sábado, 13 de março de 2010

Chapecoense, uma nau à deriva

Não foi derrota. Foi humilhação, com direito a olé. A Chapecoense vai caminhando a passos largos para a Segunda Divisão, ao tomar três a zero do Juventus, que não havia vencido ninguém. Suca deverá ser demitido. Mas a culpa é dele?

Antes do jogo, o meia Steve deu uma entrevista a uma rádio local dando a entender que o grupo estaria rachado, e que iríamos descobrir onde está o problema. Depois do jogo, teve de tudo, com direito a bate-boca do treinador com repórter, ao Jandir Bordignon chamando o Tadeu Costa de mentiroso, e outras coisas. Isso denuncia o cenário: o time está sem comando, a deriva em um rio que está próximo da queda à segundona. Pode trazer o Felipão que não resolve. O problema deve ser corrigido de cima para baixo. Começando com quem contrata.

O Brusque agradece. Com um jogo a menos, tem três pontos de vantagem e duas vitórias a mais. Poderá até perder para a Chapecoense no domingo que vem, que mesmo assim não sai da zona de rebaixamento. Sem contar que o clima no Bruscão é absurdamente mais tranquilo. Mas com esse time, visivelmente dividido, a degola é inevitável. A não ser que venha um novo time, que venha com uma união enorme, para fazer o time jogar bola. Serão apenas dois jogos em casa nos cinco que restam. A derrota para o Juventus, e poderia ser goleada, foi uma consequência do trabalho feito. A vitória sobre o Brasiliense foi pura enganação. Aprendi uma coisa no futebol: não adianta ficar espalhando que tem dinheiro sobrando no caixa. Tem que ter alguém competente que contrate bem, cobre os resultados e que coíba as confusões.

Enquanto ouço os pós-jogos das rádios do Oeste, tenho a certeza de que é improvável uma solução a curto prazo para a Chapecoense. O jogo da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG, mais atrapalhará do que ajudará o time a escapar da segundona. É improvável, mas não impossível. A partir de agora, o time do Nei Maidana não depende mais de suas forças para escapar da degola. Precisa secar o Brusque, e começar a partir de segunda, quando enfrenta o Joinville do ex-técnico Mauro Ovelha.

3 comentários:

  1. Pelo amor de Deus Rodrigo, não fala mais em "pode até perder pra Chapecoense em Brusque".

    Pode perder pro Joinville, Metro fora, mas adversários diretos em casa tem que ganhar.

    O jogo Brusque x Chapecoense vai definir quem cai pra segunda divisão.

    ResponderExcluir
  2. as vezes tenho a impressao que tu ta torcendo mais pra chape do q pro bfc.

    eu acredito na reabilitação do brusque, embora tenha gente que ache isso seja uma piada.

    força bruscão, contigo na vitoria e na derrota

    ResponderExcluir