sábado, 20 de junho de 2009

Criciúma é humilhado pelo Marcílio. Fonseca está fora

O Criciúma agora está na guerra contra a Série D.

Quem diria: o Marcílio Dias, com todos os problemas conhecidos, foi ao Majestoso e meteu 4 no Tigre, desencadeando uma crise gigantesca no Sul do Estado. Nisso, o marinheiro se aproveitou. Mesmo com um time limitado, os comandados de Ronaldo Alfredo poderiam ter vencido por mais. Serviu para jogar a lanterna no time de Roberto Fonseca, que trouxe uma série de jogadores desconhecidos, e agora entra numa desesperadora guerra para evitar o histórico vexame da queda para a quarta divisão.

Fonseca, aliás, está demitido do Tigre. A Rádio Eldorado teve a informação de que Sérgio Ramirez, hoje na base do JEC, teria sido contactado. Por telefone, ele confirmou o convite feito pelo presidente Edson Búrigo, mas preferiu permanecer em Joinville, devido ao projeto que está desenvolvendo no clube, visando o próximo Estadual. Ele viu o tamanho da bucha e preferiu ficar em um lugar mais tranquilo, onde não tem pressão.

A minha opinião sobre o time do Marcílio Dias não muda nada mesmo com a vitória em Criciúma. O time de Itajaí aproveitou um momento de fraqueza extrema do adversário e venceu. O Tigre, que terá duas semanas até a próxima partida, contra o mesmo adversário, deve confirmar hoje o nome do seu novo treinador, que não terá mais a missão de classificar o time. Isso já foi. O negócio é não cair pra D e planejar o próximo Estadual ou uma provável Copa Santa Catarina.

A certeza é uma só: um rebaixado para a Série D será catarinense. O que é uma vergonha para o nosso futebol.

Brusque vence jogo-treino contra o Figueira

Tá certo, não era o time titular do Figueira. Mas eu prefiro ouvir o ponto de vista do técnico Suca, que gostou do jogo, e quem viu, confirmou a subida de rendimento do time do Brusque, que venceu os reservas do alvinegro por 2 a 1, hoje pela manhã, no CT do Cambirela, em Palhoça.

O Figueira saiu na frente, com gol de Clodoaldo. O lateral-esquerdo Eduardo empatou logo depois, e Felipe Oliveira fez o gol da vitória, no segundo tempo. Não vi o jogo, mas considerando o time alvinegro em campo, o resultado precisa ser olhado com carinho.

O Figueirense foi escalado com Dalton; Michel Schmoller (Anderson Luis), Roger Caravalho (Bruno Perone), Dieyson (Alexandre) e Anderson Pico (Juninho); Diego Paulista (Luciano Totó), Paulinho (Carlinhos), Kássio (Vinícius Pacheco) e Jairo (Talhetti); Marcelo (Douglas), Clodoaldo (Paulo Sérgio).

Já o Brusque entrou em campo com Alessandro (Vanderlei); Pereira (Nequinha), Thiago, Alex (Marcelo) e Eduardo; André Luiz, Léo Maringá, Claudemir (Xipote) e Valdo (Marcelo Fattori); Felipe Oliveira e Rafael Bittencourt.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Brusque perde mando de campo e leva multa de 10 mil reais

O Brusque foi punido ontem com a perda de mando de campo de uma partida, mais multa de 10 mil reais, pelos incidentes ocorridos no jogo contra a Chapecoense, no dia 11 de março passado.

Na ocasião, o árbitro Paulo Henrique Bezerra colocou em súmula que torcedores do Brusque quebraram a janela do vestiário da arbitragem e atiraram areia no rosto dele. No julgamento das comissões e do Pleno do TJD, em Balneário Camboriú, o Bruscão foi inocentado. Mas o procurador do tribunal entrou com recurso no STJD, no Rio de Janeiro, onde o clube acabou punido em última instância, por unanimidade.

A punição não vale para a Série D do Brasileiro. O clube poderá pagar a pena na Copa Santa Catarina deste ano, se vier a disputar. Aí, o time entraria limpo no Estadual de 2010.

Nessa, o torcedor do Bruscão jogou contra o time.

Santa Catarina Vôlei: um raciocínio

Ainda falando na montagem desse time híbrido de Brusque e Pomerode chamado Santa Catarina Vôlei, há uma questão que precisa ser analisada, envolvendo dinheiro. Publiquei na minha coluna de hoje no "Município dia-a-dia".

Como é sabido, o Governo do Estado disponibilizou para o voleibol feminino a quantia de 600 mil reais, com a condição que, se houvessem dois times participando da Superliga, essa verba seria dividida em partes iguais. Como solução, Brusque e Pomerode se uniram e formaram um time só pra abocanhar toda a grana.

Mas existe um fato que precisa ser considerado: começa no dia 7 a Fase Sul da Liga Nacional de vôlei, que classifica para a Fase Final, onde os dois primeiros ganham vaga na Superliga. Dois times de SC participam com chances: Blumenau e Rio do Sul. E como vai ficar se uma dessas duas equipes ganhar dentro de quadra a vaga na Superliga? Teoricamente, eles também tem o direito de reivindicar um pedaço do bolo do patrocínio do Governo. Isso comprometeria o projeto do SC Vôlei, que vai secar até não dar mais.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Histórias da Segundona: A água benta

A Segunda Divisão é fantástica. Viajei muito pelo Estado pra fazer jogos de segundona, pegando frio, chuva, em locais improvisados. E colecionei algumas histórias, que vou dividir com vocês a partir de hoje. A primeira é a da Água Benta.

Lá em 2002, havia o Camboriú Atlético Clube, pai do Camboriuense. Esse time sofria sérios problemas financeiros. Tanto que, um dia, não apareceram em um jogo em Brusque alegando greve.

Mas no jogo de ida, em Camboriú, numa segunda à noite, aconteceu o causo. Primeiro de tudo, que o campo não tinha marcados nem a meia-lua muito menos o círculo central. O destemido repórter Marco Aurélio, dentro dos seus 150 kg, foi perguntar ao árbitro, acho que era o Paulo Henrique Bezerra, se ele ia começar o jogo mesmo com o campo naquela marcação. "Vai ter jogo porque quem manda sou eu!", disse o juiz. O Marcão acabou sendo expulso de campo pelo delegado, chamado Miguel, até agora quero saber o motivo.

O jogo começou, e lá pelas tantas um jogador do Camboriú se machucou. Entrou o campo o massagista, correndo a 80 por hora sem a bolsa de massagem. Ele tinha na mão apenas e tão somente um galão de água mineral. Aí eu soltei:

- Olha só! O Massagista atentendo o jogador machucado com um galão de água!
- Dá nada, deve ser água benta, o cara tá novinho em folha!

E não é que o cara levantou e saiu correndo?

Cacá Pavanello justifica o investimento do Showbol

Em entrevista ao meu amigo Jaison Lorenceti, da Rádio Diplomata FM, o presidente da Fesporte, Cacá Pavanello, tenta justificar o alto investimento para trazer o Showbol para Santa Catarina. Segundo ele, o valor é de R$ 1,6 milhão e não 1,750 como o Diário Oficial do Estado informou em 27 de abril. O áudio abaixo. É só apertar o Play:

Blog do Rodrigo - Cacá Pavanello - Showbol


Traduzindo: gastou essa dinheirama que poderia ser usada para apoiar os times do Estado, acabar com a divisão do vôlei feminino ou até levantar 2 ginásios pra trazer um evento com dinheiro público, comprar 100 horas de programação no Sportv e ainda cobrar 15 ou 20 reais de ingresso.

Me digam o que dá mais retorno institucional: patrocinar ou apoiar os times de rendimento do Estado ou comprar horário no Sportv...

César Silva, o ídolo do Avaí no Showbol

Esse aí do lado é César Silva, um dos maiores goleiros da história do Avaí, defendendo o Internacional no Brasileiro de Showbol.

César, é ao lado de Rubens, um dos dois goleiros que marcaram gols na história do clássico Avaí x Figueirense: César marcou um gol na partida Avaí 1-1 Figueirense, em 28 de março de 1999, e outro em Avaí 2-1 Figueirense, em 9 de abril de 2000. Era o Capitão e dono do time.

O Cônsul do Inter no Vale do Itajaí, Duda Trindade, estava no meu lado e jura que não se lembra de ter visto o Cesar atuando pelo Colorado, pra justificar sua inclusão no time do Showbol. Se alguém puder ajudar, o blog agradece.

Eu fui no Showbol

Bom, hoje foi dia de Showbol aqui em Brusque, e eu fui. O público não foi dos maiores, cerca de 1500 pessoas, mas me surpreendeu, tendo em vista a falta de divulgação por parte do pessoal da Fesporte e o salgado preço do ingresso.

Foram dois jogos: Palmeiras x Cruzeiro e Vasco x Inter. Vários jogadores conhecidos estavam lá: Sérgio, Adãozinho e Esquerdinha (Palmeiras), Edmundo, Brenner e Pimentel (Vasco) e Caíco (Inter). Mas tem muito jogador lá que, confesso pra vocês, não me lembro de ter visto defendendo os grandes clubes. Lembra do Cesar Silva, goleiro do Avaí? Tava lá, defendendo o Inter.

Os jogos são diferentes. A bola não para, o tamanho da trave dá duas do futsal e muitos gols acontecem. Como divertimento, é um bom programa.

Conversei com o pessoal da Prefeitura, e eles me passaram que a Fesporte tá cantando eles pra sediarem a fase final do Showbol na Arena Multiuso. O motivo: ontem foi o dia de maior público de todas as rodadas do torneio. Se o público em Brusque foi meia-boca, imagina como não foi nas outras cidades.

Ah, o Cacá Pavanello tava lá, e respondeu sobre o investimento de quase dois milhões de reais no evento. Ainda hoje eu posto.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Brusque marca mais dois jogos-treino contra Leão e Tigre

Suca pediu, e a diretoria conseguiu marcar mais dois jogos-treino do Brusque na preparação para a Série D.

O primeiro é hoje a tarde, contra os reservas do Avaí, na Ressacada. O segundo será no dia 26, contra o Criciúma, que folgará na Série C naquele final de semana, em Brusque. Nesse caso, o jogo poderá ser um amistoso.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Marcílio Dias ordena boicote à imprensa

Estamos em pleno ano de 2009, e pensei que essa história de clube proibir entrevistas à esta ou aquela rádio já tinha acabado.

Acabou nada, no Marcílio Dias a coisa está bem viva.

Segundo informa o Diarinho, jogadores e comissão técnica do Marinheiro estão proibidos de dar entrevistas à Rádio Clube-Bandeirantes local. Recentemente, funcionários do clube também foram proibidos de participar de entrevista na TV da Univali.

Da mesma forma, o atacante Lourival, hoje no Juventus, que teve a energia de sua casa em Itajaí cortada por três vezes, não foi a um programa esportivo da TV Brasil Esperança, sob a ameaça que, caso aparecesse na emissora, não iria receber os salários atrasados. Ele deu o cano na TV, e ainda não recebeu. O mesmo jornal também acusa que o meia Alex Guimarães foi afastado do elenco devido a uma entrevista que deu, reclamando dos seus direitos.

O chefe de esportes da Clube, Rubens Menon, disse que "“Acatamos a decisão, mas quando o Marcílio jogar nós vamos cobrir, isso eles não podem impedir. E quando o Crispim e o Clóvis (Forlin, vice de futebol do Marcílio) acharem que estão bem no campeonato e quiserem falar com a gente, aí nós vamos analisar se vale à pena”.

Que coisa: o Marcílio montou péssimos times, ainda por cima não pagou os salários e a culpa é toda da imprensa. E isso em pleno Século 21.

Brusque fecha com Diogo Oliveira, e Ricardo Lobo está próximo

A diretoria do Brusque confirmou mais uma contratação para o Brasleiro da Série D. Na verdade, é um retorno, o do atacante Diogo Oliveira (foto), 25 anos, que jogou no clube no mês de março, na reta final do Catarinão. Ele pouco mostrou em seis partidas, mas acho que foi uma boa repatriá-lo.

O outro nome pode fechar hoje: é Ricardo Lobo (foto), atacante vinculado ao Metropolitano que viria ao Bruscão por empréstimo. Meu amigo Silvio Kohler falou muito bem dele, elogiando sua velociade e versatilidade.

E tem mais um atacante para ser anunciado até na quarta. A diretoria não revela, mas diz que é goleador.

domingo, 14 de junho de 2009

SC: Quatro jogos, quatro derrotas

Ô finalzinho de semana terrível pra todos os catarinense. Todos eles perderam, e todos em circunstâncias peculiares e que merecem reflexão:

No Sábado, o Figueirense inaugurou o show de fracassos em um jogo fantástico, onde teve de tudo. Tirando o frangaço que o Wilson tomou (mas ele tem crédito de sobra com a torcida), o alvinegro perdeu o jogo nos 30 minutos finais do primeiro tempo, num abafa do Atlético de Goiás. Fernandes voltou, e isso é bom. Agora, aguentar o Bruno Perone em campo é de lascar.

Vamos pro domingo. Pela Série C, os dois times catarinas estão nas últimas colocações da Chave D. Em Pelotas, o Criciúma tomou aquele clássico gol no finalzinho e perdeu para o Brasil, e agora está a 4 pontos do segundo colocado. Terá pela frente dois jogos contra o Marcílio e depois duas partidas em casa. Dá pra classificar? Dá. Mas não sei até onde Cléverson e Leandro Love, dispensados de Guarani e ABC, poderão dar a qualidade que o time precisa.

Enquanto isso, em Itajaí, o Marcílio Dias começa a via crucis para a Série D. Tomou 3 do Marília, não mostrou poder de reação, sem contar a guerra com torcida e imprensa e a grave situação financeira. É como um carro de Fórmula 1: um projeto mal concebido que dificilmente é consertado. Conversei com torcedores de Itajaí que já jogaram a toalha na segunda rodada.

Pra terminar, o Avaí. Tomou a virada do Barueri, que não tinha ganho de ninguém. Perdeu um caminhão de gols, e provou que o grupo do Silas não é tão qualificado como se esperava. Se pelo menos houvesse uma melhor pontaria do ataque, já seria menos pior. Agora, o Leão é o último. Tá certo, faltam 32 rodadas pro campeonato acabar. Mas não se pode esperar muito pra arrumar a casa. Daqui a pouco, começam as rodadas de meio de semana e nem milagre vai resolver.