sábado, 21 de março de 2009

Nazareno dispara contra o Sindicato dos Árbitros

Em entrevista ao jornalista João Paulo Messer, o árbitro José Nazareno Marcelino cuspiu marimbondos pra cima do Sindicato dos Árbitros de Santa Catarina, por conta da suspensão de 60 dias imposta pelo TJD, ontem. Ele acusa o Sindicato de não o avisar do julgamento, que ocorreu à revelia.

O caso é o seguinte: Nazareno foi julgado por um erro na súmula do jogo Figueirense x Chapecoense no primeiro turno. Ele trocou o número de um jogador no relatório dos cartões dados. Julgado no TJD, ele foi inocentado por 5 votos a zero.

Acontece que o procurador do Tribunal recorreu da decisão, e o Sindicato dos Árbitros não teria o comunicado do segundo julgamento, que aconteceu quinta, sem que ele estivesse presente para se defender. "O Sindicato não nos avisa do julgamento, mas quando a gente é punido, eles avisam rapidamente", esbravejou Nazareno, que foi escalado em sete jogos no Estadual, sendo escolhido pelo Top da Bola como melhor árbitro em três oportunidades. "A gente estuda, treina, mantém a forma (ele diz que emagreceu 18 kg), tudo pra fazer um bom trabalho, mas tem gente que quer me derrubar", soltou o árbitro, que na segunda-feira entrará com pedido de efeito suspensivo no STJD tentando reverter a decisão.

Já coletei algumas reclamações acerca do Sindicato dos Árbitros de SC, que é presidido por Marco Antonio Martins, que atuou algumas vezes neste campeonato. É um assunto que merece ser analisado com carinho, e assim faremos.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Até que enfim, Brusque no apito

O jogo entre Criciúma x Tubarão, neste sábado a tarde, será de muita importância para o futebol da cidade de Brusque. Após quase 30 anos, um árbitro da cidade é escalado para um jogo de primeira divisão. O último juiz do berço da fiação no Estadual foi Alvir Renzi, e olha que faz tempo.

Caberá ao árbitro Luiz Carlos Pereira essa honra, estreando dentro do Majestoso, em uma carreira que pode ser promissora. A paixão pelo apito vem de família: seu pai e seu irmão são ex-árbitros.

Toda a sorte do mundo pra ele.

Forçou cartão, levou multa!

Desde moleque, me lembro dos jogos que antecediam as partidas em Chapecó. Eram vários os casos de jogadores que forçavam cartões, ou até simulavam expulsões, para evitar a cansativa viagem para o Oeste.

Estamos em 2009, e isso continua acontecendo.

O atacante Zulu pagou o pato. Foi multado em 500 reais pela diretoria do Criciúma, que interpretou que ele forçou irresponsávelmente o terceiro cartão amarelo contra o Marcílio Dias para não viajar pro Oeste.

A Polêmica do "Vestidinho Rosa"

A imprensa nacional só fala no caso do vestidinho rosa do meia Jairo, do Figueirense. Uma brincadeira de um rachão virou assunto até pro presidente da OAB opinar. Brincadeira, abuso moral, humilhação... Já se falou de tudo, menos na figura em si do rachão.

Eu cansei de frequentar os rachões no Brusque que valiam o simbólico prêmio de uma garrafa de dois litros de Coca-Cola. O rachão é santo pro jogador. E no caso do Jairo não foi diferente. Quem trouxe o vestido foi o zagueiro Roger, e Jairo usou sem reclamar.

Mas a informação, ao meu ver, foi distorcida para a imprensa dos grandes centros, e deu no que deu. Mas de duas coisas o Figueira não pode reclamar: voltou a expor o time na mídia depois do rebaixamento no ano passado, e, de certa forma, abafou o noticiário acerca da terrível campanha do time no Catarinense.

Em tempo: nada de avião pra Chapecó. O alvinegro foi do oeste de voo rasteiro, no busão.

A imagem diz tudo


Floripa, 19 de março de 2009. No dia que o Marcílio Dias completou 90 anos de história, o time perde por 2 a 1 para o Figueirense e está muito próximo de retornar à Segunda Divisão. A imagem fala por si.

quinta-feira, 19 de março de 2009

RIC x RBS: Clubes DEVOLVEM dinheiro à RBS

Sem dúvida essa é a notícia mais surpreendente dentre todas que já coloquei nesses meses que acompanho a briga do televisionamento do Estadual.

E quero parabenizar aqui o presidente da Associação de Clubes e do Avaí, João Nílson Zunino, pelo profissionalismo em tomar tal decisão.

O caso é o seguinte: Em janeiro, todos os 10 clubes do campeonato catarinense receberam da RBS, a título de adiantamento, a quantia de 110 mil reais, com a condição de que caso a RBS não transmitisse o Campeonato deste ano (o que não aconteceu), o contrato com a emissora gaúcha seria automaticamente prorrogado por um ano, valendo a partir de 2010 até 2012. Criava-se aí um problema, pois os dois times que caíssem (Tubarão e mais um) não jogariam o campeonato do ano que vem e embolsariam algo que não lhes cabia.

Acontece que não há nenhum contrato assinado entre os Clubes e a RBS. O Acordo feito no ano passado não tem qualquer validade, referendado pela Justiça. Então, o novo presidente da Associação de Clubes, João Nilson Zunino, tomou uma decisão digna de aplausos, que dá um fio de esperança para que o futebol de Santa Catarina possa se reabilitar da lambança do Ex-presiente Carlos Crispim.

Os clubes usaram o dinheiro recebido da Globosat/PFC e da Record para devolver à RBS TV. Isso mesmo: devolveram a grana. Assim, Zunino não pretende fechar qualquer contrato de televisionamento até outubro, quando pretende fazer chamar todas as emissoras do Estado para uma espécie de "licitação", onde o maior valor leva. Usou de esperteza: a RIC já sabe quanto a RBS ofereceu neste ano (R$ 1,2 milhão), e poderá haver um bom leilão, e consequentemente, um aumento substancial das verbas de televisionamento. Assim, as coisas parecem ter ficado às claras, e tomara que continue assim. Em outubro, estou confiando que Zunino cumprirá com a sua palavra, e haverá leilão pelo Catarinense de 2010. E tomara que tudo corra na maior lisura possível. E que vença o melhor.

Pra bom entendedor...

Nota veiculada no site da CBF, hoje:

A CBF mais uma vez torna público que o critério de escolha das 12 cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014, por parte da FIFA, levará em conta única e exclusivamente os estudos técnicos apresentados ao longo de quase dois anos pelas 17 cidades candidatas, não sofrendo portanto qualquer influência política de governo ou empresarial.

Recado enviado pela CBF pra várias pessoas, mas também pro Governador Luiz Henrique, que tenta influenciar dirigentes para conseguir trazer a sede para Florianópolis, Recentemente, foi tentar fazer lobby com João Havelange e Julio Grondona.

Eltinho, o incendiário do Catarinão

O gol de Eltinho, que deu a vitória para o Avaí dentro da Arena, contra o Joinville, embolou a tabela de tal forma que pode determinar várias configurações na tabela do quadrangular. Só duas coisas estão certas: que o Criciúma estará lá como campeão do turno e que o JEC está classificado, pelo returno ou pelo geral.

A surpresa na parte de cima é o Atlético de Ibirama. Foi goleado em casa pelo Metropolitano por 4 a 1 e agora vê a sua vaca indo pro brejo com corda e tudo. O time, que tinha posição privilegiada antes do jogo com o Brusque, agora corre por fora na briga pela vaga nas finais. Ficou atrás do Avaí, que fez uma atuação de gala dentro da Arena, e da Chapecoense, que pelo fato de ter uma vitória a mais, estará classificado se vencer o Figueirense em Chapecó.

Acima, a briga pelo Geral. No returno, três times empatados com 16 pontos (Avaí, JEC e Chapecoense), com o Metrô correndo por fora. Não creio que o time de Blumenau belisque esse título, pois terá que contar com vários resultados para isso, além de ter que vencer o próprio Avaí na última rodada.

Na parte de baixo, o Marcílio Dias amanhã poderá estar assinando o atestado de volta a segunda divisão, 11 anos depois. No dia em que completa 90 anos, o marinheiro poderá ficar a 4 pontos do Metropolitano se perder para o Figueirense, hoje. E poderá ser oficialmente rebaixado no domingo, se empatar com o Joinville.

Em cima, indefinido, em baixo, quase tudo certo.

7 gols + 3 vermelhos + 1 juiz = vitória do Brusque

O jogo em si não valia muita coisa para o futuro do campeonato, mas tinha clima de importância: era um Brusque querendo dar uma satisfação para a torcida contra um Criciúma querendo dar satisfação pra ele mesmo, pois precisa arrumar o time pro quadrangular.

Mas há algumas contestações: primeiro, que o Brusque achou um caminho de ataque, ainda que meio tarde. E segundo, que o Criciúma é uma caricatura de time. Venceu o turno quando haviam times com problemas de montagem. Mas quando a coisa equilibrou, o Tigre desceu a ladeira.

O jogo foi uma loucura só no primeiro tempo, e onde apareceu o confuso Edmundo Alves do Nascimento, árbitro criticadíssimo pelos dois times. Incrível a fraqueza deste senhor, principalmente num lance: pênalti completamente inexistente em cima de Zulu, no final do primeiro tempo, que seria o terceiro gol do Tigre. Ele perdeu completamente o comando do jogo, e por sorte a coisa não descambou.

O jogo mostrou um Brusque muito focado em campo, usando a raça para cobrir o desentrosamento de um time tão remendado. Já o Criciúma... Bom, vou usar dois tópicos pra explicar o time de Leandro Machado: só teve como arma a correria no contra-ataque e não deu NENHUM chute a gol no Segundo Tempo. Basta isso? Só ver o jogo: os três gols do time do Sul foram de bola parada.

Suca foi expulso, mas depois que reclamou com a arbitragem, Edmundo Alves do Nascimento deixou de fazer tanta besteira. E o segundo tempo teve apenas um gol, mas que gol, um golaço de Ailton, que mandou uma linda bola na gaveta, dando o gol da vitória. O Criciúma, cuja defesa tomou 34 gols, sendo sete nas últimas duas partidas, não terá tempo para se reforçar e deverá ser atropelado no quadrangular final.

Ah, pessoal: hoje ainda tem bomba no caso RIC x RBS. Aguardem.

Abaixo, os gols do jogo:

terça-feira, 17 de março de 2009

Mudou tudo nas Séries C e D

A CBF já dava a entender que mudaria a fórmula da Série C, por um motivo simples: não conseguiu comercializar alguma cota de patrocínio que subsidiasse os grandes custos de deslocamentos. Eram dois grupos de 10 times, com nove jogos fora de casa, o que realmente era bem caro. ´

A Série D foi planejada com oito chaves de cinco times, mas também teve que passar por alteração.

Ficou assim: A Série C terá quatro chaves de cinco times, classificando dois de cada chave para um mata-mata. Tiro Curtíssimo: um time subirá para a Série B em apenas dez jogos. Virou torneio. Criciúma e Marcílio Dias estão na mesma chave, junto com o Caxias, o Brasil de Pelotas e o Marília.

Já a D passou a contar com 10 chaves de quatro times, classificando-se dois de cada chave. Só não entendi como vai funcionar uma chave de mata-mata com 20 equipes. De qualquer forma, se não houver muita novidade, provavelmente haverá o cruzamento de equipes catarinenses e gaúchas na primeira fase. Como o RS tem três vagas (uma é do Pelotas, as outras duas vêm do resultado do Gauchão), provavelmente um time catarinense irá enfrentar os gaúchos, enquanto que o outro irá para o Paraná.

NEC acha outro destino: Timbó

Semana passada, citei aqui informação do "Diário do Sul" dando conta da ida do NEC, time de aluguel do Egon da Rosa, de Caçador para Rio do Sul. Mas o André Schroeder, o Pilo, do site Timbónet, informa que o destino poderá ser outro: Timbó, cidade que teve o Grêmio no ano passado, que acabou rebaixado. Confira a matéria:

Está pra ser sacramentada a qualquer momento a parceria envolvendo o União, de Timbó, com o Navegantes Esporte Clube (NEC) para disputar a Divisão Especial Catarinense (Segundona), a partir de julho próximo. A informação nos chegou do dirigente do vermelhinho timboense, Sérgio Rodrigues (foto), que, via telefone, nos garantiu que o acordo irá beneficiar ambos os clubes. A estreia inclusive já estaria programada para o dia 13 de julho, contra o Concórdia, no Meio-Oeste barriga-verde.


E o time de aluguel acha outra casa. Vou tentar entrar em contato com o Denílson, presidente do Caçador, pra saber o que eles vão fazer.

segunda-feira, 16 de março de 2009

RIC x RBS: Audiência de conciliação na Quinta

Essa eu queria estar presente: a juíza substituta da 2a. Vara Cível da Capital, Maria A. Tridapalli, convocou para quinta-feira, dia 19, as 16 horas, uma audiência de conciliação entre RIC Record, Federação Catarinense de Futebol e Associação de Clubes, na sede do Fórum. Trata-se da ação número 023.09.004493-5, que a Rede Record moveu em janeiro deste ano.

A juíza vai tentar um acerto amigável entres as partes nessa pendenga que envolve a transmissão do Campeonato Catarinense. Já há algum tempo eu tinha uma informação que a RBS e os Clubes tentam virar o jogo na justiça com urgência, para que a RBS faça a transmissão da Segunda Fase do Estadual, que começa no dia 28. Inclusive, o site do TJ informa foram anexadas cópias de transmissões dos jogos dos dias 08/03 (Ibirama x Figueirense) e 11/03 (Tubarão x Avaí). Possivelmente para os clubes argumentarem alguma falha na transmissão.

Não é necessário dizer que não vai ter acerto na audiência de conciliação. Aí o juiz vai ter que dar um veredicto sobre o assunto.

O Processo tá cheio de gente de olho: agora, entraram no processo como interessados os patrocinadores do campeonato, tanto de um lado como do outro: Shopping Ideal, Supermercados Imperatriz, Agemed, Ondrepsb e Casssol Centerlar.

Em tempo, uma pergunta curtinha: é sabido que os clubes receberam dinheiro da RBS, com a condição que, se o campeonato fosse transmitido pela Record, esse dinheiro valeria para o campeonato do ano que vem. E no caso do Tubarão, já rebaixado, e de Marcílio Dias ou Metropolitano? Não vão disputar o campeonato do ano que vem, terão que devolver o dinheiro?

"Time de M...." não dá entrevista

Após a vitória por 3 a 0 contra o Tubarão, ontem, em Itajaí, os jogadores do Marcílio Dias não deram entrevistas à imprensa. O técnico Ronaldo Alfredo falou que os jogadores ficaram magoados com a expressão "Time de M..." usado pelo jornal Diarinho na última semana. Aí resolveram fechar a boca.

Vamos aos fatos: que todo mundo sabe que o Diarinho é polêmico, isso não é novidade. Ele sempre usou de uma linguagem popular, que foi sua marca durante 30 anos.

Agora, não há como negar que a manchete serviu de motivação para o time tentar sair do iminente rebaixamento. Ganharam de 3 a 0 do Tubarão. Só que os jogadores reclamam injustamente de uma verdade: o termo pode ter sido apelativo, mas que o time do Marcílio é ruim, isso ninguém nega. Então, que vão jogar bola.

Chapecoense, a vencedora da rodada

A Chapecoense juntou o bom futebol que tem mostrado com um pouco de sorte, e agora está muito bem encaminhado para conseguir uma vaga pro quadrangular final. A situação do Verdão é a mais confortável: 26 pontos, uma vitória a mais que Avaí e Ibirama, que empataram no final de semana, e terá dois jogos pra vencer e classificar por antecipação: basta vencer o rebaixado Tubarão, na quarta, e o Figueirense, que vai de time misto, no domingo em casa. 32 pontos, com uma vitória a mais, é vaga certa.

Pior pra Avaí e Ibirama, que empataram e vão ter um confronto direto, domingo, na Ressacada. Ali se decidirá a vaga. O Atlético tem um pró e um contra: chegará ao jogo de domingo na frente, pois não acredito que o Avaí vença dentro de Joinville, mas terá que superar o estigma de não jogar bem fora de casa pra entrar. O frango do goleiro Cléverton contra o Brusque pode ter custado caro....

Figueirense e Brusque não brigam por mais nada e cumprem tabela. Lá embaixo, o Tubarão está oficalmente rebaixado, e o empate do Metropolitano contra o JEC foi importantíssimo para assegurar o ponto de vantagem sobre o Marcílio (lembrando que, em caso de empate em número de pontos entre os dois, o Metropolitano cai, pois terá uma vitória a menos). O time de Blumenau tem a faca e o queijo na mão, com os dois últimos jogos em casa, e só depende de suas forças. O Marcílio, que fará 90 anos nesta semana, está mergulhado em intensa pressão: terá que vencer um jogo fora de casa, e matar o Joinville em Itajaí no domingo. Missão pra lá de complicada.

Cléverton, o vilão de Ibirama, e o anjo do Brusque

Vamos ser sinceros, por mais esforço que todos no Brusque tenham feito em motivar o grupo pro jogo em Ibirama, não é a mesma coisa para um jogador entrar em campo sem brigar por uma classificação. Mas o Brusque foi, cheio de problemas, e arrumou um empate com o Atlético de Ibirama, graças a um frangaço do goleiro Cléverton. A sua falha colocou fogo na disputa das vagas pelo índice técnico.

O Brusque montou um time meio maluco, com Marcos Tora de ala direita, William Gaúcho na esquerda e João Neto como terceiro zagueiro. Time que não jogou junto nessa altura do campeonato é perigoso, mas Suca teve que se virar sem muitas peças disponíveis. E enfrentou o Atlético sem Fabrício, peça importante no meio, Maurício Fofão e o goleiro Gean.

Sem Fabrício, o Atlético jogou toda a responsabilidade em Lenílson. E se ele não joga, o time não rende. O primeiro tempo foi terrível. O Brusque fez uma pressãozinha, o Ibirama também, mas foi um jogo duro de assistir. Aos 31, Marcelo foi expulso. Tinha amarelo e foi arrumar uma lambança de João Neto, e foi pra rua.

Na segunda etapa, a mesma ruindade, mas com gols. Lenílson pegou passe de Sérgio e abriu o placar. Em seguida, o meia Evandro foi expulso, igualando as forças em campo e possibilitando ao Brusque arrumar o ataque. Ambos perderam chances, o jogo estava equilibirado, até que Barbosa resolve dar uma voadora perto da linha lateral e ser mais um expulso. Ali, acabou o jogo para o Brusque.

Mas aos 41, Cléverton, o reserva que tem altura mais pra ser um ponta-direita do que pra ficar debaixo dos paus, apareceu. Falta pela direita, Ailton cruza, a bola passa no meio das mãos do goleiro, bate na trave e Carlinhos conferiu de cabeça. Um jogo que estava morto que o Atlético conseguiu entregar.

O Atlético terá dois jogos em casa pra buscar a classificação, mas a decisão será contra o Avaí, na Ressacada. O Brusque enfrenta um Criciúma em crise, mas pelo menos terá um time melhor. Mas Suca terá que recomeçar todo o trabalho de motivação.

domingo, 15 de março de 2009

Bolsa de Apostas

Semana passada, falei aqui dos sites de apostas que estavam os jogos do Catarinense pra movimentar dinheiro dos apostadores...

Fui a um desses sites e verifiquei como andam as apostas pro jogo deste domingo.

Quanto menor o número, maior o favoritismo. O valor é multiplicado pelo dinheiro apostado. Por exemplo: quem jogar 100 dólares no Metropolitano contra o Joinville leva 220 como prêmio.

As cotações na bolsa de apostas para a rodada do fim de semana do catarinense:
Metropolitano 2.20 3.20 2.75 Joinville
Marcílio Dias 3.35 3.25 1.90 Cidade Azul
Atletico de Ibirama 2.75 3.20 2.20 Brusque
Avai 1.90 3.25 3.45 Figueirense

Pelo menos para os apostadores, as barbadas da rodada são Avaí e Tubarão. O Figueirense é a zebraça.