sábado, 13 de novembro de 2010

Derrota na festa Coxa-branca

O Coritiba tinha a missão de vencer para comandar a festa do Acesso, já que em São Januário, no último jogo, poucas eram as testemunhas presentes. Logo, o time tinha que comandar o jogo contra o Figueirense desde o seu início. E foi o que o Coxa fez.

Foi um bom jogo, digno de dois times que estão subindo para a Série A. Mas o Figueira assistiu a festa Coxa-branca no início do jogo, e quando acordou, já estava 2 a 0. Aí apareceu a indelicadeza do atacante Enrico, que não tem cacoete nenhum pra zagueiro, que fez o pênalti que Reinaldo marcou. No intervalo, a bronca de Márcio Goiano deve ter sido grande, para que o Figueira voltasse ligado para o segundo tempo. O time se abriu, correu riscos, e brilhou a estrela de Wilson, que evitou uma goleada. Mas era uma derrota, digamos, calculada. Não se contava com a vitória no Couto Pereira.

O torcedor alvinegro está ansioso pelo jogo da noite, entre Bahia e Portuguesa. O acesso pode sair hoje. Mas se não der, ele vem no sábado contra o Guará, pode apostar.

Brusque consegue orçamento. Recopa não será prioridade

Estive ontem na Prefeitura Municipal, acompanhando a derradeira reunião que bateu o martelo na questão do aporte financeiro que o Bruscão terá para a temporada 2011. Pra quem não acompanhou, uma comissão formada pelo prefeito Paulo Eccel, o vice Evandro de Farias, o empresário Luciano Hang, proprietário da Havan e diretores do clube fizeram uma ação de visitas ao empresariado local e entidades representativas, para buscar um investimento estimado em R$ 260 mil para o clube. Confesso que fiquei surpreso com o empenho e a empolgação do prefeito em ir atrás da causa.

Bom, o resultado final da reunião: o presidente disse que o projeto do clube está absolutamente viabilizado, e que as contratações estão começando. O valor desejado ainda não foi alcançado, mas possibilita o início do trabalho nos próximos dias. A apresentação do elenco está marcada para o dia 22. Perguntei ao presidente: "E a Recopa?". Danilo Rezini me disse que a competição, que começa dia 3, não é prioridade. O clube tem 13 jogadores sob contrato, alguns jogando a Divisão Especial, que irão para o Rio Grande. No dia 30, o clube pretende fazer uma festa de apresentação do clube para a temporada 2011.

O prefeito não quis revelar qual o investimento da Prefeitura no clube, mas disse que o repasse terá um aumento substancial (se a memória não me trai, a administração municipal colocou 150 mil reais neste ano). A Havan também acena com um aumento no patrocínio, sem contar com a famosa possibilidade do jogador-medalhão, que não está descartada.

E quanto ao nome do treinador, não duvido que ele será contratado neste final de semana. A minha lista tem hoje, três nomes: Tonho Gil, atualmente no Brasil de Farroupilha, da segundona gaúcha, é o número 1 da preferência. Ouvi de um diretor o nome de Guilherme Macuglia, que acho que seria uma boa. Mas Danilo Rezini deu uma declaração de que seria um nome novo no Estado, que pode vir do futebol do RS. Aí me vem o palpite de André Luiz, ex-técnico do Brasil-Pel e São José-RS, que tem a simpatia da diretora brusquense há algum tempo. Vamos aguardar.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mais uma derrota, sem alento algum

Quando se acredita que um jogo, que garante uma classificação, possa, pelo menos, trazer uma esperança, por menor que seja, para o torcedor, eis que vem mais uma paulada que derruba toda a esperança de novo.

A pior atuação em casa nos últimos tempos. E já começou a onda de gente querendo tirar o seu da reta, no caso do iminente rebaixamento. O Avaí tinha a vantagem do empate, não jogou absolutamente nada, e perdeu para o Goiás, que também não vem jogando nada no ano. Foi uma pelada. Poucos se salvam ali dentro. Em certos momentos de desespero, com um time de baixa qualidade técnica, a superação as vezes pode dar resultados. Nem isso ouve.

Se a situação já não estivesse grave, Vágner Benazzi perde a oportunidade de ficar quieto ao tentar justificar o fato que sua equipe não acresentou nada após a sua chegada. Não criou uma opção nova, uma jogada ensaiada, ou uma evolução tática. E aproveita para tirar o dele da reta, com frases como "vim para o Avaí para tirar do rebaixamento, e não para classificar na Sul-Americana", ou "o culpado não é o treinador", ou ainda justificar dizendo que "meus laterais não funcionaram", ou ainda a pior de todas: "não posso falar qual é o problema do time senão fica ruim pra mim". Até onde sei, um técnico trabalha para buscar soluções, e não tentar usar de subterfúgios para justificar uma fase tão negra.

Não conseguiu ganhar do time ruim do Goiás em casa, vai ganhar do Inter no Beira-Rio? Até poderia, mas o treinador conseguiu dar algumas declarações que motivaram o lado de lá... Que final de ano deprimente.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Müller é o novo técnico do Imbituba

Depois de Beto, ex-Botafogo, Vasco e Flamengo, o Imbituba faz mais uma aposta curiosa.

O ex-atacante Luiz Antonio Corrêa da Costa, o Müller, de 44 anos, foi anunciado como o novo técnico do Imbituba para a disputa do Campeonato Catarinense de 2011.

O acordo foi fechado na tarde desta quarta-feira em reunião realizada entre o ex-jogador, o presidente Roberto Rodrigues, e Nivaldo Timpani, diretor do grupo Timpani, da parceria que ajudará na gestão do futebol do Clube.

Muller treinou dois clubes na sua carreira, depois de pendurar as chuteiras, em 2004, no Ipatinga. Em 2009, comandou o Grêmio Maringá-PR, e neste ano, o Sinop-MT.

"Trabalhamos sem medir esforços para trazer o melhor para o Imbituba. O Müller será um grande reforço nesse planejamento de crescimento do clube", afirmou Robertinho.

Timpani declarou ao portal IG que "Com a chegada do Müller iniciaremos o plano de contratações e definição do elenco". Ele começa o seu trabalho na Zimba no próximo dia 16.

O Imbituba aderiu à uma parceria na gestão do seu futebol. De cada 10 parcerias, nove acabam não funcionando. Vamos ver se vai rolar no Ninho da Águia.

Segundona: fase final embolada

A briga pelas duas vagas na Divisão Principal do Catarinense em 2011 será resolvida por três equipes nas últimas três rodadas do quadrangular final. O XV de Indaial, com apenas um ponto em nove disputados, ainda não está fora, mas precisa vencer todos os jogos que faltam para chegar lá.

Assisti o jogo Marcílio Dias 1 x 0 Tubarão, na fria noite de Itajaí. O Marinheiro fez o gol no começo da partida, com Leandro Branco, e segurou o ataque tubaronense em um excelente primeiro tempo. Na segunda etapa, o jogo caiu de qualidade, e o time da casa se segurou, mesmo com um jogador a menos (Leandro Branco foi expulso). O Concórdia confirmou o mando de campo e bateu o XV por três a zero.

Marcílio tem 7 pontos, Concórdia 6, Tubarão 5 e XV de Indaial 1. No final de semana repetem-se os jogos desta quarta, com mando invertido. Situação curiosa vive o Concórdia: se vencer as duas próximas partidas (XV fora e Tubarão em casa), o acesso está garantido. O Tubarão do técnico Suca tem uma decisão em casa no domingo contra o Marcílio Dias. Se vencer, volta a assumir a liderança, mas, caso o Concórdia vença em Indaial, não poderá perder o jogo no Oeste.

Muitas são as possibilidades, mas saí de Itajaí com uma certeza: suba quem subir, vai ter que melhorar muito o time para uma primeira divisão. O jogo Marcílio x Tubarão foi bom, teve várias chances, mas na primeira divisão a qualidade é outra. As equipes terão que reforçar-se substancialmente, sob pena de fazer uma viagem de bate-volta.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Clube é punido com rigor por causa da torcida

A torcida, com as suas atitudes, quando perde o controle, costuma dar dor de cabeça ao clube. Por várias vezes os times perdem mandos de campo, na maioria de vezes devido à falta de providências de segurança em suas praças esportivas. Mas tem vezes que a torcida ultrapassa os limites, e o clube acaba severamente punido.

Aconteceu com o tradicional Hercílio Luz, de Tubarão. No julgamento que aconteceu ontem, no TJD, o clube foi punido com a perda de mando de campo em quatro partidas, mais R$ 7.400,00 em multas. Os incidentes aconteceram na partida contra o Próspera. A primeira multa, de R$ 2.400,00, foi aplicada por causa do atraso de 24 minutos para o início do jogo, devido a falta de ambulância.

A multa mais pesada, de 5 mil reais, mais os quatro mandos de campo, aconteceu, segundo o relatório de jogo, porque a torcida hercilista estourou três rojões de alta periculosidade atrás do assistente de arbitragem. Tais rojões não foram detectados nas revistas na porta do estádio, segundo a Polícia Militar.

Com isso, o Hercílio vai demorar para jogar em Tubarão pela Divisão Especial do ano que vem. Só no quinto jogo como mandante. 

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Só falta o anúncio oficial do acesso

O Figueirense já está no saguão do aeroporto, com a passagem na mão, e apenas esperando a abertura do embarque para voar para a Série A. Hoje, foi jogo de festa. Pra ser perfeita mesmo, só faltou a confirmação matemática. A Portuguesa impediu, mas a torcida fez sua parte. Quatro a zero, goleada. Quer coisa melhor?

Pouco a comentar do jogo em si. O primeiro tempo foi bem ruim, com um Figueira tenso em campo, pelo fato de enfrentar o lanterna da Série B, ou achando que o resultado viria naturalmente. Muitos passes errados, maus lançamentos... Mas o pênalti marcado deu o alívio. No segundo tempo, o América, que ia dando um jeito de segurar o alvinegro, perdeu o gás, e a goleada foi construída nos minutos finais.

O acesso a Série A já chegou, só falta a formalidade. Depois de um ano tenso, com altos e baixos, o Figueirense abre um novo horizonte em sua história, voltando à elite do futebol brasileiro. E com a perspectiva de conseguir um trabalho sólido dentro e fora de campo, com uma nova motivação em seu plano de sócios. Agora é curtir a lua de mel, voando na altitude dos melhores clubes do Brasil.

Foto: Marina Lisboa - FutebolSC

Caçador bate Joinville e será sede do Jasc em 2012

Foi de goleada.

Por 13 votos a 5, a cidade de Caçador irá receber, 33 anos depois, os Jogos Abertos de Santa Catarina em 2012 (ano que vem será em Criciúma). A disputa foi contra Joinville, que tomou uma surra na votação.

A se analisar o motivo da derrota. Joinville tem uma estrutura infinitamente maior, em condições de receber os Jogos. Mas venceu a cidade do meio-oeste, que terá que mostrar que é capaz de organizar o evento, que recebe cerca de 8 mil pessoas durante uma semana. Questões como hotelaria e instalações serão colocadas a prova. Foi uma decisão totalmente política. Se fossem observados os critérios técnicos, Caçador não levaria.

E é o segundo grande evento que Joinville perde em curto espaço de tempo. Primeiro, o mundial de handebol, cujo direito foi repassado a Blumenau, informação confirmada hoje. E agora, os Jogos Abertos. O governo de Joinville deve explicações.

Criciúma: Angeloni quer toda a gestão do futebol

O presidente do Criciúma, Antenor Angeloni, apresentou na noite de ontem ao Conselho Deliberativo uma proposta ousada, que remete muito à entrada da Figueirense Participações no futebol do Figueira, há 12 anos. Angeloni quer um contrato que lhe dê total comando do futebol do clube. As informações são do portal Engeplus:

O presidente Antenor Angeloni apresentou ao Conselho Deliberativo do Criciúma, na noite desta segunda-feira, uma ideia audaciosa. Quer assumir a gestão do departamento de futebol tricolor pelas próximas temporadas. "Não quero mais mendigar ajuda. Quero assumir o futebol para evitar que o clube fique com uma dívida enorme, impagável", revelou.

Ao controlar todos os negócios do futebol do Tigre, Antenor se comprometerá em arcar com o ônus, mas terá direito ao bônus de transações futuras. "Será a forma de estancar essa dívida que o Criciúma tem comigo, que hoje é superior a R$ 8 milhões". O presidente projeta que seu investimento no clube será superior a R$ 10 milhões ao final de 2010, e alcançará R$ 15 milhões na próxima temporada.

A ideia se transformou em projeto, e será submetida a aprovação do Conselho em assembleia no próximo dia 13 de dezembro. O modelo de co-gestão planejado terá como referência o adotado pelo Atlético Paranaense. "Eu vou montar um time competitivo e terei total autonomia para tocar o futebol. Em no máximo dez anos, entregarei um clube sem dívidas e bem posicionado no futebol brasileiro", garantiu. "Se alguém pensa que vou fazer isso para ganhar dinheiro, está muito enganado".

Segundo meu amigo Adriano Osellame, que esteve na reunião, o Conselho irá produzir uma minuta de contrato, que será apresentada em uma outra reunião, em 13 de dezembro.

Angeloni abusa de crédito com a torcida, e tem dinheiro para investir no clube. Acredito que, com essa iniciativa, ele queira conseguir o que já havia pedido quando anunciou a presidência: total liberdade para executar as ordens e mudanças dentro do clube, além de garantir que não o processo não será paralisado em caso de alguma eleição de diretoria ou reviravolta dentro do Conselho.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Agora sim, Joceli dos Santos é do Metropolitano

Foi apresentado hoje pela manhã em Blumenau o técnico do Metropolitano para o Campeonato Catarinense de 2011: é Joceli dos Santos, de 56 anos, campeão da Copa Santa Catarina 2010 pelo Brusque, e que fez ótima campanha com o Imbituba na Divisão Principal deste ano.

Joceli já havia sido contactado pelo Metrô para comandar o time na Copinha, mas uma reviravolta nos bastidores fez o grupo de diretores contrários ao seu nome vetarem a sua contratação. Então, o clube trouxe o inexperiente Clebão, ex-zagueiro do Figueirense, que não durou muito por lá. Depois do título conquistado pelo Brusque, aqueles que eram contra o seu nome perderam força.

E Joceli e o Metropolitano já terão um problema para resolver de saída: o técnico está suspenso por cinco jogos no Estadual, por causa de uma confusão no jogo Brusque x Criciúma, pela Copa SC. Os dois terão que tentar anular a pena na justiça desportiva.

Boa Sorte ao Joceli. Cara gente boa, que tem nosso respeito.

domingo, 7 de novembro de 2010

Só vontade não é suficiente

Se o Avaí tivesse batido o Botafogo, ficaria na porta da saída da zona de rebaixamento. Mas não venceu um jogo bem possível de vencer. Mesmo na parte de cima da tabela, o alvinegro não mostrou ser bicho-papão. O Leão mostrou vontade. Mas nessa situaçao de crescente desespero, é necessária superação. O time foi melhor que o Bota, mas, de novo, o ataque azul não passou pelo goleiro adversário. Era necessário muita vibração em campo. E o jogo não foi nada vibrante. Foi duro de assistir.

Com mais dois pontos jogados fora, a conta cada vez aperta mais. Em 34 rodadas do Brasileiro, o Avaí venceu oito partidas, sendo sete em casa e somente uma fora. O Atlético-MG deixou a zona de rebaixamento, e acredito que não vá voltar. Os adversários passam a ser Guarani e Atlético-GO, que vai pegar o Leão na Ressacada. Quando se começa a fazer muita conta, o caso começa a ficar perdido. Matematicamente é possível. Acreditar que o time, e principalmente o seu ataque, mostre uma reação absurdamente espetacular, é o mais difícil.

E é complicado acreditar no ataque azul que é muito previsível. Sem opções no banco, o cardápio de opções ofensivas não é muito variado. É mais um dentre os vários complicadores que Benazzi terá que lidar.

Nos pênaltis, a eliminação criciumense

O Criciúma não vai buscar o bi da Série C do Brasileirão. Mas o objetivo principal já havia sido alcançado. O Tigre enfrentou o time chato do Ituiutaba, que numa partida equilibrada, debaixo de um calor desumano no interior mineiro, aproveitou uma bisonha falha da defensiva tricolor para abrir o placar. E coube ao bom garoto Lucca, que passou por muitas dificuldades nesse ano por causa de lesão, ser o herói e o vilão do jogo. Herói ao empatar o jogo e levar a decisão para as penalidades. Vilão ao desperdiçar o pênalti decisivo, que deu a vaga na final ao Ituiutaba.

De qualquer forma, parabéns ao Tigre, que fez um péssimo Estadual (ficou uma posição acima da zona de rebaixamento) e conseguiu um renascimento sob a administração Antenor Angeloni. E o projeto para 2011 continua forte. Para alegria de muitos, o técnico Argel se despediu do clube hoje, e um novo comandante virá para o desafio de reconquistar o título catarinense (último título foi em 2005) e a Série B do próximo ano. Se Angeloni conseguir aumentar o aporte financeiro do clube, contando com o crescente número de associados, o Criciúma pode entrar em condição de brigar pelo acesso a Série A.

E pra encerrar, quero falar do Argel. Ele conseguiu o acesso, mas criou uma situação jamais vista. Mesmo com a vaga garantida na Série B após o jogo com o Macaé, a torcida pediu a sua saída. O seu ciclo no Heriberto Hulse acaba hoje, mas não poderia terminar sem uma frase de efeito, declarada ao Márcio Cardoso, na Rádio Eldorado: "Não tenho dúvida que vou ser um dos grandes técnicos do futebol brasileiro".

Zero a zero? Calma gente...

O torcedor alvinegro estava louco pra começar a noite de sábado com uma vitória do Figueira sobre o Duque de Caxias, para começar a festa do acesso, que seria na terça, no jogo contra o América-RN. Olhando a tabela, o resultado não foi ruim. O Sport perdeu para o São Caetano e a diferença para o quinto colocado subiu para seis pontos, faltando quatro jogos, ou doze pontos, a disputar.

Falta só a confirmação matemática. Se o Figueirense vencer o América, combinado com derrota em casa do Sport para o Santo André (o que é improvável), comemora o acesso na terça. Se não, vai ter que esperar em um dos dois jogos fora da sequência, contra Coritiba e Guaratinguetá.

Senti no jogo contra o Duque um time ansioso, que achava que a vitória vinha a qualquer momento, contra um adversário que apenas espera o fim do torneio, sem correr riscos. O alvinegro criou mais chances, mas de novo pecou na perda das chances de gol. A festa foi adiada. Mas não é nada que tenha agravado a situação.

Terça-feira tem mais, e é contra o lanterna América-RN, virtualmente rebaixado, e que vai jogar no desespero.

Foto: Marina Lisboa - FutebolSC