sábado, 9 de janeiro de 2010

Catarinense 2010: Figueirense

FIGUEIRENSE FUTEBOL CLUBE
Fundação: 12 de junho de 1921
Cores: Preto e Branco
Estádio: Orlando Scarpelli - 19.908 pessoas
Presidente: Norton Boppré
Técnico: Renê Weber
Ranking "BdR" 2009: 2o. Lugar
Catarinense 2009: 5o. Lugar

O Figueira passa por um dos momentos mais tensos de sua longa história. Problemas ligados à continuidade ou não da parceria com a Figueirense Participações, que já dura 10 anos, acabaram atrapalhando na formação do time para o Estadual. A má campanha na Série B, onde o time perdeu pra si mesmo o acesso, com pontos bobos perdidos principalmente dentro de casa, acabaram desencadeando a crise. Tardiamente ou não, o Figueirense contratou um treinador e trouxe vários jogadores, a maioria de uma só empresa, e vai para o Estadual tentar não-se-sabe-o-que: toda a torcida está curiosa pra saber da qualidade desse time.


Para o comando técnico, confesso que eu esperava uma pessoa de maior personalidade, ou que tivesse um histórico vitorioso. Falou-se em Márcio Goiano, pessoa identificada com o clube, mas ele virou auxiliar (ou será o próximo treinador), mas o nome escolhido foi o de Renê Weber (foto), de 48 anos, que teve campanhas fracassadas no Criciúma (demitido após apenas três jogos) e no Caxias, onde durou só cinco partidas. Estava trabalhando no Grêmio, onde foi auxiliar de Paulo Autori. Definitivamente, não é o cara. Mas, se o clube escolheu, boa sorte pra ele.

A Brazil Soccer, empresa de agenciamento de jogadores, pertencente ao empresário Eduardo Uram, é a grande fornecedora de jogadores do time. Muitos, mas muitos mesmo, são desconhecidos, sem nenhum destaque nacional. O time vai depositar as esperanças em três velhos conhecidos: o goleiro Wilson, o volante Jeovânio e o meia Fernandes, ídolo do time, que se lesionou recentemente. Dentre os novos reforços. destacam-se o volante Rafael Coutinho (foto), ex-Vasco com má passagem pelo Criciúma, e os atacantes Jean Carioca, ex-Botafogo, e Júnior Negrão, ex-Corinthians.

Para um time que quer ser campeão, é pouco. Com tantos jogadores desconhecidos, e um treinador que não tem um histórico de vitórias, aliado à crise interna que o alvinegro sofre nos bastidores, tudo isso reflete no futebol. O que esperar do Figueirense no estadual? Um ponto de interrogação enorme. Não é favorito ao título, mas com a estrutura que o mais vezes campeão do Estado tem, é possível virar o jogo. Vejo hoje no Figueira um clube que busca uma reestruturação total, e que não pensa muito no Campeonato Catarinense. Está, aí sim, começando um trabalho voltado para a Série B, onde não poderá repetir o número de bobeadas e pontos perdidos de 2009.

Um comentário:

  1. Opinião minha. Somente Avaí e Chapecoense estão a frente dos demais.

    Acho que Figueirense, Joinville e Brusque estão no mesmo nível.

    Mais abaixo, correm por fora Criciuma e Metropolitano.

    Pra mim candidatos sérios ao rebaixamento são Imbituba e Juventus, junto com Atlético de Ibirama.

    ResponderExcluir