sábado, 4 de julho de 2009

Histórias da Segundona: Dois times contra um

O "Histórias" de hoje vai trazer a primeira história das duas que passei em São Bento do Sul, uma cidade linda, próspera, mas que é uma tragédia em se falando de futebol.

Era 2005, pela Série A2, e o Brusque foi até o Estádio Bandeirantes, enfrentar o time local. Era um Sábado de sol, com direito a tradicional parada no Bar do Max Moppi e no mirante da Serra Dona Francisca.

O Estádio era amador. As arquibancadas eram totalmente naturais: no barranco enorme numa das laterais do campo, alguém teve a brilhante ideia de "cavar" degraus no meio do morro. Imagina se chovesse.

Meus problemas começaram na instalação das tralhas: a cabine de imprensa tinha um chão podre, e não havia escada pra subir. Optamos por colocar uma mesa na lateral do campo mesmo, pra ter um visual diferente. Aí, perguntei pro zelador do campo: "Tem energia elétrica?", e ele respondeu: "não tem, nunca teve e não vai ter". Pensei: "vou ter problemas". Por uma sorte dessas, havia uma extensão no carro e deu pra fazer um trosso improvisado que funcionou. Nem no futebol amador daqui eu tive tanta dificuldade.

Havia outro problema pro jogo: quem iria enfrentar o Brusque? Explico: aconteceu uma confusão entre diretoria e a "parceria", e haviam dois times distintos se preparando, com uniforme e tudo, pra entrar em campo. Nunca vi um negócio desses, dois times querendo enfrentar um. Dentro de campo, um jogo muito ruim, com vitória do Bruscão por 1 a 0, gol do Vagner, aquele ex-Chapecoense. Ao final, a diretoria do Brusque teve que usar dois quartos do hotel como vestiário: não havia chuveiros no Estádio do São Bento, que acabou rebaixado, e aprontou mais algumas em 2006, com a bênção da FCF. Mas essa história vou contar na próxima....

Ah, e fiz questão de ligar pra Federação e reclamar pro Marcelo Negreiros, à época Assessor de Imprensa, e pedir providências. O que aconteceu? Nada. No ano seguinte transmiti um jogo do Renaux lá no meio de um barranco com ovelhas defecando nas proximidades.

E tive a notícia de que o Estádio Bandeirantes, bem como toda a estrutura do clube que existia lá, foi destruído recentemente.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Navegantes x Juventus terá portões fechados

Aviso ao torcedor de Jaraguá do Sul: não perca o seu tempo em ir a Balneário Camboriú assistir o seu Juventus contra o NEC.

O jogo terá portões fechados. Como o estádio de BC não tem os laudos de liberação, principalmente no que diz respeito à circulação de torcedores, não haverá venda de ingresso.

Contagem regressiva pro NEC ser mandado pra terceira divisão...

quinta-feira, 2 de julho de 2009

TJD pune o NEC, que vai para a Divisão de Acesso em 2010

Notícia importante na Segundona: O Navegantes está condenado pelo TJD a participar da Divisão de Acesso, caso não consiga subir para a Divisão Principal (e pela ruindade do time isso está bem próximo)

Explica-se: O NEC foi punido pela piada protagonizada em Concórdia, onde só apareceu com cinco jogadores, resultando em WO e um tremendo prejuízo financeiro para o clube do Oeste. O Tribunal, além de dar os tres pontos para o CAC, condenou também o clube de Egon da Rosa à proibição de participar do próximo campeonato promovido pela FCF.

Resumindo: se o NEC subir (o que não vai acontecer), o clube pode pagar a punição na Copa SC, como o Ibirama fez ano passado, e jogar a Divisão Principal. Caso não suba (o que é bem provável), o clube não poderá participar da Segundona do ano que vem. Logo, estará rebaixado para a Divisão de Acesso (isso se não acabar caindo dentro de campo, ficando entre os dois últimos).

Desde já, sabendo que o NEC não jogará no ano que vem, a FCF precisa definir qual será o critério de acesso para a Divisão Especial de 2010: se só um time será rebaixado neste ano ou se três clubes serão promovidos da Divisão de Acesso que começa em agosto.

CBF escala vizinho do Augusto Bauer para jogo do Brusque

Saiu hoje a escala da primeira rodada da Série D, neste domingo.

Primeiro, que apenas o árbitro principal é de outro Estado (no caso de Brusque x São José, será Phillipe Lombard, de São Paulo), sendo que os auxiliares são catarinenses.

Acontece que um dos bandeirinhas escalados é Rosnei Scherer, brusquense, que mora a menos de um quilômetro do Augusto Bauer. Uma escala que poderia ser descartada: coloca o próprio Rosnei, pessoa da melhor índole possível, numa pressão desnecessária. Além do mais, passa aquela novela na cabeça: se beneficiar o Brusque, é porque está puxando o saco. Se prejudicar, é porque não quer parecer que está ajudando. Tomara que nenhum lance polêmico caia no colo dele.

Cabe informar que em 2008, ele foi escalado como auxiliar de um Guarani x Brusque na Ressacada pelo Estadual, e acabou anulando um gol do Bruscão.

A FCF poderia instruir a CBF a evitar esse tipo de problema.

Showbol: semi-finais serão em Brusque

Foi confirmado há pouco pelo Secretário de Esportes de Brusque, Eder Cavalca, de que a cidade receberá as semi-finais do Brasileiro de Showbol, na próxima terça, na Arena Multiuso.

Botafogo, Palmeiras e Vasco já estão classificados. Flamengo e Santos brigam pela última vaga nos dois jogos finais da primeira fase, que acontecerão quinta e sexta em Jaraguá do Sul.

O ingresso custará 15 reais.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Bruscão faz festa para lançar a Série D

Ontem teve festão na Sociedade Beneficiente. O Brusque reuniu cerca de 600 pessoas para o lançamento da campanha "Bruscão no Brasileirão" e mostrar o seu elenco para a Série D, que começa no domingo.

Estavam presentes o presidente da FCF, Delfim Peixoto (que não quis dar entrevista, por que será?), e João Nilson Zunino, que preside a Associação de Clubes.

Pra ver como a relação empresariado-clube mudou: em outros tempos, essas promoções do Brusque tinham descrédito. Se desse 50 pessoas nesses eventos, a diretoria podia dar as mãos pro céu. A coisa mudou bastante: o Presidente Danilo Rezini esperava vender 200 cartelas de R$ 500, que dava direito a participar do sorteio de um Celta, entregue na hora. Vendeu 330, o que rendeu uma boa verba para o Brasileirão.

Gostei do evento em si. Salão decorado, parecia coisa de Série A. Como o Danilo me disse ontem: "a nossa parte a gente fez, agora só falta o time corresponder em campo". Assim esperamos.
Foto: Hamilton Junior - Rádio Diplomata

Adversários da Série D: Corinthians Paranaense

SPORT CLUB CORINTHIANS PARANAENSE
Fundação: 27 de dezembro de 1994 (como Malutrom, o nome atual a partir de 5 de fevereiro de 2009)
Cores: Preto e Branco
Estádio: Janguito Malucelli - 6.000 lugares
Presidente: Juarez Malucelli
Técnico: Leandro Niehues


A família Malucelli trocou o nome do time baseado numa pesquisa, que indica que o Corinthians tem a maior torcida do Paraná. Com a parceria feita com a matriz paulista, surgiu o Corinthians Paranaense, novo nome do atual vice-campeão paranaense. O acordo prevê uma enorme aproximação entre os dois clubes. Pra se ter uma idéia, o uniforme oficial também será da Nike.

O time, que começou como Malutrom, pagou o preço da boa campanha no Estadual: ganhou a vaga na Série D, mas viu seus principais jogadores irem embora, caso de Jucilei, que foi para o Timão Paulista, e Bruno Batata e Rodrigo Crasso, que estão no Coritiba. Alguns jogadores permaneceram no elenco, e alguns reforços se juntaram ao time: o goleiro Ariclenes, o lateral Fabrício Freitas, o zagueiro Marcão e o meia Dil. Só conheço um jogador: o goleiro Colombo, que jogou por aqui há dois ou três anos atrás.

O técnico é Leandro Niehues, o mesmo que só não foi campeão paranaense desse ano por causa de um inesperado tropeço em Rolândia. Treinador dos juniores do Atlético-PR entre 2004 e 2007, colecionou vários títulos na base. Ele garantiu que as contratações foram feitas a dedo: “Só contratamos quem tenha ciência da nossa mentalidade e estilo de trabalho. Não podemos errar, por isso temos um critério muito exigente. Acima de tudo, acreditamos nos nossos jogadores, coisa que não acontece em outros times normalmente”, disse Leandro.


É candidato a classificação. Não por causa do novo nome, mas por causa da estrutura. A família Malucelli torra uma grana alta no Corinthians genérico.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Marcílio Dias perde o mando de campo

Não bastasse a crise financeira e a luta contra o rebaixamento, o Marcílio Dias arrumou mais um problemão: foi condenado em dois mandos de campo na Série C, devido a um foguete atirado em campo na partida contra o Marília, no último dia 14. O clube era reincidente.

O Marinheiro tenta efeito suspensivo neste momento, no STJD. Caso não dê certo, o clube já começa a procurar um outro estádio pra jogar. Lembrando que no Campeonato Brasileiro os jogos não podem ser feitos a uma distância menor que 100 km do local da partida. (veja matéria do Lance! sobre isso) Ou seja: Florianópolis, Brusque, Joinville e Blumenau estão descartados. Ibirama aparece como opção.

Atualização 00:31: Hoje, aqui em Brusque, o Presidente da FCF disse que a punição não pode ser paga menos de cinco dias úteis da data de punição (até domingo são quatro). Logo, Marcílio x Criciúma deverá acontecer em Itajaí, e o Marcílio pagará o castigo no último jogo em casa, e ficará devendo mais um para o ano que vem.

Adversários da Série D: São José-Poa

ESPORTE CLUBE SÃO JOSÉ
Fundaçâo: 24 de maio de 1913
Cores: Azul e Branco
Estádio: Passo D´Areia - 10.000 lugares
Presidente: José Paulo C. Fernandes
Técnico: André Luis


O Zequinha entrou na Série D depois das desistências do Veranópolis, Santa Cruz e da Ulbra, que ficaram a sua frente na classificação do Campeonato Gaúcho, onde ficou na nona colocação. É um time que nunca fez muita coisa dentro do seu Estado, mas tenta encontrar um lugar ao sol no futebol brasileiro, participando da quarta divisão.

O planejamento foi bem feito, com a contratação de Itamar Schulle, conhecido formador de equipes de baixo custo. Ele tem um bom faro, e encontra bons jogadores em clubes do interior que formam bons times. Prova disso é o Juventus no Estadual de 2007. Mas Itamar recebeu um convite do Criciúma, e acabou abandonando o barco às vésperas da estreia. Foi chamado André Luis, que comandou o time no último gauchão. Ele é ex-jogador do Internacional, tendo como principal conquista a medalha de prata nas Olimpíadas de Los Angeles-84.


O time mantém a base do Estadual, onde o principal destaque é o atacante Rafael Xavier, ex-jogador do Brusque, um baixinho de muita velocidade e força. Já no quesito fama, o jogador de maior nome é Fabiano "Cachaça" (foto), de 34 anos, ex-Internacional e campeão brasileiro pelo Santos em 2002.


O São José é a grande incógnita do Grupo 10. Não se sabe o quanto poderá render, nem o quanto a troca do treinador influirá no desempenho do time. No meu palpite, o time não irá classificar, mas a partir do final de semana teremos uma idéia.

Peter, o cigano

Você se lembra do meia Peter, destaque na Chapecoense no título estadual de 2007? Depois daquela conquista, ele não conseguiu se firmar em nenhum time, e foi demitido de mais um ontem: o Juventude.

O jogador, de 26 anos (fez aniversário domingo), pulou em vários galhos: Figueirense, depois o Grêmio, onde acabou emprestado para Sport e Criciúma. Com contrato rescindido com o tricolor gaúcho, ficou três meses parado até ser anunciado no Juventude, em primeiro de maio. Acabou sendo dispensado ontem.

Segundo o jornal Pioneiro, Peter chegou ao clube "um tanto disperso" e acima do peso. Traduzindo: Peter só deu certo naquele time da Chapecoense.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Adversários da Série D: Pelotas

Nesta semana, vou trazer aqui no Blog um resumo, estilo "Conheça a Segundona", dos adversários de Brusque e Chapecoense na Série D do Brasileiro. Começamos hoje com o Centenário Pelotas:

ESPORTE CLUBE PELOTAS
Fundação: 11 de outubro de 1908
Cores: Azul e Amarelo
Estádio: Boca do Lobo - 18.000 lugares
Presidente: Luiz Antonio de Mello Aleixo
Técnico: Beto Almeida


O centenário áureo-cerúleo terá um desafio a mais a partir de domingo: o time disputa, além da Série D, a Segunda Divisão do Gauchão, onde está classificado para a terceira fase por antecipação. O Lobão, como é conhecido, ganhou vaga no Brasileirão por ter conquistado a Copa Lupi Martins, no ano passado. O Pelotas tem a chance de subir para a elite do RS, mas o confronto de datas com o Brasileirão pode atrapalhar. Para piorar um pouco a situação, o time não vence há três partidas, e demitiu seu técnico na semana passada: saiu Beto Campos e entrou seu xará, Beto Almeida, treinador conhecidíssimo no futebol do Estado vizinho.

Dentro de campo, o Pelotas tem um ataque veteraníssimo, que tem Dauri, aquele mesmo que jogou no Criciúma, Grêmio e Botafogo, no alto dos seus 35 anos. O artilheiro também é ídolo no interior gaúcho: Sandro Sotilli (foto), de 35 anos, vice-artilheiro do último Gauchão vestindo a camisa do São José. Um ataque de qualidade, mas a maratona de jogos e a rotina longa de viagens poderá pesar.

O fato do Pelotas ser um time que disputa a Segunda Divisão no seu Estado não pode ser ser levado em conta na Série D. É um time de torcida, que tem dinheiro (Sotilli não é jogador barato) e que tem muita força jogando dentro da Boca do Lobo. O Pelotas, como campeão da Copa Lupi Martins, poderia escolher entre a vaga na Série D (e o acúmulo de jogos) ou uma ida a Copa do Brasil (que acabou ficando com o vice, o Cerâmica, de Gravataí), optando por tentar seguir o caminho do seu rival Brasil, hoje na Série C. Se aguentar a maratona, é candidatíssimo a uma das duas vagas.

No Tigre, corrida para cancelar títulos de sócio

Na cidade, muito se fala. Até no Orkut, há uma campanha.

Há uma grande leva de torcedores do Criciúma que estão ligando para a Secretaria para pedir o cancelamento da sua associação no Clube. A coisa começou a aumentar principalmente depois da goleada sofrida para o Marcílio, na semana passada.

Estima-se que o Tigre já tenha perdido cerca de mil sócios, que mandam email, usam do telefone ou de outros meios para avisar que estão pulando fora. Teve até um que mandou duas carteirinhas pelo correio, e no envelope havia uma carta dizendo que enquanto a diretoria atual estivesse no comando, não se associaria mais.

E as coisas vão dificultando mais e mais por lá.

domingo, 28 de junho de 2009

De novo, ninguém ganhou

Três jogos catarinenses no Brasileiro, um empatezinho e duas derrotas...

O Figueirense dá pra dar um desconto, empatou com o Vasco que é uma das forças da Série B. Achou um gol no final, do Clodoaldo Etô...

O Avaí perde prum time do Cruzeiro que nem reserva era. Quando vi a entrevista do repórter da Record de Minas no Sábado, dizendo que jogadores do sub-20 iriam estrear no time, pensei que ia ser moleza. Não foi, o time perdeu, e não aparecem sinais de reforços pro time. Tou sentindo o Avaí numa mesmice danada, aceitando os golpes tomados.

E pra fechar, o Marcílio Dias perdeu em Pelotas e não tem mais chance de classificação, se juntando ao Criciúma na melancólica campanha catarina na Série C. Domingo tem decisão em Itajaí: Se o Marcílio vencer, praticamente sela o rebaixamento humilhante do Tigre. Mas se perder, pega toda a bomba da Série D nas mãos.

Semana começando, Série D começando no domingo. O São José, adversário do Brusque, venceu amistoso contra a Chapecoense por 1 a 0, hoje. Veremos no final de semana.