sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Televisionamento e popularização do futebol em SC: o efeito parabólica

Brilhante texto publicado no Blog "Olhar Crônico Esportivo", do Globoesporte.com dá algumas respostas sobre o fator televisionamento esportivo e penetração do futebol catarinense na casa dos catarinenses. Um dado que, de certo ponto, é surpreendente.

Puxado até por aquele fato cultural dos chamados "mistos", que torcem para times de fora do Estado ao invés dos times catarinenses, essa pesquisa buscou também explicar um pouco dos motivos da repercussão maior de campeonatos como Carioca e Paulista ao invés do nosso Catarinense, que busca o seu espaço.

O mais importante dado dessa pesquisa, feito por Vinicius Paiva, economista de formação e colunista de marketing do site do Flamengo e do blog da Flamengo Net (viniciusflanet@gmail.com e http://www.twitter.com/viniciusflanet) traz um dado importante: de cada três catarinenses, um assiste televisão por antena parabólica, e logo, vê Campeonato Carioca na Globo e Paulista na Band. São 20 milhões de domicílios com parabólica no Brasil, atingindo 35% da população nacional. E o mais interessante: Santa Catarina é o terceiro Estado do Brasil com o maior número de parabólicas, com 32% de penetração, atrás apenas do Piauí (41%) e do Maranhão (34%). Vários fatores colaboram para esse número: o relevo do Estado, que dificulta a recepção de sinais de TV até em cidades grandes, a quantidade de prédios e condomínios que instalam parabólicas, e logo, não recebem sinais locais, e a baixa oferta de canais abertos em cidades pequenas, que contam com nenhum, apenas um, dois ou no máximo quatro opções de canal a ser sintonizado, contra o poder aquisitivo da população de SC, que pode comprar uma parabólica, de recepção gratuita e imagem perfeita.. Isso de certa forma explica a superexposição de times cariocas e paulistas no Estado, o que de certa forma freia as intenções de "popularizar" o futebol catarinense, principalmente no interior do Estado.

A pesquisa mostra que os Campeonatos de outros Estados, juntos, já passaram o Carioca no quesito penetração. Nas palavras do autor da pesquisa, "Este movimento gera claros benefícios em prol da desconcentração do futebol brasileiro, mas não deixa de gerar oportunidades indiretas aos clubes cariocas. Antes passivos espectadores de um processo de encolhimento do futebol do estado, resta claro que nos últimos anos seus times vem reagindo, tanto em termos de estratégias de marketing quanto em contratações. Os primeiros resultados foram colhidos ao longo dos últimos dois Campeonatos Brasileiros".

7 comentários:

  1. É bom por aí mesmo
    Nas cidades do médio e alto vale tem muita gente que só tem parabólica e não vê a programação local.

    Aqui em Itajaí são poucos, a maioria tem TV aberta normal ou Viacabo. Mas em Brusque, quase todos meus amigos tem parabólica.

    ResponderExcluir
  2. Uma solução seria o governo do estado ter um canal próprio, assim como o do Paraná possui, e passar jogos.

    No caso do Paraná, eles transmitem os jogos do campeonato de futsal e a audiência é grande.

    É verdade que existem os direitos de transmissão, etc. Porém, poderia-se criar uma lei estadual obrigando a transmissão de ao menos um jogo por rodada na rede pública.

    Se não me engano, existe uma lei neste sentido relacionada ao jogos da Seleção Brasileira.

    ResponderExcluir
  3. Itajaí é um caso a parte, pois é uma cidade totalmente plana, tem um Morro da Cruz que joga o sinal com perfeição pra toda a cidade e Navegantes.

    Aqui em Brusque você já não pega TV Aberta ou pega com fantasma a uns 2km da Torre.

    ResponderExcluir
  4. "Santa Catarina é o terceiro Estado do Brasil com o maior número de parabólicas, com 35% de penetração, atrás apenas do Piauí (41%) e do Maranhão (34%)"

    Oi?

    ResponderExcluir
  5. Renan, eu corrigi. SC tem 32% de parabólicas. Valeu o toque.

    ResponderExcluir
  6. Se eu aprendi a ler direito, ainda leio penetração.

    ResponderExcluir
  7. não tinha observado por este lado. Mas faz todo o sentido. Eu por exemplo tenho mal e porcamente 3 canais locais, quando a chuva permite. Então, assisto a parabólica com o futebol SP e RJ. Ou ainda me obrigo a ir até a casa de meu pai onde tem a Sky, que tbem tem os mesmos campeonatos, a não ser que tenha PPV de SC.

    ResponderExcluir