sábado, 22 de agosto de 2009

A paciência da torcida do Figueira se esgotou de vez

A vitória sobre o Duque de Caxias foi uma enganação. O Figueirense é aquele mesmo das derrotas contra a Campinense e América-RN. Apático, sem meio campo, dependendo de lampejos de Fernandes e Rafael Coelho para conseguir alguma coisa, e com um treinador de critério questionável: tá certo que o elenco alvinegro não é essas coisas, mas o mínimo que se esperava era que Paulo Sérgio, que teve boa atuação no Rio de Janeiro, ganhasse a sua chance. Não teve, assim como o time não teve futebol, e o Figueira perdeu para o São Caetano por 2 a 0.

Não adianta esticar muito o papo sobre esquema tático, aplicação técnica, essas coisas. A verdade é uma só: não adianta forçar a barra, Roberto Fernandes não é um comandante digno de subir o time. Em suas entrevistas cheias de estatísticas, fala como se o futebol fosse coisa fácil. Mas em campo, essa facilidade não é transformada em pontos. Não sei se já escrevi isso aqui, mas a única teoria que tenho para a teimosia do Figueirense em manter o técnico é uma comparação com o Avaí, que manteve Silas em meio a crise, e o técnico avaiano conseguiu alavancar o time para a parte de cima da tabela.

O problema é que há um abismo enorme separando Silas de Fernandes. E pelo jeito, a agonia vai continuar mais um pouco. E a teimosia, também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário