segunda-feira, 5 de julho de 2010

Lopes?

O Avaí foge um pouco do perfil de treinador que vinha apresentando nos últimos tempos. Se compararmos Silas e Péricles Chamusca, treinadores novos, que já vem com um quê do futebol moderno, com Antônio Lopes, criado no Rio de Janeiro com rodagem nos quatro cantos do Brasil em um longuíssimo currículo, muita gente estranha.

Quem deu a deixa pra análise da chegada do "Delegado" foi o presidente João Nilson Zunino, que escreveu que "A escolha de um profissional como Antônio Lopes se faz necessário pelo momento em que saiu o Chamusca". Vou tentar traduzir: a escolha de um bombeiro se faz necessária no momento delicado que o Avaí se encontra no Brasileirão, com a saída do Péricles. Pelo que entendi, o clube quer uma solução a curto prazo para fazer o time ascender na classificação do Brasileiro, que tem ainda 31 longas rodadas pela frente, e terminar sem o sufoco de rebaixamento.

Pega, no meu ver, a questão do projeto. Quem olha para o currículo de Lopes, vê um treinador que não tem o histórico de fazer planejamentos longos, excetuando-se seu período no Vasco. Mas como a situação é complicada, com várias pedreiras pela frente na Série A após a parada da Copa, sua chegada pode ser bem vinda. Primeiro, arrumar a casa. Depois, estabilizar-se na tabela. E por último, tentar um voo alto. Definitivamente, o delegado foi uma escolha, digamos, pitoresca.

Um comentário:

  1. Rodrigo,
    Acho que é o melhor nome do mercado. Eu não gosto de treinador jovem, sou mais fã de uma estilo Lauro Búrigo... hehehe
    Estamos nos caminho certo, o Zunino surpreendeu positivamente, nào esperava que acertasse na mosca, quando falaram em Sérgio Soares temi pelo pior, mas agora acho que o segundo semestre será tranquilo.
    Abs
    Fernando Amorim

    ResponderExcluir