quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Avaí perde chance de faturar e popularizar

O Blog sai do recesso. Vamos trabalhar.

Quando vi o resultado da reunião do Conselho Deliberativo do Avaí, pensei em algo que tinha escrito em 21 de outubro último, depois da espetacular vitória azul sobre o Emelec, na Ressacada: "Que alguém grave o jogo de hoje e deixe guardado, para mostrar quando tiverem a ideia de cobrar 60 reais o ingresso. Muitos daqueles torcedores que preferiam ficar em casa ou ir no boteco ver o jogo no PPV foram pro campo. Futebol é esporte do povo. E hoje, o torcedor deu o seu grito de "Reage Leão".

O ingresso não custará 60 reais, houve uma redução de 10% na arquibancada (vai custar 50) e de 20% na coberta (vai custar 80). Considerando que na reta final do Brasileiro, onde o ingresso custou vinte reais, e o torcedor não deu a mínima para a fila infernal, foi lá e lotou o estádio, esperava-se que o exemplo fosse mantido e a política de preços fosse revista. Se fosse até por 30, acho que seria aceitável. Essa "redução", e vou usar entre aspas mesmo, não muda muita coisa na opinião de quem fica naquela dúvida, principalmente no Estadual: "vou ver Avaí x Concórdia pagando cinquentão ou fico em casa, ou de repente vou ver no Pay per View do boteco?"

Existe o argumento do "tem que associar", mesmo que algumas coisas tenham mudado que ficaram estranhas. Mas há de se considerar o povão, aquele que torce pelo time e não tem condição de arcar com a despesa fixa de uma mensalidade social, mas pode ir uma vez ou outra ao jogo. E isso depõe contra a estratégia marqueteira de um clube. Basta ver a matéria publicada no renomado site Máquina do Esporte, em que os lucros com bilheterias caíram muito por causa dos descontos dados a planos de sócios. O Avaí é citado na matéria. Existe uma grande demanda reprimida que não se animará com tal política de preços.

Já nos planos de sócios, ouvi várias opiniões de associados avaianos ontem e hoje. A mudança mais curiosa é o final da diferenciação dos preços de cadeira inferior e superior. Traduzindo: pelo mesmo preço de um local coberto, você fica em uma cadeira sujeito a tomar chuva na cabeça. E quem tinha a condição de arcar com a mensalidade por ali, terá dificuldades. Não vou entrar nos outros pormenores dos planos, que foram aprovados sem consenso (20 votos a favor e 10 contra), mas é uma decisão que vai fazer o clube perder dinheiro.

Elitizar não é o caminho, ainda mais quando falamos em um clube de massa, que é tocado pelo povo, que pode muito bem não querer pegar a fila pra assistir o jogo em um bar, tomando cerveja, sem pagar ingresso (jogo esse que o Avaí receberá algo em torno de 9 mil reais, pela divisão "maravilhosa" das verbas do Pay-per-view) e que pensará se vale ou não pegar a fila.

O berreiro dos torcedores avaianos está grande, e eles têm razão. E definitivamente, parece que a onda azul que tomou conta da Ressacada no final deste ano não sensibilizou a direção avaiana. Desconsideraram a força que um estádio cheio tem.

3 comentários:

  1. Rodrigo, não vou entrar no mérito do valor do ingresso para jogos do Avaí, até por que não moro em Floripa e assisto dois ou três jogos do Leão por ano quando estou na Capital.
    Mas quero dizer que você foi muito infeliz quando disse: "vou ver Avaí x Concórdia pagando cinquentão ou fico em casa..."
    Na minha modesta opinião você é um dos poucos Jornalistas Esportivo do Estado com credibilidade e imparcial.
    Assim sendo, não perca a chance neste ano de olhar para o Oeste e falar bem do Concórdia Atlético Clube, por que a luta pra formar um bom time está sendo dura, mas o empenho da sociedade concordiense com certeza será recompensado com uma bela campanha do time no Catarinão 2011.
    Forte abraço e um feliz 2011. Fique com Deus!!!

    ResponderExcluir
  2. Brusque derrota o Imbituba fora de casa por 3 a 2 em amistoso

    Kito foi o destaque do time visitante, com dois gols

    O Brusque desafiou o Imbituba em amistoso na noite desta quarta-feira, no Ninho da Águia, e venceu a partida por 3 a 2. O time visitante abriu vantagem de dois gols, com Valdo e Kito, e a equipe da casa só descontou aos 36 minutos de jogo, em um gol contra de Vinícius. No segundo tempo o artilheiro Alan empatou, de cabeça, mas o endiabrado Kito definiu a vitória no final do jogo, após um bate-rebate na área do time do técnico Müller.

    Fonte: diario catarinense

    ResponderExcluir
  3. Rodrigo, realmente a diretoria do Avaí vive em um mundo paralelo.
    Sou sócio e não reclamo muito do preço da mensalidade, acho que tá dentro dos padrões, e também acho que sócio de certa forma deve "ajudar" o clube.
    Agora, o preço dos ingressos é ridículo. Além dos torcedores que não tem condições de se comprometer mensalmente com uma quantia mas gostariam de ir de vez em quando nos jogos, o Avaí perde também aqueles potenciais sócios, que após irem a alguns jogos resolveriam se associar.
    Eu mesmo me associei há 6 anos atrás porque comecei a ir em quase todos jogos e vi que era vantagem ser sócio. Mas hoje isto é impossível, ninguém acorda um dia e pensa "vou ser sócio do Avaí".
    E o setor inferior estava sendo ótimo ano passado, pois com ingresso reduzido estava quase sempre cheio e animado, passando uma imagem bonita da Ressacada também pela TV, o que não deixa de ser um marketing.
    Será uma pena termos novamente uma média de público ridícula, sabendo que temos potencial para ter uma média de pelo menos 15 mil no Brasileirão... os últimos jogos do ano passado, onde tivemos em torno de 19 mil no estádio, mostram isto.

    ResponderExcluir