sexta-feira, 30 de abril de 2010

Atlético de Ibirama confirma licença

O todo-poderoso do Atlético Hermann Aichinger, Ayres Marchetti, declarou hoje a tarde ao Cláudio Holzer, da RBS Blumenau, que o clube estará pedindo a FCF a sua licença do futebol. Ou seja: está fora do Campeonato Catarinense de 2011.

Abre-se, então, uma vaga na primeira divisão do ano que vem. Preparem-se que a guerra jurídica vai começar. A Chapecoense requisitará a vaga, mas há quem defenda o acesso do terceiro colocado da Divisão Especial deste ano, ou até que o próximo campeonato seja disputado por nove equipes.

Vamos aguardar o pronunciamento da Federação a respeito do caso.

17 comentários:

  1. Palhaçada. Quem foi rebaixado tem que disputar a segunda divisão.

    Se forem 10 equipes, o Hercilio com certeza ganha a vaga.

    ResponderExcluir
  2. Judicialmente, acredito eu, o mais correto é a vaga ficar com o terceiro colocado da Divisão Especial (2a. divisão) de 2010.

    ResponderExcluir
  3. Em algumas coisas discordamos, mas ness eu concordo contigo Guto.

    ResponderExcluir
  4. è triste ver a situação do Ibirama, o time tem a vaga para o catarinense de 2011 e pede licença, imagina se vai voltar a disputar a segundona novamente. Com a jogada de toalha do Marchetti a situação do Ibirama realmente fica complicada. O futebol catarinense vai perder muito com isso

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo
    Mas o Sr. tem medo mesmo da Chapecoense. Meu deus do céu, qualquer coisa que acontece agora no futebol mundial a Chapeconese vai pedir para virar a mesa. Vc é o unico cara que esta criando esse tipo de noticia, nem a imprensa de Chapecó esta mais falando sobre isso.
    Ou o Sr. gosta muito da Chape?

    ResponderExcluir
  6. Aonde vc tirou que tenho medo da Chapecoense? Tenho muitos amigos aí no Oeste e gostaria de ir ano que vem praí, já que de avião chego em 45 minutos. Melhor que Joaçaba de carro.

    Mas acho que existem leis.

    ResponderExcluir
  7. O que sempre faltou a Chapecoense foi humildade. Todos se achavam acima do bem e do mal. Até a penúltima rodada se recusavam a aceitar que o time seria rebaixado.

    Isso com toda a ruindade demonstrada quando sofreu a duras penas para ganhar do Juventus dentro de casa ainda no primeiro turno.

    Eu sou um dos que vou lutar para que uma premissa básica da lei seja cumprida: OS QUE FORAM REBAIXADOS VÃO TER QUE JOGAR A SEGUNDA DIVISÃO NO PRÓXIMO ANO. Isso é certo e está escrito.

    Podem espernear a vontade. Entraram aqui no blog EM PESO pra xingar o Brusque e menosprezar o futebol da nossa cidade, se achando a rainha da cocada preta.

    Isso sem saber que Chapecó não tem 10% da tradição que Brusque tem no futebol.

    Brusque tem 4 títulos estaduais, 2 títulos da Copa SC e dezenas de títulos da LDB (Liga Blemenauense de Desportos), que englobava as fortes equipes de Itajaí, Brusque, Blumenau, além de outras cidades da região, como Ibirama e Rio do Sul. E fatos memoráveis do futebol brasileiro.

    É de Brusque o time mais antigo de SC, que vai completar 100 anos em 2013. Em Brusque foi realizada a maior partida de futebol de todos os tempos (CACR 5 X 5 Botafogo), com o time de Brusque jogando contra a base da seleção campeã mundial de 1958, poucos meses antes da Copa do Mundo como Didi, Nilton Santos, Garrincha, Zagallo. Esse fato é reconhecido oficialmente pela FCF e está no site oficial do Botafogo.

    Também reconhecido pela FCF como um dos maiores feitos do futebol de SC a viória da Seleção Catarinense de Futebol, representada por um time de Brusque, contra a fortíssima seleção Gaucha em pleno Estádio dos Eucaliptos, na época do Internacional, candidata ao título brasileiro de seleções, que equivalia a Série A hoje.

    Naquela épca existiam muito mais clubes e times que hoje. Só aqui no Vale do Itajaí tinham 6 times muito fortes: Marcilio, Barroso, Olímpico, Palmeiras, e CACR e Paysandú de Brusque.

    É de Blumenau o maior craque do futebol catarinense de todos os tempos, Teixeirinha, que preferiu jogar no CACR durante 13 anos, subsidiado pelas Indústrias Renaux. Quando veio jogar em Brusque, estava no auge da forma física e técnica, titular absoluto do São Paulo FC que tinha um timaço, na época chamado de rolo compressor formado por Bauer, Leônidas, Jair da Rosa Pinto e outros craques memoráveis.

    Quem gosta de pesquisar e conhece a história do futebol de SC pode confirmar tudo isso, e muito, mas muito mais sobre o futebol de Brusque. Eu estou apenas começando a estudar um pouco a história do futebol de Brusque e de SC.

    Vale lembrar que o passado é que consolida o presente. Se não fossem os títulos do passado, o que seriam clubes como o Vasco, Palmeiras, Fluminense, Flamengo e tantos outros?

    Então, antes de vir num blog de Brusque xingar e desmerecer o nosso futebol deveriam estudar um pouco mais. E descer desse salto alto ridículo totalmente fora de proporção.

    Segunda divisão sim! Até por uma questão de honra. Caiu tem que assumir e passar por tudo que nós, Marcilio e outros já passamos também cumprindo a lei e jamais falando em VIRAR A MESA.

    ResponderExcluir
  8. A propósito, 2 referencias pra quem gosta de pesquisar e estudar o futebol de Brusque e de SC.

    1. O Craque Eterno. Bola Teixeira. Editora IOESC, Florianópolis, 2001.

    2. Clube Atlético Carlos Renaux - O Vovô do Futebol Catarinense. Eloy D. Koch, Antônio Heil. Editora Tipografia Blumenauense, 1960.

    O segundo eu consegui de um antepassado, e é muito raro. Mas o primeiro não é dificil de coseguir. Comprei em um sebo pela Internet 2 exemplares em ótimo estado recentemente.

    ResponderExcluir
  9. É isto que dá contar só com dinheiro de patrocinadores. Um dia os caras cansam e a casa cai.

    Abre o olho Brusque. Chega de investir em que não dá retorno. Viola e outros tantos.

    Na minha opinião a Chapeconese tem que ficar com a vaga, pois se subir três da segundona o catarinense vai ficar uma varzea.

    ResponderExcluir
  10. E mais uma terceira referência, que embora reporta mais ao CRVG (ex-clube do autor) também tem alguma coisa do futebol de Brusque e SC.

    Na Boca do Gol. Valdir Appel. S&T Editores, 2006.

    O Valdir Appel, Chiquinho, formado pelo Paysandú marcou história por muitos anos no futebol brasileiro jogando pelo Vasco no tempo de Brito, Fontana, Saulzinho, Célio e outros ídolos vascaínos.

    Assistiu o empate memorável entre CACR e Botafogo em 1958. Está hoje com mais ou menos 60 anos, não é isso Chiquinho?

    Um abraço, se vc ler esse comentário. Você conhece muito da história do futebol de Brusque, e tem fotos memoráveis, Sou frequentador do teu blog.

    ResponderExcluir
  11. verdade seja dita... do jeito que ta o calendario catarinense, os times pequenos nao tem como sobreviver. todo o ano um eh rebaixo ou desiste.

    isso que da, faze calendario apenas pros times que jogam as series a e b, da nisso.

    sou a favor da liga do interior de sc, um campeonato organizados pelos clubes e sem a fcf.
    brusque, metro, ibirama, marcilio, imbituba, hercilio, concordia, atletico tubarao, joaçaba, chape.

    campeonato de setembro a dezembro.

    ResponderExcluir
  12. Sou Chapecoense e respeito a rica história do futebol de Brusque.Só que a Associação Chapecoense de Futebol tem mais tradição que o Brusque Futebol Clube.Pois já jogou a Copa do Brasil e as 04 divisões do Brasileirão.
    A Cidade de Brusque,como quase todas do litoral,tiveram mais times que Chapecó, porque as cidades são bem mais antigas e foram desbravadas a mais tempo.

    ResponderExcluir
  13. Não há nem argumento para a Chapecoense ficar com a vaga. O regulamento era claro: caem duas equipes. Ou essa vaga fica com o terceiro colocado da Divisão Especial ou a Divisão Principal do ano que vem terá nove equipes.

    ResponderExcluir
  14. Adriano Assis, parabéns pela tua posição. A minha é a mesma.

    ResponderExcluir
  15. Sou favorável em fazer uma seletiva no final do ano entre Chapecoense,Juventus,o terceiro e o quarto da segunda divisão.Com o Campeão ficando com o vaga do Ibirama

    ResponderExcluir
  16. Isso aí não tem nada a ver. Vão criar agora uma nova lei?

    ResponderExcluir
  17. Ao anônimo das 20.52h

    Sim! Várzea terá se a chapecoense conseguir virar a mesa e voltar a jogar aquela “QUILICA” que jogou neste ano de 2010. Contudo, cabe lembrar que time sem expressão não quer dizer que não vá jogar um futebol bonito e competitivo, exemplo do que estou comentando foi o IMBITUBA.

    Abraço

    ResponderExcluir