quarta-feira, 17 de junho de 2009

Histórias da Segundona: A água benta

A Segunda Divisão é fantástica. Viajei muito pelo Estado pra fazer jogos de segundona, pegando frio, chuva, em locais improvisados. E colecionei algumas histórias, que vou dividir com vocês a partir de hoje. A primeira é a da Água Benta.

Lá em 2002, havia o Camboriú Atlético Clube, pai do Camboriuense. Esse time sofria sérios problemas financeiros. Tanto que, um dia, não apareceram em um jogo em Brusque alegando greve.

Mas no jogo de ida, em Camboriú, numa segunda à noite, aconteceu o causo. Primeiro de tudo, que o campo não tinha marcados nem a meia-lua muito menos o círculo central. O destemido repórter Marco Aurélio, dentro dos seus 150 kg, foi perguntar ao árbitro, acho que era o Paulo Henrique Bezerra, se ele ia começar o jogo mesmo com o campo naquela marcação. "Vai ter jogo porque quem manda sou eu!", disse o juiz. O Marcão acabou sendo expulso de campo pelo delegado, chamado Miguel, até agora quero saber o motivo.

O jogo começou, e lá pelas tantas um jogador do Camboriú se machucou. Entrou o campo o massagista, correndo a 80 por hora sem a bolsa de massagem. Ele tinha na mão apenas e tão somente um galão de água mineral. Aí eu soltei:

- Olha só! O Massagista atentendo o jogador machucado com um galão de água!
- Dá nada, deve ser água benta, o cara tá novinho em folha!

E não é que o cara levantou e saiu correndo?

3 comentários:

  1. hehehe... muito boa a ideia... segue com esta série aí... será sucesso.

    ResponderExcluir
  2. la em cambo teve ainda o dia do montebeller, hehehe. o bfc deveria montar um time B soh pra jogar a segundona, era mto bom.

    ResponderExcluir