segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O "Dia do Fico" avaiano

Foi um daqueles jogos que entram pra história. Uma batalha. E eu estava lá, vendo a linda festa e o drama passado pelo torcedor avaiano.

Foi uma vitória dramática conquistada por um time ansioso, que sabia que poderia vencer o Santos, que não queria mais nada no campeonato. E talvez esse detalhe atrapalhou tudo. Eu diria que um santista estava com vontade a toda: Neymar, que busca a artilharia do futebol brasileiro no ano. E ele fez a diferença na primeira etapa. Podem chamar de marrento, mala ou mascarado, mas o menino joga muito. E deu um corte sensacional em Emerson para criar a jogada do primeiro gol, além de fazer o segundo, em passe de Arouca.

O Avaí tinha uma enorme motivação para o jogo, mas faltava tranquilidade. Atrás no placar, abusou de chutes fracos ou sem direção, mostrando muito nervosismo. Foi aí que Caio apareceu. Com calma, trabalhou a bola em jogada individual, e fez o primeiro. No gol de empate, calma e precisão novamente. Ele teria que carregar o piano, já que Vandinho, mais uma vez, estava totalmente desaparecido.

O time entrou no segundo tempo com a moral de quem conseguiu empatar um 2 a 0. E o Santos desistiu do ataque, pensando em segurar o adversário. Traduzindo: esperava o Avaí, que não sabia aproveitar. Até que Caio apareceu de novo. Um dos poucos jogadores que se salvam no atual elenco avaiano fez um golaço, e detonou a festa na Ressacada, que pude ver, ouvir e sentir. Uma experiência muito legal.

Cumpriu-se o objetivo, e o Estado terá dois times na Série A em 2011. O Avaí conseguiu virar um iminente rebaixamento, empurrado por sua torcida, que deu o gás extra que o time não apresentava. Ela, sim, que fez a diferença. E passado o Brasileirão, é hora de avaliar os erros, que foram muitos.

Mas esse é assunto pra outro post, que publicarei essa semana. Também quero falar do Marquinhos Santos, que estava ao lado de onde eu estava sofrendo com o jogo, e das vantagens da presença da dupla na Série A, que vai ser bom para ambos. A festa foi longe.

3 comentários:

  1. Pode ter certeza que no ano que vem caem os dois.

    Coritiba, Bahia são times grandes e tradicionais, ao contrário de Gremio Prudente, Guarani, Avaí e Figueirense.

    ResponderExcluir
  2. Rodrigo, que bom saber que estavas na Ressacada! Imagino que a festa da torcida avaiana tenha te contagiado! Qual foi a tua impressão da estrutura do estádio? E da torcida?
    E o Chapecó? Eu estava lá! :)

    Um abraço e volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Grande Rodrigo, é um prazer sempre te receber por aqui. Espero que o futebol de nosso estado cresça muito com a dupla da capital na série A e que o Leão sempre continue à frente deles, hehehehe. Boa sorte para o Brusque na Recopa!
    Do amigo, Andrey.

    ResponderExcluir