sábado, 9 de janeiro de 2010

Catarinense 2010: Figueirense

FIGUEIRENSE FUTEBOL CLUBE
Fundação: 12 de junho de 1921
Cores: Preto e Branco
Estádio: Orlando Scarpelli - 19.908 pessoas
Presidente: Norton Boppré
Técnico: Renê Weber
Ranking "BdR" 2009: 2o. Lugar
Catarinense 2009: 5o. Lugar

O Figueira passa por um dos momentos mais tensos de sua longa história. Problemas ligados à continuidade ou não da parceria com a Figueirense Participações, que já dura 10 anos, acabaram atrapalhando na formação do time para o Estadual. A má campanha na Série B, onde o time perdeu pra si mesmo o acesso, com pontos bobos perdidos principalmente dentro de casa, acabaram desencadeando a crise. Tardiamente ou não, o Figueirense contratou um treinador e trouxe vários jogadores, a maioria de uma só empresa, e vai para o Estadual tentar não-se-sabe-o-que: toda a torcida está curiosa pra saber da qualidade desse time.


Para o comando técnico, confesso que eu esperava uma pessoa de maior personalidade, ou que tivesse um histórico vitorioso. Falou-se em Márcio Goiano, pessoa identificada com o clube, mas ele virou auxiliar (ou será o próximo treinador), mas o nome escolhido foi o de Renê Weber (foto), de 48 anos, que teve campanhas fracassadas no Criciúma (demitido após apenas três jogos) e no Caxias, onde durou só cinco partidas. Estava trabalhando no Grêmio, onde foi auxiliar de Paulo Autori. Definitivamente, não é o cara. Mas, se o clube escolheu, boa sorte pra ele.

A Brazil Soccer, empresa de agenciamento de jogadores, pertencente ao empresário Eduardo Uram, é a grande fornecedora de jogadores do time. Muitos, mas muitos mesmo, são desconhecidos, sem nenhum destaque nacional. O time vai depositar as esperanças em três velhos conhecidos: o goleiro Wilson, o volante Jeovânio e o meia Fernandes, ídolo do time, que se lesionou recentemente. Dentre os novos reforços. destacam-se o volante Rafael Coutinho (foto), ex-Vasco com má passagem pelo Criciúma, e os atacantes Jean Carioca, ex-Botafogo, e Júnior Negrão, ex-Corinthians.

Para um time que quer ser campeão, é pouco. Com tantos jogadores desconhecidos, e um treinador que não tem um histórico de vitórias, aliado à crise interna que o alvinegro sofre nos bastidores, tudo isso reflete no futebol. O que esperar do Figueirense no estadual? Um ponto de interrogação enorme. Não é favorito ao título, mas com a estrutura que o mais vezes campeão do Estado tem, é possível virar o jogo. Vejo hoje no Figueira um clube que busca uma reestruturação total, e que não pensa muito no Campeonato Catarinense. Está, aí sim, começando um trabalho voltado para a Série B, onde não poderá repetir o número de bobeadas e pontos perdidos de 2009.

Antes de Viola, Brusque foi atrás de Alex Dias e Edmundo

Passada a apresentação de Viola no Brusque, apurei como funcionou a operação para trazer o jogador para cá. Na verdade, o ex-atacante do Corinthians não foi a primeira opção, mas ela apareceu por acaso.

O Brusque já estava atrás de um jogador conhecido há mais tempo. Alex Dias, aquele atacante que passou por Goiás, Vasco e São Paulo, chegou a ser oferecido. Mas o sonho do patrocinador e do clube era Edmundo, que teve seu nome ventilado no ano passado.

No último final de semana, o Presidente Danilo Rezini ligou para Edmundo, que falou que não estava mais interessado em jogar futebol profissionalmente, dedicando-se mais à televisão, onde já trabalha. Mas acabou dando um conselho: "contrata o Viola, tá inteiro e jogando mais bola que eu!". Daí, o acerto foi rápido. O próprio Animal fez a ponte com Viola na segunda-feira. Acerto financeiro definido com a Havan, naquela tarde a diretoria foi conversar com o técnico Suca, para obter o seu aval. Autorizado pelo treinador, os últimos detalhes foram acertados diretamente com o atleta naquela noite, quando o martelo foi batido.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Catarinense 2010: Atlético de Ibirama

CLUBE ATLÉTICO HERMANN AICHINGER
Fundação: 20 de setembro de 1951
Cores: Grená e Branco
Estádio: Hermann Aichinger - 5.000 pessoas
Presidente: Nilo da Silveira
Técnico: Gélson da Silva
Ranking "BdR" 2009: 8o. Lugar
Catarinense 2009: 6o. Lugar


O Atlético de Ibirama é um time completamente diferente de qualquer um que já apareceu em Santa Catarina. É de uma cidade pequena, as informações de lá são complicadas, mas o ex-prefeito tem o clube como um filho mais novo, onde investe o que é preciso para equipar o seu time. O investimento já foi bem maior. O Atlético chegou a ser vice-campeão estadual por duas vezes seguidas, nas eras de Mauro Ovelha. Nos últimos tempos, nunca faz times ruins, mas ao mesmo tempo não consegue chegar lá em cima. 2009 foi assim: um sexto lugar no Estadual, sob o comando de Edson Belmonte, e uma terrível campanha na Copinha, quando planejava fazer um laboratório para 2010 e viu que tinha que mudar muita coisa. E daí, veio a reformulação total.

O comando dessa reformulação é de Gelson Silva (foto) técnico que começou carreira no Brusque, em 2004, e que teve sua melhor passagem no Criciúma, quando acabou saindo deixando o time na liderança disparada da Série B. Técnico com um lado religioso muito forte (ele é pastor), acabou deixando algumas reclamações nos clubes que passou, de que misturava igreja com futebol. Orações a parte, Gelson é conhecido por montar times com uma parte tática muito forte. Não gosta que seu time fuja muito do que foi planejado nos treinamentos. No Ibirama, tem a oportunidade de começar um planejamento do zero, depois da má campanha na Copinha.

Na lista de reforços do Atlético, velhos conhecidos do futebol catarinense. Nesta semana, repatriou o bom e velho goleiro Márcio, que participou das grandes campanhas do clube. Uma pequena base do ano passado foi mantida, mas o clima é de "tudo novo". Fazem parte dos destaques do time de Ibirama o atacante Maurício "Fofão", que retorna ao clube, os volantes Edvânio, vindo de empréstimo do Criciúma, Leomir, que também é ex-Tigre e Xipote, ex-Brusque. O torcedor ibiramense pode ficar de olho no atacante Giovane (foto), de 27 anos, autor de nove gols na última Copa SC pelo Brusque. Ele voltou do futebol chinês com outro futebol. Hoje joga de forma inteligente, com uma boa qualidade de passe e finalização. Tem tudo para ser o principal destaque do time.

O vice-presidente e dono do time, Ayres Marchetti, recorre mais um ano a sua fórmula de trazer jogadores conhecidos, tentando repetir uma estratégia que funcionou em algumas temporadas. Para 2010, a tática parece um pouco desgastada, mas quem é do futebol sabe que jogar dentro da Baixada é uma grande complicação para os times visitantes. Se dentro de casa o Atlético é forte, terá também que marcar pontos fora de Ibirama. E é aí que não tenho tanta confiança nisso. O Atlético, na minha visão, vai mais uma vez fazer um voo de cruzeiro pela Divisão Principal. Não tem time para cair, mas vai precisar de um bom algo mais para chegar lá em cima.

Esses horários... e Clássico às 19:30

Tem torcedor bufando em vários locais com a tabela do Campeonato Catarinense. Adaptada à televisão, ela relega o torcedor, aquele que faz o espetáculo nas arquibancadas, a terceiro plano. Tem jogo em tudo que é horário: sábado a noite, segunda à noite, quarta em horário que as Rádios estão com Voz do Brasil... Enfim, é bom todo torcedor olhar bem a tabela pra não perder o horário do jogo do seu time.

Mas tem um jogo em especial que merece atenção, já que envolve o clássico Avaí x Figueirense, que merece esquemas especiais de trânsito e segurança a cada vez que acontece. O jogo do primeiro turno, no Orlando Scarpelli, na 6a. rodada, será as 21:50h de uma quinta-feira, dia 04/02. Ou seja: horário de TV Aberta para um jogo com transmissão do pay-per-view. O povo vai chegar tarde em casa.

Agora, o confronto do segundo turno, na Ressacada, é uma piada. Gostaria de saber como alguém marca um clássico para as 19:30 de quarta-feira (24/03) . São vários os motivos: o trânsito do Sul da Ilha nesse horário é insuportável. Muitas pessoas que trabalham até 18 horas terão muitas dificuldades para chegar ao Estádio a tempo. Ou seja: não dá, é um desrespeito completo ao torcedor e a imprensa, onde as rádios só começarão a transmitir lá pelos 30 minutos do primeiro tempo. Tá certo que o PFC está pagando, que a televisão tem o direito de mudar o horário de um jogo, mas marcar um clássico para tão cedo é desmerecer o tamanho e a importância do maior clássico de Santa Catarina.

Ainda há tempo para usar o bom senso e mexer nisso, Federação.

Estádio lotado para ver Viola


O Estádio Augusto Bauer lotou para ver a apresentação de Viola, antes do jogo-treino com o Rio Branco-PR. Ele chegou de helicóptero, fez a alegria da torcida e assistiu à partida nas cabines de imprensa. O Brusque venceu o time de Paranaguá por 4 a 0, com três gols de Têti e um de Valdo.


Catarinense 2010: Brusque

BRUSQUE FUTEBOL CLUBE
Fundação: 12 de outubro de 1987
Cores: Verde, Vermelho, Amarelo e Branco
Estádio: Augusto Bauer - 7000 lugares
Presidente: Danilo Rezini
Técnico: Gilmar Gasparoni (Suca)
Ranking "BdR" 2009: 7o. lugar
Catarinense 2009: 7o. lugar

O Brusque teve um 2009 que podemos dizer, tranquilo. Ficou em sétimo no Estadual, mas em nenhum momento correu risco de descenso. Na Série D, fez uma boa campanha, com 10 pontos conquistados, mas não obteve a classificação. Mesma coisa na Copa Santa Catarina, onde começou a montar uma estrutura para este ano. A diretoria chegou a condicionar sua permanência no clube à renovação dos acordos de patrocínio. A Havan e a Prefeitura praticamente dobraram o valor dos repasses, e Danilo Rezini ficou firme e forte na presidência, tendo seu filho André como braço direito e articulador das contratações. Não é por eu ser amigo pessoal dele, mas o "Bebeto" vem se revelando como uma boa surpresa dentre o ramo de dirigentes. Conseguiu trazer atletas interessantes para o Grupo, mesmo o time começando os trabalhos um pouco mais tarde que alguns adversários.

E o técnico Suca (foto) está bem próximo de chegar a marca de dois anos a frente do clube. É, sem dúvida, um marco, dentro do futebol nacional. Dentro dessa perspectiva, a continuidade do trabalho vem mostrando ser muito importante: o Bruscão hoje tem uma estrutura fixa e ativa há mais de dois anos, possui jogadores da base no elenco e que são titulares do time. Suca conhece de futebol, e teve muito mais acertos do que erros no último ano. Como ninguém é perfeito, a diretoria confiou nele para mais este desafio.

No campo das contratações, todo mundo já sabe que Viola é o mais famoso. Como já falamos a exaustão do nome dele aqui no Blog, quero chamar a atenção para outras peças importantes do elenco. O Bruscão tem dois alas de qualidade: Rogério Souza, que, mesmo dispensado do JEC, conta com a simpatia de muitos torcedores de Joinville, e Valmir, ala esquerda campeão estadual pela Chapecoense em 2007. Marcelo e o experiente Luiz Henrique são os zagueiros. No meio, o ex-lateral direito Pereira assume outro desafio como cabeça de área ao lado de Daril. Ele foi testado nessa posição na Copinha e rendeu muito bem. Mais a frente, vem o jogador que considero mais técnico e mais importante do esquema tático do Bruscão. De nada vai adiantar o Viola no ataque se Têti (foto), de 30 anos, não fizer o meio-campo funcionar e deixar o tetracampeão na cara do gol. Ele, Têti, é para mim o destaque coletivo do Bruscão. O camisa 10 que o clube procura há tempos. Terá uma responsabilidade no time até maior que o Viola, que é comandar a articulação no time. Se jogar o que sabe, é meio caminho andado.

O que esperar do Brusque? Bom, no papel, o Bruscão mostra que está bem longe de ser um time para brigar pelo rebaixamento. Considerando que o regulamento prevê um quadrangular em jogos únicos no fim de cada turno, onde se classificam os 4 melhores, a possibilidade de classificação existe. O elenco ainda está vários passos atrás de Avaí, Chapecoense e Joinville, mas o futebol reserva surpresas. Vários são os times de investimento menor que se encaixam de forma surpreendente e acabam nas cabeças. Vale aqui uma estatística: desde 1974, só os cinco grandes clubes do Estado levaram o Campeonato, exceção ao Brusque, que levou o caneco em 1992 com um grupo que jogava por música, mas que desapareceu no primeiro momento que foram separados para outros clubes. Vários exemplos podemos relatar em SC. O Brusque aposta nisso. Um elenco que pensa em chegar longe. A ajuda de Viola será bem-vinda, com certeza. E por causa do atacante, o Bruscão será alvo das atenções. É bom estar preparado pra isso.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

E o Viola Chegou...

Foto da festa que foi a apresentação do atacante Viola no Brusque, hoje a tarde, na Loja da Havan. Muita gente, muita imprensa, muito tudo... Amanhã ele desce de helicóptero antes do jogo-treino do time contra o Rio Branco-PR, as 18h.
Foto do Victor Pereira, repórter da TVB. Um santista que não resistiu e bateu uma foto com o ex-jogador do seu time.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Catarinense 2010: Metropolitano

CLUBE ATLETICO METROPOLITANO
Fundação: 22 de janeiro de 2002
Cores: Verde e Branco
Estádio: Bernardo Werner - Sesi - 6000 pessoas
Presidente: Edson Pedro da Silva
Técnico: Roberval Davino
Ranking "BdR" 2009: 6o. Lugar
Catarinense 2009: 8o. Lugar


O Estadual do ano passado para o Metropolitano foi, literalmente, de dois turnos distintos: no primeiro, uma sequencia forte de derrotas, inclusive uma para o Atlético Tubarão, que custou a cabeça do técnico Paulo Porto e um vrtual rebaixamento. No segundo, já com Lio Evaristo no comando e o reforço de quatro jogadores, o time deu uma guinada espetacular e por pouco não chegou ao quadrangular final, não fosse uma derrota para o Avaí em casa, na última rodada. Na Copa SC, e já sob o comando de Roberval Davino, o time chegou ao vice-campeonato, o que coloca o time bem perto da Série D, já que o regulamento diz que, caso o JEC fique a frente no Estadual e leve a vaga na D, a segunda será do vice da Copinha. Nada mal.


Davino (foto), dublê de treinador e escritor nas horas vagas, aceitou o desafio de sair do mercado onde é procurado e valorizado. Recebeu propostas de equipes de São Paulo mas ficou em Blumenau. Tem salário alto, mas ouvi de um diretor uma explicação que achei coerente: o que o treinador ganha, o clube economiza em hipotéticas más contratações. Ou seja, Roberval tem os contatos certos para montar um bom time, e sem extrapolar violentamente o caixa. Financeiramente, o Metropolitano é organizado. Tem um presidente competente, que ao que parece, não se mete muito na questão do futebol, deixando para quem entende. O clube tem um braço financeiro, a MIP, que também trabalha na gestão do clube. No papel, tudo certinho. Falta uma coisa, que o dinheiro não compra: um título.


Vamos ao time. Quem acompanhou a Copa Santa Catarina, sabe. O Metrô do Roberval tinha uma excelente defesa, mas um péssimo ataque. E quase que o treinador perde a sua dupla de zagueiros, formada pelo excelente Rafael e por Amaral Rosa, que foram assediados pelo futebol do Japão. Amaral só acabou não indo por alguns desacertos com o clube japonês. Nisso, Davino não precisará se preocupar. Lá na frente, Ricardo Lobo não rendeu o esperado e ainda por cima deixou o clube no final de 2009. Obviamente que as atenções da diretoria de futebol iriam para o ataque. Primeiro veio Kanu, jogador de passagem bem apagada pelo Brusque na Copinha. Mas o principal reforço foi anunciado hoje, e assinará contrato nesta quinta: é Mariano Trípodi (foto), de 22 anos, atacante argentino revelado no Boca Juniors e com passagens pelo Santos e Atlético-MG. Ele terá seu salário pago em parte pela Hemmer, que é um dos parceiros do clube. É um jogador rápido e ágil. Se não resolver o problema, ajuda muito.

Roberval Davino não nasceu ontem e não entraria em barca furada. Logo, ele sabe do time que tem nas mãos. O Metropolitano, como ele mesmo disse em entrevista ao Jornal de Santa Catarina, vai correr por fora no campeonato, meio que escondendo o jogo. Pra mim, o time de Blumenau faz parte do grupo de clubes que não correrão risco de rebaixamento, mas a atuação da Copinha não mostrou nada de brilhante na equipe do meio pra frente. Vamos aguardar pra ver quais serão as suas armas no Estadual.

A polêmica de Nazareno Marcelino

Durante os últimos dias, acompanhando a programação noturna da Rádio Guarujá, pude acompanhar alguns desenvolvimentos de um curioso caso da arbitragem catarinense: a não participação de José Nazareno Marcelino (foto, ao lado da esposa e auxiliar, Eloisa Martinello), eleito melhor árbitro do último Catarinense, na edição deste ano.

Hélio Prado, um dos membros da comissão de arbitragem da FCF, deu entrevista ao Édson Cúrcio, e falou que Nazareno não teria passado na prova escrita, mas acabou desconversando. Confesso que estranhei. Não passar na prova física é uma coisa que até dá pra entender. Mas, um árbitro experiente não passar na prova escrita?

Marco Antonio Martins, presidente do Sindicato dos Árbitros, foi entrevistado na semana seguinte pelo Janniter de Cordes, mas também disse que não tinha certeza do que havia acontecido com Nazareno. Se limitou a dizer que "ouviu falar" que o problema era na prova escrita.

O Janniter não entrevistou no ar, mas falou no seu programa que conversou com o árbitro, que estava visivelmente chateado, que garantiu que gabaritou todas as questões da prova escrita de 2010 da arbitragem do Estado. Como a FCF não divulga os resultados das provas de todos os árbitros, as coisas ficam envoltas nesse clima de estranheza. Lembre-se que no ano passado, Nazareno foi suspenso por 60 dias pela Federação por causa de um cartão amarelo assinalado de forma errada para Anderson Lima, então na Chapecoense. Ele reclamou abertamente na imprensa, de que não havia sido avisado do julgamento e que não pôde se defender. Criou um clima pesado, e mesmo sendo o melhor, ficou fora da decisão do último catarinense. Em novembro último, deu uma declaração forte à Rádio Eldorado, publicada no Portal Engeplus, criticando a FCF: "Ou recebo uma explicação coerente da minha ausência das escalas, ou deixo Santa Catarina e vou para a Federação de outro Estado". Isso não tá cheirando estranho?

Aliás, uma rápida, falando em estranheza: lembram que a FCF tinha colocado o Luiz Orlando de Souza, de 50 anos, pra apitar a final do Estadual passado, como uma homenagem pela sua despedida do futebol? Despedida nada! Ele continua firme e forte no quadro de arbitragem, e vai continuar trabalhando e obstruindo o caminho das novas caras, mesmo tendo passado em cinco anos a idade limite para apitar jogos profissionais. É a vida.

Primeira mão: o novo uniforme do Brusque


Acima, o novo uniforme do Brusque para o Catarinense 2010, já com o nome de Viola ostentando a camisa numero 9. A camisa acima é o uniforme número 2. O número permanece branco com as listras finas, bem parecida com a do ano passado. (Clique para ampliar)

Viola assinou contrato com o Brusque

Notinha curta do Blog:

Viola esteve em Brusque hoje ao meio-dia. Almoçou com a diretoria no restaurante da Sociedade Bandeirante e em seguida foi à Havan, onde assinou o contrato com o Bruscão.

A Apresentação oficial é amanhã, as 15 horas, na Matriz da Havan na Antônio Heil.

"Efeito Viola": RBS vai transmitir um jogo do Brusque

Ontem eu comentava no Twitter: o fato da RBS TV deixar de fora o Brusque na tabela de transmissões do Catarinense 2010 em TV Aberta poderia mudar, devido a presença do atacante Viola no time do Suca. Dito e Feito: o Diário Catarinense de hoje divulgou uma nova tabela das transmissões, e coloca um jogo do Bruscão: o confronto contra o Avaí, na abertura do returno, em 28 de fevereiro. Foi retirado o jogo Criciúma x Joinville. O Juventus também ganha uma transmissão a mais em relação à primeira lista divulgada pela FCF.

Vamos atualizar, então. A tabela oficial de transmissões do Catarinense, com o número de jogos de cada um, agora confirmado pela RBSTV:

TURNO
17/01 – Joinville x Criciúma
20/01 – Juventus x Avaí
24/01 – Joinville x Figueirense
27/01 – Criciúma x Avaí
31/01 – Metropolitano x Figueirense
03/02 – Criciúma x Chapecoense
07/02 – Juventus x Figueirense
10/02 - Atlétic0-IB x Avaí
13/02 – Criciúma x Figueirense
17/02 – Semifinal (a definir)
21/02 – Final (a definir)

RETURNO
28/02 – Brusque x Avaí
03/03 – Metropolitano x Chapecoense
07/03 – Chapecoense x Avaí
14/03 – Atlético-Ib x Figueirense
21/03 – Imbituba x Avaí
24/03 – Metropolitano x Joinville
28/03 – Joinville x Avaí
04/04 – Chapoecoense x Figueirense
07/04 – Metropolitano x Avaí
11/04 – Semifinal (a definir)
18/04 – Final (a definir)

FINAIS DO ESTADUAL
25/04 e 02/05 - Finais

Assim, o número de transmissões de cada equipe:

Avaí - 8,
Figueirense - 6,
Joinville, Criciúma, Metropolitano e Chapecoense - 4,
Juventus e Ibirama - 2,
Brusque e Imbituba - 1 transmissão cada.

Considerando os "bloqueios", já que os jogos não passam para a praça, as torcidas locais acompanharão os seguintes jogos:

Florianópolis - 14 jogos de Avaí e Figueira fora de casa.
Chapecó - 2 jogos da Chapecoense fora de casa.
Criciúma e Joinville - 1 jogo de cada um fora de casa.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Catarinense 2010: Imbituba

CFZ IMBITUBA FUTEBOL CLUBE
Fundação: 1o. de fevereiro de 2007
Cores: Azul, Vermelho, Preto e Branco
Estádio: Emilia Rodrigues - 2500 lugares
Presidente: Roberto Rodrigues
Técnico: Joceli dos Santos
Ranking "BdR" 2009: 10o. Lugar
Catarinense 2009: Não participou. Campeão da Div. Especial

Campeão incontestável da Segunda Divisão, o Imbituba desafia as limitações da cidade e de sua estrutura no Estadual que está por vir. O presidente Roberto Rodrigues chegou a dizer na imprensa da Zimba que iria desistir do campeonato, mas foi apenas uma ameaça para tentar conseguir um maior número de parceiros para o seu empreendimento, que conta com a parceria do CFZ, clube de Zico. Se bem que, segundo o próprio Roberto, Zico não põe um tostão no time. Então, que tipo de parceria é essa?

A situação financeira já não é boa para o Imbituba, e o time ainda tem que lidar com problemas de estrutura. O Estádio Emília Rodrigues (foto), bem próximo à Praia da Vila, precisou da implantação de um sistema de iluminação, e o seu custo é alto, e isso acabará se espelhando na formação do time. É bom lembrar que Robertinho e seu staff participaram do naufrágio do péssimo time do Atlético Tubarão, no Estadual do ano passado. Após o rebaixamento, pegaram o nome do antigo Imbituba Futebol Clube, e montaram o CFZ Imbituba.

O CFZ mantém Joceli dos Santos (foto), de 55 anos, ex-goleiro do Avaí, técnico que conseguiu o acesso, no comando (ele tem até Site Oficial). Conhece como poucos o futebol de Santa Catarina, e sabe atalhos para montar bons times com custo-benefício. Tem fala mansa, é do tipo paizão, e encaixa perfeitamente dentro da estrutura do time da Zimba, que tem que se virar com o que pode gastar. O elenco do time é a base da segundona passada, com jogadores como os zagueiros Téio (Ex-Ibirama) e Michel Nunes (ex-Marcílio Dias e Metrô), o lateral Jerson (ex-Brusque e Criciúma) e o meio-campo Alex Albert (ex-Juventus e Metropolitano). Os principais reforços do time também vieram da segundona. São o zagueiro China, vindo do Porto de Porto União, o atacante Edson Bugrão, do Hercílio Luz, e o bom meio-campo Édson Galvão, uma das revelações do Figueirense campeão da Copa São Paulo de 2008, e que disputou a segundona de 2009 pelo Juventus.

A tradição do futebol catarinense diz que os times campeões da Segunda Divisão sempre se apresentam bem no ano seguinte, em sua estreia na elite. O Imbituba apostou numa grande manutenção da base. Perdeu o seu artilheiro, o jovem Alan, que foi para a Chapecoense, e se reforçou com jogadores da própria Divisão Especial que venceu. Precisamos verificar primeiro como estará o nível do Campeonato Catarinense para ter um parâmetro de onde o Imbituba poderá chegar. Assisti alguns jogos da segundona e achei o nível muito baixo, e isso foi, pra mim, uma importante referência. O time vai começar o torneio como candidato sério ao rebaixamento, até pelo fato de não ter trazido reforços de peso. O CFZ fez uma aposta arriscada em um time de baixo orçamento que conquistou uma segunda divisão. Lá na frente, vamos saber se a tal aposta deu certo.

Enquanto isso, Viola...


Enquanto a torcida do Brusque festeja a contratação de Viola, o atacante foi encontrado pelo Guilherme Teixeira, do FutebolSC.com, aproveitando o finalzinho da sua folga na praia em Bombinhas. Amanhã ele chega a Brusque, e tive a informação que sua chegada será em grande estilo, de Helicóptero, na quinta-feira. A diretoria tem reunião marcada para as 11 e meia da noite desta terça.

Catarinense 2010: Juventus

Mantendo uma tradição do Blog, começa hoje a série de dez matérias sobre os times do Campeonato Catarinense. A cada dia, vou trazer aqui um resumão de cada equipe, com as contratações, expecativas e análises das equipes. Começamos pela ordem inversa do Catarinense 2009. Para começar a série, o vice da Segundona, o Juventus.


GRÊMIO ESPORTIVO JUVENTUS
Fundação: 1o. de maio de 1966
Cores: Grená, Preto e Branco
Estádio: João Marcatto (7.000 lugares)
Presidente: Ildo Vargas
Técnico: Nazareno Silva
Ranking "BdR" 2009: 11o. Lugar
Catarinense 2009: Não participou. Vice-campeão da Div. Especial


O Juventus viveu altos e baixos nos últimos anos. Viu o céu em 2007, quando ficou bem perto de chegar às finais do campeonato, e o inferno em 2008, quando acabou rebaixado e só não ficou sem time na segundona por causa do Joinville, que emprestou o time que acabou vice-campeão, atrás do Brusque. No ano passado, o jogador Falcão, da Malwee, resolveu assumir a gestão do time, colocando jogadores e investindo na estrutura do time. Deu certo, com o vice-campeonato da Divisão Especial e o retorno à primeira divisão, após dois anos.

Mas logo após a confirmação do acesso, o Juventus teve uma baixa significante. Logo na hora de começar o filé mignon, Falcão, que comeu carne de pescoço na segundona, resolveu deixar a gestão do clube. O comando retornou para o presidente Ildo Vargas, que se viu com o abacaxi na mão mais uma vez. O que fazer? Apelar pra fórmula do "bom e barato". Pingo, treinador que subiu o time, não ficou por questões financeiras. Foi quando surgiu o nome de Nazareno Silva (foto), técnico que estava no Paysandu de Belém, de onde conseguiu ser demitido sem disputar nenhum jogo oficial. No Brusque, sua experiência foi péssima: trouxe uma leva de jogadores de baixa qualidade, e despachou o time para a segunda divisão.


Não dá pra dizer que o caso vai se repetir em Jaraguá, mas a lista de jogadores contratados é cheia de desconhecidos. Vejo dois destaques que conheço, ambos ex-Figueirense. Um é Vanderson (foto), lateral de 22 anos revelado no alvinegro, e que estava no Macaé, e Ramon, atacante de 26. Poucos restaram do time do ano passado, e os novos jogadores vieram a granel. A pré-temporada começou com bastante atraso, no finalzinho do ano, e Nazareno terá que correr contra o tempo.

O que esperar do Juventus? É aguardar pra ver. O técnico não me inspira confiança, até pela tragédia que fez em Brusque há dois anos. Mas se o lote de jogadores que veio tiver qualidade, poderá buscar algo mais alto. Mas imagino que o orçamento do Juve seja um dos mais apertados, se não o menor do Campeonato Estadual.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Atacante Viola contratado pelo Brusque

Impressionado com a manchete? Eu também. Desde as vindas de Rogério Souza e Têti, a diretoria do Brusque dizia que só faltava um centroavante, um "legítimo camisa 9" para fechar o elenco para o Campeonato Catarinense. Parece que acharam.

Fonte ligada ao Blog revelou que o reforço que está fechando negócio nesta noite é veteraníssimo, e ex-Seleção: nada mais nada menos que o atacante Viola (Paulo Sérgio Rosa, 41 anos recém completados, 1,78m e 82 kg), que teve sua última atuação registrada no futebol profissional no Resende, ano passado, onde marcou um gol. Ultimamente, vinha participando de partidas de Showbol. O seu salário será pago pela Havan, patrocinadora do clube, que inclusive já teria encomendado ao departamento de marketing da empresa uma campanha para ampla divulgação do seu novo garoto-propaganda.

Juntando o quebra-cabeça, hoje eu estava no treino do Brusque e me deparei com uma reunião do técnico Suca, do presidente Danilo Rezini e seu filho André, diretor de futebol, no meio do gramado do Augusto Bauer. Notei que o pessoal só argumentava para o treinador, e imagino que o assunto era convencer o técnico Suca em aceitar Viola no plantel. Mais do que um instrumento de marketing, e isso com certeza será, até porque a Havan sabe fazer isso como ninguém, resta saber se o jogador vai agregar ao grupo, se merece ser titular e, principalmente, se será aceito pelo treinador. Não vejo Viola jogar há tempo. Ele tem 41 anos de idade, e vai ter que provar sua qualidade em campo. Se eu conheço bem o Suca, ele não vai aceitar um jogador em má fase dentro do seu time, quando tem gente melhor pra entrar.

Atualização das 22:04: Viola chega na quarta-feira em Brusque, e na certa vai ter auê da Havan. O diretor de Futebol, André Rezini, me mandou a seguinte mensagem pelo celular: "Depois de Pet no Flamengo, Giovani no Santos, Roberto Carlos no Corinthians, Edilson no Bahia, agora é a vez do Brusque FC, por intermédio da Havan, anunciar a Maior contratação do Futebol Catarinense em 2010, o Brusque terá o tetra campeão mundial e ídolo do Corinthians VIOLA com a camisa 9 do Bruscão!". Antes de festejar, vamo ver o cara em campo. Prudência não faz mal a ninguém.

Brusque perto de anunciar jogador ex-Seleção

Tive acesso há pouco a uma importante informação: o Brusque, via patrocinador, estaria contratando um jogador ex-Seleção Brasileira para o Campeonato Estadual. O negócio está sendo concretizado hoje, e amanhã será o anúncio.

Mais tarde, aqui no Blog, revelo quem é o Cristão. Vão chutando aí.