terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Figueirense e Avaí dividindo o mesmo estádio?

O vídeo abaixo é do programa "Bon Vivant", apresentado por Leo Coelho na Record News, e recebeu os presidentes do Avaí, João Nilson Zunino e do Figueirense, Nestor Lodetti. No meio do papo, Zunino lançou a ideia de que Florianópolis possa contar com apenas um Estádio, que seria dividido entre Figueirense e Avaí, a exemplo do que funciona em estádios como Minas Gerais e Ceará.

O assunto vai dar polêmica. Mexe com uma coisa cultural que é o da "casa própria". Mas se o poder público levantasse um estádio de 40 mil pessoas para uso compartilhado, economicamente a ideia não é tão ruim assim. Mas o vídeo vai levantar uma grande discussão, e o presidente alvinegro parece também concordar com a ideia. Com a palavra agora, os torcedores dos dois times.

2 comentários:

  1. Florianópolis precisa de um espaço para prática de esportes que ainda não têm o porte do futebol de campo profissional. Usar dinheiro público em benefício de clubes de futebol que têm fontes de renda privada, como cotas de TV, premiação por participação em competições e patrocínios, é descabido.
    Se a intenção é apoiar o esporte e o turismo, um ginásio coberto para pelo menos 50 mil pessoas, que ocupará menos espaço físico do que um campo de futebol para o mesmo público, com a vantagem de receber jogos de futsal, basquete, vôlei, ginásticas, artes marciais, shows musicais e até ciclilsmo, é muito mais adequado.
    Avaí e Figueirense que mantenham seus projetos privados com o futebol de campo, e deem apoio a um ginásio que possa comportar outros esportes. Já imaginou Avaí com um time de vôlei, futsal ou basquete? Se São José, Joinville, Jaraguá do Sul e Chapecó conseguem, porque Florianópolis não?

    Um abraço,

    Alexandre FC Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Apesar de ser algo que vai contra a paixão do torcedor, acho que um estádio moderno e bem localizado para 40 mil pessoas para os 2 times aqui em Floripa seria uma grande evolução no nosso futebol.
    Mas não acho que o poder público deva ser o único responsável. Garanto que existiriam empresas interessadas em ter o seu nome vinculado a este estádio.

    Por outro lado, concordo com o colega acima. Existem outros esportes, amadores ou semi-profissionais que não possuem espaço adequado na cidade.
    Além dos exemplos citados, temos
    o rugby. O Desterro Rugby Clube, de Floripa, em 15 anos de história já foi 3 vezes campeão brasileiro da primeira divisão, foi vice campeão este ano, e não possui um campo adequado para treinar e mandar seus jogos. E a prefeitura não tá nem aí.

    Saudações avaianas!

    ResponderExcluir