segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Sobre o Lance da Dona Maira

O Blog já recebeu algumas manifestações acerca da legalidade ou não do Lance anulado pelo Célio Amorim no jogo Metropolitano 1 x 1 Ibirama.

Como eu estava em viagem, assisti o lance hoje, e tenho duas ponderações:

Primeiro, que o Giovani Martinello disse hoje na RBS que a Maira Labes assinalou uma Falta de ataque do Fábio Fidélis, coisa que não aconteceu. Se ela tivesse marcado isso, seria um absurdo.

Segundo, que o internauta Rafael conversou pelo MSN com a Maira, que alegou ter marcado um impedimento do Fábio Fidélis no lance. Segundo ela, o zagueiro do Metrô teria participado do lance (e realmente participou). Olha, vi o lance na RBS e na RIC e ambas imagens não são conclusivas se o Fidélis tava ou não impedido. Ele realmente aparece um pouco adiantado e participa do lance.

Que o Fidélis participou do lance, não tenho dúvida, mesmo que a bola tenha entrado sem que ele a tocasse. Agora, no mérito do impedimento eu não me meto.

O Site do Metropolitano tá que é uma choradeira só. Estou aguardando o relatório do árbitro no site da FCF. Se ele não expulsar ninguém que xingou ele e nem citar o dirigente que invadiu o campo, aí sim é um erro enorme e uma displicência da arbitragem.

Atualização das 17:37: A súmula já está no site, e só fala que o Supervisor Viton e o Diretor Sérgio Olinger xingaram com os termos de "Burra, safada e vagabunda" a auxiliar Maira Labes. Também cita que outro diretor, Afonso Zimmermann, quebrou o vidro do vestiário da arbitragem com um soco.

7 comentários:

  1. Novamente vou citar o fato que a Maira Labes, sobrinha do véio, já prejudicou várias vezes o BFC dentro do Augusto Bauer. Mais de uma vez anulou gols legítimos, e validou gols ilegais dos times adversários do Brusque.

    Isso tudo dentro do AB. Ela sempre fica do lado de lá do campo (reparem), para se esconder da torcida e fazer as suas sem vergonhices.

    O Célio Amorim é um SAFADO, CANALHA E MAU CARÁTER. Tudo isso ainda é pouco, para não dizer coisas piores.

    ResponderExcluir
  2. O fato de ela bandeirar no lado oposto ao da torcida indica que ela foi escalada como assistente número 2. Geralmente o assistente número 1 fica no lado onde estão os bancos de reserva, e o número 2no lado oposto.

    Ou seja, não tem nada a ver com a torcida. Não é ela quem escolhe o lado...

    ResponderExcluir
  3. Impedimento nao houve, o cara que atrapalhou o goleiro saiu de trás. a única explicaçao é se a falta era em DOIS LANCES ou DIRETA. Esse detalhe eu nao vi. Se foi em dois lances, tudo bem, bem anulado, apesar da indecisao do trio. Mas, pelo tipo de falta que foi, duvido que tenha sido em dois lances.

    Eu estava na arquibancada e, impedimento nao foi, e falta de ataque menos ainda pq ninguem encostou em ninguem. A única alternativa era a da falta em dois lances. Com a palavra...!

    ResponderExcluir
  4. Po, e esse diretor do Metro ainda quebrou um vidro do Joao Marcatto? Além do alguel, paguem vidros novos entao....hehehe

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo, o Metrô está muito mal...mas uma vitória diante do Brusque, que é difícil mas possível, pelo fato de ser um clássico dá moral ao Metrô, além de deixar o clube a 3 pontos do Brusque..

    ResponderExcluir
  6. Não sei o que o Metro ta reclamando, o Arbrito Célio Amorim não influenciou em nada no resultado, apitou normal. Sobre a bandeirinha tbm não vejo nada de escandaloso, pois anulou um gol que o Fabio Fidelis participou da jogado. Na TV parece que ele está em impedimento, mais isso não tem como afirmar, então minha conclusão é que o Metro está apelando, tentando justificar a horrivel campanha, pois no catarinense de 2008 o BRUSQUE FC foi simplismente roubado de mão armado, pois no minimo foram anulados uns 5 gols legitimos!!!

    ResponderExcluir
  7. Rodrigo!
    Voce viu as imagens do Luciano Silva e o gol foi LEGALISSIMO. Está no Giro Esportivo para quem quizer ver. Acredito que nunca devemos nos furtar em mostrar a verdade. Parabens ao Alisson que nao viu impedimento. Estão enterrando o futebol de Santa Catarina. O que vai sobrar? Para quem?
    Um abraço do Silvio Kohler

    ResponderExcluir