sábado, 1 de janeiro de 2011

Prepare-se para o Catarinense 2011

É o primeiro post de 2011. Um feliz e iluminado ano novo a todos!

O tempo passa rápido, e em exatas duas semanas, começa mais um Campeonato Catarinense.

E como o Blog sempre faz, iremos publicar a partir da semana que vem as análises individuais de cada time do Catarinão. Informações do clube, as principais novidades e a opinião do Blog sobre o que cada equipe pode render em mais um Campeonato.

A partir de segunda-feira. Não perca.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Avaí perde chance de faturar e popularizar

O Blog sai do recesso. Vamos trabalhar.

Quando vi o resultado da reunião do Conselho Deliberativo do Avaí, pensei em algo que tinha escrito em 21 de outubro último, depois da espetacular vitória azul sobre o Emelec, na Ressacada: "Que alguém grave o jogo de hoje e deixe guardado, para mostrar quando tiverem a ideia de cobrar 60 reais o ingresso. Muitos daqueles torcedores que preferiam ficar em casa ou ir no boteco ver o jogo no PPV foram pro campo. Futebol é esporte do povo. E hoje, o torcedor deu o seu grito de "Reage Leão".

O ingresso não custará 60 reais, houve uma redução de 10% na arquibancada (vai custar 50) e de 20% na coberta (vai custar 80). Considerando que na reta final do Brasileiro, onde o ingresso custou vinte reais, e o torcedor não deu a mínima para a fila infernal, foi lá e lotou o estádio, esperava-se que o exemplo fosse mantido e a política de preços fosse revista. Se fosse até por 30, acho que seria aceitável. Essa "redução", e vou usar entre aspas mesmo, não muda muita coisa na opinião de quem fica naquela dúvida, principalmente no Estadual: "vou ver Avaí x Concórdia pagando cinquentão ou fico em casa, ou de repente vou ver no Pay per View do boteco?"

Existe o argumento do "tem que associar", mesmo que algumas coisas tenham mudado que ficaram estranhas. Mas há de se considerar o povão, aquele que torce pelo time e não tem condição de arcar com a despesa fixa de uma mensalidade social, mas pode ir uma vez ou outra ao jogo. E isso depõe contra a estratégia marqueteira de um clube. Basta ver a matéria publicada no renomado site Máquina do Esporte, em que os lucros com bilheterias caíram muito por causa dos descontos dados a planos de sócios. O Avaí é citado na matéria. Existe uma grande demanda reprimida que não se animará com tal política de preços.

Já nos planos de sócios, ouvi várias opiniões de associados avaianos ontem e hoje. A mudança mais curiosa é o final da diferenciação dos preços de cadeira inferior e superior. Traduzindo: pelo mesmo preço de um local coberto, você fica em uma cadeira sujeito a tomar chuva na cabeça. E quem tinha a condição de arcar com a mensalidade por ali, terá dificuldades. Não vou entrar nos outros pormenores dos planos, que foram aprovados sem consenso (20 votos a favor e 10 contra), mas é uma decisão que vai fazer o clube perder dinheiro.

Elitizar não é o caminho, ainda mais quando falamos em um clube de massa, que é tocado pelo povo, que pode muito bem não querer pegar a fila pra assistir o jogo em um bar, tomando cerveja, sem pagar ingresso (jogo esse que o Avaí receberá algo em torno de 9 mil reais, pela divisão "maravilhosa" das verbas do Pay-per-view) e que pensará se vale ou não pegar a fila.

O berreiro dos torcedores avaianos está grande, e eles têm razão. E definitivamente, parece que a onda azul que tomou conta da Ressacada no final deste ano não sensibilizou a direção avaiana. Desconsideraram a força que um estádio cheio tem.