sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A ferida do Leão só aumenta


"Temos que trabalhar e baixar a cabeça"
, palavras do goleiro Renan, do Avaí.

A frase acima, dita à imprensa após mais uma derrota avaiana em Salvador, dá a pista de um time que começou a abrir a cartilha de um clube que quer ir ao rebaixamento. Não adianta o Luiz Alberto ir no twitter e dizer que não vai cair, nem o Edson Neguinho colocar a culpa no DM. O tempo urge, as rodadas passam, e o Avaí precisa de um fato novo que possa motivar o grupo, e para ontem.

Mais uma derrota, mais uma por 3 a 0. A situação é gravíssima, e os reforços anunciados não têm cara de que vão virar a situação. Com todo respeito ao Edson Neguinho, o Avaí precisa de um nome com força de chacoalhar o vestiário. É muito tempo sem sentir o gosto de uma vitória. E quando se esperava uma resposta, por mais tímida que seja, para provar que pelo menos o time tem vontade de reagir, não foi o que apareceu no Barradão. Displicência, descomprometimento e falta de fôlego foram flagrantes na partida em solo baiano. Coincidência, desde que Emerson Buck deixou Floripa para se juntar a Silas no Flamengo, o time caiu muito de rendimento na parte física, deu pra notar?

O Vitória patrolou, e vem aí o Ceará. Zunino deu uma entrevista na CBN antes do jogo dizendo que os reforços que foram apresentados nos últimos dias serão os últimos neste Brasileirão e que Neguinho ficará no comando (isso eu duvido). O treinador se agarra na informação de que Caio deve voltar e Roberto jogar 45 minutos no domingo. E a torcida busca algo para se agarrar na esperança da má fase acabar rápido. Promessa de jogo tenso.

Um comentário:

  1. Temos que trabalhar e baixar a cabeça

    Baixar a cabeça? Será que para escapar do rebaixamento não é preciso levantar a cabeça?

    Essa frase apenas confirma aquilo que todos sabem: segunda divisão e vergonha para SC.

    ResponderExcluir