veiculada no AN de hoje (leia aqui) mostra a quantidade de problemas que a nova diretoria do Joinville terá que enfrentar.
Eu não consigo acreditar que uma turma de jogadores de péssima qualidade, caso de Antonio Carlos, Dudu e Vasconcelos, que são reservas do time B do clube, tenham um valor de rescisão tão alto. Os três, juntos, custariam ao JEC um milhão e quatrocentos mil reais para encerrar o contrato, vigente até o final do ano que vem. Frutos da "carta branca" que o então presidente Adelir Alves deu ao treinado Agenor Piccinin.
Aliás, Agenor montou o seu time após o estadual prometendo qualidade. Trouxe jogadores desconhecidos e sem referência, e ainda por cima com salário alto. Agora o JEC terá que livrar-se de um por um. Tentar fazer o acerto amigavelmente ou respeitar os contratos.

Advogado explica o processo

Conversei há pouco com o Dr. Erwin Rommel, advogado do torcedor Felipe Martins, que está penhorando as rendas do Juventus para o pagamento de indenização por Danos Morais e Materiais.

Ele me explicou o caso, que aconteceu no dia 7 de novembro de 2004, nas finais da Série B1. Conta o Dr. Erwin que o seu cliente recebeu uma pedrada na arquibancada do Estádio João Marcatto, enquanto comemorava um gol do Brusque, vindo a desmaiar. Ele se levantou, mas passou mal ao entrar no ônibus para a volta, sendo internado no Hospital Jaraguá. Em Fevereiro de 2005, Felipe entrou com ação na justiça.

Seu advogado tentou entrar em acordo com a diretoria do Juventus, mas não obteve sucesso. Em Agosto de 2006, o clube de Jaraguá foi condenado a pagar R$3.000,00 de danos morais mais R$ 115,00 de danos materiais a Felipe. Com a negativa do pagamento, na semana passsada, o juiz Silvio Franco, da justiça de Brusque, determinou a penhora das arrecadações do Juve, com o valor corrigido de cerca de 5 mil reais.

Isso me desperta um pensamento, pois cria um precedente. Imagine se todos os torcedores que de alguma forma fossem atingidos dentro de um estádio entrassem com ações judiciais parecidas. Iria deixar muito clube pobre.

A 90 minutos do título
















O que aconteceu ontem no jogo Juventus 3 x 4 Brusque muitos já leram em jornais ou puderam ver na TV. Quero falar pouco deste jogão, um dos melhores que vi nos últimos tempos, que botou o Brusque a um empate do título da Divisão Especial.
Primeiro, o adversário: o Juventus saiu aplaudido de campo. Quem esperava (eu inclusive) que o pessoal do Joinville iria jogar sem motivação pelo simples fato de defender outra camisa, se enganou. Vi um Juventus aplicado, com vontade sobrando, e que vendeu muito caro a derrota pro Brusque. Foi um adversário a altura.
Segundo, a aplicação do Brusque: aquela derrota para o Imbituba, entregue em situações absurdas, serviu de alerta e principalmente de lição para os jogadores, tanto que no jogo de volta devolveram o resultado com oito gols. Com essa mesma aplicação, o Bruscão foi a Jaraguá, e conseguiu a vitória em uma partida eletrizante.
Há de se manter essa mesma determinação no jogo de domingo, para, aí sim, o Brusque dar a volta olímpica, vingar a perda do título de 2004 e retornar à primeira divisão.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Brusque planeja 2009

O Presidente do Brusque, Danilo Rezini, deu ontem entrevista à Rádio Guarujá de Florianópolis, ao Édson Cúrcio. Falou da decisão de hoje em Jaraguá do Sul e da decisão dos Juniores, contra o Avaí, que começa no sábado.
Talvez por estar dando entrevista para uma emissora de fora, ele falou duas coisas importantes. A primeira é que João Beuting está de volta ao cargo de Diretor de Futebol, após perder as eleições para prefeito. E a segunda é, nas palavras do Danilo, que ele, João e toda a Diretoria do Brusque fizeram uma reunião ontem na casa de um dos diretores para planejar o ano de 2009, em caso de acesso à primeira divisão. A meta é manter 90% dos jogadores para o ano que vem. Se perder o Rafael Bittencourt, o que é provável, é uma perda muito maior que 10%.

E qual a minha surpresa ao ver, na semana passada, um novo membro presente na diretoria do Brusque. Trata-se do Tuta, ex-assessor do então deputado Paulo Eccel na Assembléia Legislativa e um dos candidatos a vereador mais votados do PT. Um outro diretor presente me confirmou que Tuta procurou o clube para entrar no grupo. Seria uma ponte entre o Brusque e o novo governo municipal?

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Fogo Simbólico vai para a Arena

A notícia da confirmação do cerimonial de acendimento do Fogo Simbólico dos Jogos Abertos para o Ginásio da Sociedade Bandeirante na Sexta-feira provocou reações no paço municipal.

Como informei aqui no blog e na minha coluna no jornal "Município dia-a-dia", a Fesporte, em dois releases, confirmou a cerimônia no Bandeirante. Acontece que na mesma sexta, a prefeitura deu ordem e mandou o evento pra fria Arena Multiuso.

Ordens do prefeito, que prefere fazer uma festa em uma Arena vazia do que no pequeno mas aconchegante Ginásio da Colina.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Torcedor brusquense penhora renda do Juventus

O Juventus recebeu a visita do Oficial de Justiça ontem a tarde, no jogo contra o Concórdia no João Marcatto, para efetuar a penhora da (pequena)renda do jogo. Motivo: um processo movido por um torcedor brusquense, que sofreu lesão corporal em uma briga de torcidas dentro do estádio.

O Caso aconteceu em 2004, quando o torcedor Felipe Gonçalves Martins foi a Jaraguá do Sul assistir a partida entre Juventus x Brusque, pelas finais da Série B1 daquele ano. Na saída do estádio, ocorreu uma batalha entre as duas torcidas, onde Felipe recebeu uma pedrada na cabeça, e acabou encaminhado para o Hospital Jaraguá.

Apurei com a diretoria do Brusque que em 2006 o clube buscou com o Juventus um acordo para resolver a situação de Felipe, mas o clube jaraguaense fez pouco caso. Então, Felipe entrou com ação na justiça, sob o nº 011.05.000760-3, exigindo indenização por lesão corporal. No dia 16 deste mês, o juiz Silvio Franco, da justiça brusquense, determinou a indenização de R$ 5.971,18 (valores corrigidos) ao torcedor, e ordenando a penhora de metade de todo o valor arrecadado com as bilheterias dos jogos do Juventus até que que o valor devido seja pago.

Pelo pequeno público que esteve presente na vitória do Juventus sobre o Concórdia, levará um bom tempo para que o torcedor receba o valor que lhe é devido. Isso se receber.

domingo, 19 de outubro de 2008

E a bronca ficou para Brusque e Juventus

No molhado domingo, Brusque e Juventus mostraram que são os melhores times da Segundona, e com justiça decidirão quem vai pra primeirona do ano que vem. O Brusque tem uma vantagem: se perder a final do returno, terá uma segunda chance na final do campeonato. O Juventus terá que vencer em dois confrontos.

O Brusque veio pro Augusto Bauer mordido pela derrota em Imbituba, onde ele entregou o jogo pro adversário. Meteu um convincente 7 a 0 no tempo normal, placar que poderia ser ainda mais elástico não fossem as belas defesas do bom goleiro Diego. O jogo serviu pra mostrar que a escalação ideal do time é essa que entrou em campo hoje, com Juliano na zaga e Dênio na lateral-esquerda, o que deu um padrão de jogo, e principalmente uma regularidade à equipe, coisa que será muito necessária. Totalmente dominado em campo, na prorrogação o time do Suca não teve problemas pra vencer por 1 a 0 e garantir a sua vaga na final.

O Juventus fez 2 a 0 no Concórdia em Jaraguá e garantiu sua vaga também com tranquilidade, tendo duas vitórias nos confrontos. Estou curioso pra ver como esse time se comportará na decisão contra um outro time de bom nível.

Quarta a noite começa a decisão, no João Marcatto. Agora não é hora de se brincar.

Confirmar o jogo é um erro (II)

A FCF está forçando pra que o jogo de Pólo Aquático entre Brusque e Imbituba aconteça hoje. O Presidente da Liga Brusquense e delegado do jogo, Ivo Popper, que tem o poder de cancelar o jogo até a manhã de domingo, resolveu ficar em cima do muro e deixar a decisão para o árbitro Marco Antonio Martins.

Martins, que cancelou o jogo Brusque x Pinheiros, no último dia 4, por causa das chuvas que não foram nem a metade do que está que está batendo no Vale do Itajaí neste momento.

A diretoria do Brusque diz que a FCF está querendo "forçar" a realização do jogo, argumentando que não há datas disponíveis, já que as finais do returno começam na quarta. (Isso não é problema: marque-se o jogo pra amanhã a noite e o primeiro jogo da final para a quinta. Simples assim).

Ou seja, tudo indica que vá ter jogo. Com campo alagado, alguns pontos com 20 cm de água, mas vai ter.