sexta-feira, 9 de julho de 2010

Rômulo vai para o Cruzeiro, e Chapecoense não deve receber nada

Reproduzo aqui no Blog texto do site do competente Fernando Doesse, da Rádio Chapecó. Clubes catarinenses precisam ficar espertos aos lisos empresários. Podem ficar de mãos abanando. Eis o texto:

Noticia do clicrbs: 24 de julho de 2009
Verdão libera Rômulo e espera por lucro

A direção da Chapecoense liberou o “curinga” Rômulo para jogar no Santo André. O atleta já estava treinando no clube paulista, mas tinha vínculo com a Chapecoense. Ontem, Rômulo esteve em Chapecó e acertou sua liberação. O presidente da Chapecoense, Nei Maidana, disse que o clube ficará com um percentual do passe, ainda não definido, para ter um retorno na venda futura do jogador.

Noticias no Lancenet de ontem (08):
O Cruzeiro confirmou a contratação do lateral-direito Rômulo, ex-Santo André, no fim da manhã desta quinta-feira, em seu site oficial. A informação da negociação foi antecipada pelo LANCE! na quarta-feira, dia 30 de junho. O jogador fará exames médicos nesta sexta-feira em Belo Horizonte e posteriormente será apresentado pelo clube. Os detalhes da contratação serão revelados na coletiva de apresentação.

Contudo, o presidente Zezé Perrella informou, na sua coletiva de imprensa de terça-feira, que investidores parceiro compraram 50% dos direitos do lateral por 750 mil euros e a outra metade tem o preço fixado em também 750 mil euros, cabendo ao clube o direito de adquirir posteriormente.

Pergunta: Quanto cabe a Chapecoense?

Ontem à tarde conversei com Jandir Bordignon, Diretor de Futebol da Chapecoense na época da transação.

A Situação é a seguinte. Rômulo tinha um contrato com a Chapecoense até o final do Campeonato Catarinense de 2009. Para renová-lo antes de seu termino era necessário registrar um novo na FCF o que poderia acarretar a necessidade de Rômulo ficar fora de dois jogos. Optaram pelo famoso contrato de gaveta para preservar alguma possibilidade de ganho. Ou seja, o atleta e o clube assinam, mas não se registrou na FCF ou na CBF e tão pouco em cartório. É um pouco mais do que nada.

Durante o transcorrer deste segundo contrato em que existe uma cláusula de venda futura em que a Chapecoense ganharia 10% na transação, o atleta teria pedido dispensa de três dias para tratar de assuntos ligados ao seu casamento, mas na verdade foi a São Paulo e acertou as bases com o Santo André. Neste espaço de tempo a Chapecoense tentou registrar o contato de gaveta, mas ficou impossibilitada, pois como explicar um contrato novo se o atleta já havia assinado com o Santo André antes?

A Chapecoense tentou fazer valer a cláusula do contrato de gaveta, mas o empresário do atleta negou-a solenemente. Ou seja, a Chapecoense leva 10% de 750 mil euros o que representa na cotação de ontem R$ 168 mil apenas se o agente de Rômulo, ou o próprio, resolverem achar que o contrato de gaveta vale.

Este dinheiro já era!

Já era mesmo. Faltou esperteza da direção da Chapecoense em registrar o contrato. É um caso bem parecido com o do volante Carlinhos Santos do Joinville. Só que no caso tricolor, o contrato foi registrado, o que melou a negociação que havia com o Figueirense. E nesse caso, o time do Oeste perdeu uma boa grana.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Brusque vence o jogo de ida. Será suficiente?

O Brusque precisava fazer placar para conseguir um pouco de tranquilidade no jogo de volta da final da Copa SC. Venceu por um a zero em um jogo duro. Não era de se esperar coisa muito diferente. São dois times que se conhecem, não existe mais segredo algum entre Edinho e Joceli. Deu no que deu. O Bruscão só venceu por causa da genialidade de Diogo Oliveira, que, quando o Joinville era melhor, achou uma jogada brilhante, fez o passe para Rafael Xavier, que tirou de Fabiano para abrir o placar. E foi só. Um jogo equilibrado, onde o JEC tem o favoritismo só pelo fato de jogar em casa.

O jogo de volta, sábado, terá confrontos interessantes. Rogélio fez um partidaço, e consegue disputar pau a pau cada espaço no campo com o atacante Lima, que não terá Cris no jogo de volta. Ele deixou o campo com uma lesão no tendão, o que o coloca em situação questionável até para a Série D. O Brusque não terá Leandro Leite, que acabou expulso, mas poderá repôr com Pereira ou Guto no setor.

E nem com os anúncios das idas de Rogélio, Diogo Oliveira e Têti para o Criciúma e Pantico, anunciado hoje como novo reforço do Joinville, não mudaram em nada o comportamento do time em campo. O elenco está fechado. Vamos ver o que acontece sábado.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Segundona vem aí

Terminando a Copa SC, o Blog irá dedicar um bom espaço para a nossa Divisão Especial, a segundona catarinense, que classificará dois times para a primeira divisão do Catarinense de 2011. A competição começa em 1º de agosto, e aqui faremos a ficha dos times, a série "Conheça a segundona", para ver o que os 10 clubes estão aprontando, assim como as contratações de cada um.

A principal notícia da semana vem da Cidade Azul, onde Suca (foto), ex-técnico do Brusque e Chapecoense, vai comandar o Atlético de Tubarão no campeonato em que conquistou o título em 2008. Aliás, a Segundona desse ano promete histórias interessantes, como a luta do Marcílio Dias para retornar à elite, além da rivalidade do Hercílio Luz com o Atlético de Tubarão e o que pode acontecer com o Concórdia, que trouxe Agenor Piccinin e um bom elenco, através de parceria com o Ypiranga de Erechim.

Em breve, tudo sobre a segundona aqui.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Lopes?

O Avaí foge um pouco do perfil de treinador que vinha apresentando nos últimos tempos. Se compararmos Silas e Péricles Chamusca, treinadores novos, que já vem com um quê do futebol moderno, com Antônio Lopes, criado no Rio de Janeiro com rodagem nos quatro cantos do Brasil em um longuíssimo currículo, muita gente estranha.

Quem deu a deixa pra análise da chegada do "Delegado" foi o presidente João Nilson Zunino, que escreveu que "A escolha de um profissional como Antônio Lopes se faz necessário pelo momento em que saiu o Chamusca". Vou tentar traduzir: a escolha de um bombeiro se faz necessária no momento delicado que o Avaí se encontra no Brasileirão, com a saída do Péricles. Pelo que entendi, o clube quer uma solução a curto prazo para fazer o time ascender na classificação do Brasileiro, que tem ainda 31 longas rodadas pela frente, e terminar sem o sufoco de rebaixamento.

Pega, no meu ver, a questão do projeto. Quem olha para o currículo de Lopes, vê um treinador que não tem o histórico de fazer planejamentos longos, excetuando-se seu período no Vasco. Mas como a situação é complicada, com várias pedreiras pela frente na Série A após a parada da Copa, sua chegada pode ser bem vinda. Primeiro, arrumar a casa. Depois, estabilizar-se na tabela. E por último, tentar um voo alto. Definitivamente, o delegado foi uma escolha, digamos, pitoresca.

Começa o desmanche do Brusque

O Bruscão está jogando, de forma ininterrupta, com calendário cheio, desde o início de 2008. E a sequência se encerra no sábado, com a decisão da Copa Santa Catarina, em Joinville. Todo time pequeno que revela jogadores de qualidade, tende a se desmanchar no fim da competição. Não é coisa exclusiva de Santa Catarina. Basta ver o Santo André, vice-campeão paulista, que abasteceu vários clubes do país com a sua mão-de-obra. No Brusque, com a excelente campanha no final do Estadual e na Copinha, não vai ser diferente.

O presidente do Criciúma, Antenor Angeloni, deu entrevista coletiva hoje declarando que o zagueiro Rogélio (foto) e o meia Têti apresentam-se segunda-feira no Majestoso. O meia Diogo Oliveira está praticamente contratado, mas depende de detalhes no acordo. Confirmada a negociação, e se Argel quiser, poderá colocar a dupla de meio-campo brusquense que venceu seu time duas vezes e empatou outras duas, em campo na Série C.

E mais jogadores irão para outras equipes, com passes valorizados. O Brusque só voltará às atividades lá para o mês de novembro, preparando-se para 2011. É possível montar um time igual ou melhor que esse atual? É sim, basta ter faro e competência. Mas que os jogadores se despeçam do clube no sábado, dando a volta olímpica na Arena com o tricampeonato da Copa SC.

domingo, 4 de julho de 2010

O Bruscão na final da Copinha. Rumo ao título?

Aqui no Heriberto Hulse, o Brusque jogou com cabeça, contra um Criciúma que pressionou muito, empurrado pela torcida. Mas apenas pressionar não basta. O Brusque teve maturidade, teve que ter cabeça, após ver a sua gordura ir embora aos 45 segundos de jogo, quando Nino marcou de cabeça em cruzamento no escanteio. Aguentou bem a pressão, perdeu um jogador e foi heroico, arrumando um empate nos descontos, numa arrancada do veterano Pereira, que encontrou oxigênio para empatar o jogo, calar a boca do técnico tricolor e colocar o Brusque a dois jogos da Copa do Brasil. Não há muito a falar do jogo a não ser comemorar. O Criciúma precisa rever seus conceitos acerca de time de futebol, quem sabe trocando o treinador. Não vejo no Tigre um time favorito ao acesso à Série C. Nem com o Dadá ajudando e com um jogador a menos o Criciúma consegue ganhar.

Vem aí o Joinville. Quatro encontros na Copinha, uma vitória pra cada lado, dois empates. JEC joga a ida sem Miro Bahia e a dupla de zaga, Renato Santos e Fernando, enquanto o Brusque tem os retornos de Pantico, Rafael Xavier e Rogélio, e apenas a ausência de Carlos Alberto. O confronto não tem favorito, já que os dois times se conhecem muito bem. Será que o Brusque conseguirá retornar à Copa do Brasil, 18 anos depois? Sábado saberemos.