sábado, 11 de setembro de 2010

Mais uma lição para o acesso

A derrota do Figueirense no Canindé não foi tão trágica, até porque o time permanece líder. Mas o jogo poderia servir para o time criar uma gordurinha a mais além dos cinco pontos que atualmente tem para o quinto colocado. Continua tudo tranquilo. Nenhum campeão, ou até mesmo time que consegue o acesso, vai ganhar todas.

O planejamento de Márcio Goiano para a partida foi embora quando Dodô fez o primeiro gol, aos 5 minutos, em um passe que encobriu a defensiva alvinegra. Mas parecia que o time não tinha um plano B. Não vi um Figueirense aguerrido como em outros jogos, mesmo criando chances, incluindo um gol incrível perdido por Reinaldo no final do jogo.

Se cada derrota deve servir como lição, essa é mais uma a ser assimilada. Não perder o foco nem o ritmo atrás no placar. Mas o Figueirense tem time, talento e ritmo para seguir na balada rumo ao acesso.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Felipe Oliveira, da vice-artilharia ao futebol amador

E o vice-artilheiro do Campeonato Catarinense desse ano foi parar no futebol amador. O portal Engeplus informa que Felipe Oliveira, 30 anos, que marcou 12 gols com a camisa do Imbituba em 2010, vai disputar o Campeonato Regional da Liga Atlética da Região Mineira pelo Metropolitano, da cidade de Nova Veneza.

Após sair do Zimba, Felipe passou pelo futebol da Finlândia e não achou espaço em outro clube no Brasil. Recebi informações que ele estaria em negociações com o Atlético Tubarão, da Divisão Especial, mas acho que dificilmente o negócio seria fechado, uma vez que Felipe foi dispensado do Brusque por ordem do técnico Suca, atualmente na Cidade Azul, por indisciplina.

E mesmo com o bom papel no Estadual deste ano, não conseguiu nada no futebol profissional. Diante da falta de opção, acabou indo para a várzea.

Para o alto, e avante!

Time que é líder, e que consequentemente é respeitado, tem algumas dificuldades a mais a enfrentar, como o Figueirense enfrentou hoje contra o São Caetano. Pode anotar: a partir de agora muitos adversários vão respeitar o alvinegro, jogar fechadinhos, explorando contra-ataques... enfim, vão jogar pra não perder.

É verdade que o Figueira não colaborou para tentar furar a defesa do Azulão no primeiro tempo. Faltou poder de articulação e velocidade, indispensáveis para lidar com a situação de um time que só se preocupava em se defender. Márcio Goiano foi "o cara" do jogo, quando foi muito feliz nas suas alterações, tirando Fernandes para colocar Roberto Firmino e colocando Helder no lugar de Coutinho. A segunda alteração foi coisa de estrela. Tanto que ele, Helder, fez o gol no final da partida.

O gol que aumenta em mais um ponto a diferença para o quinto colocado: agora é de seis pontos. Hoje, o time não mostrou afobação e acreditou no seu futebol. A vitória veio para alegria do grande público que enfrentou a chuva para empurrar o time. A contagem para o acesso continua.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Problemaço para a imprensa e CCO, a dois dias dos JASC

Os Jogos Abertos de Santa Catarina começam nessa quinta-feira, e as últimas informações que chegam são muito preocupantes quanto à questão da cobertura de imprensa. Confesso que estou muito triste ao saber disso, pois já faço a cobertura dos jogos há 11 anos, e problemas dessa monta nunca aconteceram. E não dá para acobertar esse problema para os colegas que vem a Brusque, que ao chegar aqui, vai deparar com uma situação que não acontece há muitos anos.

Primeiro, a hospedagem da imprensa. A Prefeitura Municipal fez licitação para garantir os quartos para quem vem trabalhar, como é praxe em todas as edições dos jogos. Acontece que o Brusque Palace Hotel, vencedor da licitação, "deu pra trás", como se fala na gíria, e deixou a CCO sem pai nem mãe. Em matéria do jornal "Município" de hoje, a CCO dos Jasc se disse que "o hotel não trabalha com setor público". Se não trabalha, porque o hotel entrou na concorrência? Mas esse assunto parece estar resolvido. O presidente Marcelo Cavichiolo diz que já encontrou solução para que ninguém fique desalojado, mas reservou um hotel em Gaspar, a 40km daqui, por garantia (Nota do Blog: tiveram um ano para resolver questão de hospedagem. Se fosse feito com antecedência, mesmo com a recusa de Hotel A, já poderia ter se providenciado um B. Ficar em outra cidade, longe daqui, com o trânsito infernal em horários de pico na rota Brusque-Gaspar-Blumenau é loucura).

Segundo, e o mais grave, as linhas de transmissão. E aí rola uma troca de farpas grande entre Prefeitura de Brusque e Fesporte, com a Acaert no meio tentando resolver. Desde 2002, as emissoras de rádio que transmitem os jogos não pagam pelas linhas telefônicas para transmissão. É feito um acordo comercial, ou "permuta", em que as linhas são disponibilizadas mediante inserções comerciais nas grades das emissoras. É importante ressaltar que o custo dessas linhas é alto, principalmente para emissoras do Oeste, e sem isso, inviabilizaria e muito a cobertura das rádios nos Jogos. Isso é necessário. São poucas as emissoras grandes no Estado. A Fesporte conseguiu junto a Oi um patrocínio de 15 mil reais, mais a estrutura de internet e telefonia dentro da CCO, no Pavilhão da Fenarreco, em troca de colocar a sua logomarca em placas e materiais dos Jogos. Mas não tratou de negociar no pacote a estrutura para as emissoras de rádio. O Comitê local foi atrás, com participação da Acaert, mas até o momento não houve acordo. Nos bastidores, ouvi algumas acusações de membros da administração municipal à conduta da Fesporte, que olhou para o seu umbigo e não se preocupou com item tão importante para a cobertura dos jogos. Conversei agora pela manhã, no desfile de 7 de setembro, com a Marise Hartke, brusquense que é presidente da Acaert, que me disse que a Associação das Emissoras já enviou um comunicado às filiadas informando da situação das linhas, que deverão ser pagas, como uma transmissão normal. Em se falando de várias modalidades, durante dez dias, é um custo bem alto.

O post é longo, mas serve como informação a quem acompanhará os Jogos Abertos e aos quase 200 profissionais de imprensa credenciados para a cobertura dos JASC do cinquentenário. Estaremos acompanhando as novidades do caso. Não esperava um problema tão grande em uma festa que promete ser tão bonita.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Terceirona: Pinheiros com uniforme do Santos?

A foto abaixo é do jogo Caxias de Joinville x Pinheiros, que já foi de Lages, passou por Timbó e agora está em Porto Belo. Além do placar elástico de 11 a 1 para o Gualicho, um fato pitoresco está registrado nessa foto do jornal "A Notícia". O time do Pinheiros (de branco) está jogando com o uniforme do Santos. Pelo jeito, não conseguiu inspiração no dono do uniforme. Tomou uma das maiores, se não a maior goleada da história recente do futebol profissional do Estado:

Castigo pela displicência

Não há de ser pena do gol que o Atlético-PR marcou no finalzinho do jogo da Ressacada, marcando mais uma derrota do Avaí no Brasileiro. Pela displicência que o time mostrou em campo, merecia tomar um castigo. Poxa, todo mundo sabia que a fase não estava boa. O mínimo que se esperava era uma atuação de um time esforçado, remando contra uma maré de insucessos. Não aconteceu isso. Time apático, e o Maikon Leite fez o Furacão de Curitiba, que vem numa ascensão muito interessante no Campeonato, levar três pontos serra acima.

O Avaí fecha o primeiro turno o campeonato na 13a. colocação, com 23 pontos, com seis pontos de vantagem para o Atlético-MG, 17o. colocado. Bom lembrar que no ano passado, o time chegou à metade da Série A com 30 pontos marcados. Se repetir a campanha no returno, o Leão chegaria a 46, e estaria na briga da turma debaixo. Mas é bom não correr riscos.

Faz tempo que o time não vence. Isso preocupa e muito. E com a derrota, a pressão vai triplicar na Ressacada. Vamos ver como Antonio Lopes vai reagir. Ele não tem muitas opções, se não rezar para que os seus titulares que estão no DM estejam em campo o quanto antes. E pelo jeito, a diretoria não vai trazer nenhum reforço para o banco de reservas, que não correspondem a altura a ausência dos titulares. Apertem os cintos.

E o Sávio hein? Tá parecendo o Viola quando esteve no Brusque. Fez jogos bons no início, e depois sumiu.

domingo, 5 de setembro de 2010

O título é simbólico, mas a marca não

O Figueirense empatou com o Paraná em 1 a 1, e conquistou o chamado título simbólico do primeiro turno da Série B, com um ponto de vantagem sobre a vice-líder Ponte Preta e ainda cinco pontos a frente do quinto colocado. Saiu atrás no placar, depois de uma bobeada de João Felipe, mas Ygor salvou a pátria logo depois. O jogo em si não foi bom, mas o alvinegro fecha o turno com um bom resultado fora de casa, e com uma boa marca.

Que o time é bom, isso ninguém tem dúvida. Agora, Márcio Goiano tem um desafio que já derrubou algumas equipes nesse estágio do campeonato: fazer o time manter o ritmo. Fazer com que a equipe mantenha o bom futebol nas 19 rodadas que faltam, em que aparecerão contusões, suspensões e os tradicionais erros de arbitragem.

O time é líder, mas não precisa ser campeão para alcançar o seu objetivo. Depois do acesso alcançado, aí sim é hora de trabalhar para o inédito título nacional. O caminho está muito bem trilhado.\

Foto: Hermínio Nunes - ClicRBS