terça-feira, 10 de agosto de 2010

Nem campanha boa salva técnico no JEC

O Joinville faz campanha boa na Série D, precisa de uma vitória simples contra o Operário, em casa, para garantir a classificação para a próxima fase, e venceu todas as partidas dentro da Arena no torneio. Situação tranquila? Nem tanto. Edinho Nazareth foi demitido do cargo de treinador do JEC. Os motivos? Ninguém sabe. O presidente Márcio Vogelsanger (à esquerda na foto) admitiu ao jornal "A Notícia" que haveriam problemas fora de campo, mas não disse quais. Não é a primeira vez que um técnico com boa campanha no clube é demitido. O caso mais recente foi o de Sérgio Ramirez, que não aguentou mesmo conquistando uma vaga na decisão do Campeonato Catarinense.

Ouvi dos amigos lá de Joinville que "A diretoria do JEC se acha auto-suficiente demais. Não aceita receber críticas, e manda embora". É uma definição bem interessante, e que pode criar um ambiente desfavorável no clube, que, repito, fazia boa campanha na Série D. Edinho assumiu o time após o Estadual, visando a montagem do time para o Brasileiro, mas a perda da vaga na Copa do Brasil para o Brusque foi um duro golpe. Mesmo assim, a boa campanha no Nacional indicava chances ótimas do acesso. E a diretoria do JEC cria uma crise onde não existia. Se futebol é resultado, eles estavam aparecendo. Tenho uma impressão fortíssima que a diretoria gosta de interferir em escalação do time, o que é algo perigoso, pois tira a autoridade do treinador. Pode até não ser que isso aconteça, mas os indícios são fortes, já que Edinho tinha reclamado anteriormente que jogadores haviam chegado ao clube sem condições de entrar em campo. Em entrevista ao Futebol Interior, o ex-técnico do JEC falou que "Houve um desgaste muito grande entre eu e a diretoria. Eles contrataram alguns jogadores que não estavam rendendo o esperado. Aí eles associaram isso ao técnico e vinham me culpando. Mas, não tem problema, só tenho boas lembranças do time, torcida e diretoria".

E, parafraseando o que disse o competente Diego Santos no "A Notícia" de hoje, "Se eu fosse treinador de futebol, avaliaria muito bem uma proposta do Joinville. Não, na verdade recusaria de primeira. É um emprego de risco".

Atualização das 11:20 : O JEC acaba de confirmar o nome do novo treinador, Leandro Machado, que comandou o Criciúma no ano passado. Lá no Sul ele não teve boa passagem, mas desejo boa sorte a ele no novo desafio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário