segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Dentro da Arena, festa. Mas fora...

Sempre tive uma regrinha aqui para evitar criticar demais o que a imprensa do Estado fala. Mas existem casos que merecem ser citados, para provocar uma reação das autoridades, já que o assunto, pelo que li hoje, foi totalmente ignorado.

Não foi noticiado, ou pelo menos não vi em lugar nenhum, informações sobre o que aconteceu antes e depois da decisão do turno, em Joinville. Nem tudo foram flores no jogo em que o JEC conseguiu, num lance incrível, a vaga na final do campeonato.

Fora do estádio, vários problemas: segundo relatos dos torcedores nas redes sociais afora, teve gente do Joinville levando pau de policial montado, torcedor do Avaí insultado quando comprava o seu ingresso na Arena e até uma van da torcida "Vanguarda Avaiana" apedrejada por torcedores unformizados do Joinville.

Pior é ver nestas mesmas comunidades os mesmos torcedores se "prometendo" no próximo jogo entre eles. Lamentável em todos os sentidos.

Aí eu pergunto: de que adianta credenciar as organizadas, fichar os torcedores e proibir a venda de cerveja dentro dos Estádios, se a situação fora dele fica fora de controle por parte da Polícia? E a tal da justiça presente, que só trabalha dentro do Estádio e nunca coíbe as ações das cercanias? De que adianta estabelecer um limite "burro" de 400 metros sem venda de bebidas alcoólicas fora do estádio, se a turma já vem "calibrada" e se confronta nas ruas?

As autoridades podem probir bebida, fichar torcedor, e até, se quiser, fazer o povo entrar pelado no estádio. Mas o problema está antes e depois dos jogos, lá fora, nas ruas e nas provocações virtuais. Ali sim estão os potenciais criminosos. E não há combate algum por parte de autoridade alguma.

11 comentários:

  1. Bravo Rodrigo!

    Janaína- Itajai SC

    ResponderExcluir
  2. O pior mesmo, é ver a toda poderosa CBF, que PROIBIO a venda da tão famosa "gelada" nos estádios e o povo Brasileiro ter que aturar a CBF ter como patrocinadora oficial, a BRAHMA. Ai é de chora em japones. 95% da torcida paga o pato por uma minoria. Isso é o BRASIL.
    BRAHMA tem o escudo da CBF na garaffa da cerveja, e a mesma CBF proibio a venda de cerveja nos estádios.

    Fica a pergunta:

    Da para entender?????

    ResponderExcluir
  3. Eu não sei até onde vai a responsabilidade da CBF ou FCF em relação a jogos.
    Mas se for como numa empresa que no horário de expediente ninguem quebra as regras mais la fora vale tudo, isso ta na cara que querem tirar a responsabilidade de suas mãos

    ResponderExcluir
  4. Isso nao eh novidade nenhuma...acontece em todos as cidades, a PM eh muito, mas muito mal preparada para atuar em jogos de futebol.
    Sera que nao conseguem ver que as confusoes sao sempre nas cercanias do estadio e nao dentro?
    Sera que custa muito fazer uma escolta descente pras torcidas visitantes e tratar torcedor como torcedor e nao como bandido??

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo,
    Lugar de polícia não é dentro do estádio é fora dele. Dentro do estádio quem tem que dar segurança é o organizador do evento que deve pagar segurança privada. Dentro do estádio o organizador pode definir o que bem entender, se vende ou não bebida alcóolica. Acho uma bobagem a proibição. Porque ficar bebendo pagando R$ 4,00 uma cerveja precisa ser rico. Fora do estádio não há como proibir a venda. Basta se lembrar da proibição quanto a venda de bebida na beira das estradas que não vingou. Eu fui a Arena e vi a torcida avaiana chegar. Estava escoltada pelo Polícia e tudo correu bem. Aquelas ofensas naturais e nada mais do que isso. Abraço.

    ResponderExcluir
  6. OK, concordo com o seu post, MAS, no último Brusque X Metrô aí no AB, aconteceu a mesma coisa no centro de Brusque perto do estádio. Aliás, uma "ganguezinha" de Brusque bateu em um torcedor do Metrô que NÃO era de torcida organizada. Pq vc não comentou sobre esse episódio naquela época?

    ResponderExcluir
  7. o que eu ouvi era que o torcedor do metrop.... que não era de TO, estava no centro da cidade, gritando que nem um retardado e zuando todo mundo, apanhou pouco, sou contra a violencia, mas qnd o otario vai no centro da cidade zuar todo mundo, tem mais é que apanhar mesmo.

    ResponderExcluir
  8. A torcida do Coritiba detonou o Couto Pereira sem venda de cervaja dentro do estádio, ai o que a CBF vai dizer. Se tivesse vendendo cerveja no jogo, a desculpa era facil né, ai era porque tinha alcool dentro do estádio. E agora CBF? Maior asneira que já vi a CBF fazer, tirar a cervejinha do torcedro, não é de se surpreender, já tentaram tirar o radinho. Chega a ser comico, e ainda dizem que querem cehagr no patamar dos campeonatos Europeus, só pra eles saberem, lá na Europa o que mais vende nos estádios são o CHOOP! É muito prático para a CBF e os homens de paletó proibirem a cerveja do que tentar resolver de outra forma né seus deputados e senadores.

    ResponderExcluir
  9. porque este blog é parcial
    ele so vai falar se algum torcedor do brusque apanhar

    ResponderExcluir