domingo, 21 de fevereiro de 2010

JEC leva o turno, na pressão e no detalhe

O Joinville estava sem pernas e subia de forma atrapalhada para o ataque. O Avaí vencia por 1 a 0 e se segurava do jeito que podia, e a torcida já comemorava. Mas o chute de Ricardinho, no último lance do jogo, desviou no pé de algum zagueiro e matou o goleiro Zé Carlos, que havia feito uma excelente partida. O gol que mudou tudo. O gol que colocou o Joinville na final do campeonato, deixou o Metropolitano muito próximo da Série D e que provocou alegria numa metade, e tristeza na outra parte da capital.

Antes de falar do jogo, uma palavra sobre o árbitro José Acácio da Rocha. Se o Avaí tivesse vencido, o JEC poderia reclamar um pênalti claro não marcado em cima do Lima no primeiro tempo. Mas aos 44, Medina foi derrubado pelo goleiro Fabiano, em outro pênalti não marcado. Compensou? não sei. Mas pelo menos a desculpa dos pênaltis ninguém vai ter.

Péricles Chamusca montou o time no 3-6-1, tentando jogar em cima das falhas do adversário, já demonstradas na semi-final contra o Metropolitano. Cruzamentos baixos, marcação forte nos atacantes e saídas pelos lados foram a tônica do primeiro tempo. Talvez o Avaí esteja querendo segurar o Joinville no primeiro tempo para dar o bote no segundo, quando historicamente o rendimento do adversário cai. E Ramirez mandou o time pra frente, correndo demais e correndo risco, já que a parte física poderia ser determinante na reta final do jogo. Foram várias chances desperdiçadas pelo time da casa. De falta de oportunidade o Joinville não poderia reclamar.

Na segunda etapa, o Avaí se soltou, e a partida melhorou consideravelmente. Zé Carlos fez duas defesas importantes, e Patrick, que é lateral direito, mandou um chute com a canhota no ângulo, silenciando a Arena. Seria o gol do título. O JEC passou a atacar de forma desesperada, o Avaí deixou o adversário chegar e não aproveitou as várias chances que teve nos contra-ataques. E o gol milagroso de Ricardinho no final não acha explicação técnica ou tática. Foi daqueles casos que irão pra história dos confrontos entre Joinville e Avaí. Um gol que fez valer o regulamento, daquele time que tinha a melhor campanha entre os 10 clubes do catarinense.

O Avaí continua tendo o melhor elenco do Estadual e entra no returno como favorito. O mal-feito regulamento do campeonato não premiará o Joinville se vencer a segunda fase. Logo, o time do Chamusca tem amplas condições de fazer a final contra o próprio JEC, que jogará o returno de sangue doce.

E festa em Blumenau, já que o Metropolitano, de acordo com o regulamento da Copa Santa Catarina do ano passado, assumirá a vaga na Série D caso o Joinville se classifique via campeonato Estadual. O time de Roberval Davino só não irá ao Brasileiro se Imbituba, Juventus, Brusque ou Atlético de Ibirama conquistem o título Estadual. Aí, será um milagre maior do que o gol salvador de Ricardinho.

5 comentários:

  1. O AMARELAO VOLTOUUUUUUUU
    O AMARELAO VOLTOUUUUUUU

    ResponderExcluir
  2. Joinville mereceu.
    Melhor time do campeonato

    ResponderExcluir
  3. Não foi pênalti no Medina! Ele caiu dois dias depois!

    ResponderExcluir
  4. E NINGUÉM CALA.... ESSE CHORORÔÔÔÔÔÔ.... CHORA O TIME TODO, CHORA O PRESIDENTE, CHORA O TORCEDOOOOOOR

    Segura o tricolor!!!! o Campeão voltoooou... o Campeão voltoooou... o Campeão voltoooou...

    Dá-lhe, Dá-lhe, Dá-lhe JEEEC... Dá-lhe, Dá-lhe, Dá-lhe JEEEC... Dá-lhe, Dá-lhe, Dá-lhe JEEEC... Seremos CAMPEÕES!

    ResponderExcluir
  5. Jec ereceu vencer o primeiro turno, haja visto que foi o que mais fez pontos na fase de pontos corrido..
    Parabéns JEC ville

    ResponderExcluir