sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Brusque: reviravolta no caso Aloísio Chulapa

A semana foi bastante movimenta no Brusque, principalmente com a informação antecipada por este Blog no último domingo do interesse do clube no atacante Aloísio Chulapa. O caso teve várias reviravoltas nos últimos dias, e agora, o clube está autorizado pela Havan a entrar na briga para trazer o jogador.

Basicamente, o que aconteceu: Chulapa fez a pedida salarial através do seu empresário, que estava dentro dos valores estabelecidos pela Havan para trazer o chamado "jogador-medalhão". Na última segunda, em reunião na sede da Havan, o dono da rede de lojas, Luciano Hang, acabou "dando um gelo" na negociação, alegando que gostaria de ter um nome de maior impacto midiático para ser um verdadeiro garoto-propaganda da loja.

Mas com a repercussão da notícia, e com o nome de Chulapa aprovado pela grande maioria da torcida, o caso teve uma reviravolta ontem. Em entrevista ao jornalista Maurício Haas, do jornal "Município Dia-a-dia", Luciano Hang afirmou que autorizou a diretoria do Brusque a fechar negócio com o atacante. Hang entendeu que Chulapa pode ser mais produtivo dentro de campo, e que em o Bruscão vencendo partidas, pode divulgar o nome da Havan da mesma forma que se viesse um jogador famoso, mas que não rendesse tanto.

Há informações de existe concorrência pelo jogador. Fala-se em Náutico, Macaé e Volta Redonda. Agora, o Brusque entra definitivamente no circuito, disposto a pagar o que o jogador pediu. O diretor de futebol André Rezini prometeu solucionar o problema até no máximo quarta-feira que vem.

Pode ser o presente de Natal para a torcida.

Um comentário:

  1. Aprovado. Fico com o depoimento que li na Coluna do Braga (com a qual concordo)

    Se Aloísio não é exatamente um craque, é sem dúvida um baita jogador de grupo, humilde, vai agregar muito valor ao elenco do Brusque sem querer ser o centro das atenções. Certa vez li uma entrevista do goleiro Rogério Ceni na qual ele dizia que Aloísio é um dos jogadores mais fantásticos que ele já conheceu e um dos poucos amigos que ele tem no futebol. E no tricolor foi onde Aloísio realmente se destacou, ora em lances de craque (como o passe de letra para o gol de Mineiro na final do Mundial de Clubes de 2005, contra o Liverpool), ora por ser exatamente isso que Ceni se referiu: um jogador de grupo.

    Importante lembrar que o Chulapa não é matador, joga mais como pivô. Vai faltar alguém pra marcar os gols.

    O ciclo de contratações não pode terminar. Precisa trazer mais um atacante urgente. Não dá para apostar todas as fichas no Kito. Eu particularmente não tenho muita confiança.

    ResponderExcluir