sábado, 14 de agosto de 2010

O troféu é do Alemão

Uma bonita festa aconteceu ontem a noite em Joinville, onde foram premiados os melhores do rádio e TV em mais uma edição do Prêmio Acaert. Fiquei muito feliz em ter sido indicado como finalista na categoria narrador esportivo, junto com o Fernando Doesse, da Rádio Chapecó, e o Rodrigo Gonçalves, da tradicional Rádio Coroado de Curitibanos.

Não ganhei o troféu ˜Microfone de Ouro˜, mas ele está em boas mãos. O Fernando Doesse, ou o "Alemão", que tenho o prazer de tê-lo como meu amigo, que conheci nas idas e vindas de jogos Brusque x Chapecoense e nos Jogos Abertos, fez por merecer o prêmio. Parabéns!

E na área esportiva, faço questão de mencionar aqui os prêmios para o Rogério Luiz, competente repórter setorista do Figueirense da Rádio Guarujá, e ao nosso mestre Rui Guimarães, premiado como melhor comentarista de TV. Tenho o prazer de trabalhar com ele no "Clube da Bola", junto com os outros dois finalistas da categoria, o Peninha e o Sérgio Badá.

Também quero destacar os prêmios ao jovem Douglas Márcio, revelação da RIC de Itajaí, ao Raphael Faraco, da RBS de Floripa, premiado como melhor repórter de TV, e à Susan Germer, da RIC de Blumenau e apresentadora do "Ver Mais", eleita melhor apresentadora.

Eu cheguei entre os três finalistas, e estou feliz pra caramba. Quem sabe em outra oportunidade eu ganho um troféu daquele.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O Avaí quer ser internacional

Depois do chacoalha tomado para o Guarani no sábado passado, o Avaí tinha dois problemas para passar ontem: primeiro, enfrentar o Santos na ida da primeira fase da Sul-Americana, e segundo, dar uma satisfação ao seu torcedor, depois da atuação bisonha em Campinas. Os dois problemas foram superados em grande estilo, e o Leão pode conseguir algo que o seu rival não conseguiu na Sul-americana, que é passar para a fase internacional da competição.

Não tinha dúvida que o Avaí iria jogar com muita vontade a partida. Mas o resultado superou a todas as expectativas. Podem falar que o Santos não jogou parte do jogo com o time principal e tal... Não importa, foi uma atuação de gala, em que vi Vandinho atuando como aquele camisa 9 do acesso em 2008.

Eu acho que a Sul-americana tem estágios bem distintos, que não necessariamente representam uma crescente de dificuldade com o passar do tempo. A primeira fase, nacional, é complicada. Depois, começa a fase internacional contra times não tão fortes de outros países. Vá se programando, torcedor avaiano. Caso o Avaí passe pelo Santos, e tem tudo pra isso, enfrentará o Universidad San Martin, do Perú, ou o Emelec, do Equador, no mês de outubro. Se passar, enfrenta Goiás ou o Peñarol do Uruguai.

Não dá pra sonhar longe?

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

A bagunça da terceirona já começou

O Tribunal de Justiça Desportiva terá muito trabalho nesse segundo semestre. Os clubes da Terceira Divisão começaram a aprontar das suas, com um volume incrível de punições por inclusão de jogadores irregulares em campo, nos jogos de campeonatos de base. Uma coisa é quando você erra uma vez, o que dá pra dar a desculpa que o clube bobeou na hora de colocar esse ou aquele jogador. Mas quando a punição vem em um, dois, três ou até quatro jogos, aí é sinal de desorganização e má vontade dos dirigentes.

Foi um total de DEZENOVE punições. Em cada uma, o time perde três pontos:


Pinheiros: menos seis pontos no Juvenil e menos nove no Juniores: Total de multas: R$ 2.900,00
Maga: menos seis pontos no Juvenil e menos três no Juniores: Total de multas: R$ 4.500,00
Internacional de Lages: menos nove pontos no Juvenil e menos nove no Juniores: Total de multas: R$ 3.000,00
Oeste de Chapecó: menos três pontos no Juvenil e menos seis no Juniores: Total de multas: R$ 1.300,00
Blumenauense: menos três pontos no Juvenil e menos três no Juniores: Total de multas: R$ 1.250,00

Isso que o profissional ainda não começou. Se a FCF quiser ser séria, vai ter que usar do mesmo rigor da segundona na questão dos laudos de liberação dos estádios. Pelo jeito, vai ter time que não vai escapar dos portões fechados. Se montam times de base sem registro, o que dizer do profissional?

Recomeço é recomeço

A Globo perdeu de passar um jogo bacana. Longe de ser um espetáculo de futebol, mas deu pra ver vontade na nova turma de Mano Menezes. Mas a euforia para por aí. Foi um amistoso, a seleção principal não é essa, e ainda por cima vivemos sob a máxima que o Brasil ganha tudo até chegar a Copa, e depois não dá certo. Tudo tem que ser olhado com muita prudência. Foi um jogo, o início de um trabalho de longo prazo. Vai ter muito buraco nesse caminho aí.

Claro que dá pra tirar duas conclusões do jogo: a primeira, de que PH Ganso envergou a camisa 10 canarinho com personalidade, e que poderá ser um interessante companheiro de meia-cancha de Kaká, que ainda é titular absoluto do time. A outra é que Alexandre Pato, que andava sumido no clube e em meio a problemas pessoais, mostrou estar em boa forma, com vontade e em boa fase. Vai dar dor de cabeça para Nilmar, que ficou de fora.

Mano Menezes terá tempo para fazer o seu planejamento, e sua convocação para esse jogo mostra que ele quer fazer tudo com calma. Primeiro pinça os nomes novos que serão aproveitados, depois faz a mescla com a turma da Copa (Júlio César, Kaká, Maicon...) e aí sairá o time de 2014.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Nem campanha boa salva técnico no JEC

O Joinville faz campanha boa na Série D, precisa de uma vitória simples contra o Operário, em casa, para garantir a classificação para a próxima fase, e venceu todas as partidas dentro da Arena no torneio. Situação tranquila? Nem tanto. Edinho Nazareth foi demitido do cargo de treinador do JEC. Os motivos? Ninguém sabe. O presidente Márcio Vogelsanger (à esquerda na foto) admitiu ao jornal "A Notícia" que haveriam problemas fora de campo, mas não disse quais. Não é a primeira vez que um técnico com boa campanha no clube é demitido. O caso mais recente foi o de Sérgio Ramirez, que não aguentou mesmo conquistando uma vaga na decisão do Campeonato Catarinense.

Ouvi dos amigos lá de Joinville que "A diretoria do JEC se acha auto-suficiente demais. Não aceita receber críticas, e manda embora". É uma definição bem interessante, e que pode criar um ambiente desfavorável no clube, que, repito, fazia boa campanha na Série D. Edinho assumiu o time após o Estadual, visando a montagem do time para o Brasileiro, mas a perda da vaga na Copa do Brasil para o Brusque foi um duro golpe. Mesmo assim, a boa campanha no Nacional indicava chances ótimas do acesso. E a diretoria do JEC cria uma crise onde não existia. Se futebol é resultado, eles estavam aparecendo. Tenho uma impressão fortíssima que a diretoria gosta de interferir em escalação do time, o que é algo perigoso, pois tira a autoridade do treinador. Pode até não ser que isso aconteça, mas os indícios são fortes, já que Edinho tinha reclamado anteriormente que jogadores haviam chegado ao clube sem condições de entrar em campo. Em entrevista ao Futebol Interior, o ex-técnico do JEC falou que "Houve um desgaste muito grande entre eu e a diretoria. Eles contrataram alguns jogadores que não estavam rendendo o esperado. Aí eles associaram isso ao técnico e vinham me culpando. Mas, não tem problema, só tenho boas lembranças do time, torcida e diretoria".

E, parafraseando o que disse o competente Diego Santos no "A Notícia" de hoje, "Se eu fosse treinador de futebol, avaliaria muito bem uma proposta do Joinville. Não, na verdade recusaria de primeira. É um emprego de risco".

Atualização das 11:20 : O JEC acaba de confirmar o nome do novo treinador, Leandro Machado, que comandou o Criciúma no ano passado. Lá no Sul ele não teve boa passagem, mas desejo boa sorte a ele no novo desafio.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Dois jogadores do Brusque no Vila Nova

A imprensa de Goiás informou no final de semana que dois jogadores revelados no Brusque, o goleiro João Ricardo (foto) e o lateral-direito João Neto, foram contratados pelo Vila Nova, clube goiano da Série B, treinado por Roberto Cavalo.

Os dois, e mais uma longa lista de jogadores campeões da Copa SC, estão disputando a segunda divisão de Goiás pelo Goiânia. Foi uma parceria, onde o Brusque renovou os contratos para 2011 e os emprestou para o clube goiano. Eles se juntarão ao Vila ao final da campeonato que atualmente disputam.

Os dois jogadores são formados na base do Brusque, e tem vínculos contratuais longos (João Ricardo até 2012 e João Neto até janeiro de 2014), o que dá pra dizer que, finalmente, o clube vai poder ter uma compensação financeira pelo seu trabalho de base.

Hora de decisão, e JEC e Criciúma correspondem

No confronto regional da rodada pela Série C, o Criciúma fez de novo a tarefa de casa e venceu a Chapecoense por 2 a 0. A campanha segue dentro do roteiro estipulado por Argélico Fucks: empate fora de casa e vitória dentro do Heriberto Hulse. E, contando com os empates dos adversários, o time abre três pontos de vantagem sobre o Caxias e o Brasil (este último, com um jogo a mais), e toma uma frente importante para ser o primeiro lugar do grupo. Bom lembrar: o primeiro da chave enfrenta o segundo do Grupo C (hoje, o Luverdense do Mato Grosso) em dois jogos, e já valendo classificação para a Série B. A Chapecoense vai dividindo a lanterna do grupo com o Juventude, mas a diferença é recuperável.

Lá na Série D, o Joinville deu um fim no empate geral dos quatro clubes do grupo e, com gols de Marcelo Silva e Pantico, bateu o São José, e está na frente da tabela, junto com o Operário de Ponta Grossa, próximo adversário, dentro da Arena. O que quer dizer que o time garante a classificação, e com grande chance de ser o primeiro, em caso de vitória no próximo domingo.

Já o Metropolitano perdeu para o Pelotas na Boca do Lobo. São os dois melhores times da chave, e o Pelotas é um bom time. Não tenho dúvidas que os dois vão classificar, resta saber em que posição. Não dá pra levar muito a sério o Iraty, ainda mais depois que empataram com o Marcílio Dias, que já está matematicamente morto no campeonato.

É importante lembrar que a única chance que existe de dois times catarinenses subirem juntos para a Série C é que eles terminem na mesma posição nos seus grupos. Caso um fique em primeiro e outro em segundo, se enfrentam já no primeiro mata-mata. Com posições iguais, só se enfrentariam na terceira fase, quando dos 10 classificados, apenas dois caem fora, observado o critério técnico. É bom prestar atenção nisso.