sábado, 1 de agosto de 2009

Histórias da "Quartona": Esquecemos o Equipamento!

Bom, a história é recente, e é mais uma que vai pras lembranças das aventuras da carreira. E serve pra cornetada que acha que eu não ia contar essa. Não é uma história da Segundona, é da quartona, já que aconteceu na Série D do Brasileiro. Aí vai:

Dia 12 de julho de 2009, o Brusque jogaria em Curitiba contra o Corinthians Paranaense. Saída marcada pras 8 da manhã, na Rádio Cidade. Cheguei 7:15 na TV, pra pegar nossas coisas, quando eu vejo pela rua um caminhão carregando pedaços do relógio da ponte do Estádio. Achei que não tinha acordado, e peguei a parafernália toda.

Cheguei na Rádio, e era verdade: o relógio da ponte estava sendo retirado. Todo mundo ali, parado, vendo a cena. Fiz umas imagens, e fui pra Rádio. O carro não estava lá. O plantonista levou e esqueceu de trazer pra emissora. O tempo passando, e a gente vendo o bafafá lá na ponte. Quarenta minutos depois, o Valdomiro chegou com o carro. Estávamos atrasados. Entramos rapidinho, jogamos as coisas no Porta-malas (reduzido, Gol com dois cilindros de gás é sacanagem) e fomos pra rodovia, eu, Xirú, o Joaquim Santos e o Victor Pereira, repórter da TVB.

Viagem boa, churrasco melhor ainda na Av. das Torres, e o GPS nos levou pro Estádio do Corinthians Paranaense. A entrada é o portão da construtora do Joel Malucelli, que dá acesso a uma linda sede lá em cima do morro. Chegamos, descemos, e qual a surpresa ao abrir o porta-malas. Coloquei as mãos na cabeça e berrei: "C...lho, esqueci o equipamento!". Isso mesmo: esquecemos o mais importante. Quase fui pra cima do Guardinha, que me perguntou: "não tem como ir lá buscar rapidinho?". Estávamos a 300 km de casa. E agora? Foi quando apareceu o seu Antônio. Técnico da Rádio Globo de Curitiba, era o único que tava no Ecoestádio (detalhe: a Rádio é do dono do time, só assim pra transmitirem o Corinthians-PR). Depois de rir da nossa cara (e com razão), arrumou uma maleta extra que tinha, ligada ao microfone da TV que levamos, e foi assim mesmo, com os três dentro da cabine, com as reportagens feitas pelo celular no fim do jogo. O seu Antônio queria trocar a minha espuma de microfone pela dele, mas eu dei, sem a maior cerimônia. Era o mínimo que eu podia fazer.

O mais engraçado foi a ligação do Chefe de Esportes, o Dirlei Silva, depois do jogo: "Transmissão ficou perfeita, tudo ótimo". E ele não sabia do acontecido. Bom, pelo menos passamos o recado e não fizemos o pessoal suspeitar. Rádio tem disso!

Vocês tinham que ver a minha neura na viagem pra Pelotas. Cada meia hora eu abria a bolsa pra ver se o equipamento tava ali. Nunca mais vou esquecer. O fantasma de Curitiba vai me perseguir.

Derrota bisonha do Figueira

Num campeonato complicado como a Série B é, perder fora de casa pode até ser considerado um resultado aceitável. Agora, perder do jeito que o Figueirense perdeu pra combalida Campinense, tomando quatro do pior time de todo o torneio, é coisa pra mandar de volta a pé.

O jogo foi horrível. O jeito que o time da casa chegou aos gols foi mais ainda. Aquele Figueirense que esboçou e confirmou uma reação na Série B deve ter ficado no Aeroporto. O lanterna do campeonato, que só tinha vencido duas partidas das 15 até aqui, ganhou, e pior, de goleada.

Resultado que custará a vaga no G4 ao alvinegro do Estreito. Fatalmente será ultrapassado ao fim dos jogos de sábado.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

O Avaí Patrolou!

Olha, a quinta vitória seguida do Avaí foi linda, e ao mesmo tempo chocante. Não há quem não esteja pasmo com essa sequência de triunfos, que traz a rodo a pergunta: onde esse time vai chegar? Não sei, prefiro aguardar pra assistir. Não vai ser assim até o final do campeonato, mas há de se afirmar que todos os 19 clubes passam a olhar o Leão com outros olhos.

O Avaí fez dois gols sobre o Vitória no começo do jogo, e isso matou o time baiano. Interessante ver o crescimento do futebol do Muriqui, que nunca deixou de ser um bom jogador, mas se encontra atualmente em uma fase, digamos, irresistível. Liso, em plena forma física, correndo demais, serve como contrapeso a Marquinhos, que não tem tanta velocidade, mas tem um toque preciso, apesar de ainda estar aquém do que pode realmente render.

Domingo, o desafio é contra o Corinthians no Pacaembu (com transmissão da RBS), e o time de Silas tentará a sexta vitória seguida. Uma derrota lá é normal, os jogadores precisam entrar em campo esquecendo essa história da sequencia de triunfos.
E olhando a tabela, o Avaí nem fechou o turno e está já com meio caminho andado para se afastar do rebaixamento, que é a meta principal do time nesse Brasileirão. Considerando que o clube precisa fazer algo em torno de 44 pontos para estar seguro, metade já foi conquistado. E isso é muito bom.

Beto "Cachaça" reforça o Imbituba

Com texto do "Diário do Sul":

O esperado reforço com passagem pela Seleção Brasileira era mesmo o esperado. Na manhã de ontem, o meia Beto, de 34 anos, chegou a Imbituba, deu entrevistas ao programa do radialista Gervázio Plácido acompanhado pela diretoria do clube da cidade, conheceu alguns pontos turísticos, e apalavrou sua contratação. Segundo o presidente Roberto Rodrigues, a assinatura do contrato acontece hoje.
O rodado meia chega para suprir a ausência do antigo camisa 10 Thiago Coimbra, filho de Zico, que teve dificuldades de adaptação
(também conhecido como excesso de ruindade) e deixou o clube.

Joubert Araújo Martins teve um início de carreira arrasador no Botafogo, campeão brasileiro em 1995. No ano seguinte, foi campeão pré-olímpico e ficou fora das Olimpíadas de Atenas por contusão. Ainda pela Seleção, conquistou a Copa América de 1999.
Defendeu Napoli (Itália), Grêmio, Flamengo, São Paulo, Fluminense, Consadole Sapporo (Japão), Vasco, Sanfrecce Hiroshima (Japão), Itumbiara (GO), Brasiliense, Mixto (MT) e Confiança (SE). Sempre envolto em polêmicas quanto à sua vida noturna, foi campeão carioca por Flamengo e Vasco.

Como diriam lá no Futebol Interior, meu Deus!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Léo Maringá se despede do Brusque no domingo

O jogo contra o Corinthians-PR, neste domingo pela Série D, será o último do meia Léo Maringá com a camisa do Brusque. Ele já acertou a recisão de contrato e seguirá para o futebol tcheco.

Ele irá junto com a esposa, a jogadora de vôlei Juzinha, ex-Brasil Telecom, que foi contratada por um time de lá. Eles se conheceram em Brusque, e casaram-se em abril passado.

Maringá é um jogador que tem forte ligação com o clube. Vindo do América-RJ, chegou ao clube em março do ano passado, e participou da campanha do Estadual que culminou com o rebaixamento para a Segunda Divisão. No segundo semestre, fez parte do time que venceu a Segundona, a Copa Santa Catarina e a Recopa Sul-brasileira.

Histórias da Segundona: A batatinha

No meio de caminho pra Pelotas, resolvi roer um pacote de batatas-fritas. Olhei pra cara do Xirú e falei: "lembra da história da batatinha?" e surgiu mais uma história da segundona pra ser contada aqui no Blog. Foi durante a primeira divisão de 2001, mas serve muito bem como um conto "segundonesco".

Eu estava na Rádio Araguaia, e fomos escalados, eu e o Xirú de Curitibanos, pra um Kindermann x Brusque, lá em Caçador, num sábado a tarde. Fomos de carona, num Tempra emprestado pra dois amigos nossos, o Fábio Krieger e o Marcelo Beuting. De manhã cedo, subimos a serra.

Primeiro, a parada pra almoço na terra do Xirú. Ele sugeriu uma Churrascaria chamada Charrua, bem no trevo da Br-470, dizendo ser o melhor rodízio da região. Chegamos lá, entramos no estabelecimento, sentamos, e comecei a ficar impaciente, pois o rodízio só trazia linguicinha e frango no espeto. Uns quarenta minutos depois, descobri que a churrascaria simplesmente não tinha carne. Não é mentira: a churrascaria não tinha nem um pescocinho.

Eu tava puto. Mas mesmo assim, hora de seguir viagem. Usamos uma estrada cheia de curvas que liga Curitibanos até Lebon Régis, para depois chegar em Caçador. Umas duas horas antes do jogo, chegamos ao Estádio Carlos Alberto Costa Neves.

A rádio tinha um patrocinador na época que era uma marca de batatinhas fritas. Todo jogo fora, a gente era obrigado a levar duas caixas cheias de pacotes de batatinha pra distribuir pra torcida local, pro pessoal conhecer a marca. A gente realmente distribuía, mas guardava uma reserva técnica pra algum imprevisto.

O jogo foi terrível, acho que foi 2 a 2, e resolvemos tomar o caminho de casa. Alguém no carro teve a idéia brilhante de não parar pra jantar no nosso tradicional ponto de parada, o Hotel Central, em Apiúna. O pessoal já olhou pras batatas que tinham sobrado, e o Xirú atacou nelas, sem piedade. Depois, o resto também se empapuçou. Eu tava sem fome, e como não tava dirigindo, dormi. Ou tentei dormir. Foi uma viagem desesperadora, com o mal cheiro que tomava conta do Tempra emprestado. Quando acordei, só vi o Xirú com a cabeça pra fora descarregando as batatas que não entraram bem no estômago dele, "lavando" uma Kombi que vinha atrás. Quase causou uma tragédia automobilística.

Moral da história: muito cuidado com o que você come na estrada. As curvas podem te causar indigestão.

Sei que tão cobrando que eu conte a história do equipamento que eu esqueci de levar pro jogo do Brusque em Curitiba. Na próxima eu conto.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Taí a Faixa

O Adriano Assis mandou, e abaixo está uma das faixas de protesto colocadas nas ruas de Itajaí no dia de hoje. Essa está na rótula do Edifício Liberty, próximo ao Hospital Marieta:

Itajaí amanhece com faixas "Fora Crispim"

Hoje, a cidade de Itajaí amanheceu com faixas com os dizeres "Fora Crispim" em diversos pontos da cidade. A iniciativa de torcedores do Marcílio Dias também teve pichações nos muros do clube, na Rua Gil Stein Ferreira.

Cresce a cada dia a pressão da torcida pela saída do presidente marcilista, que só acumulou insucessos neste ano. Não tenho o estatuto na mão, então não posso dizer se há alguma forma dos associados provocarem um "impeachment" de Crispim. O Conselho Deliberativo não fará isso, já que o presiente, Aldo Corrêa, está do lado do presidente.

Todos dizem que, com raras exceções, quem assume um clube de futebol só arruma pepino, muitas vezes tendo que arcar com despesas do bolso. O Marcílio vive uma situação terrível, sem dinheiro pra nada. Por que o Crispim quer tanto continuar na presidência?

Grizzo não é mais técnico do Hercílio Luz

E Grizzo acabou sendo demitido do Hercílio Luz, após a derrota em casa para o Próspera, neste domingo.

O time já não tem mais chances de conquistar o título do turno, embora tenha uma boa possibilidade de ganhar vaga no quadrangular pelo índice técnico.


Na verdade, o Hercílio está patinando, e mesmo treinando há mais tempo, não tem mostrado a mesma qualidade de Juventus e Imbituba, que estão na frente da classificação. Agora veremos se o problema Hercílio era mesmo o técnico.

Maurício Thomas manda agradecimento

Recebi há pouco um email do Maurício Thomas, ex-técnico de voleibol feminino do Brasil Telecom, e que, segundo se especula, deve ser o treinador do novo time de São José. O texto abaixo:

Oi Rodrigo, tudo bem?
Queria poder falar com vc , pois gostaria de fazer um agradecimento a cidade pelos anos de Brasil Telecom, onde fui muito bem recebido por essa cidade, atraves de vcs repórteres e amigos da informação que querem ver o esporte de Brusque sempre muito bem representado pelos seus esportistas, treinadores e dirigentes.
Estive afastado da cidade apos o término da equipe na temporada passado, pois me apresentei logo em seguida na Seleçao Brasileira de Voleibol, onde estava prestando serviço a naçao no Campeonato Mundial na Tailandia da categoria Infanto Juvenil, onde me sagrei TRI CAMPEAO DO MUNDO e nesse período aconteceram muitas coisas aqui na cidade entre eles a fusão da equipe 4 colocada com a ultima colocada na Superliga , o que me deixou surpreso, mais deve ter sido a unica forma do time nao acabar, conforme os dirigentes do volei relatam.
Em uma conversa com o Prefeito atual Paulo Eccel, fiz meus agradecimentos pelo apoio nos anos que eu dirigi com muito orgulho esse time que mostrou ao Brasil, muita garra, paixão, orgulho de representar uma cidade apaixonda pelo voleibol. Confesso que fiquei surpreso com o apoio dos torcedores e amigos da cidade que ajudaram a divulgar essa paixao do Brusquense que estava guardada desde a época do time do Bandeirantes.
Quero agradecer a vc tb pelas oportuindade que me foram dadas no seu programa nas noites de esporte brusquense, noites que eu aprendi a virar estudando os adversarios que aqui vieram se degladiarem na nossa Arena Multiuso.
Foram dois anos de luta , levando o nome da cidade de Brusque na nivel nacional, com final de torneio pela TV aberta, TV Globo, com um retorno de Midia espetacular e mensagens do Brasil tod dando os parabens pelo nosso trabalho e conhecendo essa cidade atraves das vezes que o locutor da Sportv e Globo , falava o nome da cidade de Brusque nas suas transmissoes.
Hoje moro em Brusque , uma cidade que me acolheu muito bem e com pessoas apaixonadas pelo esporte como eu, estou procurando outro lugar para trabalhar e assim e a nossa vida de treinador de alto nivel.
Muito obrigado pelo apoio nesses anos e sei que as criticas sao importantes para o mundo jornalisticos e com elas crescemos.
Quando nos encontrarmos , conversaremos mais .
Abraço.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Árbitro de NEC x Camboriú divulga Súmula

Saiu hoje no site da FCF a súmula do jogo NEC x Camboriú, que deveria acontecer ontem, em Balnéario Camboriú. O relato do árbitro Luiz Carlos Pereira é cômico.

Ele cita que "O Estádio das Nações não apresentava condições de jogo, pois estava acontecendo um evento promovido pelo Sr. Elton Garcia, do "Amigos do Tropical". Segundo Pereira, Elton não permitiu que ele, o delegado e os oficiais da FCF entrassem no Estádio. Haviam cerca de 2 mil pessoas lá dentro. E quando digo lá dentro, não é na arquibancada, e sim dentro do campo.

Eu tou imaginando a cena o time do NEC entrando em campo pra bater foto, no meio da galera já meio "calibrada" na festa.

Vamos aguardar o Tribunal de Justiça Desportiva. Mas como eles andam muito bonzinhos, tá me cheirando a mais uma pizza. Ou quem sabe a um beirute de frango da Lanchonete Tropical de Camboriú.

domingo, 26 de julho de 2009

As contas para a classificação do Brusque

A vitória do Brusque em Pelotas foi importantíssima, isso não resta dúvida. Mas a derrota do São José para o Corinthians-PR tumultuou e muito as coisas. Hora de fazer as contas da classificação. Guarde esse post para você se situar.

Primeiro a classificação:

1 - São José (SJO)- 9 pts - Saldo 4
2 - Corinthians (COR) - 7 pts - Saldo 2
3 - Brusque (BRU) - 6 pts - Saldo -1
4 - Pelotas (PEL) - 1 pt (matematicamente eliminado).

Jogos que faltam: BRU x COR e PEL x SJO no próximo domingo, e SJO x BRU e COR x PEL na última rodada.

Primeiro de tudo, o Pelotas será o fiel da balança para a classificação à segunda fase. Se Zequinha ou Corinthians tropeçarem, devem perder a vaga. Então, pras nossas contas, vou considerar que o Lobão, já eliminado, perca os dois jogos.

O Brusque tem três gols de desvantagem para o Corinthians. Se o Bruscão vencer por 1 gol de diferença domingo, teremos saldo 1 para COR e o BRU zerará. Com dois gols de diferença, o Brusque passaria no saldo (1 a 0). Mas não poderá ser suficiente para que possa jogar pelo empate em Porto Alegre contra o São José, já que o Corinthians pega o Pelotas em casa, e se vencer por placar simples, o desempate será nos gols marcados. Há até uma chance dessa vaga ir para sorteio.

O São José tem uma posição cômoda. Vitória contra o Pelotas combinada com vitória do Brusque sobre o Corinthians garante a classificação em primeiro lugar do Zeca, a nao ser que o Bruscão consiga descontar uma vantagem gaúcha de cinco gols.

Matematicamente, o Brusque se classifica com 11 pontos, mas como não há essa possibilidade, terá que ser com 12. A não ser que o Pelotas resolva mudar um pouco o curso da situação.

Temos aqui uma situação curiosa, onde um time poderá fazer 10 pontos e não classificar.

Várzea na Segundona: Festa no Estádio impede NEC x Camboriú

Olha, tá acontecendo cada coisa com esse tal de Navegantes, que eu nao sei o que a FCF tá esperando pra eliminar esse time de uma vez do mapa do futebol.

Aconteceu mais uma hoje. O jogo NEC x Camboriú deveria acontecer hoje a tarde, no Estádio das Nações, em Balneário Camboriú. Deveria. Acontece que hoje aconteceu no mesmo local uma festa que faz parte da programação do aniversário da cidade, onde o ingresso custava 2 kg de alimento.

Acreditem, o árbitro Luiz Carlos Pereira chegou ao local e não conseguiu entrar no Estádio, já que não tinha os 2 Kg de alimento para entrar na festa. Logo depois, chegou o time do Camboriú, que foi informado pela arbitragem que não haveria jogo, por falta de condições.

Aí você me pergunta: e o NEC? Chegou logo depois, sem arbitragem nem nada, entrou em campo no meio da festa, e posou pra fotografia. Foi embora.

Amigos da FCF e do TJD, façam um favor pro Futebol de Santa Catarina. Eliminem esse NEC, e proíbam os seus dirigentes de montar um clube de futebol. O fato de hoje envergonha o futebol de Santa Catarina.

Com imprensa contra fica difícil!

A função desse Blog não é polemizar em excesso. Mas tem coisas que eu ouço que merecem uma consideração aqui.

Não havia assistido, o Xirú tinha falado o que tinha acontecido, e resolvi ver pela internet o "Clube da Bola" do dia 19 de julho (assista aqui). Não bastasse a escassa cobertura do Brusque no programa (nem o Peninha, que é de Blumenau, que é área de cobertura dele, não estava, mesmo ele não vendo um jogo sequer do time), ainda tem que ouvir o pessoal detonando o Bruscão.

Primeiro foi o Marco Antonio Peixer, de Joinville, que disse que "O Brusque, coitado, já foi. O Brusque não deu em nada!". Não sei onde. É terceiro, e tem boas chances de classificar.

Depois foi a vez do Márcio Martins. Ele, que ao narrar um gol do Lima do Avaí no primeiro jogo da final do Estadual dizendo ser do William, do Figueirense, foi criticadíssimo por isso e dizem que isso custou a sua escalação para a finalíssima. Entrou um Maurício Torres completamente gripado e afônico.

Aí, ele solta mais uma pérola, desprezando o título conquistado em campo pelo Brusque, na Copa SC. Ele falou: "Aliás, o Brusque podia ter cedido essa vaguinha pro Joinville, né, ô Marco Antônio?"

Ceder por que, Márcio? O Joinville não está na Série D por incompetência dele próprio, que teve duas chances e não conseguiu. O Brusque tá bem, seis pontos na classificação e está sim representando bem o Estado de Santa Catarina. Mas com torcida contrária vindo das grandes redes, fica complicado, né?

Com a segunda vitória, Brusque toma o elevador

Suca tava demorando pra achar uma forma do time do Brusque jogar satisfatoriamente. Comparando a grosso modo e guardadas as devidas proporções, era o mesmo problema que Silas tinha no Avaí. Alterando o esquema e mudando bastante o time titular, o Bruscão parece ter encontrado uma forma próxima do ideal de tentar o acesso. Ainda bem que a dita melhora aconteceu na terceira rodada, e não era tarde demais para que a classificação ficasse distante, apesar de algumas coisas que andei ouvindo pela imprensa de fora da cidade nos últimos dias, mas não vou falar disso.

Você pode perguntar: tá, o time do Pelotas foi reserva, o titular foi poupado para o jogo de amanhã contra o Panambi, dá pra avaliar o Brusque em cima disso? Eu digo que dá. Primeiro, que o Pelotas não é isso tudo. Lá, todo mundo torce pro Brasil, não encontrei um que dizia que torcia pro Lobo. Até na Churrascaria do Estádio ouvi um "boa sorte, acabem com eles". Segundo, que acho que o time B é melhor que o titular, que perdeu pra times tão inexpressivos quanto o Panambi ou o Brasil de Farroupilha. E terceiro, e o mais importante: esse time que pegou o Brusque estava descansado, ao contrário do dito "Time A", que tá em maratona de jogos. Eles jogaram fechadinhos, e engrossaram o caldo. Mas a vitória veio, três pontos no caixa.

O Suca repetiu o time titular ontem, com Gil e Valdo no ataque. Vou ser sincero: o jogo não foi bom, mais pela covardia do Pelotas, que jogava muito fechado. O Brusque teve perigo duas vezes, ambas no segundo tempo, com belas defesas do goleiro Vanderlei. Suca mudou o time no segundo tempo, colocando Diogo Oliveira (e eu sou contra isso, o time não rende bem com Gil e Diogo juntos) e Paulinho (super questionado pela atuação no jogo anterior). Mas, se a marcação funcionava bem no meio, faltava o controle na articulação. As alterações serviram para manter a posse de bola no campo de ataque, e isso matou o Pelotas. O gol foi assim: Paulinho dominou no meio, rolou pro Gil, de primeira tocou pro Nequinha livre, que rolou pro Claudemir que mandou pra rede. Jogada coletiva, tudo o que eu queria ver nesse Bruscão.

Vamos ver como vai ser Corinthians Genérico x Zequinha hoje, em Curitiba. Dependendo do resultado, o Brusque consegue a classificação já domingo que vem, se vencer o ex-J. Malucelli.

Hora de voltar pra casa. Tou aqui esperando o voo de volta. Foi legal conhecer Pelotas, mais uma viagem que o Bruscão me proporcionou. Aliás, havia uma torcedora do Brusque lá, que foi impedida de entrar pelo pessoal do Pelotas, que alegou que ela teria que avisar que iria ao campo (isso que tinha 200 torcedores no estádio). Depois de alguma conversa, ela viu a vitória no meio do frio.

Ah, e viajar de carro aqui é um assalto: cada pedágio custa 6,80, pra andar em rodovia de pista única e em más condições. E tem gente que reclama dos 1,10 da Br-101 duplicada...