sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Televisionamento 2010 e outros assuntos da reunião dos clubes

Foi até tarde a Assembléia da Associação de Clubes de SC, que foi presidida por um João Nilson Zunino usando máscara, devido a sua forte gripe. Vários assuntos foram discutidos, que valem ser citados aqui. Tem coisa boa.

- Lei das câmeras: os clubes assinaram um ofício pedindo ao governador Luiz Henrique que vete o projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa, de autoria do deputado Edson Andrino, que obriga a instalação de câmeras de vídeo em todos os Estádios e Ginásios onde acontecem jogos oficiais
- Televisionamento do Estadual 2010: más notícias para a RIC-Record: o presidente Zunino, ao contrário do que havia dito no começo do ano, foi bem claro em relação à existência de um contrato assinado com a RBS, para os anos de 2009 até 2011. Como a RIC passou o campeonato desse ano, o contrato está automaticamente prorrogado para 2012. O dinheiro passado a título de adiantamento neste ano para que fosse paga a multa recisória do contrato da Record não foi devolvido, mas também não foi gasto. Ele está em uma caderneta de aplicação no Bradesco da Capital, e será liberado apenas em 2012, quando os clubes estão cientes que não receberão nada da TV Aberta, recebendo apenas a verba do PFC/Globosat, algo em torno de 200 mil reais por ano. É uma solução inteligente. Assim, não vai ter clube reclamando que não recebeu nada daqui a três anos. Faltam ser pagos 25% do primeiro ano de contrato, algo em torno de 400 mil reais. Entendo que o caso está encerrado, a não ser que alguma virada extraordinária aconteça.
- Copa Santa Catarina: aconteceu uma explanação do representante da empresa Propague, que levou aos clubes uma proposta que dificilmente será aceita: a Traffic, empresa que comercializa as placas dos Estádios dos principais campeonatos, está interessada em ocupar e vender todos os espaços de publicidade no Catarinense de 2010. Acontece que o valor proposto, algo em torno de 450 reais mensais por placa, é muito baixo tendo em vista o que os clubes arrecadam com os seus parceiros locais.
- Televisionamento da Copa SC: ano passado, o SBT transmitiu a Copa sem repassar nenhum tostão para os clubes, apenas cedendo espaços comerciais na grade, mas os jogos aconteceram em horários terríveis, como a manhã de domingo e a tarde de terça, quando o canal começou a transmitir a final entre JEC e Brusque aos sete minutos de jogo. O representante da Propague ficou de encaminhar propostas aos canais de TV, mas o que pega para os dirigentes é a questão do horário, já que as grandes redes não liberam o horário dos domingos a tarde e quartas a noite, por exemplo, para programações locais. Eu penso que o único canal aberto que tem condições de mostrar a Copinha é a Record News, que possui uma grade maleável e pode eventualmente encaixar a transmissão dos jogos. Mas vai ficar pro campo das negociações.

Depois, houve a explanação de um projeto sobre Gestão no Futebol e o jantar, cujo prato principal foi o delicioso Marreco com Repolho Roxo. Próxima reunião será em Joinville.

2 comentários:

  1. Parabéns Rodrigo. Belíssima cobertura. Vc é d+.

    Para o BFC o que mais interessa é a bilheteria. Cada jogo em casa pode dar mais de 50.000 com média de 2000 pagantes (excluindo sócios). Acho que essa média pode até aumentar para 2500 ou 3000 pagantes, garantindo uma renda de bilheteria de 75.000 por jogo, já que os preços dos ingressos aumentaram.

    Na primeira fase, 4 jogos em casa. Se o time estiver bem, dá para conseguir perto de R$ 300.000, com média de 2500 a 3000 pagantes por jogo (metrô, por exemplo, pode chegar a 4000, assim como o Criciuma).

    Na segunda fase, se o BFC passar, três jogo em casa contra times fortes, o que garantiria perto de 300000 de bilheteria.

    Tem que fugir um pouco da concorrência dos jogos de domingo a tarde pela sem graça série A, já que não disputamos. Uma boa altenativa seria domingo às 18:00 hs, ou sábados de tarde e terças de noite.

    Como as grandes redes não estão transmitindo muito série B, sobraria espaço para a Band, Record, SBT sábados de tarde e terças de noite. Record News é uma boa alternativa.

    O clubes tem que receber alguma coisa da TV na Copa SC. O futebol de SC etá em alta.

    ResponderExcluir
  2. O BFC vai perder um mando de campo, que terá que cumprir. Portanto, vai perder no mínimo R$ 50.000 de receita de bilheteria.

    Somando os R$ 10.000 de multa, a ação inteligente daquele torcedor vai custar ao clube R% 60.000.

    Com alguns torcedores desse tipo (uma minoria, felizmente), o BFC não precisa de inimigos.

    ResponderExcluir