terça-feira, 22 de setembro de 2009

Dez anos depois, O Figueira vai ter que viver sem a "PPParticipações"

Era 1998, eu estava começando no rádio, e vi o Brusque golear uma piada de time do Figueirense dentro do Scarpelli, por 4 a 2. O estádio era surrado, o uniforme do time era bem feinho, o clube não ganhava o Estadual fazia um bom tempo. Chegou 1999, um ano que mudou muita coisa não só no Figueirense, mas no futebol de Santa Catarina. Foi o primeiro sinal de profissionalismo que vimos por aqui, o que com certeza mexeu os outros clubes para fazer o mesmo.

Me lembro do Estadual 99: Paulo Prisco Paraíso, Nestor Lodetti, Norton Boppré e equipe assumiram a frente com a Figueirense Participações e levaram aquele campeonato (com ajuda da arbitragem, é verdade). Aquele time tinha o Camanducaia, ex-Santos, no ataque. Era o começo de um casamento que durou 10 anos, colocou o Figueira na Série A e conquistou alguns Estaduais, além de quase levar o time à Libertadores da América. Até a decisão da Copa do Brasil, o clima entre a torcida era de lua de mel...

... e a coisa começou a cair, ao meu ver, com a declaração do então técnico Mário Sérgio depois daquela dolorida derrota para o Fluminense, onde ele deixou bem claro que sua missão no Figueira era formar jogadores para serem vendidos, e não necessariamente ganhar títulos. Revoltou muito a torcida, que rapidamente viu que o parceiro não queria dar voltas olímpicas, mas fazer caixa com o nome do Clube. Perdi a conta de quantos jogadores ali formados foram vendidos por um preço abaixo do que valem.

Quando o time estava na Série A, o pessoal da "PPParticipações" nem ameaçava desembarcar. Foi vir o rebaixamento, juntando com a montagem de um time de baixa qualidade que o pessoal resolveu abandonar hoje o barco. Quem assumirá? Não sei, o clube estava relegado a segundo plano, e voltará a sentir a efervescência de eleições, diretores não-remunerados e conselhos deliberativos palpiteiros. Vai ser um retrocesso, em que o clube terá que fazer uma reorganização completa até se encontrar. Mas, pelo menos, o Figueira voltará a ter a essência de um clube que quer ganhar títulos, e formar jogadores que revertam em fundos para ele próprio.

Vamos ver qual será a reação da torcida.

6 comentários:

  1. se nao fosse a turma do ppp, q botou dinheiro ( de origem incerta) no figueira, eles nunca teriam ido a serie a, nem na b, nem ganhado a maioria dos titulos q ganharam. a torcida do figueira ta reclamando de barriga cheia.

    boa sorte pra eles agora, mas a proxima decada tem cara de ser azul.


    Oooooo, estepo do Prisco, bota esse dinheiro aqui no brusque.

    ResponderExcluir
  2. Depois daquele balão que eles queriam dar construindo uma Arena pra copa do mundo com dinheiro publico...

    Ainda bem que essa tal copa não veio pra cá. Seria um assalto nos cofres do estado.

    Aqui em Brusque torcemos para o BFC, e depois para os times de fora : RJ, SP, RS.

    Ninguém ta preocupado com o que acontece com Avaí e Figueirense. Desde que não metam a mão no nosso dinheiro, tudo bem.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Rodrigo, não há nenhuma surpresa. Quem põe dinheiro quer de volta. É como uma lavadeira que lava, lava, lava e depois vai pegar no varal. Bem "limpinho", se é que me entendes. abs!

    ResponderExcluir
  4. Anderson Scheeffer Jr22 de setembro de 2009 20:27

    Parabens rodrigo pelo ótimo trabalho realizado.
    Estou dia-a-dia acompanhado seu twitter para saber como esta o caso da divisao especial
    Voce sabe quem sao os dois atletas do Hercilio Luz que foram acusados pelo Concordia de atuarem irregulares?

    ResponderExcluir
  5. virada de mesa na segundona... sobe os seis times pra primeira divisão. juve, zimba,porto, concordia, hercilio e a cambu, pronto ta resolvido.

    ResponderExcluir
  6. Se profissionalizar com alguém colocando um montão de dinheiro no clube é fácil. Assim até o clube do meu bairro se profissionaliza. E ainda mais ganhando de brinde dois acessos pela janela. Claro que isso ninguém comenta.

    ResponderExcluir