sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Que lugar pra estacionar...


Os Jogos Abertos começam na próxima quinta-feira, e os locais de competição estão prontos, inclusive a pista de bicicross, que fica em frente ao Pavilhão da Fenarreco. Mas, infelizmente, tem gente que não respeita, como o dono deste Fiat Uno, placas MDX-4107, de Chapecó. Não encontrando nenhum lugar para descansar no horário do meio dia em meio ao enorme pátio de estacionamento do Parque, ele resolveu colocar o carro dentro da pista de bicicross dos Jogos.

Foto: Michel Patitucci - Rádio Cidade

Sem desespero, mas com preocupação

Perder para o Santos na Vila não é algo anormal. Mas na circunstância que o Avaí perdeu, me deu a nítida impressão de que um ponto ao menos poderia vir. Mas o time de Antonio Lopes carece de muita qualidade no seu ataque. É fácil constatar a diferença grande entre o time titular e o que está em campo. E isso é ruim: o Campeonato Brasileiro não perdoa. Há de se ter peças de reposição de qualidade.

Quando o primeiro gol sai nos primeiros minutos de jogo, o planejamento geralmente vai pro vinagre. Mas o primeiro tempo em Santos foi uma pelada. Na segunda etapa, Lopes mexeu, colocando Laércio no lugar de Cristian. A bronca no vestiário deu certo, e o Avaí melhorou e perdeu chances de gol. Mas a ineficiência do ataque foi "premiada" com o gol do santista Marcel, na falha da dividida de Rafael. Válber fez o seu, mas tarde demais. Uma derrota que precisa ser estudada. O time desfalcado do jeito que está assusta. E o ataque precisa treinar finalizações a exaustão.

Concordo com quem fala que ainda não há motivo para desespero. O Leão fecha a rodada exatamente no meio da classificação. Mas é bom olhar para a matemática. O Avaí tem 23 pontos, faltando uma rodada para chegar na metade do campeonato. Poderá terminar o turno com 26 se vencer (e tem que vencer) o Atlético-PR. No ano passado, o time chegou ao final do turno com 30 pontos marcados. Dá pra notar a diferença? Por mais que o Avaí tenha jogadores importantes no DM, os números, e principalmente o fraco rendimento atual do time, trazem um sinal de alerta. Se repetir a campanha no segundo turno, vai chegar no final brigando pelo rebaixamento, e não pela parte de cima.

O Avaí vendeu Leonardo, que para mim não é pior que Laércio e Cristian, mas o clube preferiu mandá-lo para o Coritiba.

Nem pensar de perder para o Atlético domingo.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Leilão de camisas autografadas pelo bem

Meu amigo Bebel Vieira, da Rádio Transamérica de Criciúma, teve uma feliz ideia organizando um leilão de camisas de futebol autografadas, para ajudar a ABADEUS, instituição do Sul do Estado que está comemorando 50 anos. A ABADEUS presta um serviço relevante a comunidade, como cursos profissionalizantes, creche, escola de informática e música, atendimento odontológico e muito mais a comunidade carente de Criciúma.

O leilão tem dois lotes com 5 camisas cada.

No lote 1: São Paulo (Rogério Ceni), Inter de Milão (Maicon), Corinthians (Douglas), Sport e Cruzeiro.
No lote 2: Criciúma (Argel e elenco), Santos (Neymar, Ganso, Vinícius e elenco), Atlético PR (Paulo Baier), Botafogo (Jean Coral) e Grêmio (Douglas).

No lote 1, quem está vencendo é Victor Anastácio com R$ 600,00. Já o lote 2, por enquanto, é de Júlio César Barbosa Neto com um lance de R$ 800,00.

Os lances poderão ser feitos através do telefone (48) 3433 54 22 ou no email bebel925@hotmail.com
Serão aceitos lances de qualquer parte do estado.

Todo o dinheiro arrecadado será destinado a ABADEUS.

Parabéns ao Bebel pela iniciativa. O Blog está junto. Se você tem interesse, participe do leilão!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Vôlei: Brusque responde acusação de Pomerode

Rubens Fachini estava magoado.

Segunda-feira, conversei com ele sobre a nota publicada no Blog, em que a AD Pomerode, antiga parceira do voleibol feminino no ano passado, soltou uma nota acusando a AD Brusque, com quem jogaram juntos a última Superliga Feminina, de não pagar a sua parte dos salários do time, e por consequência, ser responsável por grande parte do desmanche do time.

Fui procurá-lo e contei da nota de Pomerode. Demonstrando tristeza, ele explicou.

Diz que a tal nota foi, na verdade, uma cópia de uma carta entregue a cada jogadora em um almoço de encerramento da temporada, no fim de maio, o que caiu como uma bomba. A AD Brusque não assinou a nota. Fachini me explicou que a responsabilidade do pagamento era de Pomerode, através da Cativa, o seu patrocinador. Acontece que o famoso Fundesporte, aquela forma de financiamento do Governo do Estado que ninguém recebe em dia, não veio dentro do planejado, e o caixa do time não fechou. "Seu" Rubens me disse que não era responsável pelo pagamento dos últimos salários das jogadoras. Mas pressionado, tirou dinheiro do próprio bolso para pagar a conta. Também se queixou de contas apresentadas pela equipe, que não batiam com os valores reais devidos.

Uma frase dita pra mim resume tudo o que Fachini sentiu com a nota enviada por Pomerode: "Rodrigo, eles foram campeões da Liga Nacional (em Juazeiro do Norte, ano passado), com o meu dinheiro; ganharam os Jogos Abertos (em Chapecó, ano passado) com o meu dinheiro. Podes anotar: próxima Superliga vai ter time de Brusque, e só nosso, sem parceria".

Relembrando um pouquinho, o acordo estabelecido entre Brusque e Pomerode dizia que em 2009, a equipe disputaria o Estadual e os JASC por Pomerode, e nesse ano, por Brusque. Fachini queria um time para levar o título do cinquentenário dos Jogos, dentro de casa. E por coincidência, quis o sorteio das chaves dos JASC 2010 que Brusque e Pomerode caíssem na mesma chave, e se enfrentarão na semana que vem, no Ginásio do Colégio São Luiz. Com um clima péssimo.

Vou repetir o que eu disse aqui: não foi por falta de aviso.

Não tem moleza pra subir

O Figueirense é líder da Série B, e a torcida esperava mais uma vitória contra o Guaratinguetá para continuar a bela fase que time e torcida vivem nos últimos dias. Mas o jogo de hoje deu a prova de que, para subir, há de se caminhar no fio da navalha e não bobear sob hipótese alguma. O empate em 2 a 2 ainda foi um troféu para o time, que soube reagir depois de tomar 2 a 0 em falhas bisonhas da zaga, principalmente o primeiro gol do time visitante.

A torcida gostou da reação do segundo tempo, e isso ainda serviu como alento depois da partida. O time não vai ganhar todas, e o principal objetivo não é o título, e sim o acesso, e o quadro não mudou após a rodada: ainda há cinco pontos de distância para o quinto colocado.

O campeonato segue, e final de semana tem jogo em Curitiba. A partida de hoje foi um aviso, longe de ser um sinal de alerta. Lição boa para Márcio Goiano discutir nos próximos dias.

domingo, 29 de agosto de 2010

Em Goiás, Leão começa a colocar a cabeça no lugar

Depois de três derrotas seguidas, que causaram uma tremenda insegurança do torcedor, o jogo contra o Atlético de Goiás deveria servir como um grito de "chega" e a mostra de que o bom futebol pode vir. E veio um sinal de que o time colocou a cabeça no lugar, com o empate arrancado no final.

Não achei zebra. O Atlético trocou de treinador, e Renê Simões conseguiu remotivar o time que meteu três no Palmeiras em São Paulo. Empate fora de casa não pode ser desconsiderado, mesmo sendo contra alguém que luta para não cair. Fases ruins acontecem com todos os times, mas essa etapa avaiana de insucessos não poderia continuar. Acabou na hora certa.

Acabou com uma grande força de Vandinho, que teve um lampejo daquele artilheiro do ano do acesso. Longe dos 40 gols que ele prometeu fazer, mas hoje ele foi eficiente. Tirando um pedaço do primeiro tempo, o Avaí não comprometeu no restante da partida, apesar de sentir muito ainda de Caio. O Atlético tem o tal do Elias, iluminado, que vem marcando gols.

Não há motivo para terror. O Leão encerra a rodada em oitavo lugar, a dois pontos da zona da Libertadores. Vem aí o Santos, que ainda tem viva na lembrança a eliminação na Copa Sul-americana. O Peixe é favorito pro jogo, até pelo momento que os dois times passam. Se Lopes conseguir fazer o seu time repetir o partidaço que fez na ida da Sul-americana no Pacaembu, poderá trazer a vitória.

Chapecoense conquista o ponto que precisava

Semana passada, escrevi aqui sobre a importância que um ponto conquistado fora de casa tem para a Chapecoense. O time tem apenas mais um jogo em casa, contra o Caxias, e com 12 pontos no final da fase, caso mantivesse os 100% dentro do Índio Condá, não garantiria a classificação, sabendo que folgará na última rodada. Logo, teria que conquistar alguma coisa fora de Chapecó, e no primeiro de dois jogos, conseguiu: arrancou um empate sem gols no Bento Freitas contra o Brasil, e com o empate do Caxias com o Juventude em 2 a 2, afastou matematicamente as chances de rebaixamento. Série C garantida no ano que vem. Destaque para o goleiro Nivaldo, que salvou uma bola no finalzinho do jogo.

O Criciúma folgou neste final de semana, e mesmo ocupando a quarta colocação no Grupo, terá pela frente dois jogos em casa contra os caxienses, podendo chegar aos 13, e uma partida contra o Brasil em Pelotas, que tem 8 pontos e mais duas partidas pela frente, podendo chegar aos 14.

O grupo está bem embolado, e o empate no Ca-Ju, com o Caxias empatando o jogo nos acréscimos, complicou mais ainda o Juventude, que precisará vencer os dois jogos que faltam (Chape em casa e Criciúma fora) para chegar aos 10 pontos, torcendo para que Criciúma e Brasil empatem entre si e não marquem mais ponto algum, para escapar de ser adversário do Brusque na Série D. Só falta enterrar.