quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Catarinense 2010: Chapecoense

ASS. CHAPECOENSE DE FUTEBOL
Fundação: 10 de maio de 1973
Cores: Verde e Branco
Estádio: Regional Índio Condá - 16.000 lugares
Presidente: Nei Maidana
Técnico: Mauro Ovelha
Ranking "BdR" 2009: 4o. Lugar
Catarinense 2009: Vice-campeão


Hoje, em Santa Catarina, não se fala mais em "os quatro grandes de Santa Catarina". A grande maioria da imprensa fala em "os cinco grandes". Isso porque a Chapecoense conseguiu seu espaço nos últimos três anos, e hoje é o time que mais cresce no Estado. Fruto de um trabalho de união feito entre prefeitura, empresariado e os desportistas do Oeste. Para mim, existem alguns motivos para o sucesso do Verdão: o primeiro de todos: a pessoa responsável pelas contratações lá dentro entende do riscado. Não sei se é o Jandir Bordignon, mas tem a habilidade de trazer jogadores desconhecidos do grande mercado de boa qualidade. Daí, joga na mão do treinador e nessa mistura sai um bom time. A mão do prefeito também é importante. O clube arrumou apenas e tão somente 12 patrocínios na camisa (segundo Bebel Vieira, um recorde nacional), e garante um bom faturamento. Pra esse ano, vai conseguir até mais conforto para os jogadores: acertou um patrocínio com a Oceanair, que vai disponibilizar 32 passagens por voo a 62 reais o trecho, o que vai viabilizar o deslocamento para o litoral por via aérea. Em 45 minutos, o Verdão estará em Florianópolis.

O comandante permanece o mesmo: Mauro Ovelha (foto), ídolo em Chapecó e que levou o Verdão à Série C, no ano passado. Ele é o maior técnico revelado em Santa Catarina nos últimos tempos, e só falta uma coisa para o seu currículo: o título de campeão. Bateu na trave algumas vezes, e terá a sua disposição em 2010 o melhor time desde que aterrisou na Rua Clevelândia. É o time que menos perdeu jogadores, manteve uma sólida base, e é um dos favoritos por causa disso: um bom time, que não perdeu muitos jogadores, e ainda agregou bons reforços.

Para este ano, bons reforços. Se por um lado, a Chapecoense perdeu Arlan, Fabrício, Giancarlo, entre outros, chegaram o lateral João Rodrigo (Ex-Metrô e Avai), o meia camaronês Steve (ex-Avaí), a volta do zagueiro Morisco, depois de passagem pelo Vasco, além do meia Mazinho (ex-Brusque e Figueirense) e dos atacante Tuto e Cadú Mineiro (foto), que está retornando, que vão tentar fazer o torcedor não sentir falta de Bruno Cazarine, artilheiro no ano passado. O time reforçou bem.

A Chapecoense terá o ano da sua vida em 2010. Vai para a Copa do Brasil, onde enfrenta o Brasiliense na primeira fase. Enfrentará a Série C, numa chave dificílima, contra, provavelmente, Criciúma, Brasil-Pe, Juventude e Caxias. O prefeito fala em Série B, mas acho que o clube primeiro precisa assentar o pé na nova divisão antes de tentar um voo mais alto. Com as novas obras do Índio Condá e os planos da cidade de Chapecó, o Verdão tem tudo pra referendar a nova realidade do futebol catarinense deste ano. Agora, Chapecoense é time grande. Vamos ver se, com essa nova alcunha, ele vai fazer jus a sua nova condição. Dentro de casa já era difícil vencer. Agora, que vai viajar de avião pra jogar no litoral, ninguém mais vai reclamar de ficar horas e horas dentro do latão. Sem contar que a turma vai chegar descansada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário