segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Renê, não fedeu nem cheirou

Técnico de futebol também deve ter empresário. E, assim como a observação "jogador que tem empresário bom" vale para atleta, deve valer também para os técnicos. Sabedor das suas péssimas passagens por clubes em um passado recente, quem foi o herói do Figueirense que chancelou a vinda do Renê Weber?

Errei a minha previsão. Eu achava que ele iria treinar o time ainda no clássico. Caiu depois de perder em Blumenau. Assumirá Márcio Goiano, que como jogador, não perdeu clássicos. O ex-zagueiro, que já era esperado para assumir o cargo no começo do ano, poderá mostrar seu trabalho e tentar ser efetivado.

Em primeiro lugar, Márcio Goiano não tem disponível material humano de qualidade. Aquele punhado de jogadores de empresários que chegaram não agregaram ao time, e o resultado está aí. Junte-se a isso um treinador ruim, e a coisa piora.
Goiano terá quatro jogos pela frente para mostrar serviço e arrumar o time para o returno. Por enquanto, é time candidato ao rebaixamento. O clube vai ter que ir as comprar para evitar um vexame ainda maior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário