sábado, 25 de julho de 2009

Eu cubro time pequeno, e daí?

Acabo de chegar a Pelotas. Um grau abaixo de zero lá fora, um frio do cão que faz doer os pés. Amanhã, vamos ver se o Bruscão, que tá aqui desde quinta, consegue levar uns pontos pra casa.

Bom, pra quem cobre time grande, é uma rotina passear pelos aeroportos do Brasil atrás dos times da capital, principalmente. Mas como o Brusque tem a sua primeira chance em 20 anos no Brasileirão, pra mim essa viagem é especial, aqui pro extremo sul do Brasil. Não vinha a Porto Alegre há uns 15 anos, pelo menos.

Viagem de avião tranquila até Porto Alegre, mais três horas de ônibus, cá estou.

Hora de descansar, amanhã tem jogo.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

TJ libera Bebidas Alcoólicas em Estádios

Deu no Engeplus, por Nei Manique, e reproduzo na íntegra:

A proibição da venda de bebidas alcoólicas em estádios de futebol e vizinhanças não pode ser determinada pela Polícia Militar. Decisão nesse sentido foi emitida pela 3a Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de SC, considerando irregular a adoção de portaria para coibir a venda do produto.

O Governo do Estado tentou com um agravo de instrumento suspender os efeitos de liminar concedida pela Fazenda Pública da comarca de Florianópolis em junho de 2008, tornando sem efeito a portaria 356/2008. Ao apreciar mandado de segurança em fevereiro passado, a mesma unidade jurisdicional confirmou a liminar ao julgar o mérito da questão.

Para o desembargador Pedro Manoel Abreu, a portaria usurpou função exclusiva do Poder Legislativo. Na condição de ato administrativo e interno, segundo ele, acabou por ferir o princípio constitucional da livre iniciativa. O agravo sustentou que a venda de bebidas dificulta a ação policial no combate à violência e na preservação da ordem pública.

"A violência se mostra intolerável, mas igualmente odioso é o desrespeito ao estado democrático de direito”, ressaltou o magistrado. “O que se necessita não é da proibição do consumo de bebida nem da sua venda, medidas paliativas que atacam a conseqüência, mas de políticas públicas que garantam a segurança dos torcedores e cidadãos, residentes ou não na vizinhança dos estádios."


Agora, a questão é jurídica: Uma decisão judicial valeria mais do que uma portaria da CBF, para permitir a venda de bebidas nos Estádios no Campeonato Brasileiro? Com a Palavra, os advogados que frequentam o Blog.

terça-feira, 21 de julho de 2009

É, o Marcílio caiu...

A Crônica de uma morte anunciada teve o seu desfecho hoje. A tragicomédia de um time que no ano passado conquistou a glória ao ganhar no campo a vaga na Série C, termina com dois rebaixamentos, um presidente questionado e diversos confrontos internos. Esse é o Marcílio Dias, rebaixado pela segunda vez no ano, ao perder por 3 a 2 para o Brasil de Pelotas em Criciúma.

Importante lembrar que o marinheiro entrou no jogo com apenas 7% de chances de escapar da degola. Ou seja, o destino já havia sido traçado faz tempo, mesmo com o time tendo duas vezes a oportunidade de ficar à frente do placar, hoje. A falta de vitórias em casa foi determinante, dentro de campo. Fora dele, todas as trapalhadas do presidente Crispim, somadas às brigas com o Conselho Fiscal e a má administração do nonagenário clube que é patrimônio de Itajaí, acabaram por ajudar a afundar mais ainda o rubro-anil.

Carlos Crispim chega ao seu terceiro fiasco do ano: primeiro, quando presidia a Associação de Clubes, tentou quebrar na marra o contrato de televisionamento com a Record para a acertar com a RBS. Tomou paulada da Justiça e ainda fez a Associação pagar multa. Depois, o rebaixamento no catarinense, onde os jogadores fizeram plantão na porta do Estádio Hercílio Luz querendo receber o que lhes era de direito. E, por fim, o mais esperado: o rebaixamento para a Série D. Já era esperado que o Marcílio não teria um time à altura dos outros quatro da chave. Ano que vem, o time disputará a Segundona de SC e a Série D simultaneamente (quem cai da C tem direito a participar da D do ano seguinte).

E o pesadelo ainda não acabou. O Marcílio Dias folgará na próxima rodada, e terá que fazer o jogo de despedida no dia 2, contra o Caxias, no Estádio Centenário.

Pelotas repete time reserva contra o Brusque

Hoje, assisti pela TVCOM na Internet a vitória do Pelotas em cima do Riograndense de Santa Maria (do Juninho Laguna, lembra dele?) por 4 a 1, pela Segundona Gaúcha. Com o resultado, o Pelotas está vivo na briga por uma das vagas na fase final do Gauchão, jogando na quinta, contra o Brasil-Far na serra, e a grande decisão contra o Panambi, na segunda a tarde, na Boca do Lobo.

Bom, isso garante que o Pelotas virá com time reserva de novo pra enfrentar o Brusque, já que o Lobão não dá a mínima pra Série D. Jogarão no sábado os reservas, mais aqueles que estiverem suspensos para o jogo de segunda. Como aconteceu com o principal destaque pelotense de domingo, o excelente lateral Xaro, que estava suspenso para o jogo de hoje e jogou no Augusto Bauer. Ele não estará em campo.

Mesmo sendo time reserva, não é motivo para perder o foco no jogo. O Brusque viaja na quinta de manhã para o RS, e deve manter a mesma formação para o jogo na Boca do Lobo.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Marcílio x Brasil a 30 reais

O Marcílio Dias tá pedindo pra torcida de Itajaí não ir a Criciúma...

O pessoal lá do Sul está divulgando que os ingressos para o jogo de Amanhã, entre Marcílio e Brasil, custarão trinta reais. Sócios do Criciúma em dia pagarão apenas cinco.

domingo, 19 de julho de 2009

O Brusque melhorou, e está vivo na D

Suca havia falado que o negócio pro Brusque era esquecer o que havia acontecido e começar um novo Campeonato, a partir desse domingo. Muita conversa, motivação e treinamentos depois, o time teve uma melhora considerável. Mostrou falhas, mas conseguiu o mais importante: derrotou o Pelotas por 4 a 2 e está mais vivo do que nunca no Brasileirão.

O time se mostrou vibrante no primeiro tempo, como deve ser. Ligado no jogo, rápido e com espírito de time. E foi bom ver o Rafael Bittencourt, depois de encarar o banco de reservas e bater boca com a torcida em Curitiba, resolver jogar bola depois de muito tempo, marcando dois gols. Hoje ele merece elogios. Assim como o Valdo, que saiu como titular e fez boa partida. Espero que isso se repita no sábado. O time como um todo mostrou voluntariedade, no melhor primeiro tempo de todo o campeonato.

Na segunda etapa, não dá pra dizer a mesma coisa. Houve uma clara acomodação, e cansaço por parte de alguns, caso do Valdo. O Pelotas apertou, quase empatou o jogo, mas só oferecia perigo com o excelente lateral Xaro (presta atenção nele pro Catarinense, Bruscão!). Fez 2 a 1 num golaço, depois o Lobão mete uma bola na trave, o Gil fez 3 a 1 em contra-ataque. Mais um gol de cada lado e o placar tá fechado. Com um pouco de drama no final, a vitória veio.

O Brusque está a um ponto do Corinthians-PR, e precisa de um bom resultado em Pelotas, no sábado. Arrisco dizer que o Lobão colocará o time titular em campo, o que mudará o cenário do jogo. Mas quem quer classificar precisa passar por todos os obstáculos. Hoje, eu vi uma luz no fim do túnel. O Brusque hoje se mostrou um time de futebol. Que continue assim. Pelotas nos espera.

SC Vôlei: time feminino em Floripa?

Não faltava mais nada para o tal do Santa Catarina Vôlei. O Luciano Smanioto, que mantém o Blog Ataque e Defesa no ClicRBS, levantou a bola sobre a criação de um time de voleibol feminino em Florianópolis, montado pelo Renan. Eu vou colocar abaixo alguns trechos do post dele, e comento em negrito na sequencia:

Por enquanto é só um palpite, um exercício de "juntar os pontos", mas eu torço para que se concretize: Florianópolis vai ter um time feminino na próxima Superliga, e ele será formado pelas categorias de base da Seleção Brasileira, provavelmente a infanto-juvenil, que acabou de ser campeã mundial.
Primeiro os fatos, depois o raciocínio:
- O Ginásio Carlos Alberto Campos, que era usado pelos times da Capital antes da reforma do Capoeirão, está sendo reformado. Vai atender às equipes de base da Cimed e um time de basquete. Ali também vão funcionar escolinhas e me parece que vai ter até aulas de vôlei pra terceira idade. A estrutura veio toda de Brusque, do time da Brasil Telecom, que era tocado pelo Renan Dal Zotto, gerente de esportes da Cimed. (A relação entre o pessoal da AD Brusque e Renan já foi melhor. Dirigentes brusquenses ficaram surpresos quando, num belo dia, um caminhão encostou na Arena Multiuso levando todos os materiais do antigo Brasil Telecom).


- Renan tentou de tudo para montar um novo time feminino após a desistência do antigo patrocinador de Brusque, a Brasil Telecom. Disse que era questão de honra, que não ia descansar enquanto não montasse um time. Diante da demora em encontrar parceiros e com poucas jogadoras de ponta disponível no mercado, a alternativa cogitada seria a de usar um time juvenil, ou infanto, da Seleção Brasileira, coisa que, se não me engano, o Fluminense já fez no masculino. (Prova de que houve problemas no relacionamento Renan-AD Brusque. Ele veio na Prefeitura Municipal e falou que ia fazer o possível pro time ficar).

.- O técnico Maurício Thomas, auxiliar de Luizomar de Moura (treinador do Osasco) no time infanto-juvenil, ainda não acertou com clube nenhum. Ele e Renan se falam ao telefone praticamente todos os dias. Aposto que o dirigente "segurou" o treinador, porque tinha confiança de que conseguiria montar um novo time. (Encontrei com Maurício ontem, aqui em Brusque. Muito estranho, sabendo que ele não é mais técnico da AD Brusque. O atual é Rogério Portela, que era o seu auxiliar).

- A catarinense Duda Kraisch, oposta campeã mundial com a Seleção Brasileira infanto, ainda não definiu onde vai jogar e cogitou a possibilidade de seguir trabalhando em Santa Catarina com o Maurício Thomas - que, aliás, eu considero um dos técnicos mais promissores do país, e já disse isso aqui no blog várias vezes. (Essa é a maior prova de que a informação tem fundamento).

- A Associação Desportiva Brusque, nome do clube que abrigava a Brasil Telecom, uniu-se à Associação Desportiva Pomerana e juntas as duas formaram o Santa Catarina Vôlei Clube, patrocinado pela Cativa, que já mantinha o time feminino de Pomerode. Elas disputam a Liga Nacional. Venceram a fase regional e já estão classificadas para a etapa final. Por que elas não vão direto para a Superliga? Eu diria, e isso é chute meu: que "a vaga é do Renan" e ele vai trazê-la pra Florianópolis. (A vaga é da AD Brusque, e Rubens Fachini bateu pé em cima disso. Mas não muda muita coisa, já que duas vagas na Superliga são distribuídas por convite, a cargo do presidente da CBV, Ary Graça. Não seria problema para Renan, ainda mais com a crise que se instalou no vôlei feminino).

O raciocínio do Luciano tem fundamento, comprovando que o relacionamento entre Renan e a direção do voleibol brusquense, que era boa, tornou-se nebulosa. Caso apareça um time em Florianópolis com grande suporte financeiro, juntando com essa união brusquense com o pior time da última Superliga, aparecerá outro problema: a questão da verba a ser repassada pelo Governo do Estado, além da questão técnica em si.