sábado, 19 de junho de 2010

Copinha: semifinais definidas: Figueira não goleia o suficiente

O Joinville já está na final da Copa SC como campeã do primeiro turno, e como já conquistou a vaga na decisão, ele tem, além da tranquilidade, a possibilidade de definir o rumo de alguns times na competição, e até escolher o adversário na final.

Como o Figueirense goleou o Imbituba por 6 a 1, o JEC colocou o pé no freio em casa contra a Chapecoense. Venceu por quatro, mas se fizesse cinco, classificaria o Figueirense, que viria com o time principal para as semifinais do returno e poderia complicar os seus planos. Classificou a Chapecoense pelo confronto direto, e o time do Oeste enfrentará o Criciúma. Do outro lado, o JEC enfrentará o Brusque nas semifinais em duas partidas, e poderá escolher quem pegar na final. Se vencer o returno, enfrentará o próprio Bruscão, dono do segundo melhor índice técnico, na decisão.

O Figueirense jogou sua classificação fora em Chapecó, quando tomou 3 a 0 da Chapecoense. É fácil falar no "se" depois da coisa acontecida, mas se o time titular estivesse em campo no Oeste, a probabilidade de não tomar goleada seria maior, e a classificação viria. Mas o planejamento de conquistar a segunda vaga na Copa do Brasil acabou indo por água abaixo.

Foto: Hermínio Nunes - ClicRBS

Alemanha empaca, e Inglaterra não parece ser um time

Destacando os jogos da sexta, estão dois opostos famosos: a Alemanha terminou a primeira rodada super falada como favorita, ao lado da Argentina. O time ainda é forte, mas perdeu para a Sérvia com um jogador a menos e ainda desperdiçando um pênalti. Poderia ter empatado, mas agora terá que vencer a forte marcação de Gana, que é um time competitivo, para classificar. Se o time africano vencer a Austrália, e deve vencer, vai ser jogo valendo classificação. E aí, vamos ver o poder de reação do time, que é novo, promessa de um bom futuro, mas terá que enfrentar pressão grande de evitar um vexame na última rodada.

Os Estados Unidos foram garfados por um árbitro de Mali, que anulou um gol que selaria uma vitória histórica para o soccer do país. Mas mesmo assim, têm condições reais para classificar.

Agora, a Inglaterra é um caso sério. Pior jogo da Copa, na minha opinião. Zero a zero com a fraca Argélia que, se acreditasse que poderia vencer o english team, a dor de cabeça de Fábio Capello ia ser maior do que ele já sente. Todos lembram de como era a seleção inglesa: só chutão e bola aérea. O treinador italiano tentou mudar essa imagem, mas esbarrou em algo que é imprescindível em Copas, seguindo aquele velho ditado, que jogadores ganham partidas, mas times ganham campeonatos. Mesmo recheado de estrelas, a Inglaterra não joga como time de futebol. Não se vê vibração, companheirismo nem motivação em campo, muito pelo contrário. Assim, fica difícil arrumar superação num momento difícil, em que o time corre risco de ser eliminado na primeira fase. E mesmo se passar, corre sério risco de não ir longe.

Sábado tem o meu time favorito, a Holanda. Vamos ver como se comporta contra o Japão.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Parece que o retrancão acabou

Começou a segunda rodada da Copa, e parece que os apelos mundiais para que os retrancões acabassem foram ouvidos. Já houve um aumento significativo no número de gols, e os times, mesmo os pequenos, estão procurando a vitória. E aí, com condições reais de ataque, começam a aparecer os favoritos. Já apareceram dois: o bom time do Uruguai e a Argentina. Vamos ver a Alemanha nesta sexta, se confirma o que fez contra a fraca Austrália, ou até mesmo o Brasil, se jogando contra um time aberto consegue mostrar que pode chegar ao hexa.

Aliás, tirando Honduras, que é um saco de pancadas eterno, a América Latina vem fazendo bonito na Copa: Brasil, México, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile mostraram que não são bobos, e todos tem chances reais de conseguir a classificação.

E todo mundo fala de Alemanha e Argentina como favoritos. Podem me discordar, mas gostei muito da Holanda, e gosto do futebol armado pelo técnico desde as eliminatórias. E os laranjas podem ser adversários do Brasil nas quartas-de-final.

E uma rápida da seleção: Robinho deu entrevista coletiva dizendo que aceita jogar no meio-campo se for necessário. Obviamente, deu carta branca para Dunga usar do expediente, que deverá deixar Julio Baptista como uma terceira opção na armação.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Quando a notícia cria algo que não existe

Deu no Portal Engeplus, de Criciúma:

Prefeitos negociam paz esportiva em Brusque


A polêmica recente levantada pelo técnico do Tigre vai reunir prefeitos. Clésio Salvaro, de Criciúma, vai a Brusque nesta quinta-feira reunir-se com o colega Paulo Eccel. Na pauta, a paz esportiva entre as cidades.

Salvaro viaja preocupado. Cogita-se, em Brusque, a possibilidade de o município boicotar os Joguinhos Abertos deste ano e a edição de 2011 dos Jogos Abertos. Os dois eventos serão realizados em Criciúma.

Na última partida do Criciúma em Brusque, Argel fez duras críticas ao Augusto Bauer e, desde então, é alvo da ira dos brusquenses.


A imprensa de Criciúma, que eu guardo o melhor conceito possível, pisou na bola bonito ao ir atrás de uma informação sem checá-la na cidade. Confesso que fiquei assustado ao ler uma notícia dessas. Parabéns à Rádio Transamérica de Criciúma, que foi a única, até onde sei, que ouviu o prefeito Brusquense. Nunca se cogitou nenhum tipo de boicote por causa das palavras do falastrão Argel. O prefeito se declarou até assustado com as notícias que vinham do sul, por conta de um boato que poderia ser cortado pela raiz. E nem existe ira dos brusquenses, já que a própria diretoria do Criciúma repreendeu as palavras do seu funcionário em ofício enviado à diretoria do Brusque. O assunto estava encerrado.

Não sei para que criar um clima em cima de algo que simplesmente não existe.

A derrota, para um time B, com um futebol C

Se você não foi uma das cento e poucas testemunhas presentes na Ressacada ontem a noite, um resuminho rápido pra você entender Avaí B 2 x 1 Brusque: um jogo que começou com o Bruscão sonolento, em que o Avaí fez dois gols, um de chute de fora da área e outro com Rafael Costa, em um canudo pela direita. No segundo tempo, o Brusque controlou a posse de bola, perdeu quatro chances incríveis de gol e fez apenas um. Perdeu o jogo, mas está classificado para as semifinais do returno da Copinha.

Bom lembrar que o Avaí mandou cerca de 30 jogadores para uma intertemporada. O que sobrou, entrou em campo na Ressacada, vindo de uma derrota para o Juventus de Jaraguá. Já falei do jogo, vamos falar do time. Que Pantico e Rafael Xavier formam uma rápida dupla de ataque, disso ninguém duvida. Agora, que o ataque perde toda e qualquer referência de bola aérea, também não dá pra duvidar. Com baixa estatura, não tem como vencer os zagueiros altos. O time sofreu com a irregularidade dos laterais João Neto e Tom, completamente fora da partida, e quando acordou, estava dois a zero. Joceli mudou, deslocando Pereira e Valmir para as laterais, e os passes entraram. Foi um bom sinal de como trabalhar o time para o mata-mata.

Provavelmente o time vai classificar em segundo, e vai ter a Chapecoense pela frente, com o segundo jogo no Oeste. O Criciúma não deverá perder para o Avaí B, que já fez o seu crime vencendo o Brusque. Logo, há a possibilidade de acontecerem os mesmos confrontos das semifinais do turno, mas com mandos de campo invertidos.

O Brusque do segundo tempo não jogou mal. Mas abusou de perder gols. E lá no mata-mata, não vai ter perdão.

E em falando em Série D, ao acabar a Copinha, caso não levante o título, o Brusque veste a camisa do Joinville. Precisa torcer para que o time da Manchester suba para a série C ou caso não consiga, garanta a vaga na D pelo Campeonato Estadual. Só assim a campanha da Copa Santa Catarina do Brusque terá sua meta alcançada.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Podia ser melhor? Podia. Mas valeu

Depois de respirar um pouco após o jogo do Brasil, dá pra dizer que a vitória sobre a Coreia do Norte não foi satisfatória, mas está longe de ser uma tragédia. O jogo foi truncado, com um primeiro tempo terrível, mas com uma melhora sensível na etapa final. E, baseado na melhora do segundo tempo, prefiro dar mais uma chance ao time, antes de entrar com os dois pés. Estreia é estreia, e a desculpa do primeiro jogo acabou.

O jogo valeu pelo belo gol de Maicon, num chute de três dedos maravilhoso, e no belo passe de Robinho, para mim o melhor em campo, que resultou no gol de Elano. De resto, Luis Fabiano esteve apagado, e não passou pelo retrancão coreano. Retrancão esse que não se repetirá contra a Costa do Marfim, que é um time enjoado, que sobe em velocidade e marca forte no meio-campo. A seleção brasileira será realmente testada a partir do momento que enfrentar um time que o encare de igual pra igual. A Coreia não ia vencer nunca a partida de hoje, já que ficou esperando o adversário e marcou um gol no final quando o Brasil estava relaxado.

Dunga mostrou o que pretende fazer em uma possível ausência de Kaká em campo: deslocar Robinho para a meia e colocar Nilmar na frente, o que é uma boa solução. Mas também mostrou algo que não fará mais na África: desguarnecer o seu sistema de volantes. Ao tirar Felipe Melo, deixou um grande buraco que não foi coberto por Ramires, que se mandou para a frente. Nada que não possa ser consertado.

Demorou 45 minutos, mas o time entrou na Copa. São problemas possíveis de resolver, a tempo do jogo de domingo. Muita gente perdeu o sono, roeu as unhas ou arrancou os cabelos. Confesso que não perdi a tranquilidade.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Germânicos e Laranjas mostram para que vieram

O mundial continua xoxo, com jogos ruins, alguns sonolentos. Mas se é pra tirar alguma coisa boa, dá pra mencionar a Alemanha e a Holanda.

O time germânico pode ter enfrentado um time limitado e não mostrar a sua verdadeira cara, mas pelo menos foi lá, não tomou conhecimento do adversário e marcou quatro. É um time de média de idade baixa, que mostra ser muito técnico e que não se afoba para criar as chances de gol. Vai construindo as jogadas e quando vê, está na cara do gol.

Já a equipe dos Países baixos fez o melhor jogo da Copa até agora, no quesito técnico. Não foi nenhum show de futebol-arte, mas o jogo contra a Dinamarca foi, notadamente, o confronto de dois times que apresentam um bom padrão tático, marcação forte e eficiente saída de bola. Levou a melhor a Holanda, que já fez boas eliminatórias, tem um grupo experiente e que coloco como um dos favoritos. Resta saber se o time laranja irá apagar o histórico de insucessos nas últimas copas.

Amanhã tem jogo do Brasil. Não vai dar pra avaliar absolutamente nada do time em cima do jogo contra a Coreia do Norte. Mas há de se chegar lá e golear, estreando com autoridade. A Copa mesmo começa no domingo, contra a Costa do Marfim. Clima de torneio-início.

Quando um "telefone sem fio" cria um desentendido

A brincadeira do "telefone sem fio" nunca falha. A primeira mensagem passa de fonte para fonte, e no final, a informação sai completamente distorcida, e no final, pode acabar criando problema.

Aconteceu com o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, que soltou uma informação no seu twitter que acabou repercutindo. Ele escreveu que pretende vir a Brusque nos próximos dias, para esclarecer uma polêmica sobre as declarações do técnico do Criciúma, Argel Fucks, detonando as condições do Estádio Augusto Bauer. Alguém passou pra ele de que o prefeito de Brusque, Paulo Eccel, teria dito que a cidade berço dos Jogos Abertos iria boicotar os Joguinhos desse ano e os Jasc do ano que vem, que acontecerão no sul do Estado. A informação foi publicada pelo site Sul Notícias.

Duas coisas sobre o assunto: primeiro, que todos sabemos que as condições do Estádio Augusto Bauer são aquém das ideais, e o Brusque nada pode fazer pois não é o dono do estádio. Enquanto isso, não há qualquer sinal de uma ampla reforma no estádio oitentão ou de construção de um novo. Mas acho que o falastrão Argel buscou no gramado ruim uma explicação para o empate do seu time. Cabe lembrar que, contra o mesmo Brusque, no tapete do Heriberto Hulse, seu time perdeu por 3 a 1. E segundo, que é o maior absurdo sequer pensar que a cidade que criou a maior competição esportiva do Estado fique fora da edição do ano que vem por causa da declaração de um profissional que nem criciumense é, cuja atitude foi reprimida pela própria direção do clube em email enviado à diretoria do Bruscão. Aqui, o assunto já foi dado como encerrado. Mas parece que tem gente querendo criar mais polêmica em cima disso.

Conversei com a Assessoria da Prefeitura de Brusque, que me passou que Paulo Eccel já conversou com Clésio Salvaro, esclarecendo a informação que lhe foi passada.

domingo, 13 de junho de 2010

Sem sustos, uma goleada do Brusque

O Juventus de Jaraguá havia vencido o Avaí no João Marcatto, e ficou aquela pergunta: o moleque travesso melhorou tanto assim? O Brusque provou que não. Não tomou conhecimento do adversário e patrolou com um convincente 4 a 0, que praticamente o garantiu na segunda fase do returno da Copa Santa Catarina. Foi o jogo que marcou a volta do atacante Pantico, que marcou dois gols.

O Bruscão controlou a posse de bola, e mandou no jogo contra um adversário esforçado, mas sem padrão tático nem qualidades individuais. Fez o primeiro com Rogélio de cabeça aos 13, e o segundo com Xavier aos 30, ambos de bola aérea. No segundo tempo, o time de Joceli deu uma acomodada, achando que os gols sairiam ao natural. Isso fez cair a qualidade da partida, até que Rafael Xavier sofreu pênalti cometido pelo goleiro Henao, que Pantico cobrou no ângulo. Aliás, o baixinho é sortudo. No quarto gol, ele deu um passe maravilhoso para Lourival, que errou o gol, chutando em cima do goleiro, com o rebote sobrando no pé dele, fechando a goleada.

O Criciúma venceu o Metropolitano por 2 a 1 e foi a quatro pontos. Tudo se encaminha para que, no segundo turno, tenhamos os mesmos classificados do primeiro. A goleada do Brusque deu uma boa vantagem no saldo, considerando que o time enfrentará o Avaí quarta em Palhoça, e folgará no próximo final de semana.