sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

FCF perdoa dívida de 60 mil do Marcílio Dias

Há um tempo, postei aqui no Blog uma notícia do "Diarinho" sobre uma sala pertencente ao marinheiro, onde funcionava uma lanchonete, que tinha o seu aluguel pago na Federação, a título de pagamento de dívidas passadas. Pois bem, o aluguel da dita lanchonete vai voltar a ser pago ao Marcílio, e a FCF perdoou uma dívida de 60 mil reais do clube. É o que diz a matéria do "Diarinho" de hoje, dentro da sua linguagem peculiar:

Pode-se dizer que o DIARINHO fez uma boa ação ao Marcílio Dias, pra não dizer que fez o clube ganhar mais uma graninha. Após publicar, em setembro, que uma sala do centro comercial que pertence ao clube tinha sido “dada” à federação Catarinense de Futebol (FCF) pra quitar uma dívida de 10 anos atrás, e que o aluguel ia pro bolso de Delfim e Cia., finalmente a novela acabou. Neste caso, com final feliz pro Marinheiro. E bota feliz nisso.

Na quarta-feira, na sede da FCF, em Balneário Camboriú, o presidente do Marcílio Dias, Abelardo Lunardelli, foi comunicado por Delfim Pádua Peixoto Filho, presidente da federação, que a tal sala, onde hoje funciona a lanchonete D’Graus, voltará a ter o aluguel encaminhado pro clube, e não mais pra federação.

Além disso, foi perdoada a dívida antiga que o clube tinha com a entidade que manda no futebol catarinense há uma década, com relação às taxas de arbitragem. O quero-quero, que tá de férias por causa da falta de jogos no Gigantão, contou que a dívida chegava a 60 mil reales. “Ficou acordado que a dívida do passado, com exceção da deste ano, fica quitada e que a sala que pagava o aluguel direto para a federação Catarinense de Futebol fará o pagamento agora para o Marcílio Dias”, diz Abelardo, que relatou coisas boas do encontro com Delfim. “A reunião foi muito boa, amistosa, com resultados muito bons para o Marinheiro”.
Concordo que o aluguel da dita sala deve ser paga ao Marcílio. Mas, se a FCF perdoa uma dívida, ainda mais de um valor tão grande, teria a obrigação de também perdoar a de outros clubes, ou não?

Ovelha no Figueira?

Não há nada oficial, mas o rumor é grande. Nas comunidades do Figueirense no Orkut ele é favorito. Nos papos de conselheiros, em alguns órgãos de imprensa, ele é mencionado. Seria Mauro Ovelha o nome a comandar o Figueirense no Campeonato Estadual?

Não há, pelo menos até o momento que escrevo, impedimento legal pra isso. Li hoje em um jornal de Chapecó que Ovelha ainda não tinha contrato assinado com a Chapecoense, o que na prática significa dizer que não há compromisso oficializado. E a sua faixa salarial é perfeitamente dentro do que o Figueira pagou para seus últimos treinadores.

Ovelha já faz merecer uma chance em um time maior há algum tempo. Chegou a ser sondado pelo Avaí em 2007, mas acabou não indo. Já ouço há tempo a história de "Ovelha merece uma chance". Pode ser agora. Ou não. É ganhar uma chance com bom salário em um time que precisa ser montado, ou manter a vidinha mais ou menos em Chapecó numa casinha bem arrumada, preparando para a Série C. Acompanhemos com carinho.

Atualização das 15:15 - 08/12: Tem gente que, nos comentários, distorceu o que eu quis dizer. Pelo menos aqui, quando nos referimos à "Vidinha mais ou menos", é morar numa cidade onde não se tem pressão, onde se trabalha com tranquilidade, mas fica-se estancado. A imprensa não faz pressão, a Chapecoense vai muito bem, obrigado, mas ainda não tem a exposição que os dois da Capital tem. Se subir para a Série B, poderá vir a ter.
Se fosse para o Figueirense, e pelo jeito não vai, seria uma vitrine que todo treinador quer para ir para um time grande, e acho que o Ovelha pensa nisso na carreira. Minhas desculpas pra quem se sentiu ofendido, mas tem gente que não entendeu direito. Tá distorcendo o que eu disse.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Divulgada logomarca dos JASC 2010

A Prefeitura de Brusque divulgou a logomarca oficial dos Jogos Abertos de Santa Catarina de 2010, lembrando o cinquentenário da competição. Eu gostei:

Confusão na Cabine do Sesi: Globo x Menina

Conforme prometido, estou trazendo um resumo do que aconteceu ontem, em uma das cabines de imprensa do Sesi, no jogo entre Metropolitano x Joinville, envolvendo Luciano Silva, da Rádio Menina de Blumenau, e Mário Celso, da Globo de Joinville. Como cronista e associado da Acesc, fico triste em ver colegas de trabalho entrando em vias de fato por causa de um problema técnico fácil de se resolver. Como a missão do Blog é informar, vamos aos fatos.

Antes, uma explicação técnica pra quem não é de rádio: 95% das emissoras usam como sistema de retorno (maneira de ouvir a transmissão que vem pela linha telefônica) um aparelho de baixa potência que pega o som e transmite em uma frequencia de FM. Assim, o repórter, munido de um microfone sem fio, consegue ouvir com um simples radinho, e torcedores que acompanham seu time fora de casa podem fazer o mesmo, se quiserem ouvir a transmissão da rádio da sua cidade. Quando vou fazer um jogo fora de Brusque, primeiro procuro uma frequência que não exista naquela região, e coloco nosso retorno ali, pra não incomodar ninguém. Em cidades como Criciúma, onde três FMs transmitem jogos, nunca deu problema.

O problema começou ali. Luciano, em mensagem no seu perfil do Orkut, alega que a Rádio Globo colocou a frequência do seu retorno muito próxima aos 97,5 da sua rádio, o que estaria causando interferência na recepção no Estádio do Sesi, que fica em uma área de sombra. Então, foi à cabine da Globo pedir ao narrador Mário Celso que trocasse a frequência ou desligasse o equipamento. Na discussão toda, os dois entraram em vias de fato. Luciano foi até a Delegacia de Polícia local registrar queixa por Agressão e Impossibilidade do exercício da profissão. Não consegui falar com o Mário Celso sobre a versão dele.

Agora, vou dar a minha opinião, puramente técnica: partir pro tapa por causa de uma mísera frequência de FM é algo que não tem justificativa. Os dois estão errados. Se a Menina tem sinal fraco no Estádio, era só o Luciano ter colocado um transmissor de FM em cima da frequência dele (97,5), como a Eldorado faz em Criciúma, usando um transmissor no Estádio na frequencia da Hulha FM de Turvo (97,7). Não sei qual dial a Globo colocou, mas se pusesse lá pros 88 ou nos 107 mhz, todo mundo trabalharia em paz.

A Acesc (Associação dos Cronistas Esportivos de SC) precisa também se mexer quanto a isso, para se criar regras de convivência. Até pra trabalhar tá ficando perigoso. Mas esperar alguma coisa da Acesc, demora...

JEC com uma mão na taça da Copinha

E o sofrimento do torcedor joinvilense, que decepcionou-se tanto nos últimos tempos com o seu time, parece estar chegando ao final. O técnico do Metropolitano, Roberval Davino, deveria ter assistido ao 3 a 0 do seu adversário contra o Brusque para tomar a lição sobre o time do Ramirez. O script foi igualzinho: um abafa no começo de jogo, placar garantido e segurar a pressão no resto. Vitória por 2 a 0, e o JEC com uma mão na taça, pertíssimo da Série D. Como há saldo de gols e o empate é do mandante, o Joinville só perde o título se tomar 3 de diferença. Um abraço pro gaiteiro.

Vou repetir o que já escrevi aqui, e o jogo de hoje provou isso: o ataque do Metropolitano deixa muito a desejar. Ricardo Lobo trabalha com muitas limitações, e o time sente isso. E acreditar que esse sistema ofensivo consiga fazer três fora de casa é algo meio improvável. Mas há um jogo de futebol no sábado, e dentro da grama as vezes o improvável acontece.

Nota triste da partida foi a briga envolvendo os narradores Luciano Silva, da Rádio Menina FM de Blumenau, e Mário Celso, da Globo de Joinville, que sairam no tapa nas cabines do Sesi. Pelo que pude apurar e ouvir na transmissão, Luciano foi à cabine da Globo reclamar do sistema de retorno e ordenou que desligassem o equipamento. Não foi atendido e os dois entraram em vias de fato. Luciano foi à delegacia prestar queixa contra Mário. Pretendo amanhã ouvir as partes para trazer a história aqui, assim como a explicação técnica pra quem não é de rádio.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Futsal: Divisão Especial de 2010 poderá ter 21 times

E continua a confusão no Futsal de Santa Catarina, no que diz respeito à Primeira Divisão, que corresponde à Segunda. O campeonato está paralisado desde o dia 19 de setembro, quando a equipe do Marka Bastos moveu uma ação contra a Federação requerendo os pontos do jogo onde teria ocorrido WO contra o Moitas, de Ituporanga. O tribunal da FCFS marcou uma coisa, o STJD reverteu a decisão, e o rolo está grande desde então.

Uma reunião hoje a noite busca encontrar uma solução para o caso. Não há mais datas disponíveis para terminar o campeonato, e uma senhora virada de mesa está prestes a ser orquestrada. Pasmem senhoras e senhores: deverá ser definido hoje que TODOS os times da Primeira Divisão subirão para a Especial. Teríamos, então, uma divisão única em 2010 com 21 times participando.

Quem é o culpado? Bom, acompanhei o caso pelos noticiários, mas dá pra dizer que a FCFS errou bisonhamente ao não contar com um Tribunal constituído, como o seu irmão do futsal. Agora, depois do rolo feito, que fecharam um acordo com a Fesporte. Outrossim, o caso do jogo em Lages precisa ser analisado: agressões a jogadores adversários são até comuns em jogos de futsal, que acontecem em ginásios pequenos. Acontece que o Moitas se recusou a entrar em quadra depois da dita agressão e o rolo começou.

O Julimar Pivatto me fez um questionamento pertinente: qual a Federação que não tem rolo hoje? Isso dá assunto pra alguns posts. Temos um caso perdido na FCF, um enrolado no Futsal, dois que se eternizam no Basquete e no Vôlei, e por aí vai.

Lançado o Hino Oficial do Brusque

O Brusque, fundado em 1987, não tinha hino oficial. A torcida, então, adotou o "Salve Brusque Imortal", hino do município, como canção do clube. Mas uma surpresa: na noite de ontem, 30 de novembro, foi lançado o Hino Oficial do Brusque FC, de autoria do compositor Gean Carlos Coelho.

Clique no Play para ouvir o recém-lançado Hino Oficial do Brusque. Abaixo, a letra.




HINO DO BRUSQUE FC
Autor: Gean Carlos Coelho

Sempre joga pra vencer,
nosso time faz tremer,
meu Bruscão do coração.

Mais que um clube, uma paixão
o meu time é campeão
meu Bruscão do coração.

Surge o Brusque entre os gigantes,
e dando alegria para uma nação,
é o vermelho, verde, branco e amarelo,
a cor do meu Bruscão!

(refrão)

Brusque, meu Bruscão!
Glorioso e Campeão,
Salve Brusque Imortal,
minha paixão natural.

Brusque, meu Bruscão!
Glorioso e Campeão,

Tua torcida vibrante e guerreira,
Eu serei Brusque a vida inteira!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Final da Copinha: Assombração de novo?

Não era novidade pra ninguém que o Metropolitano iria fazer a lição de casa, vencendo o fraco Figueirense B e garantindo a vaga na decisão da Copinha contra o Joinville, de Sérgio Ramirez, o mesmo uruguaio que desprezou o Metrô por duas vezes, quando deixou o clube na mão para assinar com outro clube.

Acho que todos admitem que o JEC é favorito. Mas é aquele tipo de favoritismo que o adversário gosta: joga a responsabilidade pro outro lado, que tem investimento infinitamente maior e a obrigação de vencer. O Joinville estava caminhando na esteira da euforia e da imprensa locais, que davam o time como imbatível. Imbatível o Joinville provou que não é, e a passagem do Metrô para a decisão causa calafrios em torcedores que estiveram na Arena há exatamente um ano, esperando por um título que desapareceu nas cobranças dos pênaltis. A torcida joinvilense lembra do título perdido para o Brusque no ano passado. E está preocupado com a repetição da novela.

O que eu penso do confronto: o Metropolitano tem um bom time do meio pra trás, um goleiro em excelente fase, mas deixa muito a desejar no ataque. Vai precisar solucionar isso na decisão, contra um Joinville que tem um excelente ataque, mas uma defesa que não dá confiança. O regulamento finalmente mudou, e agora prevê saldo de gols, logo, o Metrô precisa marcar e vencer no Joinville no jogo de ida, coisa que não fez em duas partidas contra o adversário, para ter chance na volta.

Atualização: obrigado a quem avisou. Na Copa, a FCF resolveu, finalmente, colocar Saldo de Gols como desempate na final. Ainda bem!

Vai ser uma final interessante.

Feliz Ano Novo, Brusque

Com a vitória por 4 a 1 ontem sobre o Ibirama, o Brusque encerrou uma temporada complicada. Fez um Estadual razoável, caiu fora na primeira fase da Série D mesmo marcando dez pontos, e foi mal na Copinha com um time abaixo da crítica. Menos mal que a competição serviu de um aviso bem grande para que as coisas melhores. Eu não me engano com a simples leitura dos resultados da Copa SC: as vitórias contra Avaí, Figueirense e aquela goleada atípica contra o Metropolitano não apagam as péssimas atuações contra Avaí (em Fpolis), Ibirama (fora) e as duas pataquadas tomadas do Joinville.

Vamos virar a página, e pensar em 2010.

Primeiro, o treinador: quando o Silas deu entrevista no Avaí hoje, ele deixou bem claro que o que barrou a sua renovação não foi apenas a questão financeira, mas algumas divergências dentro do clube. Isso chama-se ciclo. Silas sai de portas abertas no clube, e será bem-vindo se retornar. No futebol isso é natural. Vamos ao caso do Suca: se houver o acerto salarial, ele fica para o Estadual 2010, e ponto. O Brusque não troca o treinador por um único motivo: não há consenso dentro da diretoria sobre um outro nome. Então, todos optaram por tentar manter o grupo existente. E se Suca ficar, ele terá que limpar e desinfetar todo o clube, que está cheio de parasitas que apenas sugam, mas nada rendem ao clube. Tá na hora de se livrar de alguns pratas-da-casa que não vão dar mais caldo.

Suca deu uma entrevista no "Municipio" essa semana dando a pista: ele disse claramente que vai entregar um relatório falando de cada jogador, principalmente aqueles "que eram vistos como promessas". Sinal que a batata vai assar para jogadores do tipo de João Neto, Tom, Leonardo e Cia., que tiveram suas chances e não aproveitavam. Tem gente que gosta, mas ver o Valdo jogando me irrita, mas acho que ele vai ter mais uma oportunidade.

Desse elenco atual, com quem eu ficaria, sem pensar muito: Fabiano Heves, Thiago, Xipote, Dênio, Giovane, William... posso ter esquecido de alguém. Como não dá pra montar um time só com seis, a diretoria vai manter mais gente no grupo, que entrará em um campeonato de exigência bem maior. Giovane não deve ficar: já deu entrevista fazendo aquele doce todo, dizendo que tem proposta de outro clube, mas não diz qual. Típico de quem quer fazer leilão. Aliás, tem diretor perdendo os cabelos com as propostas de alguns jogadores. Tem gente que se acha craque pedindo 9 mil de salário.

Com todas as dificuldades, falta um mês e meio pro Estadual começar. Que a diretoria tenha sorte em montar um bom time.