quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Fernandes, a renovação, e o reconhecimento ao ídolo

É fato que Fernandes é o maior ídolo da história recente do Figueirense e, como tal, tem o reconhecimento da torcida e ontem, ganhou um reconhecimento do clube que vai além das fotos no memorial, vídeos na internet ou uma placa comemorativa. A ele, foi oferecida uma solução de continuidade de um ser humano que criou um vínculo enorme com o clube. E pergunta se a torcida gostou...

Fernandes teve seu contrato renovado, vai continuar jogando e, quando desejar, vai se aposentar e ganhar uma função administrativa no clube, e a tiracolo, vira uma peça importante e com imagem presente no marketing do clube.

Solução essa que é comum em clubes europeus. Quantos ídolos dos mais diversos times do Brasil caem no esquecimento, só são chamados em alguns eventos, não tem sua imagem usada como deveria e, infelizmente, passam dificuldades como já vimos em alguns casos.

Aos 33 anos, maior artilheiro da história do Figueira, e que foi integrante de praticamente todo o processo de renascimento alvinegro que começou em 1999 até os dias atuais, conquistando seis títulos estaduais, dois acessos, passando por momentos bons e ruins do clube.

Fernan10 teve um reconhecimento digno da sua trajetória no Figueirense.

domingo, 25 de dezembro de 2011

O Ranking "BdR" do Futebol Catarinense em 2011

Pelo terceiro ano, o Blog do Rodrigo apresenta o seu ranking de clubes. O Ranking "Blog do Rodrigo do Futebol Catarinense 2011" traz, com base nos resultados de cada clube na temporada, a classificação dos melhores do Estado. Quem não passou pelo Blog antes, o ranqueamento do ano passado está aqui, e os critérios de cálculo estão neste post. Neste ano, quero agradecer a ajuda do Renan Medeiros, de Criciúma, que criou uma planilha que facilitou e muito na formatação do ranking.  Cálculos feitos, vamos à classificação. Algumas explicações vão junto, com a somatória dos pontos de 2009 (metade de 2010) e de 2010 (peso 0,7) e 2011 (peso 1), além da colocação no ano anterior.


RANKING "BLOG DO RODRIGO" DO FUTEBOL CATARINENSE 2011



1) Figueirense (6,25 + 14,76 + 26,27 = 47,29 pontos) 2010: 2o.
O Figueirense é o novo líder, marcando 11 pontos a mais que o rival Avaí na temporada de 2011. Mesmo conquistando pontos na Copa do Brasil, o Figueira teve melhor campanha no Estadual e na Série A, que determinou não só a liderança, bem como uma boa frente.



2) Avaí (8,09 + 15,18 + 16,99 = 40,26 pontos) 2010: 1o.
Rebaixado para a Série B e sem levar o título Estadual, o Leão se vê engolido pelo Figueirense, que pela primeira vez lidera o ranking. Considerando que o time vai jogar os mesmos campeonatos que Criciúma e Joinville, o time pode ter a segunda colocação ameaçada se não fizer boa campanha.
 

3) Joinville  ( 6,44 + 10,54 + 18,83 = 35,81 pontos) 2010: 3o.
Campeão Brasileiro da Série C com uma campanha irrepreensível, o JEC mantém a terceira colocação, marcando mais pontos na temporada que o Avaí, que disputa a Série A. Na Série B, com pontos de maior peso, pode brigar pela segunda colocação.



4) Chapecoense  (6,00 + 8,83 + 18,97 = 33,81 pontos) 2010: 5o.
Campeã Estadual, a Chapecoense foi o segundo time que mais marcou pontos do ranking na temporada. Melhor campanha do Estadual, fez uma boa primeira fase na Série C, mas não foi em frente na parte seguinte. Recupera a quarta colocação de dois anos atrás.


5) Criciúma (4,35 + 9,95 + 17,73 = 32,04 pontos) 2010:4o.
Por uma pequena diferença, o Criciúma perde a quarta colocação para a Chapecoense. Como o ranking é baseado em média de pontos conquistados, o que determinou a mudança foi o Campeonato Estadual, onde o time do Oeste fez 10 pontos a mais que o Tigre. Juntando com a má campanha na Série B, o time cai para quinto.

6) Brusque (4,45 + 9,22 + 12,79 = 26,46 pontos) 2010: 6o.
O Brusque consolida a sexta posição em 2011 pois foi melhor que o Metropolitano, time que vem imediatamente atrás, em todos os campeonatos do ano: foi melhor no Estadual, na Copinha (foi finalista) e na Série D. E ainda marcou uns pontinhos com a participação na Copa do Brasil.


7) Metropolitano (4,04 + 8,24 + 11,06 = 23,34 pontos) 2010: 7o.
Pelo mesmo motivo da ascensão do Brusque, o Metropolitano permanece na sétima colocação do Ranking. Pesou os resultados no ano que foram piores ao rival do Vale.




8) Atlético de Ibirama (5,37 + 5,81 + 11,81 = 22,99 pontos ) 2010: 10o.
O Atlético retornou à Divisão Especial conquistando o maior número de pontos do Campeonato (53 contra 45 do campeão Camboriú). Com isso, volta a subir no ranking e agora é o oitavo.



9) Marcílio Dias (2,90 + 8,27 + 9,92 = 21,10 pontos) 2010: 8o.
O Marcílio fez um Estadual apenas e tão somente razoável. Começou bem, mas no final se preocupou em não voltar à Divisão Especial.





10) Atlético Tubarão (0,97 + 8,05 + 11,33 = 20,36 pontos) 2010: 12o.
Na Divisão Especial deste ano, o Atlético Tubarão teve a terceira melhor média somadas as fases, ficando inclusive a frente do rival Hercílio Luz, que marcou 5 pontos e fez 4 partidas a mais. Também pesou a campanha do ano passado, que mesmo com menor peso, fez diferença. O Tubarão brigou pelo acesso em 2010 até a última rodada.



11) Hercílio Luz  (2,88 + 5,37 + 10,64 = 18,89 pontos) 2010: 15o.
O Hercílio sobe quatro posições com a campanha deste ano. O acesso bateu na trave.



12) Camboriú (2,91 + 4,33 + 11,25 = 18,59 pontos) 2010: 17o.
O Campeão da Divisão Especial sobe cinco posições e ganha o seu brasão aqui no Ranking. Mesmo levando o título, o time não fez mais pontos que o Atlético de Ibirama, campeão dos dois turnos da Segundona. Mas está aqui, e se fizer um bom Estadual da Primeira Divisão, com peso maior, a tendência é subir.


A seguir, o restante da classificação: 
 
13)    Imbituba (4,44 + 7,88 + 6,11 = 18,43 pontos) 2010: 9o.
14)    Concórdia (
3,26 + 8,23 + 6,00 = 17,49
pontos) 2010: 11o.
15)    Guarani
(1,75 + 6,00 + 8,70 = 16,45
pontos) 2010: 18o.
16)    Porto (
3,15 + 3,50 + 8,67 = 15,32
pontos) 2010: 16o.
17)    XV de Outubro (
3,15 + 6,30 + 5,67
pontos) = 15,12 2010: 14o.
18)    Juventus (
3,39 + 3,01 + 8,70 = 15,10
pontos) 2010: 19o.
19)    Caçador (
1,75 + 4,00 + 7,40 = 13,15
pontos) 2010: 22o.
20)    Inter de Lages
(0,00 + 3,60 + 6,89 = 10,49 pontos) 2010: 25o.
21)    Oeste Chapecó
(1,40 + 1,05 + 7,50 = 9,95 pontos) 2010: 27o.
22)    Joaçaba
(2,80 + 4,20 + 2,00 = 9,00 pontos) 2010: 13o.
23)    Caxias Joinville
(0,00 + 6,20 + 2,67 = 8,87 pontos) 2010: 23o.
24)    Biguaçu
(0,00 + 0,00 + 8,80 = 8,80 pontos) 2010: NR
25)    Pinheiros
(0,00 + 2,80 + 4,36 = 7,16 pontos) 2010: 29o.
26)    Próspera
(2,21 + 4,43 + 0,00 = 6,64 pontos) 2010: 20o.
27)    Navegantes
(0,82 + 5,25 + 0,00 = 6,07 pontos) 2010: 21o.
28)    Jaraguá
(0,00 + 0,00 + 3,33 = 3,33 pontos) 2010: NR
29)    Videira
(2,56 + 0,47 + 0,00 = 3,03 pontos) 2010: 24o.
30)    Operários Mafrenses
(2,68 + 0,00 + 0,00 = 2,68 pontos) 2010: 26o.
31)    Santa Catarina
(2,10 + 0,00 + 0,00 = 2,10 pontos) 2010: 28o.
32)    Portuguesa Navegantes
(1,57 + 0,00 + 0,00 = 1,57 pontos) 2010: 30o.
33)    Blumenauense (
0,00 + 1,40 + 0,00 = 1,40
pontos) 2010: 31o.
34)    Maga
(0,00 + 0,00 + 0,00 = 0,00 pontos) 2010: 33o.


Observações: para fins de ranqueamento, foram considerados como mesmas equipes: Camboriuense e Camboriú, NEC/Caçador e Navegantes e Imbituba e CFZ Imbituba. Ambos trocaram de nomes, mas usaram a mesma vaga nos campeonatos estaduais.

Lembre-se: para ver as regras do cálculo de pontuação, clique aqui.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Minha mensagem de Natal

Este blogueiro quer desejar um Feliz Natal a você, que dedica parte do seu tempo para dar atenção a esse espaço durante todo esse ano.

É até certa forma incrível saber que aquele espaço despretensioso aberto há quase 4 anos tem leitores em todo o Estado. O reconhecimento é a recompensa por horas dedicadas ao BdR. Não tem presente no mundo que supere isso. E isso aumenta a responsabilidade.

Quero agradecer a você, leitor. Citar nomes aqui seria uma injustiça com quem fez esse Blog chegar a mais de 400 mil acessos em 2011. Um espaço que não pertence a nenhum portal, é feito de coração e voltado a expôr comentários, ideias, críticas e soluções sobre o esporte de Santa Catarina.

Da mesma forma, obrigado aos quase 2.500 seguidores do meu twitter e a quem acompanha meu trabalho na RICTV, Rádio Cidade, TV Brusque e no Jornal Município, que é um complemento deste espaço. Ano que vem continuaremos com o nosso trabalho com a mesma vontade de sempre.

Feliz Natal pessoal, pra todos vocês e suas famílias. Que tenhamos um belo Natal, um futuro maravilhoso e um mundo mais feliz, justo e agradável de viver.


sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

SC pode receber prova do Mundial de Fórmula 1

Em tempos onde Bernie Ecclestone afirma categoricamente o desejo de acabar a possibilidade de um mesmo país receber duas provas da Fórmula 1 por ano, o Brasil entrou na lista dos que podem receber uma segunda corrida, lista essa que já tem a Espanha e deve ter os Estados Unidos em breve,

Segundo informações do blog "Radar On-Line", do jornalista Lauro Jardim, o governo do estado de Santa Catarina se reuniu há 15 dias com Ecclestone para apresentarem a proposta. Um projeto será feito para que o estado possa receber uma corrida sem substituir Interlagos.

Uma nova reunião deve ser marcada em abril. A proposta é de construção de um circuito no parque Beto Carrero, em Penha, onde já há um kartódromo desenhado por Hermann Tilke, e que fica bem próximo ao Aeroporto Internacional de Navegantes.


O Rio de Janeiro também deve construir um autódromo no bairro Deodoro. A pista seria considerada "nível A" pela FIA, ou seja, estaria apta para receber a categoria, porém não há essa intenção por parte da cidade.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

10 anos do gol de Abimael que subiu o Figueira

Em 22 de dezembro de 2001, exatamente dez anos atrás, em uma tarde de muita chuva em Santa Catarina, foi escrita uma página importantíssima da história do Figueirense. Em um jogo polêmico, que só foi definido nos tribunais meses depois e que culminou no encerramento da carreira do árbitro paulista Alfredo Loebeling, o Figueirense venceu o Caxias por 1 a 0 no Orlando Scarpelli com gol do reserva Abimael e conquistou o acesso a Série A junto com o Paysandu, que sagrou-se campeão ao golear o Avaí por 4 a 0, em Belém.

22.530 torcedores tomaram banho de chuva e assistiram ao jogo, que foi encerrado faltando 1min50 para o fim da partida pelo árbitro. Um caos estava formado com a invasão dos torcedores, não dando condições de tocar o jogo até o final. Loebeling interrompeu o jogo, mas disse ao capitão do Caxias e às rádios locais que o jogo iria continuar. No entanto, como os torcedores levaram uniformes, redes e bolas, a partida não pôde ser reiniciada.

No dia seguinte, e reza a história que ele foi foi pressionado por Armando Marques, mudou totalmente o relatório da partida e praticamente encerrou sua carreira naquele momento. Na época ele disse: “Fui coagido pelo Armando a adulterar o relatório. Ele me obrigou a dizer que eu encerrei o jogo e dei dois minutos de acréscimo em vez de três. Depois, na CBF, negou tudo e ameaça acabar com a minha carreira. [...] Eu aceitei a pressão e menti para salvar minha carreira. Sabia que era uma coisa errada, mas fiz porque fui ameaçado. Não tenho vergonha de admitir que fiquei com medo de acabar com minha carreira”.  Loebeling nunca mais apitou um jogo profissional.


O resultado foi um divisor de águas para o futebol catarinense, que passou a ser presença constante na Série A do Brasileiro, com o Criciúma e o Avaí, anos depois. Mas é importante lembrar um jogo que está muito presente na memória do torcedor alvinegro. Achei esse vídeo com alguns momentos do jogo:


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A participação de SC na Timemania e no "É goool!" em 2011

A Caixa Econômica Federal divulgou os rankings de participação dos clubes catarinenses nas loterias Timemania e É Goool em 2011. Nesses números, dá pra tirar duas conclusões: quem tem uma torcida mais fiel, e que ainda há muita coisa para evoluir, em meios que podem dar um extra para os clubes.

Começamos com o "É Goool", que é um título de capitalização da Caixa, onde quatro times do Estado se inscreveram para participar. Um porcentual das vendas é destinado aos clubes. Ainda que os números sejam tímidos, o Joinville liderou o ano, com R$ 18.882,00 arrecadados, seguido de longe por Figueirense (R$ 9.582,00), Avaí (R$ 5.625,00) e pelo Metropolitano (apenas R$ 1.125,00 arrecadados). (veja o Ranking aqui)

Já na Timemania, loteria que já existe há alguns anos, há um termômetro de como está a participação do torcedor catarinense, comparando com outros do Brasil. O melhor time em Santa Catarina neste ano foi o Avaí, 21o. lugar Nacional, seguido por Joinville (29o), Figueirense (47o) e Criciúma (63o.). Aqui, dá pra ver que Avaí e JEC fazem uma boa divulgação da Timemania e conseguem bons números, enquanto Figueira e Tigre não parecem interessados nesta Ferramenta (ranking completo aqui)

domingo, 18 de dezembro de 2011

Estádio Municipal de Brusque: as tratativas começaram

Na semana passada, a Prefeitura de Brusque soltou uma nota no seu site que, até certo ponto, surpreendeu. Não havia nada muito claro sobre a intenção e a execução do projeto de construção de um novo estádio na cidade, antiga solicitação da comunidade.

Mas parece que a coisa vai andar. O prefeito Paulo Eccel convocou a Câmara de Vereadores para uma sessão extraordinária nesta semana e, entre outros assuntos, vai colocar em votação a alienação de dois imóveis para levantar dinheiro para construir o Estádio: um é o terreno onde está localizada a secretaria de obras, no centro da cidade, e outro é o prédio onde fica o Senac, no bairro Maluche, onde há muito tempo atrás funcionou o Fórum. O projeto precisa de aprovação da Câmara pra seguir em frente.

Onde seria o estádio? Segundo apurei, existem três planos: o primeiro, seria a construção do Estádio em uma área que a Prefeitura deseja transformar num grande complexo de esporte e lazer, so que, segundo me falaram, esse terreno localiza-se na Rod. Ivo Silveira (saída para Gaspar e Blumenau), a cerca de 10 km do centro. Particularmente acho bem fora de mão, ainda contando que há apenas uma rota para chegar lá, via uma movimentada rodovia Estadual. Há também o pensamento de se buscar na cidade um outro local para levantar o Estádio.

O terceiro plano é fazer uma parceria público-privada (PPP) para refazer o estádio Augusto Bauer por completo, no local onde se encontra, no centro da cidade. O plano, segundo dirigentes do Carlos Renaux, é levantar um confortável local para 10 ou 12 mil pessoas, com arquibancadas em formato de "U". A Prefeitura faria a construção, o Carlos Renaux administraria e cederia o local ao Brusque e a eventos públicos sem ônus.

Vamos ficar de olho, que agora a coisa parece estar caminhando. Mas primeiro há de se ver se a Câmara vai aprovar.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Documentário "A Saga do Coelho" conta o acesso do JEC

Abaixo, assista o trailer do documentário "A Saga do Coelho", produzida pela InOut Vídeo, de Florianópolis, e mostra os bastidores dos momentos decisivos da Série C, conquistada pelo Joinville recentemente.

O trio de produtores Djalma Araujo, Rogênio Germinal e Fabiano Sabino lançou o documentário ontem, em Joinville. No evento, das 2000 cópias produzidas na primeira tiragem, 800 foram vendidas. Esse já é o segundo trabalho na área esportiva da InOut , que elaborou também o DVD da subida do Figueirense em 2010.

Não assisti ainda o vídeo, mas tenho certeza que é um material pra guardar pra história.
Os DVDs custam 30 reais cada e estão a venda nas lojas oficiais do JEC na Arena Joinville e no Shopping Mueller. Um pequeno aperitivo abaixo.


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Branco, pro ano do Figueira não passar em branco

O Figueirense surpreende a todos e coloca um grande ponto de interrogação antes do início da temporada 2012:  A contratação de Branco como novo treinador, um nome sem experiência alguma como técnico de futebol, é uma aposta bem arriscada, diante de um cenário em que existiam nomes experientes e que se encaixavam no perfil de assumir um time de Série A.

Branco, campeão mundial em 94 junto com Jorginho, tirou diploma de técnico recentemente na Escola Brasileira de Futebol, mantida pela CBF na Granja Comary. Sua experiência pós-campos é como coordenador técnico no Fluminense, na seleção e em um clube da Grécia, fazendo algo como o que Chico Lins faz hoje.

Fico curioso em saber os motivos que fizeram o Figueirense, vindo de uma excelente campanha na Série A, um dos favoritos a levar o título Estadual, contrate um treinador que não tem currículo na beira do gramado. Ele pode ter participado de um curso qualificado como é o da CBF, mas o dia-a-dia de um clube não se aprende em sala de aula. Além do mais, o clube vive um momento delicado, já que está perdendo várias peças importantes do seu time titular que terão que ser repostas. Posso apostar que junto com ele virá um auxiliar-técnico que teve uma experiência como treinador, o que não é incomum.

Não vai ser uma simples sequência do trabalho de Jorginho.

Tubarão debate a fusão dos dois clubes

Tenho acompanhado na imprensa de Tubarão um debate complexo mas muito interessante: torcedores, empresariado, políticos e desportistas discutem até onde é benéfico para a cidade, que é a 13a. maior do Estado com quase 100 mil habitantes, ter dois times de futebol profissional.

Lembro-me muito bem do finado Tubarão Futebol Clube, que conquistou dois vice-campeonatos Estaduais no final dos anos 90, naquele time que tinha Miguel, Eduardo, Rogério, Sandro Ventura, Mabilia, entre outros. Foi uma geração que deu certo, e depois disso, nunca mais a Cidade Azul apareceu na comissão de frente do futebol catarinense.

Ex-dirigentes dos dois atuais clubes da cidade, Atlético Tubarão (ex-Cidade Azul) e Hercílio Luz, tem o mesmo discurso. Ao jornal Notisul, o Ex-presidente do extinto Tubarão e ex-tesoureiro do Hercílio Luz, o empresário Rui Lima afirmou que a fusão é bem-vinda, desde que feita com organização. “Todo mundo tem que apoiar. A cidade tem que se mobilizar. Não é só bater a fotografia e ir embora. No dia que conseguirem isso, eu volto a colaborar”, anuncia. Pedro Almeida, ex-presidente do Atlético Tubarão, é outro que apoia a ideia. “Eu sempre fui favorável, desde a época que eu era presidente. A cidade não comporta dois times”, reforça Pedro. E acrescenta: “É o Hercílio Luz que não quer”. O advogado Clovis Damasceno Paz, ex-diretor do Leão e ex-presidente do Atlético Tubarão, vai mais além na discussão. Para ele, mais do que uma fusão, é necessário um projeto com um fundo de investimento para gerir o esporte. “O futebol mudou, profissionalizou-se, virou empresa. Se não for assim, não dá certo. Independente de nome, time e local, tem que ser viável”, analisa.

O prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini, manifestou-se publicamente a favor da união há cerca de duas semanas, pedindo para que os presidentes cheguem a um entendimento para a formação de somente uma equipe profissional.

Já no Diário do Sul, os empresários, aqueles que investem e são a fonte do dinheiro que move a cara máquina do futebol profissional, se manifestaram. O presidente da Associação Empresarial de Tubarão (Acit), Eduardo Nunes, não tem dúvidas de que uma fusão seria melhor para a cidade. “Há de se respeitar o amor pelos tradicionais clubes, herdados muitas vezes da família. Mas, na prática, se faz necessária uma unificação ou fusão. No entanto, para viabilizar esta questão é preciso sentar, analisar e ver o comprometimento de todos. Com um time só, Tubarão teria uma equipe mais forte e o município só teria a ganhar. Atrairia investimentos".  O empresário Argemiro Nunes, proprietário da Rede A. Nunes, foi ainda mais contundente. “Tem que ter apenas um time. Será melhor do que ter dois clubes “arrebentados” como estão. Tem que acabar com essa teimosia. Seria bom colocar pessoas de cabeça aberta nas diretorias. Hoje, temos “dois meios times”. Temos que somar, e não dividir. Futebol tem um custo e ninguém apoia porque os dois não têm valor. É preciso regionalizar, criar um time novo. Uma cidade grande já não sustenta dois times, imagina Tubarão!”.

As respostas lidas acima são racionais, mas quando se coloca paixão no meio, a coisa fica mais complicada. O exemplo de Brusque, cidade que tem praticamente o mesmo tamanho de Tubarão, é claro. O Brusque FC surgiu em 1987, conquistou um título estadual e criou raízes e uma geração de torcedores. O Carlos Renaux tentou montar times em 2004 e 2006, mas esbarrou na inexperiência, nas limitações técnicas e nas parcerias mal-feitas. Hoje, é claro o cenário aqui: a cidade não comporta dois times profissionais. O Renaux retomará seu estádio em 2012, alugará para o Brusque, tocará o processo das escolinhas e ajudará a formar atletas. E se já é bem complicado para que um time consiga um orçamento de mais ou menos R$ 120 mil para ter um orçamento considerado modesto no Estadual, imagina o dobro disso para dois times.

Esse não é um assunto simples, mas a verdade é que a cidade de Tubarão, que vai para o seu quarto ano ausente da Divisão Principal do Estadual, precisa de uma união de forças para montar um bom time, centralizando os apoios, para conseguir o acesso e se manter no topo, sem fazer bate e volta. É complicado, ainda mais quando envolve pessoas que durante anos se dedicaram aos seus clubes. É de se entender também a posição do empresariado, refletida na declaração do presidente da Associação Empresarial.

Mas só de saber pela imprensa que o debate está rolando na Cidade Azul, é uma boa notícia.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Vem aí o Ranking "BdR" 2011

A temporada do futebol catarinense encerra-se oficialmente no próximo final de semana, com a decisão da Divisão de Acesso. E pelo terceiro ano, o Blog está já fazendo os cálculos para a divulgação do Ranking "BdR" do Futebol Catarinense 2011, onde são analisados apenas os resultados em campo das equipes, dando peso maior àquelas competições mais importantes. A nova classificação será divulgada nos próximos dias. Aqui neste link está o Ranking do Ano passado.


Os critérios para definição do ranking, assim como no ano passado, são os seguintes:

Serão considerados os resultados dos clubes nas últimas TRÊS temporadas (2009, 2010 e 2011). Os pontos conquistados por cada equipe serão considerados, e não os títulos.

O cálculo para se chegar aos pontos ganhos em cada jogo é feito da seguinte forma:

Para jogos de campeonatos estaduais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 1 x (valor do campeonato)

Campeonato Catarinense Divisão Principal - 10
Campeonato Catarinense Divisão Especial - 6
Campeonato Catarinense Divisão de Acesso - 4
Copa Santa Catarina - 8

Para jogos de campeonatos nacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 2 x (valor do campeonato)

Campeonato Brasileiro Série A - 10
Campeonato Brasileiro Série B - 7
Campeonato Brasileiro Série C - 6
Campeonato Brasileiro Série D - 4
Copa do Brasil - 8
Recopa Sul-Brasileira - 5

Para jogos de campeonatos internacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 3 x (valor do campeonato)
Mundial de Clubes - 10
Taça Libertadores - 8
Copa Sul-Americana - 7
Recopa Sul-Americana - 5

(importante notar: Catarinense tem peso 1, Brasileiro 2 e Internacionais 3)

Para a pontuação geral, soma-se os pontos de todos os jogos nos últimos 36 meses (2009 + 2010 + 2011) e se divide pelo número de jogos disputados a cada ano, aplicando-se a desvalorização do ano anterior. Os pontos serão a soma das médias dos três anos.

O Ranking também usará o critério FIFA de desvalorização. Ou seja: os pontos conquistados na penúltima temporada serão multiplicados por 0,7. Traduzindo: os resultados de 2011 levam peso 1, os de 2010, vale 70%, e os de 2009 valem metade de 2010.

Obs.: No caso de empate entre dois ou mais clubes, a ordem apresentada no Ranking é meramente alfabética, não sendo levados em conta os campeonatos disputados pelas agremiações.


sábado, 10 de dezembro de 2011

O Mercadão do Avaí

Quem quiser acompanhar as informações em tempo real das principais negociações do futebol catarinense, siga meu twitter. O Blog vai trazer o que há de mais importante e dar uma analisada na cara que os times vão mostrando para 2012.

O que mais mexeu vem sendo o Avaí. Há de se destacar a mudança abrupta de orçamento que vem fazendo com que o Leão forme um time mais barato e até busque reforços aqui no Estado. Muitos torcedores torcem o nariz para as caras que chegam na Ressacada, mas não estranho nem um pouco, partindo do ponto que o presidente Zunino declarou que a prioridade é vencer o Estadual, para dar uma satisfação ao torcedor. É pra ganhar o Catarinense sem correr risco? Então deixa o Ovelha montar o time.

Vieram Renato Santos, Capixaba, Patric, Leandro Silva, Aelson, Neilson.... Nem todos são da Chapecoense, mas tem a cara do time de Ovelha, que se não mudar a sua lógica, vai apostar em um esquema 3-5-2 com jogadas de velocidade pelos lados. Dentro da proposta, o time que está sendo montado é pra ser favorito ao título. Para a Série B, a história é outra. Eu sinto que há, nesse ciclo, uma espécie de "peneirão" para saber quais dos reforços domésticos podem ser usados no campeonato nacional. Mas até lá, a história é outra.

E os jogadores que deixaram o Avaí a granel vão achando colocações, alguns em times da Série A, como o caso do zagueiro Gian, que vai para a Ponte Preta. O clube tenta dar um jeito nas eternas promessas do sub-23, que não serão usados no time profissional e devem ser repassados. Rodrigo Thiesen se mandou pra Volta Redonda, Gustavo pode ir pra Chapecó e o zagueiro Cleyton está bem próximo do Brusque.

Uma grande reformulação. Time fraco? Para ganhar o Estadual está sendo muito bem montado. O Brasileiro é coisa pra ser discutida num outro momento, que vai depender do rendimento do atual time.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

A polêmica do azul


Vou voltar um pouquinho no tempo: eu fui transmitir um Figueirense B x Brusque em 2004, no Scarpelli, pela segundona. O jogo estava frio até que, no segundo tempo, o Rudnei, que depois jogaria no Criciúma e no Avaí, entra em campo com chuteira azul. Os cerca de 150 torcedores que estavam vendo o jogo o vaiaram em uníssono. É, com essas coisas não se pode brincar.

Aí, na apresentação dos novos uniformes do Figueira, me aparecem com um uniforme azul de goleiro, que na visão do clube, é verde-petróleo. Não importa se é verde ou azul. Tudo que leve um tom azulado ou leva a parecer com azul tem que ser evitado. Obviamente, a camisa não foi para o desfile sem antes ser aprovada. Deu polêmica e virou piada pronta. Palmas pra quem, de dentro do clube, aprovou.

Bom, o Figueirense, ao ver a polêmica, soltou uma nota horas depois informando que tal camisa não será utilizada. Ou seja, nasceu morta.

Ficaram com o mico na mão. Vai pros anais.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Brusque confirma Talhetti e Leandrão

O Brusque acaba de anunciar mais dois reforços: o meia Maicon Talhetti, 21 anos, vem por empréstimo do Figueirense, e o atacante Leandrão, que estava na Chapecoense.

Destes, o destaque vai para Talhetti, jogador que gosto muito. Um dos destaques do time alvinegro campeão da Copa São Paulo Júnior de 2008, ele passou por problemas com lesões. Recuperado, tem no Brusque a chance de recuperar a confiança e o bom futebol, para poder, de repente, ganhar nova chance no Figueira.

E pode ter mais novidade hoje, com jogadores disponibilizados pelo Avaí.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Dia de início de temporada no Brusque

Estive hoje a tarde na apresentação do Brusque para a temporada 2011. Entre caras conhecidas e novos nomes, dá pra ter um pouco da cara do time para o ano que vem.

Já que o pessoal quer saber do time, lá vai: vários jogadores estão retornando, com contrato vigente, caso do goleiro João Ricardo, o zagueiro Tairon e o lateral-esquerdo Tom. Dos que já passaram por aqui, estão o atacante Felipe Oliveira, que dispensa apresentações, e o meia William Gaúcho, que retorna depois de desaparecer do clube para forçar sua saída.

Dos novos nomes, estão chegando o zagueiro Marcelo Guerreiro, ex-Chapecoense, o também defensor Héverton, do Novo Hamburgo e o meia Roger Bastos, do Pelotas.

E o gerente de futebol Maurino Cazagrande conseguiu fazer boas parcerias com Figueirense e Avaí, que cederão jogadores que não serão aproveitados em seus elencos principais. Boas chances para os jogadores ganharam experiência, aparecerem e brigarem por um lugar nos seus times de origem. Os primeiros estão chegando: são o atacante Jonatan e o volante Luan, do Figueirense. Jonatan foi o artilheiro do time junior no Estadual com 9 gols. E há uma possibilidade real de Maicon Talhetti também aparecer.

Já do Avaí viriam de 3 a 4 jogadores. Rodrigo Thiesen era um da lista, mas ele acabou emprestado para o Volta Redonda. Virão atletas da lista divulgada hoje daqueles que serão cedidos por empréstimo.

E é mais ou menos por aí. Dependendo do andar dos contatos de patrocínio, o time vai se reforçando. E estaremos informando.

Luto: Ney Pacheco


O Blog, de luto, deseja aqui as condolências à família do jornalista Ney Pacheco. Uma pessoa espetacular, dono de uma inteligência sublime, cujos textos são uma lição para muitos que trabalham no jornalismo esportivo. Seu trabalho no site Meu Figueira fazia parte de minha leitura obrigatória. Uma referência.

Hospitalizado há 20 dias depois de complicações em uma cirurgia de redução de estômago, Ney nos deixou no início desta tarde, aos 43 anos de idade.

E vai ser cumprido o seu desejo. Ele queria ser cremado, e ter as cinzas espalhadas - uma parte no mar de Cachoeira do Bom Jesus, em frente à rua da Alegria, onde costumava veranear; e outra parte, no campo do Figueirense.

Perde o Figueirense um grande torcedor, e perde o jornalismo esportivo de Santa Catarina.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Chegou o título do JEC

Que festa bonita. Quem não veio, perdeu.

Chegou a vez do JEC dar a volta olímpica na Arena ao conquistar o seu primeiro título nacional após 35 anos de história. E com uma goleada irrepreensível então, nada mais justo.

Na verdade, o jogo serviu para premiar a crescente que o Joinville teve durante o segundo semestre, que começou lá na Copa Santa Catarina, quando a diretoria teve peito para derrubar Giba e trazer Arturzinho, que com muita motivação e inteligência criou um grupo muito coeso, bem postado taticamente e que foi premiado com o acesso por antecedência e o título da Série C com duas vitórias.

O CRB foi completamente envolvido. Já veio a Joinville prejudicado pelos minutos de sono no jogo de ida que lhe custaram uma derrota dificílima de ser revertida. O JEC veio focado, com a estratégia definida de jogar no erro do adversário no início de jogo para coibir qualquer tipo de empolgação do time alagoano, que passou a semana buscando motivação para vencer.

Não adiantou. Lima, o camisa 9, o artilheiro, estava muito bem marcado. Mas Gilton, um garoto questionado por muitos, mas que vejo muita qualidade na ala esquerda, achou espaço num cruzamento para que os trabalhos fossem abertos. Foi o golpe que faltava para que a festa começasse.

E aí foi rolando o segundo tempo, com o CRB apertando e, igualzinho como aconteceu em Maceió no jogo de ida, a expulsão de Marco Antonio derrubou o time de novo. E aí o JEC marcou com Eduardo, depois com Pedro Paulo em belo passe de Ramon e finalmente com Gilton.

Fecha-se com chave de ouro um trabalho competente de Arturzinho, que pegou um time que precisava de algo a mais para buscar o acesso. O título tem grande participação dele, que dedicou o troféu à torcida. Ele não deve permanecer no clube para 2012, mas deixa um legado muito interessante para o próximo ano: além de ter um grupo qualificado (não parecem ser muitas as baixas do elenco), traz também um boom no número de sócios do clube, agregado a novos patrocínios que engordarão o caixa do clube e darão uma condição ainda melhor do time entrar em condição de brigar pelo título catarinense.

Parabéns a torcida do Joinville, campeão da Série C. Um título que traz responsabilidade. Ano que vem, como um campeão nacional e com calendário cheio na Série B, a cobrança vai ser maior. Mas há condições reais do time fazer bonito.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Fala, Capixaba

O atacante Ronaldo Capixaba conversou hoje pela manhã com meu amigo Juca Miguel, da Gazeta de Joinville. Ele dá sua posição quanto à novela da sua ida para o Avaí, anunciada na noite anterior pelo presidente Márcio Vogelsanger:


Tensão com a ida de Ronaldo Capixaba para o Avaí

A noite foi agitada lá pra Joinville, e é um tipo de agitação nada boa para uma véspera de decisão de Série C. Ainda mais se falando do atacante Ronaldo Capixaba, peça importante do JEC no Campeonato. É o artilheiro do time.

As notícias que vinham diziam que ele já tinha encaminhado a sua renovação de contrato. Mas tudo virou na noite de ontem, quando o presidente Márcio Vogelsanger, em tom de indignação, deu entrevista ao programa "Sérgio Silva" do canal 11 de Joinville, e declarou: "Perdemos o (Ronaldo) Capixaba para o Avaí". Notícia que movimentou as redes sociais na última madrugada.

Procurado pela imprensa hoje de manhã, Vogelsanger manteve a informação e mostrou que continuava indignado com a situação. Chegou a declarar ao amigo Gabriel Fronzi, da Rádio Cultura: "Artilheiro de gols de penalti de Araque. Que vá para o Avaí e afunde de vez lá”. Deu pra ver que o ambiente não estava bom. Márcio também criticou a postura de um homem chamado "Mineiro", que seria o agente do jogador,que teria intermediado o negócio com o Avaí.

Em entrevista ao Infoesporte, o gerente de futebol do JEC, Nazareno Silva, disse que "Mineiro" entrou no meio do negócio, sendo que quem trouxe Capixaba para Joinville foi Daniel Coracini, ex-volante do clube. Ronaldo foi procurado hoje pela manhã, e declarou que não sabia do acerto com o Leão da Ilha. Certo é que seu clima lá complicou-se bastante. Seu contrato terminou no último dia 30, e para jogar amanhã na decisão, ele necessitará de um aditivo que deverá ser publicado hoje no BID. Mas com todo o clima negativo criado, não duvido que ele acabe não jogando. Tudo que o JEC não precisa agora é de vaias em um momento decisivo.

E, sinceramente, Capixaba não é insubstituível. Se Arturzinho optar por colocar o garoto Aldair ou mesmo Bruno Rangel no time titular ao lado de Lima, o time não perde em qualidade para levar o título nacional.

Abaixo, você ouve entrevista concedida por Márcio Vogelsanger, mais calmo, ao repórter Gabriel Fronzi, confirmando a negociação.


Sonora capixaba by gabrielfronzi

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Aelson vai para o Avaí. Só o primeiro?

A notícia vinda do Oeste hoje é que o lateral-esquerdo Aelson, 26 anos, é jogador do Avaí para 2012. O acerto foi feito na tarde desta quarta, e ele é o primeiro comandado de Mauro Ovelha a tomar o mesmo rumo do comandante, coisa que até certo ponto era previsível.

Considerando que o presidente Zunino determinou que o Campeonato Estadual é uma prioridade, nada mais natural que Ovelha se cerque dos seus jogadores de confiança para chegar lá. Aelson é um deles, eleito um dos três melhores de sua posição no último catarinense.

A diretoria do Verdão diz que há um acordo com Ovelha para que o Avaí não interfira nos negócios do clube do Oeste. A saída de Aelson foi intermediada pelo seu empresário, que apresentou a proposta avaiana à Chapecoense, que resolveu liberar o atleta.

Mas quem garante que outros empresários não façam o mesmo, nutridos por uma vontade de Ovelha contar com a espinha dorsal do último título em 2012? Não duvido se mais gente tomar o voo da Avianca e desembarcar na Ressacada nos próximos dias.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Angeloni, mais 10 anos a frente do Tigre

Foto: Denis Luciano / Engeplus
Aconteceu no domingo: dona Maria da Glória, moradora do bairro Comerciário, nas cercanias do Heriberto Hulse, foi com seu esposo dar uma observada nas grandes obras que o estádio está passando. Chegando lá, encontrou o presidente Antenor Angeloni e sua esposa nas arquibancadas, vistoriando a obra. Eis que chega um torcedor, que efusivamente abraça o presidente, o beija e diz:
- Seu Antenor, muito obrigado. Agora já posso morrer feliz.

A era moderna de Antenor Angeloni, hoje referendada para mais 10 anos de gestão com uma autonomia ainda maior, vai marcar ainda mais, isso tenho certeza. Ouvi seu discurso emocionado na Assembleia que o reelegeu. Parecia um menino, super motivado, prometendo um novo estádio dentro dos padrões "para receber qualquer partida da América", alojamentos melhores e times competitivos, sem sair do pé no chão. Há de se admitir: não fosse ele aparecer em um dos momentos mais críticos do clube, sabe-se-lá se haveria ainda o Criciúma. Os resultados da sua curta gestão estão aí pra quem quiser ver.

Antenor topou o desafio e, além de motivar a cidade, se motivou. Deu um novo gás ao clube, conseguiu o acesso para a Série B e planeja estar na A em três anos. Sabe que o orçamento terá que ser maior, o que implicará em aumentar a arrecadação, seja com sócios ou com licenciamento da marca. Está cercado de pessoas conhecidas na região que dão a confiança de que a gestão do clube, sob o novo formato, será de sucesso.

A Assembleia do Conselho Deliberativo aprovou, por aclamação dos 205 conselheiros presentes (são 300 ao total) a reeleição de Angeloni para a presidência e a assinatura de um contrato que passa a gestão do futebol do clube para a empresa Gestão de Ativos (GA), que tem como proprietários Antenor e seu irmão, Arnaldo. A GA se compromete a sanar as dívidas do clube, reformar o patrimônio e controlar o futebol tricolor em um contrato de cinco anos, renováveis por mais cinco. Além disso, toda a arrecadação e as despesas do clube, e os direitos econômicos dos atletas que pertencem ao Tigre passam para a GA. Foi uma exigência do presidente, para que ele possa implantar um planejamento de longo prazo sem que pudesse aparecer algum obstáculo no meio do caminho.

Que bom seria se tivéssemos outros Antenores em Blumenau, Itajaí, Brusque e outras cidades que precisam de pessoas como essas para levantar o futebol. Criciúma tem a sorte de contar com uma pessoa que poderia estar muito bem curtindo sua aposentadoria depois de anos de serviços prestados, inclusive no clube (foi ele o responsável pela mudança de nome do Comerciário para Criciúma). Mas vendo que a coisa estava preta, resolveu pegar o barco e está colocando o Tigre nos eixos. Bom para a região da AMREC, bom para o futebol catarinense.

Figueira deve receber 18 milhões pelo Brasileiro 2012

A "Folha de São Paulo" de hoje informa que a Globo propôs ao Figueirense um contrato individual de R$ 18 milhões anuais pela transmissão do Campeonato Brasileiro a partir do ano que vem.

Isso significa uma verba três vezes maior que o faturamento com TV em relação a este ano, mas fica ainda distante do que a direção alvinegra considera justo, tanto pela recente exposição conseguida quanto por acreditarem que uma vaga na Libertadores serviria para conseguir mais dinheiro.

Se serve como parâmetro, a Ponte Preta ainda está no início das conversas e não deve assinar tão cedo pois espera ganhar o mesmo que a Portuguesa, que espera levar R$ 30 milhões anuais.

Só pra fazer uma comparação grosseira, a verba que o Figueira deve receber pelo Brasileirão 2012 é aproximadamente 112 vezes maior do que o time receberá de TV aberta no Campeonato Estadual. Bom lembrar que o contrato da RBS encerra esse ano e os clubes precisam aprender a negociar melhor.

domingo, 27 de novembro de 2011

Jogo é jogo, decisão é decisão

Foto Carlos Amorim / Figueirense FC
Foi nesse espírito que o Figueirense complicou bastante a sua árdua tarefa de tentar chegar à Libertadores. Não jogou mal, mas em momentos decisivos há de se mostrar um algo a mais. Foram seis pontos disputados em casa, e o time só precisava de unzinho para só depender de si no clássico contra o Avaí. Não teve tal competência.

Usando um pouco da máquina do tempo para destrinchar o jogo. Vendo alguns textos antigos do Blog, vi que, lá no começo do campeonato, a principal reclamação que recaía sobre Jorginho era a falta de qualidade no setor de meio-campo para abastecer o ataque. O time tinha dificuldade em marcar gols, até que o problema foi consertado, e isso puxou a excelente fase alvinegra. Eu vi no jogo de hoje um flashback: novamente, um time que controla bem a posse de bola, muitos passes mas sem criar perigo a gol. E numa jogada individual de Alex, Liédson fez o gol para sacramentar a vitória corintiana.

E em decisão, o time não pode regredir. Regrediu, e isso foi determinante para que o alvinegro caisse para sétimo na classificação.

Claro que a campanha alvinegra no Brasileirão como um todo não pode ser alvo de críticas, até porque o time entra na última rodada com chances de ir à Libertadores. Mas fica a sensação de que poderia ter ido mais longe em uma chance única, que apareceu e estava logo ali a frente.

Outro ponto a destacar são os relatos de torcedores e imprensa sobre tudo o que aconteceu no Scarpelli hoje. Olha, claramente estamos muito atrasados em relação à preparação para receber grandes eventos esportivos como esse. E digo em todos os aspectos, desde segurança, até venda de ingressos e organização para a imprensa. Se com 20 mil pessoas e um batalhão de profissionais foi complicado, imagine se um dia existir em SC um estádio para 30 ou 40 mil. Lições a serem assimiladas.

E o Coritiba entrou nessa briga pela Libertadores. Venceu o combalido Avaí e só depende de si para enfrentar a fase eliminatória. Basta vencer o Atlético-PR. O Figueira precisa vencer e torcer por tropeços. Se tivesse conseguido um empatezinho nos últimos dois jogos, bastaria vencer o Avaí.

sábado, 26 de novembro de 2011

A estrela, a vitória, e o título do JEC está próximo

Você acredita em treinador com estrela? Depois desse jogo, chego a conclusão que Arturzinho tem algum pacto sobrenatural. Só pode.

Um jogo que teve momentos distintos, com obras do destino, sustos e uma vitória que coloca o Joinville com uma mão e quatro dedos no seu primeiro título nacional.

O CRB deveria, como time da casa que é e carregando uma baita campanha da segunda fase, ser o dono do jogo. Mas não quis ser. Entrou num sono profundo durante 25 minutos, apresentando um futebol de várzea e, quando acordou, Felipe tinha feito um gol contra (passe de Ricardinho, iluminado em finais) e de Glaydson, com ajuda do morrinho artilheiro, criando um prejuízo enorme. Se viu um domínio enorme do JEC que poderia ter ampliado ainda mais.

Intervalo de jogo, bem atrás no placar, e Paulo Comelli foi pra tática suicida. Colocou um segundo homem de área, Cadu (ex-Chapecoense, conhecido lá como Cadu Mineiro) para encostar em Aloisio Chulapa para dar mais volume ao ataque. Chegou ao primeiro gol com Giovani, sobrecarregou a marcação do meio-campo tricolor, que se virava como pode, e Ivan aparecia bem.

Foi aí que a estrela de Arturzinho apareceu de novo. Lima, cansado, teve que sair. Eu esperava que ele fosse colocar Bruno Rangel em campo, até pelo fato dele ter sido o titular do time nos últimos jogos. Mas o técnico apostou no garoto Aldair, peça determinante para o desenrolar da partida, quando ele recebeu falta de Thiaguinho, que acabou expulso, e ao receber a bola aos 48 do segundo tempo, para fazer o terceiro gol e fechar uma vitória épica do JEC, que poderá até perder por 2 a 0 para conquistar o título.

Fácil não será, o CRB mostrou no segundo tempo que não é um time ruim. Mas o iluminado treinador tricolor tem o jogo de hoje até como uma lição para a grande final. Não pode cochilar. Se ficar ligado, a festa na Manchester sábado que vem será enorme.

E eu estarei na Arena pra ver esse momento especial.



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Vídeo: Bastidores da cobertura JASC 2011 da Record News

Abaixo, vídeo produzido pelo Carlos Costa, da Primer TV, com o making of das transmissões dos Jogos Abertos de Santa Catarina para a Record News. Pra sentir um pouco do que é a cobertura de um evento tão legal. Divirtam-se:


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Figueira faz a festa no "Craque Brasileirão"

Um dos reflexos da boa campanha alvinegra no Brasileirão está refletida na lista de indicados do prêmio "Craque Brasileirão" de 2011.

Se vão ganhar, isso é outro detalhe, já que a votação é direta por profissionais da imprensa (muita gente do eixo Rio-SP) e sempre tem a famosa patriotada. Mas as indicações são, sem dúvida, uma vitória. E uma preocupação de que o mercado virá pra cima ávido para desmontar o time para 2012. O que é normal.

Foram indicados Bruno (LD), Juninho (LE), Julio Cesar (At), Wellington Nem (Revelação) e Jorginho (técnico).

Gosto muito de usar o ranking do "Bola de Prata" da Placar para referenciar quem são os melhores do campeonato, até por causa do formato diferenciado, baseado na média de notas obtidas em todas as rodadas. Lá, Juninho aparece como líder na sua posição, e Wellington Nem está se aproximando de Ronaldinho Gaúcho e Montillo entre os melhores meio-campistas. Mas como revelação no "Craque" ele está bem na fita.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

RICTV e Record News transmitem decisão da Série C

Está confirmada a transmissão em TV aberta, para todo o Estado, da histórica decisão da Série C, entre Joinville x CRB. A RICTV Record fechou acordo com os clubes e transmitirá as duas partidas, sendo a primeira no próximo sábado, as 17h em Maceió e a volta dia 3, no mesmo horário, na Arena Joinville.

As partidas terão transmissão pela RICTV Record para a região de Joinville e pela Record News para o restante do Estado. O competente repórter Júlio Prestes estará cobrindo in loco o primeiro jogo da final no Estádio Rei Pelé.
 

Rescaldo do JASC, com o tri de Floripa

Depois da maratona de 10 dias em terras criciumenses, ainda há algumas coisas pra comentar depois do JASC 2011. Floripa levou o tricampeonato, Criciúma investiu um monte e carregou o vice, Joinville ficou em terceiro e Blumenau criou discussão na cidade com seu quarto lugar.

Há algumas coisas a ponderar.

Floripa está fazendo o que Blumenau fez no passado. O plano é ganhar o título geral, nem que isso custe pedir para um time de primeira divisão não subir para a especial, para que marque mais pontos. A intenção é clara, os investimentos também são bem dirigidos, pensando nos 13 pontos que cada modalidade dá. Blumenau fazia isso e dava volta no carro de bombeiros todo ano. A tendência é que a capital leve o título no ano que vem até com maior facilidade, já que Caçador não tentará o título, Criciúma não terá vagas em todas as modalidades e não há sinal de que Joinville e Blumenau queiram entrar nessa briga geral. Joinville tem uma motivação por ser a sede de 2013, onde aí sim vai gastar os tubos para fazer a festa em casa. Como existem também ciclos de quatro anos, com as eleições municipais, trocas de governo e de políticas de esporte, o cenário ficará inalterado para o ano que vem. Em 2013, poderá haver mudança de cenário.

Criciúma fez festa com o vice-campeonato. Sem dúvida histórico. Contratou mais de 100 atletas, levou dois troféus (um no Bolão 23, que nem tinha pista na cidade antes dos jogos) e fez valer o fator casa, onde tradicionalmente jorra dinheiro para que haja a capitalização política com os bons resultados. Sempre funcionou assim. Você pode contar que, ano que vem, essa campanha não se repetirá. Como cidade-sede, Criciúma participou de todas as modalidades sem a necessidade das eliminatórias regionais. Ano que vem terá que participar, e contra Florianópolis, que disputa a mesma competição.

Blumenau ficou em quarto e criou uma boa discussão por lá, já que a população estava acostumada com o caneco e viu que a facilidade de antes já não existe. A política mudou, privilegiando a base. Vieram títulos importantes, como o caneco do volei masculino sobre Florianópolis e a prata do futsal masculino. Mas é muito pouco para uma cidade tradicional no volei feminino e no basquete masculino, só pra citar duas modalidades. O investimento é focado na base? Ok. Mas no ano passado, com o mesmo (ou até menor) investimento, Blu brigou pelo título geral até o último dia.

Muitos debates sobre o Jasc giram em torno do que é gasto, se é certo ou não é. A resposta é simples: não é ilegal e há poucos dispositivos no regulamento da Fesporte que impeçam ou reduzem isso. Se for pra cortar de vez as importações, que os municípios peçam a mudança que ano que vem teremos outro cenário. Eu acho muito importante as importações, pelo aspecto da troca de experiência e a possibilidade de crescimento do pessoal daqui. Mas fica por isso. A partir que isso torna uma ferramenta para andar de carro de bombeiro na segunda-feira, a discussão é outra.

domingo, 20 de novembro de 2011

"Sólo se puede se jugar la pelota"

Foto Flávio Neves / ClicRBS
"Só se pode se jogar bola"

A campanha do Figueirense no Brasileiro criou uma expectativa gigante na torcida, que deixou o estádio decepcionada hoje. Muitos fora embora antes do fim do jogo. Mal-agradecidos com a derrota, mesmo o time fazendo uma campanha exemplar? Não, é a dor da decepção. Amanhã a ficha cai.

A verdade é que o Figueira, se quiser chegar na Libertadores, precisa mostrar algo a mais nos confrontos diretos. Aqui, a briga é de gente grande, e contra times que sabem se superar em momentos decisivos, com boas opções no banco de reservas. Com o time desfalcado, a situação piorou muito. Nada está perdido, o objetivo é tentar a Libertadores e não o título. Logo, que a lição seja assemelhada pras duas decisões que vêm pela frente.

Se tivemos um primeiro tempo lá e cá, com o Figueira apertando e até com um pênalti não marcado pelo Héber Roberto Lopes, vimos um senhor abafa na segunda etapa. O Fluminense distribuindo bolas de todos os lados, a marcação alvinegra com muitos problemas e os talentos individuais aparecendo, até que a goleada foi se formando.

Fato primordial é a diferença dos dois ataques. No Figueira, Aloisio, que é um jogador guerreiro, corria, trombava, tentava chutar, fazia das tripas coração, mas não marcava. Foi substituído por Somália, que não fez nada de especial. Do outro lado havia um Fred em excelente fase, com um Marquinho de qualidade, que fazia as bolas chegarem a frente com mais tranquilidade. Aí teve a falha de marcação no primeiro gol, a falha de Wilson no segundo.... a goleada se construiu.

Contra o Corinthians, a novela do jogo de hoje será relembrada. O glamour de estar na zona da Libertadores é facilmente absorvida (ou tida como obrigação) por um time grande. Para o Figueira, é uma responsabilidade que causa reações no time e na torcida. Talvez jogando a responsabilidade pro outro lado, e tentando recuperar as boas atuações, venha uma vitória contra o Corinthians e a chance de carimbar a vaga na pré-Libertadores contra o Avaí.

Mas tem que esquecer a festa e jogar bola.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Mauro Ovelha aperta o reset

Depois de ter seu nome ventilado por várias vezes, Mauro Ovelha chega ao Avaí. Acho que deveria ter chegado depois da demissão de Alexandre Gallo, mas pega clube já rebaixado e com uma pressão grande de resultados.

Zunino não falou em planejamento a longo prazo. Falou em ganhar o Catarinense. Essa é a meta de Mauro, que vai ganhar em Floripa quase o dobro do que ganhava em Chapecó.

Comentários não faltaram: técnico de Série C, só serve em time pequeno, não vai aguentar quatro jogos...

Minha opinião: aperta o reset. Sem comparações. Começa do zero. Deixa ele mostrar trabalho.

Quase todos os grandes treinadores do futebol brasileiro começaram em times de menor expressão. Tiveram chances, agarraram e estão lá em cima. Mauro Ovelha vem chancelado por um título estadual, um conhecimento acima do comum do futebol catarinense e que conquistou por merecimento uma chance em pegar um clube com uma pressão bem maior de torcida e imprensa. Vamos ver como se comporta.

E não duvide se alguns jogadores da Chapecoense aparecerem na Ressacada para o Estadual.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

JASC: Floripa dispara e Blumenau, cadê?

Bom dia pessoal, o Blog estava meio largado, a correria do JASC está enorme, com transmissões, fotos e textos. Espero que estejam gostando das transmissões na Record News, com muitas informações do que acontece.

Dia a dia sai a classificação geral (que hoje não vai mudar, nenhum troféu será entregue) e Florianópolis vai ampliando a vantagem, mesmo sem pontuar na natação, pelo motivo que já conhecemos. Joinville está atrás, seguido por Criciúma. Blumenau, que sempre está lá em cima, é apenas o sexto. Dá pra fazer algumas reflexões.

Floripa vai se tornando a nova potência do Jasc. Investiu, importou jogadores (trouxe até um jogador de punhobol da seleção da Suíça) e, pelo que eu venho vendo, monta uma estrutura voltada unicamente para levar o título geral. Eu soube que existe até uma equipe jurídica para checar se algum atleta de outro município tem algum problema de inscrição, bem como Blumenau fazia antigamente. E deve levar o título, até porque a delegação de Joinville foi ceifada nos injustos jogos regionais.

Joinville, Blumenau, Brusque, Itajaí e Jaraguá do Sul disputam a mesma fase regional e, por causa disso,  brigam pelas mesmas poucas vagas para o JASC. Mesmo que fossem sem chance de título, computariam pontos importantes para subir na classificação geral. Floripa teve uma facilidade a mais neste ano: como disputa a regional sul, aproveitou a ausência de Criciúma, que é a cidade sede, e classificou quase todo mundo. Fica a sugestão para que a grande Florianópolis tenha a sua seletiva e que Vale e Norte tenham regionais separados, para equilibrar o nível técnico.

A frase que eu ouvi ontem: "alguém avisa pra Blumenau que os JASC já começaram!". A campanha decepcionante até aqui causa preocupação nos blumenauenses que encontrei. Tá certo que a cidade não torra mais dinheiro contratando atleta, privilegiando a base, o que é louvável. Mas é interessante notar que no ano passado, com a mesma estrutura e filosofia, o time brigou pelo título até o último dia e hoje está talvez na pior posição da história. A chance é grande de, apenas pela terceira vez da história, os três primeiros lugares dos Jogos terem um intruso ao trio Floripa-Joinville-Blumenau.

Mas tenho acompanhado bons jogos, principalmente no futsal. Os Jogos Abertos seguem em bom nível.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Horas importantes para o Brusque

Passando um resumo dos últimos acontecimentos no Brusque, e a ameaça de licença que pairou na cidade durante esta quarta-feira.

Resumindo: o candidato a presidência, Mauricy de Souza, precisa de dois nomes para fechar a nominata da chapa a ser inscrita no conselho para a eleição, marcada para o dia 16. Ele tem até a semana que vem para isso, mas na última reunião do conselho, terça-feira, o presidente Célio de Camargo exigiu garantias que o novo grupo tenha condições de tocar o time, sob pena de pedir licença.

Danilo Rezini, que disse trocentas vezes que não queria ficar no clube e que esperava que alguém assumisse a bronca, o que aconteceu, não gostou do que escrevi e foi na Rádio Cidade para se explicar, e tivemos um debate respeitoso, mas quente. Ele reafirmou que não deseja permanecer no clube, e disse que agirá junto ao conselho para que a nova chapa possa ser inscrita e empossada.

Agora vamos ao comentário, voltando ao ponto lá atrás. A atual diretoria falou para quem quisesse que procurava novos nomes para assumir o clube, e os nomes apareceram. Se são ricos, pobres, honestos, desonestos, não importa e não é hora de fazer pré-julgamento. A comunidade brusquense tratará de avaliar o trabalho, até porque parte do grupo de hoje (alguns atuais diretores continuarão) não está interessada em permanecer no Bruscão, e ponto final.

Danilo pretende ser candidato nas próximas eleições pelo PPS, partido que grande parte da atual diretoria faz parte. Fez boa votação para deputado em 2010, empurrado pelo titulo da Copinha daquele ano. Politicamente, ele não resolveu se apoia a reeleição de Paulo Eccel (que propôs uma parceria com Rezini, inclusive mandando um emissário para a reunião da última terça), se vai para a oposição ou se, o menos provável, entra como terceira via. 

Mas o que a população brusquense quer ver é futebol. Sem fazer pré-julgamentos, é hora de acompanhar o que será do Bruscão no ano do seu jubileu de prata. Mauricy de Souza está trabalhando. Já foi a Florianópolis atrás de um nome para a gerência de futebol (coisa que o Brusque atual não tinha) e dos apoios para a montagem do time. A eleição em si é uma mera formalidade, já que Rezini deixa o clube em 15/!2. Logo, se garantida a continuidade, o trabalho pode começar desde já, faltando apenas o dia para que seja sacramentada a transição.

Pedir licença com um grupo disposto a assumir o clube é algo muito estranho. Antes não tivesse ninguém. Tem outros detalhes dos bastidores, mas é bom parar por aqui pra ninguém depois me tirar pra bode expiatório. O clima anda tenso demais, e daqui a pouco sobra pra imprensa.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

As estatísticas, a cinco jogos do final

Tem gente que não acredita muito, mas tem curiosidade em ver as estatísticas, ainda mais nessa reta final do campeonato.

Números interessantes, alentadores pra um lado, trágicos pra outro.

Segundo o site InfoBola, do matemático Tristão Garcia, o Figueirense, sexto colocado no Brasileirão, tem 1% de chance de conquistar o título brasileiro, contra 41% do Corinthians, 30% do Vasco e 20% do Fluminense.

Falando em Libertadores, o número é animador. O Figueira tem 46% de chances de ir à competição continental, a frente do Inter (19%) e São Paulo (11%), atrás do Corinthians (98%), Fluminense (88%), Botafogo (80%) e Flamengo (70%).

Já na parte de baixo, América e Avaí só precisam da confirmação matemática do rebaixamento. O Infobola dá 99% de chances de Série B para América e Avaí, 76% para o Atlético-PR e 56% para o Cruzeiro.  Ceará (49%) e Bahia (11%) são os mais próximos.


domingo, 6 de novembro de 2011

Deu pra bola, Avaí

Os torcedores mais apaixonados ainda acreditavam numa recuperação. Tudo passava pela vitória contra o Ceará, adversário direto, dentro de casa.

E depois de outra atuação chimfrim, é hora de entregar os pontos e admitir que a vaca já foi pro brejo. Deu pra bola, não adianta mais ficar divagando e vivendo em uma esperança.

Faltou atitude desde o início da partida. Aquela atitude que o torcedor espera há tempos até apareceu pontualmente em alguns jogos, mas não nesse. Três pontos perdidos para um time que só havia vencido um jogo fora de casa até agora, e que escapou da zona de rebaixamento. Não há como ter melhor sorte, ainda mais tendo partidas pela frente contra São Paulo e Vasco, que lutam na parte de cima. Derrota mais do que justa de um time que tem jogadores que não fazem jus à Série A.

Enquanto isso, o time A da LA Sports vence o Palmeiras em São Paulo com gols de Davi e Leonardo.

Toninho Cecílio era a face do derrotismo depois do jogo. Pediu desculpas três vezes, pelo que pude contar. Entregou os pontos. E incluiu mais um rebaixamento no seu currículo. Está na hora da diretoria admitir o rebaixamento, demitir o treinador e iniciar o planejamento para 2012, contratando um técnico visando remontar todo o time no Campeonato Estadual para entrar bem na Série B. Se há uma hora certa para uma reestruturação geral, essa hora é agora. E já considerando a grande queda de orçamento que haverá no próximo ano com a redução do número de sócios e das cotas de televisionamento.

Após o jogo, um grupo de torcedores invadiu as sociais para aprontar. Não justifica em nada, pode prejudicar o clube no tribunal e é um ingrediente a mais no já terrível ambiente avaiano.

Se ainda havia gente que não tinha visto a ficha do rebaixamento cair, hoje viu. E cuidado que o América venceu e a possibilidade da lanterna é real.

sábado, 5 de novembro de 2011

Agora, é briga pau a pau rumo a América

Vencer o Botafogo no Engenhão, coisa que ninguém tinha conseguido nesse Brasileirão, não é pouca coisa. Isso mostra o estágio atual do Figueirense, time que, como dizem especialistas, chegou ao ápice no momento mais importante do campeonato.

Vitória daquelas pra levantar a moral de qualquer um. Jogo disputado, contra um time candidato ao título. A postura foi a mesma, por exemplo, da vitória contra o Santos: sem baixar a guarda, usando da inteligência, da organização para impôr o seu jogo e fazer o sistema defensivo adversário se preocupar. O gol de Julio Cesar, que foi feliz ao chutar lá de fora e sortudo ao ter um desvio que enganou Jeferson, serviu para jogar a torcida contra o Botafogo e facilitar as coisas. A pressão desesperada no final do jogo era esperada. Caio Junior mandou todo mundo pra frente e não havia outra coisa pra ser feita se não segurar.

Analisando os números: além de colocar o Figueirense na zona da Libertadores (pode ser que o Flamengo ou o Inter passem amanhã), o resultado traz o Botafogo para a briga direta da terceira e quarta vagas, transformando-o em adversário direto. Outro ponto a considerar são os confrontos diretos: o Figueira ainda enfrentará Flamengo, Fluminense e Corinthians, e poderá fazer a diferença na classificação do Brasileiro.

A torcida está em euforia extrema, e é hora do time alvinegro ter mais cabeça do que nunca, se quiser desbravar a América pela primeira vez: há de se pensar em um jogo de cada vez. Considerando os três confrontos diretos que há pela frente (dois deles são em casa), a chance está na frente. Não tem como não admitir casa cheia no próximo jogo, contra o Atlético-MG.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Jogos Abertos: a briga pelo título geral

Faltam seis dias para os Jogos Abertos de Santa Catarina. O Blog estará indo de mala e cuia para Criciúma, para acompanhar o maior evento esportivo do Estado. Mais uma vez, as três maiores forças esportivas catarinenses brigarão pelo título geral, mas com ingredientes diferentes neste ano.

O atual bicampeão dos Jogos é Florianópolis, que usa de fortes investimentos para conquistar o caneco geral. Aproveitou uma mudança de rumo da supercampeã Blumenau (39 títulos, 3o. lugar em 2010), que continua com uma estrutura enorme, mas que baixou o ritmo de gastos para reforçar as equipes, privilegiando a base formada na cidade. Joinville, atual vice-campeã, e que perdeu o caneco no ano passado no último dia, tenta surpreender e chegar ao título que não conquista desde 1993, em Tubarão.

A briga pelo título geral em Criciúma ganha um requinte de drama para a Capital, que não terá a equipe de natação nas piscinas do Mampituba por um erro grosseiro da Fundação Municipal de Esportes, que simplesmente perdeu o prazo (10 de outubro) para a inscrição dos atletas. A FME até ingressou com um recurso no TJD tentando incluir os nadadores fora do prazo (o que abriria precedente para outras cidades fazerem o mesmo), mas não obteve êxito, perdendo no tapetão por 7 votos a zero. Considerando que, no ano passado em Brusque, a capital conquistou o título da natação feminina e o vice na masculina, são 21 pontos na classificação geral que vão fazer muita falta no final. A capital terá que torcer por tropeços blumenauenses e joinvilenses, além de conquistar títulos nos confrontos diretos.

Criciúma gastou muito para tentar se infiltrar na festa desse trio que domina os Jogos Abertos há décadas. Investiu, contratou atletas, vem mostrando bons resultados na base (é a atual campeã da Olesc) e, ao meu ver, já tem o quarto lugar garantido. Se um dos grandes bobear, a capital do carvão pode beliscar uma melhor posição.

O Blog terá cobertura especial dos Jogos Abertos. Muitos não dão importância, mas é a competição mais importante do ano para várias modalidades. Um evento primordial para a manutenção do esporte catarinense como um todo, principalmente na revelação de novos talentos olímpicos.


quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Tigre mostra que teria potencial ao acesso

1 a 1 contra o bom time da Portuguesa.

Um jogo em que o Criciúma teve todas as chances de vencer, ousando, atacando no primeiro e segundo tempos, e ainda prejudicado por um pênalti não marcado no final do jogo. No mais, foi um jogo aberto, que mostrou que o time hoje tem potencial para o acesso. Mas devido a erros lá no início da Série B e algumas escorregadas recentes, o acesso é complicado. As chances de entrar no G4 apareceram, mas não foram aproveitadas.

Importante olhar o jogo sob esse aspecto: o Criciúma mostra um crescente padrão de jogo e jogou de igual pra igual com o melhor time do campeonato. Fez uma pressão monstro no primeiro tempo. Obrigou a Portuguesa a mudar a postura no segundo, criando chances na frente. Mas Goiano arrumou a marcação e pôs seu time a frente, fazendo Weverton trabalhar, incluindo aí uma defesa aos 31 minutos que é uma das mais bonitas do ano.

Outra chance desperdiçada. Os adversários estavam colaborando, e davam a deixa pro Criciúma sentir o gosto de estar no G4. Contra a Lusa era a chance mais difícil. Ainda faltam Ponte e Barueri em casa e Vitória e São Caetano fora. O trabalho está bem encaminhado para 2012, mas se o time engatar duas vitórias seguidas, ainda pode dar uma graça nessa temporada.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O Brusque tem novo presidente

Confesso que estou surpreso.

Fui para a Assembleia que seria a segunda tentativa do Brusque de eleger um novo presidente sem muita esperança. Afinal, nenhuma informação dava conta de que algum novo fato apareceria, e o time iria entrar em novembro sob o clima da indefinição.

Eis que na assembleia, apareceu um nome, que já juntou um grupo de novos nomes dispostos a dar um novo gás no clube. O novo presidente, que será eleito no próximo dia 16, está na foto: é Mauricy de Souza, consultor de negócios e professor universitário. Está disposto a assumir a bronca, e terá que contar com a ajuda da diretoria que deixa o clube em 15/12 para uma transição tranquila, principalmente no que diz respeito ao futebol. Mas disso não tenho dúvida que o André Rezini e o Carlos Beuting vão ajudar.

Boa sorte ao novo grupo que assumirá o clube, estaremos torcendo pelo seu sucesso.

Atualização das 00:25: Entrevistei Mauricy no meu programa da TVB logo após a Assembleia. Cheio de ideias, com vontade de modernizar e um novo grupo que traz um novo gás para o Brusque. Creio que o maior problema nesse momento chama-se transição. Mas como escrevi lá em cima, acho que a diretoria atual dará uma força. E já se mostraram propensos a isso.

Ainda é muito cedo pra se falar em montagem do time, jogadores, treinador, essas coisas. Mas estaremos acompanhando de perto.

domingo, 30 de outubro de 2011

A luta continua, e o sofrimento também

Acompanhar vários jogos simultâneos, ainda mais nessa reta final de campeonato, não é fácil. Mas ao final de tudo, deu a lógica: Figueirense vencendo e firme na luta pela Libertadores, e o Avaí na mesma, vexame pós vexame: perdeu de virada pela 10a. vez no campeonato com um jogador a mais em campo por quase todo o segundo tempo.

Foto: Bernardo Haas - FutebolSC.com
O nome da vitória alvinegra foi Fernandes, que já foi envolvido em muita polêmica devido ao seu relacionamento com Jorginho. O torcedor alvinegro deve lembrar de uma época não muito remota, em que Fernandes era preterido por jogadores de qualidade inferior. Hoje ele entrou, fez dois golaços, virou um jogo truncado, de muita marcação e contra um adversário chato de jogar. A vitória veio, e a situação só não foi melhor porque o Internacional venceu sua partida. De qualquer forma, a diferença para a zona da Libertadores é de apenas dois pontinhos, e um jogo na semana que vem contra o Botafogo, onde uma vitória pode trazer o alvinegro como outro alvo na briga pela inédita participação no torneio continental.

O Avaí perdeu um jogo para o Corinthians em que tinha grandes chances de vencer, pois fez um bom primeiro tempo, aproveitou-se do nervosismo do adversário e marcou, com Robinho. Mas até contra o Barcelona não se perdoa o fato de tomar uma virada com um jogador a mais em campo. O Avaí conseguiu, pela décima vez em dezessete jogos no Brasileirão. Um erro recorrente de um time que não segura o rojão no final, os números dizem tudo. Para piorar, o Atlético-MG venceu o Palmeiras e colocou o Leão a cinco pontos do Cruzeiro, primeiro time fora da zona. Considerando que o time não poderá mais perder e terá Vasco e São Paulo fora de casa pela frente, dá pra ver que a reação está cada vez mais longe. É incrível analisar os números e ver que, pela décima vez em 17 jogos, o time toma a virada no placar. É coisa demais. O time morre no segundo tempo.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Corinthians contra "o fraco"

Capa do jornal "Marca" de hoje:


É o tipo de capa que tem que ser colada nas paredes do vestiário do Avaí antes do jogo.

Me admiro do Marca, um dos maiores diários esportivos do mundo, fazer uma coisa dessas na capa.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Show de Jorge Aragão na abertura dos JASC

O Blog começa a entrar em ritmo de Jogos Abertos de Santa Catarina. Lá vou eu para minha 13a. edição da maior competição poliesportiva do Estado.

E a edição desse ano promete: a cerimônia de abertura, dia 10, no Estádio Heriberto Hulse, será apresentada pelo jornalista Celso Freitas, criciumense de nascimento e âncora do Jornal da Record. E a festa terá direito a um show do sambista Jorge Aragão.

JASC 2011 chegando.

Faltou o gol

Era jogo de seis pontos, onde o Criciúma poderia dormir no G4. Pra quem praticamente estava fora da parada e se viu com a grande chance de voltar a ser sério candidato ao acesso. Não perdeu o jogo fora de casa, mas foi péssimo: além de não tirar o Americana do G4, deu a possibilidade ao Bragantino e ao Sport de encostarem no final de semana.

Jogo complicado, com o gramado, que já não é bom seco, bem complicado com muita água. Mesmo com a situação triste do terreno, o jogo teve chances dos dois lados. Márcio Goiano até tentou atirar o time mais a frente, tirando Mateus e colocando Zé Carlos. Não adiantou, e as possibilidades de acesso voltaram a cair.

Daqui pra frente, a conta até é simples: os dois próximos jogos serão em casa, contra os dois melhores times do campeonato, Portuguesa e Ponte Preta. Vencendo os dois jogos, o Criciúma vai para as três partidas finais para brigar por algo, tendo que conquistar um triunfo fora de casa. A conta é bem complicada, mas ainda é possível. Mas o G4 estava ali, tão perto. Pena que falou o gol.