quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Na pilha do Jasc

O Blog está largado nessa semana. A correria dos Jogos Abertos, ainda mais acontecendo em casa, está consumindo todo o meu tempo. Mas eu não reclamo.

É a décima segunda edição que trabalho, e o ritmo alucinante de modalidades simultâneas deixa qualquer entusiasta do esporte maluco. É muita coisa ao mesmo tempo. E isso causa alguns problemas. Eu saio da natação, vou pro futsal e depois pro basquete. Já me peguei trocando times, falando em "tocar bola" no meio da natação ou em "gol" no meio do basquete. Faz parte. Ano que vem, em Criciúma, vai ter um número menor de modalidades de Brusque, e dá pra organizar um pouco. Estamos em uns 10 na rádio, mais 6 aqui na TV fazendo cobertura. É coisa.

Os Jasc acabam no sábado, com uma briga pelo título geral, algumas medalhas para Brusque e uma organização apenas mediana por parte do governo municipal. Acho que a Prefeitura precisa pensar em algumas mudanças de conceito na política esportiva da cidade. A organização dos Jogos Abertos não foi capaz de providenciar hospedagem, de arrumar um placar eletrônico e providenciar ambulância nos eventos. No quesito "organização", a cidade não passou no teste, e olha que tem um Mundial de Handebol aqui no ano que vem. É bom reavaliar tudo.

A cidade de Brusque também não foi envolvida. Nenhum bar ou restaurante se preparou para a demanda de gente que vem para os Jogos e que, por consquencia, queria uma programação noturna. Nenhuma campanha foi feita para motivar o comércio da cidade a entrar no clima da competição. E os ginásios não encheram, exceto na cerimônia de abertura. Faltou um maior envolvimento, e até motivação por parte das autoridades. Pra bater foto na hora do pódio é fácil. No jantar da imprensa, dois pontos a destacar: o pedido formal de desculpas feito pelo Prefeito, e o troféu "Fim de Linha" entregue pelo pessoal da imprensa ao presidente da CCO, o blumenauense Marcelo Cavichiolo, por causa do "jogo de empurra" das linhas de transmissão.

Mas a festa do Jasc está aí , e termina no sábado. Será que foi o tão falado evento que serviria para reacender a chama da competição? Eu não sei.

domingo, 12 de setembro de 2010

Chega de peninha

Não assisti Avaí x Cruzeiro, os compromissos do Jasc não permitiram. Só vi os gols.

Esqueça por completo os planos de G4 ou Sul-americana. A prioridade número 1 é escapar do rebaixamento. Ouvi muita gente de Floripa falar coisa do tipo "Ah, mas o time do Avaí não está completo, quando voltar todo mundo a história vai ser outra...". A paciência acabou. É hora de uma reação urgente, pra ontem.

Antonio Lopes, que admitiu que a situação está complicada, assumiu o Avaí lá atrás como uma solução de emergência, como o próprio presidente Zunino havia definido em seu twitter. Então é hora da tal solução ser usada. O cenário não é nada bom: o campo para busca de reforços está bem fechado, o parceiro anda insatisfeito com o clube e a tal melhora técnica não acontece. Uma grande virada vai ter que acontecer, mas não sei de onde Lopes vai tirar o coelho da cartola.

Torcedor avaiano, aperte os cintos. O fim de ano vai ser sofrido.