sábado, 3 de janeiro de 2009

Rogélio chega para o lugar de Thiago

A Diretoria do Brusque não demorou em contratar um zagueiro para o lugar de Thiago, emprestado ao Mogi-Mirim. A bola da vez é Rogélio (foto), de 26 anos e 1,84m, com passagens pelo Metropolitano, Joinville, Londrina e Atlético de Ibirama.

Vou deixar um desfafio pra vocês: O Brusque está negociando e poderá fechar com um meio-campista de qualidade e que já foi campeão Estadual. Façam seus palpites!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Havan é a patrocinadora do Brusque

Esse namoro foi longo, e acabou dando em casamento. A Rede Havan de Lojas fechou hoje acordo com o Brusque, e será a patrocinadora oficial do clube para a temporada de 2009.

A Havan patrocinou placas de propaganda no Estádio neste ano, mas não figurava na camisa do clube desde 1998.

Bom pros dois lados. E o Brusque garante um bom reforço de caixa.

As Seleções dos Estaduais - Parte 3

Na última parte da análise da Seleções dos últimos Campeonatos Catarinenses, chegamos aos melhores do Campeonato do ano passado. Muitos continuarão por aqui, outros vão pra bem longe

TOP DA BOLA 2008

Goleiro: Wilson - Figueirense (continua lá)

Lateral Direito: Nequinha - Metropolitano (também continua)

Zagueiros: Cássio - Avaí (O Fluminense está interessado, mas por enquanto continua na Ressacada)
Cláudio Luiz - Criciúma (Outrora líder do time, saiu desgastado, principalmente depois de espinafrar Gonzaga Milioli na imprensa. Já saiu do time)

Lateral Esquerdo: César Prates - Figueirense (Saiu do Figueira levado pelo Gallo pro Atlético-MG, depois parou na Portuguesa. Hoje é inimigo do torcedor alvinegro)

Volantes: Diogo - Figueirense (chegou recentemente ao Grêmio)
Luiz André - Criciúma (continua mais um ano)

Meias: Marquinhos - Avaí (negocia sua permanência, além de estar suspenso)
Cleiton Xavier - Figueirense (foi para o Palmeiras)

Atacantes: Beto - Criciúma (Foi pro Atlético-MG e se contundiu em alguns dias)
Vandinho - Avaí (Foi pro Flamengo e pode acabar no Vasco)

Técnico - Alexandre Gallo - Figueirense (hoje sem clube)

Dirigente - Edson Pedro da Silva (ainda presidente do Metropolitano)

Árbitro - Luiz Orlando de Souza (a arbitragem do campeonato foi tão nivelada por baixo que o veterano e mascarado foi eleito o melhor).

Vistoriando

2009 começou, chega de férias e vamos trabalhar (aqui em Balneário Camboriú, uma chuva sinistra que me lembra a tragédia de 22 de novembro...)

E semana que vem tem as famosas vistorias nos Estádios de Santa Catarina.

Eu que acompanho isso todos os anos, ainda procuro saber quais critérios são seguidos para se aprovar um estádio. E pior: quando se diz que não pode, aí mesmo que o pessoal volta a fazer.

Exemplo: lembra do caso da arquibancada metálica cujo parapeito caiu naquele Brusque x Avaí de 2007? Foi baixada uma portaria que proibia esse tipo de construção nos estádios, mas ela voltou no ano passado, em Brusque e Timbó.

Outro caso diz respeito à diferença dos critérios: enquanto Timbó foi liberada com louvor, o Estádio do Marcílio Dias foi bombardeado por exigências, que não foram colocadas em questão nos outros locais.

Pra resumir: vai todo mundo ser liberado e vamos pro Campeonato. Mas ela poderia ser muito importante. Eu, pessoalmente, gostaria de ver a nossa entidade de classe, a ACESC, se manifestando acerca da situação das cabines de imprensa.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Que ano!

2008 está indo embora. Ficam as lembranças de um ano que tivemos boas, más e péssimas notícias. Fatos que, alegres ou não, deixam sua marca na história.

O Figueirense foi campeão estadual dentro de Criciúma. Campeonato que deveria ter o Avaí na final, não fosse uma incrível derrota em casa pra Chapecoense. E um Estadual que teve como grande fato o caso da bomba no Heriberto Hulse. Feliz Ano Novo, Seu Ivo.

Coincidência ou não, os dois finalistas do Estadual acabaram sendo rebaixados no Brasileirão. E o Avaí subiu para a Série A, com um excelente time e competência do técnico Silas.

O Brusque renasceu das cinzas. Último colocado no Estadual, com um time medíocre montado por Nasareno Silva, o clube arrumou forças e teve um pouco de sorte no comando de Suca. Levou Segundona, Copa SC e Recopa. Entra em 2009 com um bom time e ainda com vaga no Campeonato Brasileiro.

E a tragédia de novembro que deixou os seus estragos. Os Jogos Abertos foram cancelados após dois dias de competição, o que deixou profundamente triste a todo público desportivo do Estado. Mas faltou combinar com São Pedro, mas tenho certeza que as 4 cidades do Médio Vale terão a oportunidade de mostrar de novo a sua capacidade de organização.

Gente, Feliz 2009 pra todos. Em duas semanas, a bola voltará a rolar em nossos gramados pra mais um emocionante Catarinão, e estaremos firmes e fortes encarando a estrada.

90 anos do Paysandu: sem festa

Neste 30 de dezembro, o Clube Esportivo Paysandu completou 90 anos de existência. Mas a importante data não teve comemoração. Teve apenas uma caixa de foguetes descarregada, e mais nada.

De qualquer forma, tá feito o registro. Parabéns ao Paysandu.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Brusque perde zagueiro Thiago

Péssima notícia para o Brusque a 20 dias do início do Campeonato: o zagueiro Thiago, capitão do time que conquistou três títulos no segundo semestre e titular absoluto do time do Suca, saiu hoje do clube. Irá para o Mogi-Mirim, time treinado por Gélson da Silva e que é comandado pelos ex-jogadores César Sampaio e Rivaldo.

Duas situações: primeiro, que a base salarial do Campeonato Paulista é maior. Mas o Brusque bobeia em não renovar contrato com os atletas colocando uma multa rescisória. Aí qualquer jogador sai a hora que quiser, e isso vira bagunça.

Agora a diretoria, que já estava atrás de um zagueiro, vai ter que achar dois.

Atualização das 22:40: Nem com contraproposta Thiago queria ficar no Brusque. Ele preferiu ter a chance de aparecer no Campeonato Paulista. Então fez o seguinte acordo: ele vai pro Mogi por empréstimo até maio e volta pro Brusque pra Série D. Caso ele seja vendido após o Paulistão, o Brusque receberá 20%. Mas o problema já foi criado, e não há bons zagueiros disponíveis no mercado.

Recadastramento de torcidas

Não bastasse a ordem dada pela FCF no ano passado, obrigando todas as torcidas organizadas a se cadastrarem, além de "fichar" todos os seus componentes, para 2009 a situação é a mesma, com as mesmas particularidades e as mesmas coisas obscuras.

Todo o processo tem que ser refeito. Todos precisam encaminhar um novo cadastro, e cada torcedor terá que enviar fotos (duas 3x4 e uma 5x10 cada um), mais cópia do RG e CPF, além de uma taxa de 10 reais por pessoa.

Cadastrar a torcida até acho aceitável. Agora, fichar os torcedores como se ficha na delegacia, além de cobrar uma taxa para poder entrar no estádio com o uniforme da torcida (como se ele já não pagasse o ingresso) é violação de direito individual, na minha opinião.

Esse ano o negócio tava tão anárquico que teve gente questionando se a torcida do Avaí poderia ir no Scarpelli usando calça jeans, por causa da cor azul.

Até agora quero saber o porquê da cobrança de 10 reais por torcedor para ter uma carteirinha.

Um diferente equilíbrio

Tenho a nítida impressão de que o Estadual vai ser bem equililbrado. Mas é um equilíbrio diferente, pra não dizer estranho. Os ditos "grandes" não estão se reforçando como deveriam, e estão ficando do nível dos ditos "pequenos".

O Avaí tem uma pequena vantagem, mas perdeu Batista, Abuda, e tudo indica que deverá perder o Marquinhos. Ou seja, aquele quarteto espetacular da Série B irá se desmanchar.

O Figueirense mandou um caminhão de gente embora, e vai usar dos seus juniores, além de não trazer nenhum jogador de impacto.

O Criciúma, que seria o outro time forte, decepcionou. Mandou mais um monte de gente embora, e tinha anunciado apenas um zagueiro, de nome Marília. O Valdeci Rampinelli fez um monte de celeuma em cima do nome dos novos reforços que seriam divulgados hoje. Quando foram apresentados os atletas, veio uma pequena decepção, pois foram contratados jogadores sem maior expressão, caso de Marcelinho, do J. Malucelli, Anderson Kanu, do Operário-MS ou Michel, do Fortaleza. O outro contratado, Felipe, era vinculado ao clube e está retornando.

Pra resumir: os ditos grandes não se reforçaram como devia. Os pequenos vem com grupos completos e novos, com uma motivação bem maior. Só reforça a tese que o Catarinão será equilibrado. Por baixo, mas será equilibrado.