quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Reunião que deu um pouco de esperança, e só isso

Pela primeira vez aconteceu uma reunião na Prefeitura em que efetivamente se discutiu acerca da construção de um novo Estádio na cidade. Foi interessante ver na mesma roda o poder público, dirigentes de clube e imprensa, para analisar a situação atual do futebol brusquense.

Mas ainda não há nada de concreto sobre um novo local ou não. Apenas duas certezas apareceram: a de que o Bruscão vai jogar a temporada 2011 no Augusto Bauer, e que uma comissão formada irá se reunir com membros do Clube de Engenharia da cidade para verificar o custo das reformas necessárias no local, e depois disso se partir a buscar parcerias que viabilizem a reforma. Hoje passei lá, e vi reformas já em andamento nas cabines de imprensa, nas arquibancadas e no muro que fica em frente à Avenida Lauro Muller.

Fato é que a construção de um estádio não é simples e muito menos rápida. O Prefeito Paulo Eccel já disse que não tem dinheiro. A grande maioria dos presentes na reunião sugeriu que o novo estádio fosse construído no terreno do kartódromo municipal, próximo ao Pavilhão da Fenarreco e da Arena Multiuso. Essa comissão irá analisar todas as possibilidades, mas não há uma perspectiva tampouco um prazo para que se inicie efetivamente o projeto da obra. É muito fácil fazer o projeto, a maquete e, quando aparecer a conta, a ideia ser abandonada por falta de recursos. O Brusque tem pressa: o contrato de aluguel do Augusto Bauer com o Renaux se encerra no final do ano que vem, e uma nova negociação terá que ser feita. Basta lembrar que em 2003, o presidente do tricolor simplesmente bateu o pé, e se negou a alugar o estádio ao Brusque. Logo, a cidade ficou sem futebol naquele ano. Se for feita realmente uma reforma no Augusto Bauer com a participação da Prefeitura, uma extensão desse contrato deve ser feita desde já, para evitar os problemas do passado.

Enquanto isso, o torcedor brusquense continuará indo ao velho Augusto Bauer, que completará 80 anos em 2011. Mais um ano, obras serão feitas para que os laudos de liberação venham para que os jogos da Copa do Brasil aconteçam aqui. E que esse movimento pró-construção de um novo Estádio não fique apenas no campo da promessa. E, sinceramente, nesses anos todos de imprensa estou cansado de ouvir promessa de estádio que sai, e que no final não sai. Então vou ficar quieto esperando pra ver no que dá.

9 comentários:

  1. Rodrigo, dois puxões de orelha em ti:

    1. Ficar remoendo a história de 2003 não leva a nada. Houve motivos JUSTISSIMOS pra não alugar o estádio. Se fossemos voltar no tempo, seria igual. E a culpa foi única e exclusiva do que o Brusque aprontou naqueles anos todos de processo da justiça e na "entrega" do estádio. Preciso refrescar a tua memória ?

    2. Dizer no Jornal da TV Brusque que " o Renaux que não venha com frescura "...
    Continuas esquecendo que o Augusto Bauer é propriedade particular e que o Renaux tem o direito de exigir o que quiser para renovar o contrato. No modelo atual, beneficia apenas ao Brusque. A diretoria atual fala desde o início que não tem nada contra o Brusque e nada contra em alugar o estádio, desde que o contrato seja diferente. Nada mais justo.

    ResponderExcluir
  2. Não estou remoendo a história de 2003. O Renaux tinha um presidente maluco, com um filho maluco que disparava contra a imprensa e fizeram aquilo de birra. Tanto que quem assinou a carta que negou o aluguel foi um paulista desconhecido que era vice-presidente do clube. Mas passou. Agora o povo vai, de novo, acreditar em promessa de político.

    ResponderExcluir
  3. E quanto ao que eu disse do Renaux na TV, nada impede que seja feito acordo também com o Paysandu, que tem uma área disponível para uma grande arquibancada coberta na área da Getúlio Vargas.

    Para evitar o que aconteceu em 2003. Não que isso vá acontecer, mas sempre é bom ter uma alternativa. Ainda bem que o presidente atual é homem sério, e não é o doido daquele ano, que me mandou email esses dias até pra dizer que a Família Renaux proibiu o Brusquense de voltar pro nome antigo.

    Agora lembra da história: se não fosse o Brusque pagar aquela turma em 2006, que veio por causa da irresponsabilidade do Renaux em assinar aquele contrato com o Português, não sei o que seria do clube.

    Aliás, por que o Renaux nunca acionou o ex-presidente na Justiça,por causa do acordo irresponsável com o Português? Isso é um caso de improbidade.

    ResponderExcluir
  4. Caro Rodrigo!
    Leio seu blog com certa frequência e, algumas vezes, diante de inúmeras asneiras ditas à guisa de comentário, pensei em escrever. Mas me contive, tendo sempre em mente que, como dirigente do BFC, minha postura deve ser equilibrada, ética, sem jamais fomentar a discórdia.
    Entretanto, nos últimos dias, nas postagens que tratam da questão do estádio para o Bruscão mandar seus jogos, tenho lido tantos comentários insanos que, 'data vênia', sou obrigado a me manifestar.

    Que tal abrirmos uma discussão acerca de quem é quem em toda essa história?

    Vou deixar, desde logo, algumas perguntas:

    Quando os atletas do Carlos Renaux, disputando a 3a. divisão, fizeram greve porque, em quatro meses, não haviam recebido nenhum centavo de salários (chegaram a vender até os extintores de incêndio, mesas e cadeiras do Clube para comprar alimento), quem pagou os R$16.500,00 para que pudessem retornar às suas cidades?

    Quando os funcionários, comissão técnica e atletas ingressaram com ações trabalhistas contra o Carlos Renaux (ou SC Brusquense), postulando mais de R$700.000,00, onde estavam as pessoas que agora falam besteiras sem qualquer conhecimento de causa?

    Quem foi que defendeu o Carlos Renaux naquele momento, evitando que fosse revel e condenado a pagar vultuosa quantia, a ponto de colocar em risco o próprio estádio Augusto Bauer?

    Quem souber responder essas perguntas, deverá continuar na discussão e, por certo, poderá responder outras centenas de indagações nesse mesmo diapasão.

    Quem desconhece a realidade, infelizmente, não deverá mais falar desse assunto.

    Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  5. bem lembrado rodrigo.
    por essas e outras que sou a favor do BFC ter seu proprio estadio, nao da pra ficar na mao do CACR ou de quem quer que seja.

    "Agora lembra da história: se não fosse o Brusque pagar aquela turma em 2006, que veio por causa da irresponsabilidade do Renaux em assinar aquele contrato com o Português, não sei o que seria do clube. (2)" e ainda dizem que o contrato eh ruim e que soh beneficia o BFC. O BFC salvou o CACR em 2006, com esse contrato que agora tanto reclamam dele.

    agora o CACR, Paisandu e BFC, poderiam fazer um acordo do tipo. O CACR manteria o AB e sederia o estadio para jogos do BFC por 20 anos, e o bfc bancaria a reforma. o Paisandu sederia o campo para treinos do bfc em troca o BFC faria vestiarios, sala de musculação,etc, sendo o ct do time profissional do BFC.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com tudo que o Carmargo falou , e ainda digo mais , esse cidadao que começou a frequentar este blog agora , veio somente para criar mais picuinhas e continuar com essas brigas de ciuminhos por mais uma GERAÇAO.
    Se nao alugar mais , problema deles.Essas pessoas que acham que sao donas desse pedaço de terra que façam bom proveito.Prefiro ir assitir o bruscao jogar la em Itajai.Digo mais , eu particularmente , gosto muito de futebol e fui assistir a todos os jogos do CACR naquele ano , e acredito que se somar todos os jogos em casa , tirando os dois classicos, nao colocaram mais do que 1000 pessoas no estadio , que por sinal , nao me lembro de ter visto ume vez se quer o Dr eduardo nos jogos naquele ano.
    Entao Dr Eduardo , vc que chegou agora e ja quer sentar na janela ,
    deixa as pessoas serias e que gostam de futebol discutir este assunto.
    abçs.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite a todos

    O Prefeito Paulo Eccel tem mostrado boa vontade e sabe que Brusque precisa de um estádio.

    Agora, marcar reunião para ficar dizendo que a Prefeitura não tem dinheiro não leva a nada.

    Primeiro, a prefeitura não precisa entrar com dinheiro. O que a prefeitura precisa fazer é ceder o terreno.

    Aquele local em que fica o kartódromo é o local ideal para a construção do estádio. Bem localizado, perto da Arena Multiuso, perto da Havan, que pode entrar com uma parte dos recursos num projeto do tipo Arena Havan.

    Um desperdício usar aquela área para um kartódromo, que tem no máximo 100 pessoas interessadas na cidade. Não sou contra o kartódromo, mas kartódromo pode ser construído em qqer local, de preferência fora da cidade.

    Nenhuma cidade do Brasil constrói um kartódromo em área central. Isso sem falar do barulho infernal que incomoda as residência até do outro lado do rio, num raio de mais de 2 km.

    Se a prefeitura ceder aquele local, dinheiro para o estádio se consegue. Tem Fundoesporte, que entra com uma parte, incorporadores para explorar os pontos comerciais, a própria Havan, o governo do estado, venda de cadeiras e camarotes, etc. O que a prefeitura precisa fazer é o mínimo que compete a ela: ceder o terreno. O resto se consegue.

    Esse é o ponto de partida.

    ResponderExcluir
  8. Para resolver o problema do ano que vem, a única alternativa viável é a reforma do AB. Não precisa ser uma mega-reforma. Não vale a pena gastar dinheiro em cima do patrimônio de um clube.

    Basta melhorar algumas coisas, em caráter emergencial. Além das reformas já comentadas, algumas em andamento, não esqueçam da iluminação. Em jogos noturnos, o campo parece uma boate. Uma vergonha. Qqer campo amador tem iluminação melhor que do AB.

    Vamos colocar pelo menos mais 12 refletores em cima da arquibancada.

    Gostei do depoimento do Camargo. A diretoria do BFC precisa ficar mais próxima da torcida.

    ResponderExcluir
  9. nao e dificil se fazer um estadio...so acho que se o brusque quer ter seu proprio estadio tem que mobilizar seus torcedores desde ja...mobilizar seus empresarios e nao ficar dependendo de politicos.e do dinheiro publico...que pode ser usado em outras coisas pra comunidade...é so minha opiniao! acho que a prefeitura de brusque deve ajudar de outra forma...

    ResponderExcluir